Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

Shadow Slave – Capítulo  797

Lado Diferente

Traduzido usando o ChatGPT



Numa manhã fria de inverno, duas pessoas seguiam pelo lamaçal negro que afogava uma rua decadente, acumulando-se perto das paredes sujas dos prédios baratos que se agarravam uns aos outros, como se em busca de calor. O som alto de seus passos ecoava no crepúsculo sombrio, como se um monstro estivesse mastigando carne podre.

Nephis olhou para a sujeira cobrindo suas botas caras, cheirou o ar e fez uma careta. Ajustando a gola de seu casaco branco, ela então olhou para Sunny e perguntou:

“Por que estamos aqui, exatamente?”

Ele enfiou as mãos nos bolsos e deu de ombros.

“Você não foi instruída a se submergir na forma como os humanos mundanos vivem? Bem, aqui estamos. Isso também é vida.”

Ele apontou para a paisagem feia que os cercava e suspirou.

Depois de vários anos… Sunny estava de volta à periferia.

‘Remexe em lembranças…’

Após o colapso da antiga humanidade, os estragos da guerra e cataclismos naturais tornaram a maior parte do planeta inabitável. Para existir com relativa segurança, as pessoas precisavam se reunir em grandes cidades como aquela em que ele cresceu… a Capital de Cerco do Quadrante Norte. Em qualquer outro lugar, ou estava submerso sob a água ou parecia um deserto.

Claro, a vida persistia. Algumas árvores e plantas ainda se agarravam à vida. Grandes mamíferos em sua maioria foram extintos, mas algumas espécies de animais e insetos conseguiram se adaptar. No entanto, os danos à maioria dos ecossistemas eram muito graves. A terra ficou estéril, a água se tornou venenosa e até o próprio ar não era mais seguro para respirar.

Felizmente, os humanos tinham tecnologia para ajudá-los a sobreviver. A cidade incorporava sistemas sofisticados de filtragem de água, infraestrutura de distribuição de alimentos e outros meios de manter a população viva. Estava cercada por altos muros de barreira que impediam micro poeiras excessivas, vários toxinas, fragmentos perdidos de bactérias armadas, radiação prejudicial e outros perigos de entrarem no suprimento de ar.

Sunny não sabia muito sobre como funcionavam as barreiras, mas eram suficientemente eficazes em manter a cidade numa bolha de ar respirável. Claro, cada distrito possuía seus próprios meios adicionais de purificar ainda mais o ar.

O problema, no entanto… era que as barreiras eram estacionárias, enquanto a cidade não era. A população humana em todo o planeta diminuiu, mas aqui em NQSC, estava crescendo lentamente. Como resultado, a cidade cresceu também. Esticou-se cada vez mais, tanto para o céu quanto para o subsolo. Claro, também se espalhou horizontalmente. Eventualmente, a cidade ultrapassou o círculo das barreiras.

Portanto, surgiram as periferias.

Embora novas barreiras estivessem em construção, sua conclusão exigia vastas quantias de financiamento, recursos humanos e ainda mais tempo. As enormes estruturas esqueléticas de barreiras inacabadas pairavam sobre as periferias há tanto tempo quanto Sunny conseguia se lembrar, inacabadas. Com o que ele sabia agora, duvidava que fossem concluídas algum dia.

Em qualquer caso, gerações inteiras de pessoas como ele já haviam vivido e morrido fora de sua proteção. O ar nas periferias pode não ter sido tão ruim quanto na selva desolada além, mas estava longe de ser seguro. Aqueles que o respiravam todos os dias não costumavam desfrutar de boa saúde ou vidas longas.

Cheirava mal.

Respirando o fedor familiar, Sunny se esforçava para não seguir o exemplo de Neph e fazer uma careta. Ele estava acostumado com o cheiro na maior parte de sua vida e nunca prestou muita atenção, mas apenas alguns anos de vida doce no Reino dos Sonhos e nas melhores partes da cidade tornaram-no intenso.

‘Qual é o problema… não é tão ruim no inverno, de qualquer forma…’

Assim como o ar, todas as outras facetas da vida nas periferias mal eram adequadas para a vida humana. Os prédios se esforçavam para se manter juntos, água limpa era escassa, a maior parte da comida vinha na forma de rações de sintepasta fornecidas pelo governo. Tudo estava sujo, desgastado e à beira do colapso. A infraestrutura mal funcionava.

Teoricamente, deveria haver um sistema de transporte em funcionamento com conexões com o resto da cidade, mas na prática, quebrava e falhava com tanta frequência que chegar a qualquer lugar com sua ajuda era difícil. Essa era a razão pela qual Sunny e Nephis estavam atualmente a pé.

Ele não se arrependia desse desdobramento, no entanto, porque isso lhes dava a chance de observar as pessoas que viviam nas periferias. Assim como os subúrbios em si, os habitantes pareciam decrépitos. Todos eram frágeis, magros e com uma pele pouco saudável. A diferença mais marcante era a altura. As pessoas que viviam nas periferias eram muito mais baixas do que aquelas que viviam na cidade interna, principalmente devido à desnutrição e doença.

Em resumo, todos pareciam semelhantes à forma como Sunny era antes do Primeiro Pesadelo.

Olhando para eles agora, ele não pôde deixar de pensar em seu passado. Apenas três anos e alguns meses atrás, ele tinha deixado este lugar, pensando que nunca mais voltaria. Mas Sunny já era uma pessoa muito diferente. Ele via os lugares familiares de maneira diferente também.

‘Isso é tão estranho…’

Sunny sempre se considerou alguém das periferias, mas agora, depois de viajar por várias regiões do Reino dos Sonhos e construir uma vida para si mesmo na cidade, Sunny de repente entendeu que as periferias não eram um lugar monolítico.

Elas eram realmente vastas e abrangiam inúmeras áreas diferentes. Ele só conheceu e explorou uma pequena parte delas. O único mundo que ele conhecia na maior parte de sua vida era ainda menor do que ele pensava.

Como não poderia ser? Sunny nunca considerou tais coisas, mas depois de sua última conversa com Mestra Jet, ele percebeu o verdadeiro alcance de tudo. Pelo que ela lhe disse, havia entre sessenta e setenta milhões de pessoas vivendo nas periferias. Vinte por cento da população total da cidade existia nessas condições desagradáveis, mal sobrevivendo enquanto eram lentamente reduzidas a poeira.

Se a evacuação em massa da Antártica fosse bem-sucedida, esse número cresceria ainda mais.

As periferias… eram muito maiores do que Sunny pensava. Além disso, cada cidade que permanecia na Terra tinha sua própria versão delas, mesmo que o excesso de população de NQSC fosse de longe o maior.

Pensando em toda a luta, miséria e esperança desesperada ao seu redor, Sunny suspirou. As pessoas são pessoas. Mesmo neste abismo, encontravam maneiras de se adaptar e encontrar momentos de felicidade. Eles nunca perdiam a motivação de viver e procurar um propósito. Apenas esses momentos eram raros, e suas vidas geralmente eram mais curtas.

Sua família não era infeliz, até ser destruída. Pessoas mais sortudas que ele poderiam ter uma semelhança de vida decente mesmo nas periferias, embora suas chances fossem pequenas.

Nephis ficou em silêncio, observando os habitantes das periferias com sua expressão distante usual. No entanto, havia uma dica de emoção escondida em seus olhos.

Depois de um tempo, ela se virou para Sunny e perguntou:

“Viemos aqui apenas para dar uma volta?”

Ele olhou para frente, depois balançou a cabeça.

“Não. Viemos aqui por um motivo…”


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

5 4 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
2 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
BeicetaD
Membro
Beiceta
27 dias atrás

Comer um podrao… não tem hamburgueria gourmet q se compare a um carrinho com um X-Tudão raiz

Saefel
Membro
Saefel
2 meses atrás

E qual é?

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar