My Vampire System – Capítulo 165

Missão de Família

Quando o braço de Vorden estava voando, Peter conseguiu superar Quinn e afastá-lo. Saltou no ar como um cão tentando pegar o braço, teria parecido engraçado se não fosse tão grotesco. Era como se estivesse brincando de pegar, mas ao invés de uma vara, estava pegando um braço, sua mandíbula estendeu muito mais que seria possível para um humano normal. Quando pegou o braço, imediatamente mordeu e começou a comer.

Vorden olhou para o cutelo coberto de sangue e então para o balcão da cozinha onde foi cortado, estranhamente, não havia nenhum sangue na mão segurando o cutelo.

“Vorden, você está bem?” Quinn perguntou com uma expressão preocupada.

“Não se preocupe, ficarei bem.” Vorden respondeu com um pequeno sorriso: “Acho que precisávamos do plano B mais que pensávamos.”

Quando olhou para Vorden, Quinn esperava ver sangue esguichando da ferida onde cortara o próprio braço, mas ao invés disso, viu que a ferida fechou e já estava começando a curar gradualmente.

Ao mesmo tempo, Peter ainda estava roendo o braço de Vorden, completamente focado em devorar a pele e osso. Vorden achou um pouco estranho ao ver Peter comendo seu braço direito. Instintivamente, estendeu a mão para agarrar o braço e sentiu que a parte abaixo do cotovelo já estava começando a crescer de novo, isto o fez suspirar de alívio, felizmente, a habilidade de cura que adquiriu já estava começando a funcionar.

“Espero que seja o bastante para ele, porque não sinto vontade de passar por isto de novo… hoje.” Vorden disse.

“Deve ser, ele vai se acalmar quando terminar de comer,” Quinn respondeu. Ele só estava repetindo as palavras do sistema, porque não tinha certeza de mais nada. Quando Peter finalmente terminou de comer o braço, Quinn sentiu a energia estranha surgindo através de seu corpo, parecia igual à primeira vez que Peter comeu carne humana.

Era uma situação estranha para Peter, porque estava ciente de tudo que estava acontecendo, só que não tinha controle sobre seu corpo porque havia sido completamente consumido pela fome.

Olhando para Vorden, Peter notou que seu braço havia sumido. Com medo em sua voz, gaguejou: “Vorden… seu braço… Não sei…” Peter ficou chocado consigo.

“Isto?” Vorden disse ao levantar o cotoco: “Não se preocupe, terá crescido em algumas horas. Este era nosso plano B no caso de você perder o controle antes que tivéssemos uma solução permanente para você. Só não quero que pense em mim como um empanado de frango que pode comer sempre que ficar com fome.” Vorden disse tentando aliviar o humor: “Antes de voltar ao nosso quarto, fui à cantina e copiei a habilidade de um aluno com poder regenerativo. Não esperávamos que você ficasse com fome tão cedo após comer o Earl ontem.”

Todos os três ficaram em silêncio por um tempo, pois estavam pensando na situação louca em que estavam agora. Após algum tempo, Peter quebrou o silêncio: “Obrigado. Vocês sempre foram legais comigo e me trataram bem, mesmo depois da minha traição, ainda salvaram minha vida e mesmo agora foram tão longe para me ajudar.”

Quando olharam em volta do quarto, perceberam quanta bagunça fizeram. Havia um grande buraco na janela que Peter quebrou e estilhaços de vidro podiam ser observado no chão. Sangue estava por toda parte: na bancada da cozinha, no chão onde Peter devorou o braço, até no teto de quando o braço foi enviado voando.

“Bem, acho que seria melhor começarmos com a limpeza deste local antes de alguém descobrir o que aconteceu aqui,” Quinn disse.

Cada um deles se revezou para limpar o local, mas não havia muito que pudessem fazer em algumas áreas, por exemplo, não podiam restaurar magicamente uma janela e os arranhões feitos no piso de madeira só podiam ser consertados até certo ponto.

Quando Vorden estava limpando a bancada da cozinha, disse: “Ei, Quinn, quer uma bebida?” Ao mesmo tempo, espremeu um pouco de sangue de uma toalha.

Quinn ficou maravilhado de como Vorden ainda podia fazer piadas em uma situação destas, porém, de novo, nada parecia afetá-lo. Desde que virou um vampiro, Quinn não era mais tão afetado pela visão de sangue, até Peter comendo o braço de Vorden o incomodou muito. O que o surpreendeu foi quão bem Vorden estava lidando com isto.

Enquanto estava ocupado limpando, Quinn teve a chance de fazer algumas perguntas ao sistema, porque agora tinha muitas: “Você sabe quanto tempo Peter precisará comer carne humana?” Quinn perguntou.

“Bem, pela primeira vez, tenho uma boa notícia para você, Peter é o tipo de ghoul que precisa ser alimentado diariamente.” O sistema respondeu.

“Se essa é boa notícia, então você tem um senso de humor doentio.” Quinn pensou.

“Apenas espere, jovem, aqueles que exigem comida com mais frequência, ficam forte mais rápido. Se continuar alimentando Peter por uma semana, no final, ele deve evoluir.”

No meio da conversa, uma tela de notificação surgiu.

[Nova missão recebida!]

[Torne sua família mais forte]

[Alimente se ghoul (Peter) com sete tipos diferentes de carne humana: 2/7]

[Recompensa: Evolução do membro da família]

“Bem, olhe só para isso, parece que meu palpite estava certo.” O sistema disse.

Quinn achou as palavras do sistema estranhas, ele não estava encarregado de tudo? Até este ponto, ele pensava que a I.A. e o sistema fossem um e a mesma coisa, só que não parecia ser o caso.

“Não era você que fazia as missões?” Quinn perguntou.

“Eu?” O sistema respondeu: “Entendo porque pensaria assim, fui designado após o dono original, a pessoa que teve a ideia de criar o sistema. Meus pensamentos e ações é tudo baseado em volta dele. Porém, o sistema em si, foi criado por outra pessoa, e antes que pergunte, o homem mudou de nome com frequência através do tempo, então mesmo que eu diga seu nome, você não saberia quem é.”

Desde que não havia muito que Quinn pudesse fazer sobre o sistema por enquanto e não era realmente um problema, então decidiu focar em outra questão. Olhando para a missão, notou algo que causaria ainda mais problemas. A missão declarava que precisariam de sete tipos diferentes de carne humana. Igual a Quinn que só ficaria mais forte quando consumia o sangue de uma nova pessoa, a mesma ocorrência podia ocorrer com Peter, só que o último teria que consumir tipos diferentes de carne.

“Se, e digo um grande Se.” Quinn disse: “Se continuarmos usando o Vorden, ainda suprimirá a fome dele?”

“Sim, embora assim ele não consiga evoluir tão rápido.”

Olhando para o cotoco de Vorden, que agora cresceu ao ponto onde estava começando a formar o pulso. Ele odiou o fato que tinha que contar com Vorden e usá-lo só seria atrasar o inevitável, agora precisava achar uma solução o mais rápido possível.

Enquanto estes pensamentos passavam por sua mente, lembrou da luta que teve com Fex. Antes de partirem, ele disse: “Se precisar de ajuda, procure por mim.” Quinn não tinha ideia se podia confiar nele ou não, e se os dois entrassem numa luta de novo, sabia que no seu estado atual, definitivamente perderia.

Embora Quinn não tenha se ferido durante a luta, também não foi capaz de atingir um golpe, e parecia que a quantidade de skills de Fex superava a sua. A única coisa que tinha que poderia lhe dar uma vantagem era a habilidade da sombra. Todavia, em simultâneo, ainda não vira qual era a habilidade de Fex ou se tinha uma.

Contudo, sem nenhum plano e orientação do sistema, quem mais poderia recorrer por ajuda? Ele não seria capaz de atacá-lo enquanto estavam na escola. Os Vampiros eram um segredo para o mundo e tinha certeza que Fex também gostaria de manter isto. Era um risco, mas teria que confrontar Fex e pedir por ajuda.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar