Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  422

Despertar Rude

Atenção: Este conteúdo foi traduzido automaticamente por meio de Inteligência Artificial (I.A.). Embora a qualidade da tradução possa ser superior às traduções automáticas padrões, ainda é possível que haja falhas ou imprecisões na tradução. Por favor, tenha isso em mente ao ler este conteúdo.



Seja lá o que estava adormecido no porão da antiga embarcação, não gostou nem um pouco de ter uma de suas vinhas danificada, muito menos ter sua alma cortada por uma lâmina afiada. Enquanto o destroço todo tremia, uma rajada forte de vento quente e pungente atingiu Sunny nas costas, bagunçando seu cabelo. O ar ficou ainda mais sombrio do que antes.

A criatura do baú congelou, encarando-o com algo que se assemelhava a uma expressão apavorada. Até mesmo sua língua parou de balançar no ar e recuou sob a pilha de moedas douradas.

Agora, era a vez de Sunny sorrir. Um brilho maligno surgiu em seus olhos. Recuperando a Visão Cruel, ele disse:

“Meu Deus. Que desajeitado da minha parte.”

A abominação hesitou por alguns momentos, lançou-lhe um olhar cheio de ódio e virou-se ligeiramente em direção à porta do tesouro. No entanto, ela parou.

“Não me diga que…”

Diante do terrível perigo de enfrentar o mestre desperto do naufrágio, a criatura ainda estava hesitante. A presa estava bem na sua frente…

Para a infelicidade de Sunny, ele e a estranha monstruosidade compartilhavam uma falha de caráter fundamental.

Ambos eram muito, muito gananciosos.

Antes que pudesse piscar os olhos, a abominação de repente se virou e avançou em sua direção com uma risadinha estridente ecoando de algum lugar no seu interior. Tudo o que Sunny pôde fazer foi gastar mais essência e usar o Passo das Sombras novamente, aparecendo no local onde a criatura tinha estado apenas um segundo antes.

Ao escorregar nos destroços da porta despedaçada e cair, a abominação disparou pelo ar e se chocou contra a parede do corredor, pulverizando as tábuas de madeira e se enroscando nas videiras que as cobriam. Ela bufou e soprou, em seguida, tentou se desvencilhar da confusão de videiras brilhantes.

…No entanto, elas não soltavam.

Na verdade, enquanto Sunny observava horrorizado, o corredor inteiro se moveu. A massa marrom-avermelhada com a qual estava coberto ondulou, e as grossas videiras rastejaram em direção à criatura presa, espinhos longos surgindo de repente em sua superfície varicosa.

A abominação riu novamente, dessa vez nervosamente, e redobrou seus esforços para se libertar, golpeando as videiras com suas garras e mordendo-as com seus dentes terríveis. Enquanto um suco repugnantemente pungente escorria em sua boca, a criatura estremeceu.

‘Merda, merda, merda…’

Virando-se de barriga para baixo, Sunny se lançou para a frente e rolou até a tesouraria. Aqui, não havia videiras nem musgo, apenas dois baús vazios e algumas moedas de ouro espalhadas no chão, brilhando.

Enquanto hesitava, pensando no que fazer em seguida, algo colidiu com um estrondo ensurdecedor no corredor atrás dele e, um momento depois, a silhueta alta da monstruosidade esquelética apareceu na entrada.

Os olhos de Sunny se arregalaram e ele empunhou a Visão Cruel, preparando-se para se defender.

No entanto, a abominação não lhe deu mais atenção. Saltando sobre Sunny, ela aterrissou no meio do compartimento blindado… e então correu o mais rápido que pôde em direção à brecha na parede de trás.

Sem parar nem por um segundo, ela alcançou a brecha e mergulhou por ela, escapando do naufrágio despertado. Sunny seguiu sua fuga com os olhos e então piscou.

“…Huh.”

Então, seu olhar caiu no chão da tesouraria.

As moedas ainda estavam lá, brilhando sob a luz do sol. Elas não desapareceram ou se dissiparam depois que a criatura fugiu. As moedas… eram reais.

“São reais…”

Enquanto o antigo navio tremia e estremecia, e a massa de videiras rastejava em direção à tesouraria, Sunny cerrou os dentes e se lançou em direção às moedas, agarrando-as e empurrando-as para dentro de sua mochila.

“Reais, elas são reais…”

Ele estava com tanta pressa de juntar todas as moedas que até mesmo se cortou levemente no pedaço de espelho que ainda estava guardado na mochila.

“Ai!”

“Se essas moedas são reais… então o resto delas dentro desse maldito baú também é real.”

Talvez não houvesse tantas quanto ele pensava, já que o baú se revelou falso… tudo, mas apenas a camada superior que era visível a olho nu deveria conter mil ou mais moedas, pelo menos.

Enquanto Sunny buscava o último disco dourado brilhante que restava na tesouraria, sua atenção estava em outro lugar.

Estava concentrada em sua sombra, aquela que ele havia escondido na própria sombra da abominação quando ela saltou sobre ele. Agora, a sombra estava seguindo a criatura bizarra enquanto ela corria em direção à borda da ilha, seus braços desajeitados balançando no ar.

Sunny esperava ser atacado pelas Bonecas Marinheiras, mas as sinistras fúrias de madeira pareciam estar recuando do naufrágio por conta própria. Algumas até caíram no chão, se transformando novamente em montes de destroços.

…O chão estava se movendo.

“Bem, o que você sabe…”

Ele pensou que as Bonecas aprendiam a se desmontar e se remontar como forma de combater o Esmagamento, já que muitas Criaturas dos Pesadelos nas Ilhas haviam se adaptado à sua realidade cruel de uma forma ou de outra… mas talvez, essa peculiar habilidade inicialmente fosse apenas um meio de se esconder do ser que habitava o naufrágio.

De qualquer forma, ele não poderia deixar o baú escapar. Não quando milhares de fragmentos de sombra estavam escondidos dentro daquela coisa abominável!

Segurando a última moeda na mão, Sunny jogou a mochila sobre o ombro, pegou a Visão Cruel e se levantou. Uma expressão determinada apareceu em seu rosto.

A abominação já estava na metade do caminho em direção à beira da ilha.

“Para onde está correndo, seu bastardo?”

Mergulhando nas sombras, ele consumiu uma grande explosão de essência e apareceu fora de sua própria sombra bem na frente da criatura. Como agora só podia usar uma mão, a arma Memória se transformou novamente em uma espada curta.

Antes que a abominação pudesse reagir, a Visão Cruel atacou e cravou em sua coxa. A lâmina prateada atravessou por completo, emergindo pelas costas da criatura em um jato de sangue negro.

O baú soltou um grito assustado… e então a monstruosidade caiu no chão, rolando sobre a cabeça e lançando pedaços de musgo e lama pelo ar. A força do impacto foi tão assustadora que o chão tremeu.

Ou… havia outra razão?

Antes que Sunny pudesse fazer qualquer coisa, videiras marrons surgiram debaixo do musgo, enrolando-se ao redor do corpo da abominação bizarra.

No entanto, uma delas deslizou em torno de sua perna.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.8 12 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
8 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
IfosD
Membro
Ifos
1 mês atrás

”A ganancia que te move é a mesma que te mata”

GreyD
Membro
Grey
1 mês atrás
Resposta para  Ifos

Sunny:”eu amo”

LokinD
Membro
Lokin
1 mês atrás

ganância e essa homi

LokinD
Membro
Lokin
1 mês atrás

ganacia e essa homi

Expert
Membro
Expert
1 mês atrás

Sunny é burro demais viu,no momento em que as videiras tinham se enrolado no baú na primeira vez já era pra ele ter matado o bixo pegar as moedas e dar no pé hesitou demais se lascou ele é um cara sangue frio twnho certeza que se ele fizesse isso daria certo

IfosD
Membro
Ifos
1 mês atrás
Resposta para  Expert

ficar teletransportando assim gasta muita essência vc queria que ele fizesse o que?

Nonno
Membro
Nonno
8 meses atrás

ixi caiu sangue dele no espelho.. ctz q ativou
pelo jeito a arvore tem raizes na ilha inteira
obg pelo cap

Perseus
Visitante
Perseus
3 meses atrás
Resposta para  Nonno

Haha que fofinho fdp

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar