Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  75

Sonhos Quebrados

Traduzido usando o ChatGPT



Sunny acordou com a insistente sensação de alarme vinda de sua sombra. Atordoado e desorientado, ele abriu os olhos e se sentou.

‘O que—o que há de errado?’

Ele olhou para baixo, para a sombra, e viu-a apontando repetidamente para cima com uma expressão tensa… bem, ela não tinha um rosto. Ele só podia dizer que ela estava nervosa.

‘Problema?’

Sunny olhou para cima e só viu as folhas escarlates da grande árvore. O céu estava escondido, mas ele podia facilmente perceber que o sol ainda estava alto. Parecia que ele tinha dormido apenas algumas horas.

Não havia ameaças à vista. Ele franziu a testa.

‘O que te assustou tanto?’

A sombra apenas apontou para cima novamente, aparentemente irritada com sua estupidez. Sunny piscou algumas vezes e falou novamente:

‘Alto na árvore? Mais alto? No céu?’

Finalmente satisfeita, a sombra cruzou os braços.

‘Algo perigoso está acima da ilha… aquela coisa de corvo assustadora de novo?’

Ele tinha que verificar… mas por que sentia como se estivesse esquecendo algo?

Sunny franziu a testa, tentando entender de onde vinha esse sentimento de estar perdendo algo importante. O que havia para perder? Ele estava dormindo e depois acordou e conversou com a sombra.

Dormindo…

De repente, ele lembrou de pedaços de um estranho sonho. Pelo menos parecia um sonho… era? As pessoas não deveriam sonhar no Reino dos Sonhos. Era assim que as coisas funcionavam… pelo que ele sabia, apenas Cassie parecia ser uma exceção a essa regra.

Ele não se lembrava muito desse suposto sonho, com até mesmo os fragmentos restantes já desaparecendo de sua memória. Havia uma… uma mulher agarrando-o pelos ombros, uma expressão de horror e pânico no rosto dela. Ela estava dizendo algo, mas ele não conseguia ouvir o quê.

Não, não era uma mulher. Era… Cassie? Sim, era ela. E o que ela estava dizendo…

Sunny esforçou-se para lembrar, tentando pegar os pedaços do sonho antes que desaparecessem completamente.

‘É, acho que ela estava dizendo… uh…’

De repente, ele pôde ouvir claramente a voz assustada e tensa de Cassie enquanto ela lhe apressadamente dizia para lembrar de algo, repetindo a mesma frase várias vezes em tom de súplica:

“… você tem que lembrar, Sunny! Cinco! É cinco! Lembre-se! Você precisa lembrar! São cinco!”

‘Que sonho estranho.’

Sunny lançou um olhar para Cassie, que dormia pacificamente perto de Neph, e balançou a cabeça, intrigado. Ele não tinha certeza se essa lembrança dele era realmente um sonho ou alguma cena estranha que ele imaginara antes de adormecer. Com o funcionamento do Reino dos Sonhos, ele estava inclinado a considerar a última possibilidade.

‘Mesmo assim, é melhor contar às meninas quando…’

Ele foi distraído deste pensamento pela sombra, que acenava suas mãos impacientemente.

‘Ah, certo. Há uma ameaça no céu…’

Instantaneamente, Sunny esqueceu-se de sua intenção de compartilhar o conteúdo dessa estranha lembrança com Nephis e Cassie. Na verdade, ele esqueceu que era estranho e possivelmente importante.

Essa falha em seu julgamento foi repentina e antinatural, mas como Sunny não conseguia se lembrar das coisas que esquecera, ele não percebeu nada errado e continuou com seus negócios como se nada tivesse acontecido.

… Se ele se lembrasse, poderia ter percebido que esta pode não ter sido a primeira vez que ele esqueceu algo importante desde que chegaram ao Túmulo Cinzento.

Levantando-se, Sunny invocou o Fragmento da Meia-Noite e olhou sombriamente para as folhas vermelho-sangue da grande árvore. Sentindo a frieza do cabo polido preto em sua mão, ele se sentiu um pouco mais calmo.

Acordada por seus movimentos silenciosos, Nephis abriu os olhos e olhou para ele, seu corpo ficando tenso. Havia uma pergunta silenciosa em seus olhos.

Sunny balançou a cabeça.

“Ainda não sei. Fique com Cassie enquanto eu verifico as coisas.”

Deixando as meninas para trás, Sunny seguiu em frente. Ele planejava alcançar a borda da ilha, onde os galhos da colossal árvore não eram tão espessos e o céu podia ser visto através das aberturas em sua copa.

Tecnicamente, ele poderia ter enviado sua sombra para fazer isso em vez de ir pessoalmente. Mas em situações como essa, onde o perigo era desconhecido, Sunny geralmente preferia manter a sombra por perto caso precisasse usá-la.

Ao chegar na encosta leste do Túmulo Cinzento, ele olhou cuidadosamente para cima, ainda escondido na sombra da grande árvore.

Lá em cima, no vasto céu cinza, um pequeno ponto preto circulava ao redor da ilha.

O peito de Sunny ficou pesado com cautela. Quando a terrível besta alada apareceu pela primeira vez, parecia exatamente assim à distância.

Deixando a sombra para trás para vigiar o ponto preto, ele voltou e contou brevemente a Nephis e Cassie sobre sua descoberta.

“Agora mesmo, ele está apenas voando acima da ilha. Eu não sei se é a mesma criatura ou não, e quando vai pousar.”

Estrela da Mudança franziu a testa.

“Da última vez, não estava muito interessado em procurar presas vivas. Talvez seja principalmente um comedor de carniça e, portanto, está interessado apenas na carcaça do Demônio Carapaça.”

Cassie ofereceu sua própria opinião:

“Talvez sejamos muito fracos e pequenos para saciá-lo? Afinal, nunca veio pelos corpos dos carniceiros que matamos. Como se comer simples bestas estivesse abaixo dele.”

Sunny balançou a cabeça.

“Naquela época, veio pela carne do centurião carapaça. Mas levou alguns carniceiros consigo antes de ir embora. Então, seria muito otimista pensar que essa abominação não tentará nos devorar também, se tiver a chance.”

Nephis pensou por um tempo e, em seguida, concordou com ele.

“Você está certo. A melhor coisa a fazer seria ficar longe do Demônio Carapaça por enquanto e se esconder quando ele decidir pousar.”

Em seguida, olhando para cima, ela acrescentou:

“Mas primeiro, devemos observá-lo para ter certeza de que é a mesma criatura e confirmar suas intenções.”

Sem ter um argumento contra essa lógica, Sunny levou as meninas até o local onde havia deixado sua sombra. Lá, eles se sentaram no chão e observaram o ponto preto enquanto circulava ao redor do Túmulo Cinzento.

Observar a criatura voadora deixou-os perturbados e incertos sobre o que fazer.

O ponto preto se aproximou algumas vezes, permitindo-lhes discernir que era realmente a mesma monstruosidade terrível que encontraram algumas semanas antes, ou pelo menos uma criatura do mesmo tipo. No entanto, nunca chegou muito perto da copa da grande árvore, como se hesitasse em pousar em sua sombra.

Pior ainda, com o passar das horas, foi acompanhado por outras duas abominações da mesma raça, cada uma tão horrível e repulsiva quanto a primeira. Agora, três pontos pretos estavam circulando nos céus acima de suas cabeças, enchendo o coração de Sunny de medo.

Uma dessas criaturas, com seu corpo branco como um cadáver e penas negras como um corvo, com uma confusão antinatural de membros poderosos projetando-se de seu peito largo, cada um terminando com um conjunto de garras aterrorizantes, era suficiente para dizimar todo o grupo.

A memória de como a criatura havia facilmente rompido a couraça adamantina do centurião carapaça com seu bico enorme ainda estava fresca em sua mente. Ele suspeitava que essas abominações eram pelo menos tão poderosas quanto o Demônio Carapaça, ou talvez ainda mais.

E agora havia três delas.

‘É melhor nos escondermos bem’, pensou, com suor frio escorrendo pelas costas.

No entanto, os monstros voadores pareciam relutantes em se aproximar do Túmulo Cinzento por algum motivo. Eles apenas circulavam em volta dele, às vezes hesitando em se aproximar, mas depois ganhando altura novamente. Seu comportamento era estranho e perturbador.

Depois de algum tempo, Cassie disse baixinho:

“Talvez eles não estejam com fome?”

Sunny piscou, tentando imaginar um mundo onde uma Criatura do Pesadelo pudesse não estar com fome. Seria até possível?

Ele, por outro lado…

“Não sei sobre esses frangos albinos, mas eu estou morrendo de fome.”

Isso era verdade. Os três não haviam comido nada desde ontem. Sunny temia que, se as abominações decidissem pousar na ilha, os rugidos altos de seu estômago denunciariam sua posição.

Nephis olhou para ele e perguntou:

“Quer comer frango grelhado?”

Sunny arregalou os olhos e sibilou:

“Nem pense nisso!”

Ela olhou para ele e, em seguida, se virou com um sorriso.

‘Isso foi… uma piada? Ela sabe como fazer piadas?’

Bem… pelo menos o senso de humor de alguém era pior que o dele.

…No final, seus piores temores não se concretizaram. Depois que o sol começou a rolar em direção ao horizonte, as três abominações voadoras finalmente tomaram uma decisão e deixaram os céus acima do Túmulo Cinzento, voando para oeste em uma formação de cunha frouxa. Eles nunca desceram o suficiente para notar os três Adormecidos, muito menos pousar na superfície da grande ilha.

Sunny ficou encharcado de suor e cansado de antecipar um desastre, quase decepcionado com o fato de que toda essa preocupação acabou sendo em vão. Olhando para Cassie, que não conseguia ver que o perigo havia passado, ele disse:

“Eles se foram.”

A garota cega exalou aliviada e relaxou, o semblante preocupado desaparecendo de seu rosto.

“Graças aos céus. Ficar aqui esperando foi cinco vezes pior do que se esconder de um deles naqueles penhascos.”

Por alguma razão, Sunny estremeceu um pouco.

“O que… o que você disse?”

“Eu disse que esperar por eles pousarem foi muito cansativo.”

Ele piscou, sem entender por que havia reagido de maneira tão estranha a essa frase inofensiva. Ele teve um sonho envolvendo Cassie e o número cinco? Sim, teve. Não que isso fosse algo para pensar duas vezes.

“Ah, sim. Você está certa.”

Então ele se virou para Nephis e perguntou:

“O que você quer fazer agora?”

Estrela da Mudança olhou para o oeste, onde os pontos pretos haviam desaparecido da vista, e disse após uma breve pausa:

“Vamos verificar a extremidade oeste da ilha e decidir qual o próximo ponto alto a alcançar.”

Sunny deu de ombros, sem objeções.

Cassie sorriu:

“Boa ideia! Quem sabe, talvez finalmente vejamos as muralhas do castelo!”


Logo, eles atravessaram a ilha e se aproximaram de sua encosta oeste. Aqui, o terreno estava elevado logo antes de descer abruptamente, formando uma muralha natural que escondia a paisagem de seus olhos.

Nephis foi a primeira a subir e chegar ao topo.

Sunny estava logo atrás dela quando sentiu que algo estava errado. A postura de Estrela da Mudança estava de alguma forma estranha, rígida e tensa, como se ela tivesse subitamente se transformado em pedra.

Pisando na superfície cinzenta da muralha natural, ele olhou preocupado para Nephis e notou uma expressão sombria e ressentida em seu rosto. Ele nunca a tinha visto assim antes.

Virando a cabeça, Sunny olhou para o oeste e então estreitou os olhos. Seu rosto escureceu instantaneamente.

Sentindo o desejo de praguejar, Sunny cerrou os dentes e apertou os punhos. Dentro de sua cabeça, apenas uma palavra se repetia várias vezes.

‘Droga! Droga! Droga!’


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.8 18 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leywin
Membro
Leywin
20 dias atrás

Incrível como o prota só se fode KKKKKK pqp

Joãomateus 3110
Membro
Joãomateus 3110
4 meses atrás

Lá vem a bomba

Nonno
Membro
Nonno
7 meses atrás

obg pelo cap

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar