Second Life Ranker – Capítulo 145

As Três Nornas (4)

『Você escolheu o caminho do templo do passado, Urd.]

Yeon-woo seguiu Hepburn, passando pelo caminho certo.

Ao contrário do templo de Skuld, o caminho para o templo de Urd era inclinado no alto de uma colina. Ele não viu nenhum crente indo para o templo, pois ao contrário dos outros dois templos onde os jogadores confessavam suas preocupações sobre o presente e o futuro, o templo de Urd controlava o passado, então era o menos popular.

Além disso, devido ao incidente com o templo de Skuld, o número de jogadores que visitavam o 16º andar diminuiu repentinamente.

Graças a isso, Yeon-woo foi capaz de chegar confortavelmente ao templo.

O templo de Skuld tinha um teto de mármore alto, enquanto o templo de Urd tinha um teto em formato de arco redondo. Considerando que ela era a mais velha das três deusas, era um templo humilde e simples.

— Ele é um convidado da deusa. Abram as portas.

Os discípulos na frente ao templo viram Hepburn e freneticamente abriram as portas. Eles viram a foice da sombra sob o queixo dela, mas não comentaram sobre. Nem mesmo ousaram olhá-la nos olhos, como se fosse um ato desrespeitoso. Um apóstolo era o avatar de um deus. Era claro que isso era considerado verdade, vendo como eles a tratavam.

Então Yeon-woo seguiu Hepburn por um corredor e ficou em frente a uma grande porta.

Como se a porta de 4 metros de altura mostrasse a personalidade de Urd, era simples, além da decoração de roda de ouro sobre ele.

Mas Yeon-woo soube no momento em que viu que era pesada.

Talvez seja apenas profunda, mas, por outro lado, parecia larga, alta e emanava um sentimento aconchegante.

Algo desconhecido estava escondido atrás da porta.

E como se concordasse com Yeon-woo, a Pulseira Preta e Vigrid ativaram-se e ele podia sentir Aegis se agitando no subespaço em que estava.

Uma força imensa estava atrás da porta. Era uma sensação diferente do que ele sentia com o Rei Marcial ou a Rainha do Verão.

— Você consegue sentir. Com certeza consegue.

Hepburn olhou para Yeon-woo com olhos misteriosos.

Yeon-woo estreitou os olhos.

— O que você está dizendo?

— Ocasionalmente, temos pessoas assim. Pessoas que sentem o que está atrás da porta. Estas pessoas são muito sensíveis, têm um sentido sagrado ou…

Os olhos dourados de Hepburn brilharam calmamente.

— Eles presenciaram o poder de um deus.

Yeon-woo não conseguia entender o que Hepburn estava dizendo.

— O que está por trás disso?

— Um deus.

— O quê?

— Há um deus aqui? Atrás da porta?

Os deuses não conseguiram escapar do 98º andar e as Três Nornas sempre deixavam sua consciência no 16º, pois não queriam ficar trancadas no 98º andar, mas seus corpos não poderiam estar ali.

“E Hepburn está dizendo que há um deus atrás dessa porta?”

Yeon-woo tinha olhos questionadores, mas Hepburn educadamente se curvou como se ele fosse descobrir se era verdade caso entrasse e deu um passo para trás.

— A partir daqui, este é o território sagrado em que o deus está localizado. Não recebi permissão para entrar, então eu não posso ir com você.

O território sagrado era o território do deus.

Como Yeon-woo tinha poder absoluto usando o Território Dracônico, o poder do Território Sagrado de um deus seria limitado.

TL/N: Mudando todas as habilidades que tem “do dragão” para “Dracônico”.

Yeon-woo hesitou, não gostando da situação, mas ele entrou…

Mesmo se ele entrasse, sua comunicação com o Monstro Espiritual na sombra de Hepburn não seria cortada, então ele pensou que isso poderia dar certo. Ele estava curioso sobre a existência de um deus ali e pensou que seria capaz de saber se esse deus seria Urd ou não, então ele abriu a porta.

Creak.

A escuridão o cercou, o suficiente para que ele não pudesse sentir nenhuma direção, mas ainda assim não houve hesitação de sua parte.

Bang!

A porta se fechou e o isolou. Indo mais fundo na escuridão, ele podia sentir o território ligeiramente se dissipando. E em seu lugar, outra coisa tomou conta. Naquele breu sem fim, o que Yeon-woo viu era tão grande que parecia que não havia fim. Uma força semelhante ao que ele sentira do lado de fora da porta. Parecia largo, alto e profundo. Não sendo capaz de dizer se haviam limites para tal ser, Yeon-woo sentiu-se pequeno e indefeso como um vaga-lume na noite profunda.

Quando ele sentiu isso do lado de fora, ele pensou que seria uma força que não poderia ser entendida, mas diante disso agora, ele nem conseguia reconhecê-lo.

“Isto é… um deus.”

Yeon-woo inconscientemente meditou com si mesmo. O deus na frente dele estava realmente distante. Ele pensou em Hermes, que conhecera no tesouro do Olimpo, no qual não foi capaz de sentir sua presença em tudo. A sensação de agora era totalmente oposta.

Na verdade, isso não estava correto. Hermes tinha sido atencioso com Yeon-woo que na época era fraco, já Urd não sentia essa necessidade.

Para um deus, um humano era apenas um simples micróbio.

Como um grão de areia em um castelo de areia destruído pelas ondas não poderia ser encontrado ou como a luz de um vaga-lume não poderia ser vista na frente do sol, sua existência era muito pobre.

Ele sentiu que estaria em grande perigo se seu oponente soprasse suavemente com a boca, mas talvez antes disso, a existência dele não seria destruída? Como se fosse desaparecer como uma chama em uma vela sem nem perceber o que estava acontecendo.

Yeon-woo imediatamente forçou seu Circuito Mágico ao máximo. Ele ativou seus 360 núcleos, enviou poder mágico para cada um deles e abriu suas asas de fogo para envolver seu corpo como proteção para que ele não simplesmente desaparecesse. Para que pudesse sentir algo, ele se forçou a prestar atenção.

E bloqueando as influências externas com seu poder mágico, ele levantou a cabeça.

『Vontade de Combate』

Yeon-woo forçou sua consciência o máximo que pôde e se concentrou em uma coisa.

Ele não sabia exatamente onde o deus estava. No entanto, pensou que nada disso importava. Este era um território sagrado. Era onde a consciência do deus estava e onde o próprio deus estava. Então estava claro que não importava para onde olhasse, ele estava sendo observado de todas as direções.

E como se estivesse certo, uma voz firme perfurou a cabeça de Yeon-woo.

[— Você é uma criança muito tenaz. Bem, eu acho que você tem que ser para ter feito tal bagunça no templo da mais jovem.]

Uma voz que parecia estar rindo dele com um tom frio.

Yeon-woo ficou mais nervoso. Ele adicionou Fogo Sagrado à sua defesa e levou a mão esquerda à Pulseira Preta a fim de se comunicar com a sombra em Hepburn, caso algo desse errado.

A intenção de Yeon-woo era visível para Urd.

[— Eu não sei por que está sendo tão cauteloso comigo. Prometi que não te machucaria e de fato não irei, mas você nem esconde sua espada.]

— Porque eu não sei o que você está pensando.

[— Considerando que você é um sucessor do poder do dragão ancião, você é bastante cuidadoso. Lagartos geralmente não são nada sem o seu orgulho. Eu não sei como você conseguiu tanto poder.]

— …

O sucessor do dragão ancião. Ela estava falando sobre o poder de Kalatus que ele recebeu de seu irmão. Como um deus que observava o passado, Urd foi capaz de ver todos os caminhos que havia tomado até agora.

Então ele ignorou o olhar dela e perguntou diretamente.

— Por que me chamou?

O desafio do 16º andar era muito simples. Fazendo uma pergunta a um padre, eles entregariam as palavras de uma das deusas. Apenas isso. A dificuldade parecia ser fácil, mas a resposta das deusas podem ser importantes para o futuro do jogador. Então, todos progrediam cuidadosamente com o desafio.

No entanto, ninguém jamais se encontrou com uma deusa. Seu irmão havia escolhido Verdandi no 16º andar e ele imediatamente passou após ouvir algumas palavras.

Então Yeon-woo só podia suspeitar dos motivos de Urd ter o chamado.

[— Acho que você quer sair o mais rápido possível.]

Yeon-woo não respondeu.

Urd continuou com uma voz cínica, como se não importasse.

[— Porque quis.]

— Por que… quis?

Foi uma resposta completamente inesperada. Yeon-woo franziu a testa sob a máscara e as risadas de Urd ficaram mais altas.

[— Sim. Porque quis. Como pode ver, quase não há visitantes aqui e as pessoas me consideram inútil. Eu ouvi dizer que alguém destruído o templo da mais nova e eu estava entediada, então me interessei por você e te chamei.]

— …

[— Mesmo que não possamos nos mover, um deus é um deus. Não é comum ver um jogador se atrever a destruir um templo. Assim como os deuses que nos odeiam, não tentam nos ter como inimigas. Mas, você não se importou com isso.]

Yeon-woo calou a boca.

[— Eu queria te ver uma vez e ouvi que você não terminou o desafio do 16º andar, então fiquei esperando aqui pensando, caso voltasse. Agora que te vi. Acabou.]

『O desafio foi concluído.』

『Você conseguiu encontrar a deusa Urd. Você conseguiu uma conquista que não é facilmente alcançada. Karma adicional será recompensado.』

『Você ganhou 5.000 Karma.』

『Você ganhou um adicional de 3.000 Karma.』

『O Karma ganho está sendo adicionado ao seu Karma total.』

『Você deseja colocar seu nome no hall da fama?』

Os olhos de Yeon-woo se arregalaram com as mensagens inesperadas.

Ele ainda não sabia o que Urd estava pensando.

[— Eu vi muitos humanos daqui. Todos se arrependiam de algo sobre seu passado. Todos frutos da mesma árvore.]

Pessoas que não podiam escapar do passado e pessoas que não puderam viver seu presente e futuro porque eles não podiam deixar seu passado de lado.

[— Havia uma coisa que eles queriam, serem capazes de escapar do passado e me perguntavam como ganhar o futuro. Eles queriam de alguma forma encontrar suas vidas.]

A vida foi um presente, que é criado por camadas do passado e estes presentes combinados para fazer o futuro.

O presente e o futuro justificam a vida.

Em outras palavras, a vida era esperança.

[— Mas… Você é diferente. Muito diferente.]

Yeon-woo pensou que Urd estava sorrindo e pensou saber o porquê de Urd tê-lo chamado.

[— Não ter arrependimentos e, ao mesmo tempo, estar nadando em direção a um passado mais profundo. Nisso, você repetidamente se culpa. No final, não há ‘você’. Apenas seu irmão morto.]

— …

[— Então eu pergunto. Se você consegue. Seu irmão fechou os olhos em tristeza, mas você não pode viver uma vida feliz devido a sua culpa, então você continua a cair em desespero e você se faz sofrer.]

Veias saltaram em seu punho cerrado.

[— E você suspeita que seu irmão foi traído por seus amigos de confiança. Então… Posso fazer o mesmo? Posso confiar nas pessoas ao meu redor?]

— …

[— Essas pessoas parecem diferentes delas, mas seu irmão também pensou que viveria para sempre com eles. A traição pode vir a qualquer momento. Então, você continua a ser cauteloso com eles. Não é?]

Yeon-woo rangeu os dentes.

[— Suspeitas e suspeitas.]

A voz de Urd ficou mais alta. Continuou fazendo a cabeça dele tocar.

[— Não confie. Não confie em ninguém.]

A escuridão ao redor de Yeon-woo marejou. Tudo mudou e suas emoções o inundaram como se fossem ondas. Era a loucura de alguém que sofria pelo seu passado.

[— Aqueles ao seu lado podem virar as costas a qualquer momento, se eles quiserem. Se você não se encaixar nos objetivos deles, eles podem cortar seu pescoço a qualquer hora. Então, machuque-os antes deles te machuquem, mexa-se antes que eles se movam, mastigue-os e rasgue-os. Só assim você não vai se machucar ou sentir dor.]

Yeon-woo tentou usar o máximo de Fogo Sagrado que pôde para que ele não fosse varrido pelas ondas. Estar ali à deriva não era uma opção, ele iria desaparecer se ficasse ali.

[— Você deve estar se perguntando se você realmente tem que fazer isso… Mas não é óbvio?]

Mas de algum modo a loucura de que Urd estava falando era de alguma forma familiar.

[— Não diga que não sabe. Não tente evitar.]

Urd conhecia a mente de Yeon-woo por dentro e por fora e escolheu um lugar da memória dele.

África.

[— Não foi assim que você viveu até agora? A vida que você viveu, sempre foi assim. Mesmo que o cheiro de sangue e fogo se espalhassem, mesmo naquele campo de batalha infernal. Este palácio não é muito diferente, porém, você está apenas afundando a si mesmo.]

Um evento do passado passou por seus olhos. Urd tocando uma memória que ele havia escondido. Ele queria afastá-la, mas a visão na frente de seus olhos não parou. Naquele lugar, Yeon-woo estava se movendo através de uma montanha. Fome, sede e cansaço acumulados ao longo da batalha. Balas que o atingiam de raspão. E seus camaradas, que desapareceram enquanto ele desmaiava. Ele precisava sobreviver, então caminhou lentamente.

Com raiva dos camaradas que o deixaram para trás.

Ele confiou neles até o fim, mas seu ódio por aqueles que traíram sua confiança movia seu corpo. Um passo após o outro. Então, ele os encontrou no processo e os matou, e matou de novo. Provavelmente foi quando ele percebeu…

Sempre se movendo dentro da mente de Yeon-woo, o monstro que sussurrava para ele como um demônio.

[— Revele-o.]

Yeon-woo acordou de seu devaneio. Ele sentiu como se tivesse acordado de um pesadelo. Urd estava tentando ligá-lo ao seu passado.

Porém…

Ele sentiu como se pudesse ver Urd passar pela escuridão.

Ela estava definitivamente sorrindo, revelando os dentes.

[— O monstro, que ainda está aí dentro.]

Com a mesma aparência do maldito bastardo que estava dentro de seu coração.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar