Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  138

Reencontro Inesperado

Traduzido usando o ChatGPT



Sem dúvida, era Caster — a única pessoa que Sunny já tinha visto derrotar Nephis em uma luta, mesmo que fosse apenas durante o treino.

Na Academia, Caster havia sido a estrela do grupo de Adormecidos. Bonito e simpático, ele era não só popular, mas também respeitado. E embora doesse a Sunny admitir, isso não era apenas por causa de seu elevado status como Legado.

Mesmo outros Legados o admiravam. Muitos até o consideravam o verdadeiro rei do ranking, especulando que Estrela da Mudança havia conquistado o primeiro lugar por engano.

Caster era poderoso, habilidoso e cativante. Ele também era humilde e tinha uma personalidade amigável que fazia com que fosse difícil não gostar dele. Sua origem era impecável, e seu futuro era inquestionavelmente brilhante.

Basicamente, ele era o oposto de Sunny.

‘Droga! Eu sabia que aquela voz parecia familiar!’

Sunny virou a cabeça e encarou o jovem bonito com total perplexidade.

O que aquele cara estava fazendo aqui?

Os dois Adormecidos que nem sabiam o quão perto estiveram de provar a lâmina afiada do Fragmento da Meia-Noite faziam o mesmo. Não havia mais animação em seus rostos.

“Ah. É você.”

‘Era minha fala!’

Caster olhou para eles com um sorriso silencioso. Não havia hostilidade aparente em seus olhos, mas por algum motivo, os homens de Gunlaug pareciam perder o desejo de causar problemas. Depois de trocar olhares, um deles disse em um tom hesitante:

“Você conhece esse cara, Caster?”

Ele assentiu.

“Sim. Estudamos juntos na Academia. Não liguem para o comportamento grosseiro dele, pessoal — ele é assim mesmo. Um pouco áspero por fora, mas muito legal quando você o conhece bem.”

‘Desde quando nos conhecemos?’

Sunny ficou irracionalmente irritado com aquela declaração, mas se forçou a ficar calado. Ele entendeu que Caster estava apenas tentando acalmar a situação. Na verdade, sua chegada fora muito oportuna.

Sunny tinha certeza de sua habilidade de lidar com um par de arruaceiros… mas o que aconteceria depois? Ele duvidava que os outros membros do grupo de Gunlaug apenas se sentariam e assistiriam.

Envolver-se em um conflito com os mestres do castelo em seu primeiro dia aqui seria menos do que ideal.

Os arruaceiros em questão, enquanto isso, desistiram. Tentando manter a aparência de estarem no controle, lançaram um olhar sombrio para Caster e recuaram.

“Ensine seu amigo a ter modos, Caster. Da próxima vez não seremos tão lenientes.”

Com isso, eles se viraram e voltaram aos seus lugares, lançando olhares ameaçadores para qualquer um que ousasse encará-los. Logo, o grande salão voltou a ser preenchido pelo burburinho das vozes.

Caster os seguiu com os olhos e depois se virou para Sunny, seu sorriso se tornando um pouco sombrio.

“Isso… não foi uma coisa muito inteligente de se fazer, meu amigo.”

Sunny resmungou.

“É, bem… quem disse que eu sou inteligente?”

‘Espera, não, isso não saiu certo!’

O jovem alto encarou-o por alguns segundos e depois suspirou.

“De qualquer forma, é muito bom ver vocês. Ambos.”

Com isso, ele se sentou, como se alguém o tivesse convidado.

Bem… admitidamente, havia alguma conexão entre eles. Querer conversar com pessoas com quem haviam frequentado a Academia era meio compreensível.

Ainda assim, Sunny não gostou.

Lançando um olhar rápido para Cassie, ele sorriu friamente e disse:

“O quê? Está muito chocado por nos ver vivos?”

Caster hesitou.

“É bom que vocês tenham conseguido sobreviver.”

Parecia que essa era sua maneira de admitir que sim, ele estava surpreso, mas de uma maneira agradável.

Não era segredo que Sunny e Cassie eram vistos como dois cadáveres ambulantes por todos os outros Adormecidos na Academia. Assim como Nephis e Caster ocupavam as duas primeiras posições no ranking, eles estavam por último. Por causa disso, os dois haviam sido evitados e ostracizados.

Claro, quando se tratava de Sunny, ele não só acolhia o tratamento frio de seus colegas, como na verdade havia sido o responsável por arquitetá-lo.

De qualquer forma, ninguém queria estar perto deles, como se tivessem medo de serem infectados pela aura invisível de morte que os seguia por onde quer que fossem. Sunny mesmo havia sido culpado de evitar Cassie o máximo que podia no passado.

Deve ter sido muito estranho vê-los vivos e bem após meses passados entre os horrores da Costa Esquecida.

Cassie sorriu.

“Obrigada.”

Caster retribuiu o sorriso e perguntou, com um tom estranhamente caloroso:

“Você é a Cassia, certo? E você é… uh… Sunless?”

Sunny fez um aceno breve.

“Certo. Embora eu esteja surpreso que você lembre nossos nomes. Não pense que esquecemos como vocês costumavam nos tratar.”

Cassie apertou a mão dele e disse com um tom reprovador:

“Sunny!”

Caster riu.

“Não, não. Ele está certo. Nós nos comportamos como um bando de idiotas. Olhando para trás… há muitas coisas que fizemos errado. Se ao menos soubéssemos melhor…”

Sua voz diminuiu, e depois de ficar em silêncio por algum tempo, o jovem bonito de repente sorriu com nostalgia.

“Mas ainda assim, aqueles dias na Academia não foram todos ruins, certo? Heh, eu ainda me lembro da primeira vez que te conheci, Sunless. Você causou uma grande impressão! Todas aquelas histórias exageradas: cuspir no rosto de tiranos despertos, matar santos da espada com um aceno de dedo…”

Ele riu, lembrando dos bons velhos tempos.

Sunny sorriu.

Ele estava no clima para algumas travessuras.

“O quê, aquelas coisas triviais? Ha! Brincadeira de criança. Você deveria ter visto as coisas que eu fiz no Labirinto. Isso sim é algo para se gabar.”

Caster olhou para ele com faíscas de humor dançando em seus olhos.

“Ah? Bem… conte mais. O que mais você fez?”

Sunny deu de ombros com indiferença profusa.

“Isso e aquilo. Vamos ver…”

Ele fingiu pensar por alguns momentos e então disse em um tom entediado:

“Acho que a coisa mais incrível que fiz foi matar um Grande Demônio com apenas um golpe da minha espada. Acabei com ele, sem problema nenhum. Até ganhei uma Memória daquela morte. Uh, mas antes que você pergunte – não, eu não posso mostrá-la a você. Porque, uh… ugh… ah, certo. Eu a comi…”


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 9 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Wan
Visitante
Wan
3 meses atrás

Até que eu gosto do prota as vezes inteligente, outras vezes burro kkkkk esse jeito imprevisível dele que me acabo de rir 🤣🤣🤣 esse defeito dele faz ele burrinho as vezes

Pereira RD
Membro
Pereira R
7 meses atrás

Ala kkkk voltou a ser inteligente 🧠 KKKKK N ENTENDO

Nonno
Membro
Nonno
8 meses atrás

ikkkkkkkk
obg pelo cap

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar