SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 197

Erosão (2)

Uma carta retangular apareceu sobre minha mão esquerda.

Era uma carta de habilidade que eu estava acostumado, porém de uma cor que não havia visto antes.

‘Violeta? Roxo?’

A cor da carta determinava o nível da habilidade.

Ranks F e C eram da mesma cor, e as pessoas sempre faziam piada de que tinha cor de merda. A maioria dos caçadores tinha habilidades dessa cor, mas alguns não tinham nem dessas.

Ranks B e A eram prateadas. Essas eram comumente chamadas de jackpot.

Para as de rank S ou maior, a cor era dourada. Normalmente é difícil encontrar caçadores com essas habilidades, o que demonstrava quão incríveis meus companheiros eram. Mas nunca havia ouvido falar de uma carta [roxa].

‘Isso pode ser um erro, certo…?’

Olhei para as palavras gravadas na carta.


[Formação do Paraíso Infernal]

Rank: Indeterminado

Efeito: Esta formação é baseada na Arte Demoníaca do Paraíso Infernal. Ela incorpora uma imagem compartilhada pelos conjuradores. Quanto mais destes houver na formação, e quanto mais proficiente forem na Arte Demoníaca, mais clara será a imagem compartilhada e maior o seu poder.

Está formação não provou ser eficaz ainda!

Você quem criou esta habilidade e deverá mostrar todo o potencial da Formação do Paraíso Infernal. Quando forem coletados dados suficientes, o rank e descrição serão revisados.

※Atualmente, o nível da habilidade é indeterminado.


‘Ahh.’

Finalmente entendi por que a carta era roxa. Era um período de teste, a habilidade não tinha sido testada ainda, por isso a cor.

‘Então, algo assim existe…’

— Incrível!

Fiquei espantado. Bae Hu-ryeong colocou a cabeça bem ao lado da minha e gritou alto.

— Que diabos? O que aconteceu com você?

 Nunca vi uma carta de habilidade roxa antes!

Os olhos de Bae Hu-ryeong brilharam.

— Ei, então pude ver algo assim também. Que bom que escolhi me tornar um fantasma em vez de morrer quieto!

— Só é de cor diferente, por que está fazendo tanto barulho…?

— Zumbi, tá lelé da cuca? Não acha isso estranho? Se fosse você, usaria roxo para fazer as cartas de teste? Normalmente são brancas.

Hein.

Agora que ele falou, parecia mesmo estranho.

— É verdade. Roxo não seria a cor escolhida. Normalmente.

— Exatamente.

— Hmm…

Talvez o Dono da Torre gostasse de roxo, ele era alguém rodeado de mistérios.

— Papai.

— Ah, desculpa. Fiquei distraído por um momento.

— Tudo bem.

Uburka chacoalhou a cabeça; minha mão direita ainda estava segurando a dele.

— Em vez, sinto que preciso explicar sobre a era atual para você. Afinal, deve haver um motivo para você aparecer agora. Algo grande está acontecendo no continente.

— Algo grande?

— Isso mesmo. Ou talvez eu deva dizer que algo está acontecendo no mundo inteiro, e não só no continente.

Uburka sorriu como se dissesse palavras misteriosas.

— Há rumores de que descobriram um novo continente.

Neste momento uma missão apareceu.

[Você recebeu a missão do 35º andar.]

O nome da missão surgiu em uma janela a minha frente.

[Era do descobrimento]

***

Um novo continente.

Este novo mundo foi descoberto há 24 anos.

— Fiquei nestas montanhas nevadas por 350 anos, mas às vezes, eu ia até a cidade descobrir o que estava acontecendo com o mundo. Um capitão da raça oceânica foi o primeiro a encontrar a terra que não estava no mapa.

A raça oceânica tomou forma de sereias. Elas normalmente viviam em rios, mas havia subespécies.

Aquela sereia se perguntou como era o fim do oceano. Ao mesmo tempo, elas tinham a capacidade de tornar a curiosidade em realidade, e a coragem para arriscar suas vidas.

「Por favor, ajude-me.」

O capitão sereia falou para seus almirantes.

「Os goblins dominam a terra, porque está no sangue da raça. Os elfos estão no comando de muitas coisas, então merecem exercer controle sobre as moedas de ouro. Mas a água é o único domínio para as sereias, então não deve haver um lugar que não conhecemos sua profundidade ou como é!」

Era um discurso sem lógica, mas os almirantes mexeram as caudas em concordância.

「Iremos providenciar um navio e 40 marinheiros, incluindo um vampiro.」

Assim, a viagem lendária iniciou.

Eu não tinha certeza de como dizer isso, mas talvez os pensamentos deles eram mais livres por morarem na água. Parecia que as sereias estavam atrasadas no desenvolvimento do mundo, incluindo o mar de sal.

— O que aconteceu com o capitão?

— Seu sonho se tornou realidade. Depois de 16 meses velejando, ele descobriu um novo continente.

O tom de Uburka ficou mais suave.

— Mas no caminho de casa, ele foi devorado por uma orca.

Não.

Era lamentável.

— Acontece com frequência. Ugo. A maior causa de morte de sereias são crocodilos, a segunda: orcas; e a terceira: afogamento.

— Sereias se afogam?

— Não sei os detalhes.

O mistério aumentava cada vez mais enquanto tínhamos nossa conversa de pai e filho.

— Vocês… Transferência.

Ouvimos um suspiro por perto, era a Mestre Dragão Negro. Ela se virou para nos olhar.

— Enquanto trata alguém como meio de transporte. Transferência. Podem não conversar tão casualmente? Transferência. Não acham que ficarei irritada por ser deixada de lado? Transferência.

O motivo da Mestre Dragão Negro ficar falando transferência no meio das sentenças era porque estava andando no Ônibus de Transferência Instantânea.

Eu estava nos braços largos de Uburka, e a Mestre Dragão Negro ao meu lado. Graças a isso, conseguíamos manter a Transferência Instantânea de forma estável.

A distância, provavelmente parecíamos com um canguru e seus filhotes.

— Ei, você está nos dando uma carona confortável.

— Você pode estar confortável, mas eu não. Transferência. Você sabe como é irritante usar uma habilidade sem parar? Transferência.

— Está tudo bem, já que somos praticamente família agora. Certo. Já que somos próximos agora, posso te chamar de Noona? Desde que entrei na Torre, não fiquei próximo de alguém para chamá-lo assim.

— Você é do tipo que se aproveita interminavelmente daqueles que são próximos a você… Transferência.

Abaixo de nossos pés o oceano se espalhava infinitamente.

Certo. O mar.

Não importava para onde olhava, não conseguíamos ver ao menos um recife de corais. Na nossa visão, o azul se estendia no horizonte, estavamos cortando o oceano em direção ao novo continente.

— Não me chame de Noona. Eu odeio.

— Então, devo te chamar de Vossa Majestade? A Rainha Dragão Negro?

— Nosso Rei da Morte é tão engraçado.

A Mestre Dragão Negro sorriu brilhantemente. Por um momento achei que ela fosse me dar um tapa na cabeça.

— Não irei fazer mais piadas…

— Boa escolha. Transferência. Se quer mesmo mudar a forma que se endereça a mim, então me chame de sênior. Transferência. Vou deixar fazer isso.

— Ah, certo. Sênior. Você pode me chamar de Gong-ja também.

A Mestre Dragão Negro não respondeu. Ela apenas virou a cabeça. Com um rosto sem expressão, ela murmurou ‘transferência’. O silêncio se espalhou naturalmente.

Enquanto ouvia o som das ondas, conferi a janela com a missão mais vez.


[Era do Descobrimento]

Dificuldade: A-

Objetivo: Exploração! Aventura! Um novo continente apareceu para as sete raças. A nova rota descoberta pela raça das sereias atraiu as outras também.

‘Quero viver em outro lugar.’

Em todas as eras, há aqueles que possuem esse sonho. Um desejo impossível de se realizar, um milagre que nunca apareceu e uma felicidade que nunca pode ser sentida. Explore navios com a esperança de encontrar algo que eles não conseguiram do outro lado do oceano.

Mas o novo continente é uma terra nova somente para as sete raças.

Outros já construíram suas casas e estão vivendo lá. Atualmente, o feudo entre os nativos e os exploradores está prestes a estourar! Talvez um massacre esteja para acontecer.

Invasão. Coexistência. Ou talvez expulsão.

As sete raças estão em risco de serem exterminadas. É sua missão guiá-los!

※ Entretanto, se falhar, pode causar a destruição de uma ou mais raças.


Massacre. Exterminação.

Essas palavras horríveis piscavam nos meus olhos.

Por isso estávamos nos apressando para chegarmos no novo continente.

— Aquelas crianças estão mesmo matando os nativos?

— Não sei. Transferência.

A Mestre Dragão Negro disse.

— É possível. Mesmo no mundo lá de fora, massacres aconteceram sempre que encontravam novas rotas… Transferência. As pessoas desse mundo podem não ser assim, mas… Transferência. Nossas crianças nem sempre crescem como queremos.

— Não importa como, temos que evitar um massacre.

— Estou torcendo por você.

— Ugor.

Uburka abriu a boca lentamente.

— Tem algo lá.

Ele apontou para o horizonte. Não consegui ver nada de primeira. Mas como eu confiava em meu filho, usei a aura para fortalecer minha visão. Havia algo flutuando no oceano.

— Um navio?

Era um navio enorme.

Franzi as sobrancelhas.

— Mestre Dragão Negro. Não, sênior. Há um navio ali, vamos checar.

— Por quê?

— Porque posso ver o navio, mas não vejo os tripulantes.

— Transferência.

Parecia que a Mestre Dragão Negro havia visto o navio também. Ela rapidamente nos levou até o deque. Ao subirmos a bordo, notamos que havia algo estranho.

— As pessoas…

A Mestre Dragão Negro olhou em volta.

— Estão todas dormindo?

Os marinheiros estavam no chão. Eles eram de diferentes raças. A maioria eram onis ou sereias, mas também havia alguns humanos. No entanto, todos eles, independente da raça, estavam dormindo.

Caminhei até o timoneiro, que estava dormindo embaixo do timão e segurei seu pulso.

— É desnutrição.

Usei minha aura para inspecionar a condição do corpo do marinheiro.

— Ele está mostrando sinais severos de desidratação. Deve fazer quatro ou cinco dias desde que tomou água. Hmm. Não parece estar machucado, a cabeça está bem…

Eu conhecia os sinais de desidratação desde que havia aprendido a Espada da Sede da Arte Demoníaca do Paraíso Infernal. Apenas para ter certeza, chequei alguns outros marinheiros, mas o resultado era o mesmo.

Desnutrição. Desidratação severa.

E.

— Isso… Não importa o quanto olhe, parece que estão dormindo.

Os marinheiros respiravam suavemente, de maneira confortável. Eles não estavam bêbados ou haviam desmaiado, estavam só dormindo.

— Você tentou acordar eles com aura?

— Sim, mas mesmo quando tentei estimulá-los, não acordaram. É estranho.

— Espera um momento.

A Mestre Dragão Negro caminhou até um marinheiro e tocou seu corpo. Então, uma aura negra tremulou da ponta de seus dedos.

Depois de um tempo, a Mestre Dragão Negro semicerrou os olhos.

— Eles não estão amaldiçoados.

— Talvez seja uma droga? Eles normalmente não comem e bebem juntos?

— Pode ser isso. Porém, os sintomas são muito fracos para ser uma droga. Não consigo sentir nenhum traço de uma. É possível que haja drogas que desconhecemos nesse mundo, mas…

A Mestre Dragão Negro parecia preocupada.

Enquanto isso, Uburka havia juntado todos os marinheiros no deque.

Estranhamente, o capitão era uma lesma. Diziam que sempre que seus corpos entravam em contato com sal, suas peles ficavam secas, ou em casos severos, derretiam, e mesmo assim, uma havia vindo para o mar. Sua coragem era louvável.

— Ele merece um prêmio.

Enquanto abaixava o capitão, Uburka franziu o nariz.

— Essas pessoas pareciam estar trabalhando normalmente quando caíram no sono. Parece que todos simplesmente dormiram, independente do que estavam fazendo.

— Todos de uma vez?

— Ugor.

Um total de 32 marinheiros havia caído no sono ao mesmo tempo. Como esperado, o mistério aumentava.

— Acha que deveríamos entrar no sonho deles? — a Mestre Dragão Negro sugeriu.

— Nos sonhos?

— Mhm. Seria melhor usar [Possessão de Pessoas], mas custa 1.000 pontos. Não podemos desperdiçar assim, então devemos usar [Aparição em Sonho].

Era um comentário que revelava um traço de sua personalidade. Sênior era provavelmente o tipo que economizava cada centavo quando decidia pelo orçamento da guilda.

Depois de contemplar entre ir para um café ou comprar uma sobremesa em uma loja de conveniência, ela provavelmente compraria na conveniência.

‘Raviel é o tipo que alugaria a cafeteria toda se ela quisesse comer algo que gostasse.’

Na verdade, ela provavelmente teria uma mesa separada para ela permanentemente.

Incrível, pensei depois de lembrar dos hábitos da nossa duquesa.

— Certo, essa seria a forma mais fácil.

— Sim, então vou primeiro…

— Você trabalhou duro para escalar a montanha e atravessar o mar. Você me levou pela terra, o ar e o mar sem reclamar. Eu farei isso.

— Às vezes, você age tão admiravelmente que fico incerta se bato em você ou não.

— Você é minha sênior, então tenho que cuidar de você.

Abri a Loja da Civilização.

[Comprar ‘Aparição em Sonhos’.]

[Foram deduzidos 100 pontos!]

[Você atualmente tem 7.012 pontos de raça.]

Então, usei o item no capitão a minha frente.

Paaaaht!

Minha visão ficou turva.

Um redemoinho de luz me envolveu. Puxei o ar uma vez, duas vezes… Mesmo que estivesse contando minha respiração, minha noção de tempo estava paralisada. Em algum ponto, fechei os olhos.

Depois de um tempo.

— Gong-ja.

Alguém sussurrou em meu ouvido.

— Abra seus olhos, Gong-ja.

Quando abri meus olhos, havia uma mulher desconhecida, parecida com Raviel, com o rosto muito próximo do meu.

Mm.

Rapidamente escaneei o pescoço pálido e os dedos longos de Raviel. Sem colar, sem anel de casamento.

Eu não tinha onde gastar meu dinheiro, de qualquer forma. Mas eu não via o anel de casamento que havia comprado para ela depois de gastar metade da minha fortuna antes de ir para 30º andar.

— Huhu.

Olhei com mais atenção. Estávamos em um dos quartos da mansão Ivansia.

Eu estava deitado em uma cama macia. A mulher que parecia com Raviel olhava para mim de cima. Vi um vaso de flor ao lado da cama, uma cadeira, mas não via nenhuma carta dourada.

‘Certo.’

Análise completa.

— O que está olhando?

A mulher acariciou minha bochecha. Seus olhos brilhavam intensamente. Por um momento considerei aceitar essa situação estranha, mas felizmente este pensamento durou apenas 0.1 segundos.

— Amanhã é feriado, meu amor. Vamos nos divertir pela primeira vez depois de um tempo…

— Ei, sua filha da puta. O que pensa que está fazendo com o rosto da Raviel? Quer morrer?

O carinho da mulher parou.

— Te darei 10 segundos. Se não sair de cima de mim e ficar de joelhos, não vou me importar se é uma deusa de outro mundo, um apóstolo ou o que quer que seja, vou te fazer se arrepender por existir. Serei atencioso o suficiente e não contarei o tempo, desde que se ajoelhe em 10 segundos.

O rosto da mulher endureceu.

— Como…?

Sua expressão era incompreensível.

— Você não está dormindo? Não. É impossível. Você está completamente imerso no meu sonho. Como é que…

— Seus 10 segundos acabaram.

— O quê?

Eu ri.

— Vamos acabar com isso.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar