Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 122

Conhecido, Homem do Desastre e Coincidência

Porém, Luke franziu a testa um momento depois. Por que havia um cheiro familiar? Hmm, era a Bell?

Luke coçou a cabeça. Por que sua senhoria/taxista estava aqui?

Exceto pelo fato que sua condição era tão boa quanto a assaltante, não deveria ter nada a ver com as quatro mulheres, certo?

Luke não entrou no edifício. Cheirou o ar de novo, antes de subir na bicicleta com um olhar estranho e espiou através de uma janela.

Na oficina, duas pessoas azaradas, um homem e uma mulher, estavam sob a mira de uma arma.

Duas mulheres estavam discutindo. Luke não conseguia entender. Elas pareciam estar falando português.

Fazia sentido quando lembrou que as assaltantes eram do Brasil.

Era a motorista maravilhosa daquela manhã que estava apontando uma arma para Bell e o homem.

Julgando pela discussão com suas parceiras, no entanto, não parecia estar inclinada a puxar o gatilho.

Luke pensou por um momento, e mirou nela da janela com sua própria arma.

Se a mulher realmente fosse disparar, Luke tinha que agir mesmo que não estivesse autorizado.

Não podia deixar Bell levar um tiro; ela não era uma pessoa ruim.

Levantando a arma, observou o homem parado ao lado de Bell.

Era um homem branco jovem, que parecia frustrado e um pouco familiar.

Luke finalmente lembrou que era a pessoa que o parou naquela manhã, somente para causar um acidente. Como ele conheceu Bell?

Bell não era uma taxista? Porém, o carro valioso dela não foi visto em lugar algum.

Um momento depois, o jovem fez uma careta para Bell e deu um longo discurso. Eventualmente, agarrou uma arma da força e se escondeu numa sala nos fundos com Bell.

As quatro mulheres dispararam loucamente no cômodo, forçando o homem a ficar atrás da cobertura. Elas se entreolharam e entraram no carro.

Luke ficou aliviado.

Não teria que lidar com as quatro mulheres agora.

Embora não estivesse preocupado sobre o poder da aplicação da lei, as quatro podem estar conectadas a Sergei, então era melhor mantê-las vivas por enquanto.

Todavia, Luke ouviu um barulho um momento depois e sentiu o cheiro de algo queimando.

Era um cheiro estranho, como se fosse uma mistura de coisas diferentes sendo queimadas juntas. Luke lembrou do carro que ateou fogo em Thurmeier.

Naquele tempo, ouviu Bell e o jovem rindo alto, só que era rouco e estranho.

Graças ao Olfato Aguçado, ele também sentiu um cheiro doce, qual não conseguia reconhecer.

Então ouviu Bell rindo e xingando o jovem por ser um idiota. Disse ser oxido nitroso, conhecido como gás do riso.

Luke ficou atônito. O jovem era realmente um gênio por considerar um gás do riso como gás comum.

Mais importante, as quatro mulheres partiram, e Bell e o jovem estavam sozinhos no cômodo. Por que ele liberaria gás do riso?

Luke ficou em palavras; o jovem parecia um prenúncio do desastre.

No momento seguinte, a maçaneta quebrou.

Enquanto ria, Bell xingou o jovem por ser idiota o bastante para quebrar a porta.

Luke ficou sem palavras para a má sorte do jovem.

Pensando por um momento, decidiu abrir a porta para ele.

Entretanto, no momento que estava prestes a saltar da bicicleta, ouviu alguém bater na porta. Então, Bell riu e gritou de novo: — Você é realmente um idiota? Esta porta é feita para ser puxada, não empurrada. Por que está batendo nela?

Depois disso, eles saíram por uma porta dos fundos.

Luke não sabia o que dizer. Ele conhecia Bell há alguns dias e nunca foi tão azarada.

No entanto, desde que já saíram do cômodo cheio de gás do riso, Luke não ficou mais preocupado.

Saltou do seu ponto de vista e estava preparado para montar na bicicleta e ir embora.

Mal saiu do beco quando viu uma viatura se aproximando.

Enquanto as luzes do carro ainda estavam piscando, dois policiais saíram e apontaram suas armas para o beco: — Larguem as armas agora!

Luke não conseguia ver com clareza, mas sabia que os oficiais tinham que estar gritando com Bell e o jovem.

Não pôde deixar de se perguntar se aqueles dois foram abençoados pelo Deus do Azar.

Um momento depois, houve uma grande explosão e os policiais desviaram apressadamente dos detritos voando.

Bell riu e xingou de novo: — Hahaha! Meu carro também foi explodido! Corra, se sabe o que é bom para você!

Então, os dois fugiram enquanto riam muito.

Luke fez uma nota mental para ficar o mais longe possível do jovem. Parecia que ele trazia azar para qualquer um a sua volta.

Montando na bicicleta lentamente, rastreou as quatro mulheres.

Depois de dois quilômetros, o receptor de Luke detectou um sinal de novo: — Alvo adquirido. Trezentos e trinta metros à frente e à esquerda.

Pedalou até o local, somente para descobrir que era um armazém.

Era próximo da periferia de Nova York, e o local estava desarrumado com armazéns e fábricas.

Luke pensou por um momento, e brincou um pouco com um novo celular que havia modificado, antes de se aproximar do armazém.

De repente, seu nariz tremeu.

Outro conhecido? Luke achou estranho, mas não conseguia lembrar a quem o cheiro pertencia.

Eventualmente, achou uma janela e subiu na bicicleta para dar uma olhada igual ao que fez mais cedo.

Luke gritou “bingo” em seu coração quando viu quem estava dentro.

Seu “conhecido” era, na verdade, Sergei.

Não admira que tenha sentido um cheiro familiar, embora não conseguisse reconhecer.

Ele havia sentido o cheiro de Sergei na mansão de Katie antes, e no porto alguns dias atrás.

Agora, Sergei estava conversando com as quatro mulheres com um sorriso rígido.

Estavam falando em inglês. Considerando o alto nível de Força de Luke, conseguiu ouvi-los mesmo de uma distância de vinte metros.

Um momento depois, finalmente descobriu por que Sergei recebeu as quatro mulheres pessoalmente, e por que se separaram após o primeiro encontro.

Para simplificar, as quatro mulheres conseguiram assaltar dois bancos graças ao apoio de Sergei.

Esconderijo, carros, ferramentas de manutenção, terreno e informação sobre os bancos — tudo foi fornecido por Sergei.

Sergei ia lavar o dinheiro roubado. No final, as quatro mulheres levariam 30% e Sergei 70%.

Não era que Sergei fosse ganancioso.

Ele poderia ter pedido por 50% se estivesse lavando o dinheiro e nada mais.

Porém, também forneceu vários outros serviços, então era absolutamente justificado levar 70% do dinheiro.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
6 dias atrás

Mata essas vagabundas e esse otário.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar