SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 192

Prima Donna (4)

4.

Palavras de resolução. Estive esperando que isso fosse dito.

“Hmm.”

Despertei a aura em meu corpo e a minha embriaguez lentamente desapareceu.

“Estou voltando aos sentidos.”

Na nossa Torre era senso comum que, se não estiver sozinho, não é educado parar de beber até que fique bêbado. Mas apesar de amar essa etiqueta na  hora da bebida, seria rude ouvir o que o Ssonia dizia enquanto estava bêbado, especialmente com um assunto tão sério em mãos.

“Minhas roupas… Que diabos? Por que minha blusa está uma bagunça?”

Quão bêbado fiquei ontem à noite? Talvez tenha sido, porque fazia um tempo desde a última vez que bebi.

“Desculpe, Ssonia, mas estaria tudo bem se me lavasse antes de começarmos a conversa? Quero ouvir o que você tem a dizer com um corpo limpo.”

— Ah. Certo, se precisar mesmo fazer isso….

“Preciso.”

Qualquer um que pretendesse me confidenciar qualquer coisa importante merecia ser tratado com respeito.

“Deve haver um lago aqui perto. Vou até lá primeiro, pode esperar um pouquinho?”

— Sim… — respondeu em um tom estranho.

Fui ao córrego e me lavei. Tinha-o visto na noite anterior enquanto estava na banheira. Mergulhei na piscina fria, e o resto da minha embriaguez desapareceu; e depois de recitar a Arte Demoníaca do Paraíso Infernal completa na minha cabeça, me levantei.

“Podemos sentar e conversar agora.”

— Sim. — Ssonia disse e se sentou à minha frente.

“Você quer participar pessoalmente na próxima performance que terá?”

Ele concordou com a cabeça.

“Isso quer dizer que deseja continuar sendo um ator em vez de se aposentar.”

— Isso mesmo.

“Poderia me dizer por quê?”

Ssonia levou alguns minutos pensando. Parecia que estava escolhendo com cuidado as palavras que iria dizer. Olhando para seu rosto determinado bem à frente, de súbito tive um pensamento que era completamente diferente da situação atual. ‘Pareço o Diretor agora.’

Sempre que uma criança queria contar algo a ele, o Diretor se preparava pra ouvir aquilo. Primeiro, se certificava que seu corpo e mente estavam calmos. E eu, assim que acordei, imediatamente me livrei da ressaca e me limpei todo — foram ações que me lembraram o homem.

“…” Certo, esperei paciente por uma resposta do Ssonia.

— Não é que eu odeie a ideia de viver desse jeito. — Começou a  falar enquanto eu usava a aura para ajudar a secar parte do meu cabelo, deixando o resto do trabalho para que o calor do sol completasse. — Na verdade, gosto bastante dessa sorte grande e inesperada que encontrei. Sim, nem a minha família, nem minha raça podem me ignorar agora; as moedas de ouro nos meus cafés são maravilhosas e, graças ao Lorde Kekerkker, posso viver feliz pelo resto da vida, mas….

Ssonia virou o rosto, olhando levemente para cima. A Mestre Dragão Negro e a Paladina, que ainda estavam no campo de flores, falavam enquanto dormiam, como sonambulas. A Mestra estava sussurrando coisas que não faziam sentido como ‘uuh’, ‘ah’, ‘você precisa começar devagar…’. Enquanto isso, a outra mulher gemia coisas como ‘Não’, ‘É um mal-entendido’. Quem estava começando e qual era o mal-entendido permanecia um mistério.

Elas eram minhas companheiras, mas às vezes eram bastante interessantes….

— Ontem me fez ter certeza. — continuou falando ao olhar para cada uma das duas de cada vez. — Todos vocês estavam dançando, bebendo e falando… senti a sua vida. Senti que queria viver. Não, desejei ter uma vida como essa… — As mãos dele em cima do colo se fecharam e apertaram. Concluiu: — Não sei por que encontrei vida apenas no som das suas respirações e nas suas falas, mas quero participar de algo assim também. Quero subir no palco também. Como todos vocês… também… quero ser belo.

Acenei em concordância. Já estive na mesma situação que ele, então nesse momento, fui quem mais compreendi a sua decisão.

“Irei te ajudar” respondi ao abrir a loja da Civilização.

[“Aparência dos Sonhos” foi comprada.]

[100 pontos foram deduzidos!]

[Seus pontos raciais atualmente são 6.602]

“Até agora, você tem me assistido de perto, mais perto do que qualquer um. Viu a minha coreografia, atuação e como usei a aura em tempo real, tudo isso como se estivesse assistindo uma aula. Teoricamente, não tenho nada mais a ensinar a você, então tudo que resta é que ganhe experiência.”

— Sim!

“Mas antes de ajudá-lo, tem algo que quero perguntar.”

Ofereci a ele meu sorriso mais gentil. Como o jovem do Culto Demoníaco e o sucessor da Arte Demoníaca do Inferno Paradisíaco, preciso de no mínimo esse tanto de estilo em minhas capacidades.

“Ssonia, por quantos dias consegue sobreviver sem comida?”

O silêncio tomou conta. O elfo, que nasceu em uma família de mercantes ricos, inclinou a cabeça para o lado.

— Hm….?

Essa era uma boa resposta. Levou menos do que 30 minutos para que a expressão fofa de confusão do Ssonia fosse tomada por um grito.

5.

Depois do treinamento infernal, finalmente chegou o dia da apresentação. Para mim, seria minha última peça dirigida neste mundo, mas para o Ssonia, seria sua estreia.

[A missão “O Período dos Teatros Combatentes: A Crise dos Clássicos” progrediu.]

[A taxa de erosão herética atual é de 11%.]

A missão desse estágio estava progredindo bem. O estilo da peça de Fogo que criei, a então chamada Peça Dançante, já havia começado a se espalhar pela cidade. Não apenas o teatro Som de Cachorro, mas as outras companhias começaram a secretamente entrar nessa onda. Agora, mesmo que não faça mais nada, a missão será bem-sucedida.

“Ahh, essa é minha primeira vez assistindo da perspectiva da audiência.” falei, sorrindo feliz. Abaixo de onde eu estava, os visitantes preenchiam todos os lugares. “É realmente diferente daqui. O que acha Mestre Dragão? Está nervosa?”

“Por que eu estaria nervosa…?”

A mulher empurrou as mechas do cabelo para trás. Parecia relaxada, mas não havia como esconder os punhos cerrados.

Segurando a risada, virei meu rosto para o outro lado.

“A Paladina parece estar indo bem?”

“É, já estive em um palco várias vezes, e costumava gerenciar um bar de jazz. Então, tenho um pouco de costume com situações como esta. Embora isso não signifique que eu não fique nenhum pouco nervosa.”

“Hmm, você tinha um bar de jazz?”

“Essa é uma história antiga do segundo ano depois que entramos na Torre.”, respondeu sorrindo amargamente. “No passado, queria ganhar a vida tocando jazz. E felizmente, as pessoas gostavam da minha música.”

“Heh.”

´Por referência, a Mestre Dragão não era mais uma vampira, e a Paladina também não estava mais na forma de uma sereia. Estávamos flutuando no ar e observando o show em nossas formas originais. Todos nós deixamos o estado de [Possessão de pessoa]”.

“Abri o meu bar de jazz cheia de orgulho, porque esse tinha sido o sonho que tive por vários anos do lado de fora. Foi uma experiência fantástica.”

A Mestra entortou a cabeça para o lado.

“Me disse para não falar nada sobre essa época. Por que tá contando pro Rei da Morte sobre isso do nada então?”

“Mudei de ideia.”

“Humpf. Você sempre fica indecisa sobre isso… qual era o nome do seu bar mesmo? Não consigo lembrar.”

“Pequena Veneza.”

“Ah, é mesmo, era Veneza. Você fez uma grande merda por lá.” falou. Uma risada seca lhe escapou dos lábios. “Pegou dinheiro emprestado de uns caras maus e ficou devendo um monte de dinheiro pra eles. Ouvi sobre isso enquanto bebia com a máfia. Disseram que haviam encontrado uma classe S estúpida e tiraram a sorte grande.”

“Sempre tive problemas em lidar com dinheiro….”

“Conserte isso. Essa é a razão por que a Milícia Civil tá sempre lutando com financiamento. Bem, fomos capazes de manter uma boa relação por causa disso….”

“Ah.” exclamei apontando para o palco. “Shh, acho que vai começar.”

As duas imediatamente pararam de falar e se focaram no centro. A Mestra Dragão Negro escreveu o roteiro, a Paladina compôs as músicas e eu fiz a coreografia. Todos os três trabalharam com empenho por esse momento.

Foi a primeira colaboração entre nós três juntos.

“…” nervosa, a Mestra tremia. Ela não tinha tremido ao subir o muro do Império Aegim e ter feito um discurso aos soldados, então era de certa forma surpreendente ela estar tão nervosa em uma hora como essa. Segurei o braço dela com leveza.

“Rei da Morte….”

“Sim.”

“Por que tá segurando meu cotovelo……?”

“O padrão é dar as mãos, mas as mãos da Raviel são as únicas que tenho permissão pra segurar. É um pouco embaraçoso segurar as mãos de um amigo, mas seria forçado passar meu braço ao redor dos seus ombros, não seria? Então, escolhi o cotovelo.”

“Ah…” uma risada breve escapou dela. “Você é mesmo louco.”

“Acho que pouquíssimas pessoas concordam com isso, Rainha Dragão Negro.”

“Seriamente…” Ela suspirou. De qualquer forma, enquanto assistia o show, o rosto dela estava muito mais relaxado e tinha parado de tremer.

“Deus… aparentemente, todo mundo é meio inexperiente usando a aura ainda.”

“Ainda assim, são bons. Não pode esperar que estejam no nosso nível.”

“Parece difícil fazer a coreografia e a música ao mesmo tempo… mas estão indo melhor do que esperava. Ao menos, não é tão ruim ao ponto de não conseguir escutar.”

Estamos sussurrando uns para os outros. Podia ouvir também os sussurros da audiência abaixo de nós.

— Ugo. Não parece pior do que o normal?

— É mesmo? É a minha primeira vez assistindo.

— Não tenho certeza, mas a aura parece mais fraca do que antes….

— É uma diferença sutil

Como esperado. ‘A audiência notou de imediato.’

Essa mudança havia sido causada pela falta da minha influência na apresentação. Até agora, estava sempre coordenando com os atores no palco. Usei minha aura para preencher as falhas e direcionar o som. Mas nessa performance, os atores estavam fazendo a coreografia, usando a aura e reproduzindo a música, tudo sem mim.

— Huff.

— Hup….!

O Arika de um olho só, o Yumar de um só braço e o Sakum de uma orelha só, todos estavam dando o melhor das suas habilidades na dança enquanto liberavam a quantidade certa da melodia designada a eles.

É claro, o Ssonia fazia o mesmo. Podia ver as gotas de suor escorrendo das testas dessas crianças.  ‘Está tudo bem.’ fechei meus punhos. ‘Tudo vai dar certo, pessoal.’ Vocês foram preparados para o sucesso. ‘Aguentem firme.’

Os murmúrios da audiência estavam ficando mais e mais altos. A maioria dos desapontados eram membros regulares que seguiam com entusiasmo cada uma das apresentações da Companhia de Teatro Som de Cachorro.

O que é? Alguma coisa não parece certa. Esse tipo de fala estava sendo repetida por todo o teatro.

“…” Nós três engolimos a seco, em silêncio.

O clímax estava se aproximando.

— …

Todos os atores pararam de se mover. A música que estavam tocando também cessou. O teatro escuro imediatamente foi tomado pelo silêncio, o que chocou todos que assistiam. Antes que o choque pudesse serç desenvolvido para algo a mais, Raviel Ivansia, sendo interpretada por Ssonia, abriu a boca.

— Lascia, ch’io pianga—.

Acompanhado de uma aura vermelha, o som se espalhou bem alto. Assim que a melodia saiu da sua boca, a audiência vacilou. Ssonia recitava a música que aprendeu enquanto vomitava sangue.

— Mia cruda, sorte….

Era impossível pra mim ensiná-lo a usar a aura no mesmo nível que eu em um período tão curto de tempo, então nós três, que estávamos organizando a peça, pensamos numa ideia para a performance.

Pela primeira vez no nosso teatro, uma cena onde um ator cantava sozinho, foi introduzida.

“Ótimo.” Não pude deixar de sussurrar quando vi a reação da audiência.

“Está funcionando! Funcionando!”

Nosso teatro era famoso por não possuir falas. Às vezes, os atores faziam algum som enquanto dançavam, mas era coisas sem sentido como ‘woo!’ ou ‘huk!’. Expressões primitivas com um deliberado significado obscuro.

Ninguém da plateia estava esperando um ária de ópera.

— La liberta…

Ssonia tinha a habilidade de tornar uma situação inesperada irritante em prazerosa. E esse momento só tinha se tornado possível por causa do treinamento extenso que ele passou. Agora, havia um elfo solitário cantando na escuridão.

— La liberta…

Os hobgoblins observavam o ária em puro choque silencioso. Podíamos ver nosso sucesso refletivo em seus olhos.

“Que alívio.”

“Sim, apesar de usarmos um truque no final…”

“Era uma situação onde não tínhamos escolha a não ser dar um jeitinho. Mesmo que nosso nível total tenha diminuído, se o clímax valer a pena, então superamos o desafio. Posso finalmente respirar com calma…”

Continuamos assistindo ao show felizes.

[A taxa de erosão herética atual é de 10%.]

[A taxa de erosão herética chegou a menos de 10% com sucesso.]

[Missão cumprida!]

Bem a tempo, ouvi a voz da Torre me dizendo que a missão tinha sido concluída. Olhei para Ssonia e para os outros atores um pouco mais antes de me levantar.

“Vamos.”

“Já?”

“Estou satisfeito em vê-los  bem-sucedidos sem mim. Se ver a audiência os aplaudindo, então posso começar a chorar. Devíamos ir agora.”

“Nunca achei que você seria um chorão.”

“Disse a Rainha Dragão, que chorou no 11° andar….”

“Dúvida que te dou um socão?”

As duas se levantaram. Embora seja um pouco cedo, e ninguém possa nos ouvir, demos uma salva de palmas aos atores. No palco, o ária terminou o canto e a dança voltou a  acontecer.

‘Tudo vai ficar bem.’ Olhei para Ssonia, que estava suando aos montes enquanto dava seu melhor. ‘Adeus.’

E.

“Declaro o estágio completo.”

Nós três falamos quase ao mesmo tempo.

[A Mestre Dragão Negro declara o estágio foi completo.]

[A Paladina declara que o estágio foi completo.]

[Estágio Completo!]

Segundos antes da minha missão desaparecer, olhei para Ssonia por cima da audiência. Ele estava olhando na nossa direção, para onde estávamos flutuando. Devia ser impossível, mas senti como se tivéssemos feito contato visual naquele momento.

[Você completou o 34° andar.]

[Cadeias de camadas em progresso — você será enviado direto para o 35° andar!]

E então, uma luz branca nos cobriu.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar