Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  188

De Céu e Inferno

Traduzido usando o ChatGPT



Assim, uma semana se passou. Milagrosamente, Sunny havia sobrevivido.

Ainda mais milagroso, ele de alguma forma conseguiu não matar Effie… o que já era uma grande conquista por si só. Na verdade, no final, a convivência forçada deles se tornou bastante agradável.

Afinal, ambos eram caçadores solitários. Havia uma compreensão instintiva entre os dois.

Sua habilidade geral de combate e, particularmente, a compreensão de seu próprio estilo de luta e o da Santa de Pedra melhoraram consideravelmente. Ele se sentia mais rápido, mais forte e melhor preparado para enfrentar os horrores do Reino do Sonho.

Embora ainda não tivesse alcançado o mesmo nível de poder físico que possuía antes de sacrificar cem fragmentos de sombra para criar a Santa Sombra, Sunny sentia que o atual ele era um oponente muito mais mortal.

O que era bom, considerando a rapidez com que o sombrio futuro estava se aproximando.

…Atualmente, Sunny e Effie estavam sentados no feixe de sustentação do salão principal da catedral, olhando para baixo de uma altura vertiginosa. Bem abaixo e longe deles, o Cavaleiro Negro caminhava entre os pedaços de luz e escuridão, continuando sua patrulha interminável.

Effie franziu a testa e sussurrou:

“Então é esse o desgraçado?”

Sunny assentiu sombriamente.

“Sim. Em carne e osso… ou o que quer que ele tenha no lugar disso.”

A caçadora indisciplinada lançou-lhe um longo olhar.

“Como diabos você conseguiu sobreviver a uma luta com esse demônio?”

Ele fez uma careta.

“Por pouco. Além disso, chamar isso de luta é dar muito crédito a mim. Eu só fui eviscerado e rastejei para fora. Ele nunca sai da catedral, então eu consegui escapar.”

Ela estremeceu.

“Tem certeza de que ele não vai nos ouvir?”

Sunny apontou para baixo.

“Enquanto ele não passar por aquela coluna e enquanto não falarmos alto e mantivermos nossas vozes baixas, estamos seguros. Confie em mim. Estudei esse desgraçado por dois meses inteiros.”

Effie de repente sorriu.

“Então… o quão alto estamos falando? Porque eu posso prometer que…”

Sunny revirou os olhos.

“Pode parar? Estamos em um templo, pelo amor dos deuses.”

Ele não precisava ouvir o final da frase para saber que seria altamente sugestiva e muito inadequada.

Ela riu baixinho.

“Tudo bem, tudo bem.”

Depois que alguns minutos se passaram em silêncio, Sunny olhou para baixo e viu que a luz pálida da aurora estava lentamente ficando mais brilhante. Estava quase na hora de os dois deixarem a catedral.

Ele ainda não havia tomado a decisão final sobre o pedido de Neph. Dependendo de sua escolha, talvez ele e Effie nunca mais se vissem.

Sunny suspirou baixinho.

Então, virando-se para a caçadora, ele disse:

“Ei, Effie. Posso te fazer uma pergunta?”

Ela olhou para ele com uma pergunta silenciosa em seus olhos e deu de ombros.

“Claro. Pode falar, bobão.”

Sunny hesitou, sentindo o clima sombrio da situação. Então, olhando para o lado, ele disse:

“Diga-me honestamente… você bateu muito a cabeça quando era criança?”

Effie piscou algumas vezes e, de repente, pressionou as duas mãos contra a boca para conter uma risada. No processo, quase caiu do feixe de sustentação.

“Céus, Sunny… você quer que eu ria alto e nos mate? O que há com essa pergunta? Não, eu não bati.”

Ele olhou para ela com uma expressão duvidosa.

“Então, por que você é tão alegre o tempo todo? Não é normal. Você é como uma pessoa louca… e eu sei uma coisa ou duas sobre isso, acredite!”

A caçadora sorriu.

“Ah. Isso.”

Então, ela deu de ombros.

“É simples, na verdade.”

Sunny esperou pela explicação, percebendo um ar desconhecido de melancolia em torno da jovem enérgica. Sua habitual vitalidade contagiante de alguma forma parecia… diminuída.

“É porque eu não acho que este lugar seja tão ruim quanto todos vocês pareciam acreditar. Todo mundo nesta cidade sombria está convencido de que isso é um inferno.”

Ela hesitou.

“Mas, para mim, é um paraíso.”

Sunny olhou para ela e franziu a testa.

“Como assim?”

Effie suspirou.

“Você não entenderia. Mas para alguns de nós, o mundo real era mais um inferno do que o Reino do Sonho.”

Sunny virou-se, pensando em sua vida nos arredores. A razão pela qual ele conseguiu se adaptar tão bem ao terror impiedoso do Feitiço do Pesadelo foi porque, em essência, não era tão diferente de sua própria realidade.

“Ainda assim. Que tipo de paraíso é esse?”

Um sorriso triste apareceu no rosto da jovem.

“O único que merecemos, eu acho.”

Então, ela olhou para Sunny e perguntou:

“Escuta, Sunny. Você é dos arredores, certo? Então, aposto que não recebeu muita educação, né?”

Ele balançou a cabeça.

Ela riu.

“Bem, não que isso mudasse alguma coisa. As escolas são basicamente campos de propaganda, de qualquer forma. Eles ensinam coisas úteis para as crianças, mas também as tornam incapazes de fazer perguntas e cegas para a verdade.”

Sunny arqueou uma sobrancelha.

“A verdade?”

Effie assentiu.

“A verdade de que nosso mundo está morrendo. Bem, não o mundo, realmente. Apenas a parte do ecossistema de que precisamos para sobreviver.”

Algo se mexeu em sua memória. Cerca de um ano antes de Sunny nascer, um continente inteiro se perdeu porque um Portal de Categoria Cinco se abriu em sua costa…

Mas a caçadora rapidamente derrubou suas expectativas:

“E eu não estou falando sobre o Feitiço do Pesadelo. Estou falando sobre o que nós, humanos, fizemos ao nosso planeta sem a ajuda de ninguém. Havia mais de dez bilhões de pessoas na Terra alguns séculos atrás, você sabia? Mas agora, mal há três. E metade deles só têm comida e abrigo por causa de nós Despertos e dos poderes que possuímos. Que nos foram dados pelo Feitiço.”

Ela não estava errada. Sunny se lembrou do ar venenoso e ácido dos arredores. As condições desumanas na fábrica subterrânea onde sua mãe trabalhava. As imponentes barreiras protegendo a cidade dos ventos mortais do deserto do lado de fora. Ele sabia, é claro, que o planeta não estava em boas condições, comparado ao passado.

Mas ele nunca realmente pensou muito nisso. Para ele, isso era simplesmente como a vida sempre funcionava.

Effie deu de ombros.

“Quem sabe quantos de nós ainda estariam vivos sem o Feitiço? Eu sinceramente não sei. Mas se você me perguntar… acho que um dia no futuro, mais pessoas acreditarão que este Reino é um paraíso. Assim como eu.”

Nessa nota sombria, ela se levantou e esticou o corpo todo, fazendo Sunny desviar o olhar apressadamente.

‘Droga… pensamentos puros, Sunny!’

“Enfim, já é de manhã. Hora de encontrar a Princesa e os outros. Vamos…”


Logo, eles estavam em frente à catedral. O sol da manhã subia lentamente pelo céu, banhando a antiga cidade com sua luz pálida. Sunny e Effie não tiveram que esperar muito antes de Nephis e seus companheiros aparecerem entre as ruínas.

Sunny piscou.

Lá estava a própria Estrela da Mudança, Caster, Cassie… e Kai.

O que diabos ele estava fazendo aqui?

Assim que os quatro Adormecidos se aproximaram e os cumprimentaram, Sunny encarou imediatamente o belo jovem.

“Night… uh… por que você está aqui, amigo?”

O arqueiro sorriu.

“Ah! Estou muito feliz em te ver também, Sunny, meu amigo. Lady Nephis me pediu para me juntar a ela nesta expedição e, após cuidadosa consideração, decidi aceitar.”

Sunny piscou algumas vezes.

“Tudo bem, eu sei que sou louco, mas quando foi que você também perdeu a cabeça?”

Kai olhou para ele com uma expressão estranha.

“Espera… louco? O que você quer dizer com isso, que você é louco?”

Sunny suspirou.

“Deixa pra lá.”

Então, ele se virou para Neph.

“Sobre o seu pedido. Estou pronto para me juntar à expedição, mas com uma condição. Não farei parte do seu grupo. Em vez disso, você pode fornecer compensação suficiente para adquirir meus serviços.”

Nephis olhou para ele por um tempo, com uma expressão inexorável no rosto. Então, disse num tom uniforme:

“Você tem algo em mente?”

Sunny sorriu.

“Na verdade, eu tenho. Atrás de nós, você pode ver uma magnífica catedral antiga. Dentro dessa catedral vive uma criatura chamada Cavaleiro Negro. Ele é um Diabo Caído. Em troca da minha ajuda durante a expedição, quero sua ajuda depois que ela terminar. Quando retornarmos…”

Ele fez uma pausa por um momento e, em seguida, acrescentou:

“…Eu quero que você me ajude a matá-lo.”

Um silêncio mortal caiu sobre a pequena praça. Depois de um tempo, Caster finalmente falou, com uma expressão de choque sutil no rosto:

“Sunny… você talvez tenha se expressado mal? Afinal, somos apenas Adormecidos. Como se supõe que vamos matar esse seu Cavaleiro Negro? Uma Criatura do Pesadelo de sua categoria e classe…”

O sorriso de Sunny se alargou. Então, com uma imensa sensação de satisfação, ele olhou para Caster e disse:

“…É apenas um diabo caído.”


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.9 13 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
8 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Wan
Visitante
Wan
3 meses atrás

Caster não interrompa meu casal preferido por favor

danilo
Membro
danilo
5 meses atrás

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Nonno
Membro
Nonno
8 meses atrás

Será q cai memoria?
Obg pelo cap

Matheus Hendrew
Membro
Matheus Hendrew
8 meses atrás

Sunny é uma decepção, 1 semana sozinho com a mina e ela dando bala para ele não tira nem uma casquinha.

Luiz Eduardo
Membro
Luiz Eduardo
8 meses atrás
Resposta para  Matheus Hendrew

File só cai em boca de vegano

Luc
Visitante
Luc
1 ano atrás

Está faltando uma parte no começo do capítulo

BanKai
Admin
BanKai
1 ano atrás
Resposta para  Luc

Corrigido, obrigado por avisar!

Likolt
Membro
Likolt
7 dias atrás
Resposta para  BanKai

Gostosa

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar