My Vampire System – Capítulo 164

Plano B Iniciado

Correndo o mais rápido que podia, Vorden tentou desesperadamente alcançar Quinn que estava correndo na frente. Contudo, independentemente do quão rápido estivesse, não conseguia manter o ritmo e até o perdeu de vista, Quinn não podia mais ser visto na vizinhança. No entanto, ele não desistiu, pois sabia que Quinn precisaria dele quando encontrasse Peter.

*Beep*

Quando estava perto do parque, onde presumiu que Quinn havia ido, seu relógio acendeu e o som de uma notificação foi ouvida. Quando olhou no relógio, a hora exibida eram 9:45. Isto significava que só restavam quinze minutos até o toque de recolher. Na maioria dos casos, não seria tão ruim, já que os estudantes só seriam pegos e punidos de leve.

Mas para Quinn e Vorden, que já eram suspeitos de cometer um assassinato, seria estranhamente suspeito se os dois estivessem fora no meio da noite após o toque de recolher sem ter um bom motivo. Sabendo disto, Vorden não teve outra escolha além de se virar e retornar ao dormitório. Ele tinha que confiar que Quinn encontraria o Peter e o traria de volta a tempo.

….

Vendo a mensagem no relógio, Quinn começou a entrar em pânico. Se quisesse voltar a tempo, precisaria partir agora. Ele não tinha tempo para resgatar Peter. Porém, quando tentou se mover, foi interrompido pela ligação. Ele tentou forçar, mas foi empurrado ao chão.

Fex podia ver que algo estava ocorrendo: “Ei, precisamos voltar, certo?” Fex disse: “Aquele cara magricela disse algo sobre estar em nossos quartos antes das dez. não sei por que está me atacando, mas precisa entender que estamos do mesmo lado.”

Fex olhou para Peter e teve um palpite do que o último estava pensando, só que não era algo que podia confirmar agora.

“Olha, você não quer estar aqui, eu menos ainda, então não direi a ninguém sobre você. Deixarei em suas mãos, porém, se precisar de alguma ajuda, sugiro que venha até mim.”

Logo depois, uma nuvem de névoa encheu o local onde Fex estava. Quando a névoa começou a desaparecer, Fex havia desaparecido.

“Ele realmente se foi?” Quinn perguntou.

“Essa névoa é um feitiço de transformação.” O sistema explicou: “Muito provavelmente, ele virou algo que o permite se mover mais rápido.”

Com esse conhecimento, um peso saiu de seus ombros, mas ainda havia outro problema pensando em sua mente, e logo se lembrou dele.

Peter começou a gritar. Parecia estar sendo apunhalado repetidamente em seu estômago, e conforme sua fome aumentava, o mesmo ocorria com a força. Os fios que estavam o segurando estavam começando a quebrar uma por uma.

“Quinn, rápido, dê um pouco do seu sangue para ele. Será temporário, mas deve acalmá-lo enquanto tem mais controle sobre ele.” Disse o sistema.

Quinn usou seu Equipar da Sombra para colocar seu equipamento no Armazenamento Dimensional, incluindo o traje e a máscara que estava usando. Em seguida, usando a ponta do dente, mordeu no dedo, fazendo sangue sair. Caminhou até Peter e após dar alguns passos, o último levantou a cabeça e olhou para Quinn.

Um som de rosnado foi feito como se para dar um aviso para Quinn não chegar mais perto. Os olhos de Peter estavam ficando vermelhos novamente e suas presas estavam a mostra.

“Tem certeza que ele não vai me ferir?!” Quinn perguntou.

“Positivo, os vampiros têm um conjunto de regras que devem seguir, senão, seus poderes começarão a retaliar contra eles. Lembra como sentiu momentos atrás em que tentou fugir, certo? Não importa quanto tentou lutar, foi impossível, no final. O mesmo ocorrerá com ele se tentar ferir você.”

Olhando para Peter que continuava rosnando, ele ainda não tinha certeza se acreditava no sistema ou não, mas não tinha outra escolha. Peter estava assim por causa dele, e agora, não havia como voltar.

Os rosnados persistiram enquanto se aproximava, mas exatamente como o sistema disse, mesmo que Quinn praticamente estivesse segurando a cabeça de Peter, o último nunca tentou mordê-lo. Quinn então levantou a mão e começou a espremer, permitindo sangue pingar na boca de Peter. Assim, em quase um instante, Peter começou a se acalmar.

“Quanto tempo vai durar?” Quinn perguntou.

“Tempo o bastante.” O sistema respondeu.

Colocando Peter em suas costas e equipamento as botas bestiais, ativou Caminhada Veloz. Ele não tinha mais tempo para pegar leve, então correu o mais rápido que podia para retornar à escola sem nenhuma intenção de desacelerar.

…..

Vorden chegou no quarto a tempo e Layla há muito tinha ido para o seu quarto. Na cozinha, estendido na mesa, estava o que parecia com um cutelo: “Okay, Vorden, você consegue.”

“Não acredito que você vai tão longe!” Raten disse.

“Tenho que ir, caso contrário, Peter colocará todos nós em perigo.”

“Então apenas o mate! Até faço isso por você como da última vez,” Raten respondeu.

“Porém, Quinn não quer isso, e o Sil finalmente está começando a mudar. Não podemos deixá-lo voltar a como era.” Vorden disse e, pela primeira vez, Raten não teve uma resposta ríspida.

Vorden então colocou o braço na mesa, e agarrou o cutelo com a outra mão: “É agora ou nunca!” Ele golpeou para baixo, mas no último segundo, parou a centímetros do membro: “Não consigo. Como alguém pode cortar o próprio braço?”

Um baque foi ouvido no quarto, e quando Vorden se virou, viu que Quinn tinha chegado enquanto carregava Peter em suas costas. Os dois tinham entrado pela janela quebrada.

“Parece que cheguei a tempo,” Quinn disse aliviado.

O som dos relógios disparou novamente, indicando que agora eram dez horas. Um ping então seria enviado ao escritório de segurança, revelando a localização de todos aqueles que não estavam localizados em seus quartos naquele momento.

Contudo, assim que Peter entrou no quarto, o cheiro de carne humana fresca entrou em seu nariz, e mais uma vez, sucumbiu à vontade. Quinn rapidamente o segurou usando toda a sua força, todavia, foi difícil. Parecia que Peter era tão forte quanto Quinn. A única coisa que podia fazer era colocar as manoplas, mas se fizesse, teria que soltar Peter, e no segundo em que o soltasse, sabia que ele iria atrás de Vorden.

“Agora não é hora de hesitar!” Vorden disse, porém, novamente, quando olhou para o cutelo e sua mão, seu coração começou a bater como louco.

“Argh, seu frangote. Deixe comigo,” Raten disse ao assumir o controle do assento. Sem hesitação, Raten golpeou o cutelo no próprio braço. Diferente de Vorden, no entanto, não hesitou nada.

Ainda assim, o osso era grosso e não foi capaz de cortar num golpe só. Sangue continuou a sair da ferida. Raten levantou o cutelo e continuou a atingir seu braço, até que eventualmente, foi completamente cortado.

“Toma!” Vorden disse ao jogar seu braço para Quinn e Peter.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar