Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 133

Estilo Americano

Elsa disse: — Sou uma policial de Los Angeles, tudo bem?

Luke falou: — Você acha que elas realmente podem ver seu distintivo dali? Apenas pisque o farol e mande-as parar.

Elsa fez isto com dúvidas.

Como resultado, o A8 ficou mais rápido após Elsa mostrar o distintivo.

Elsa ficou sem palavras: — … Bell, ultrapasse-as e coloque o táxi na frente. Vou forçá-las a parar.

Bell perguntou: — Que diabos? Você não está tentando me fazer pará-las no estilo americano, está?

Elsa disse: — Este é um táxi. Estou dizendo que vou sair e forçá-las a parar com minha arma, okay?

Bell ficou aliviada: — Sem problemas, apenas observe.

Um momento depois, Elsa ficou parada no meio da rua, segurou uma arma numa mão e o distintivo na outra enquanto sinalizava para Vanessa encostar.

Vanessa franziu a testa. Ela vinha pisando no acelerador, mas não conseguia fazer o carro acelerar mais.

Na sua velocidade atual, seria muito fácil ser atingido por uma bala.

Elsa certamente não era uma pessoa benevolente. Ninguém na Divisão de Crimes Graves poderia ser.

Vendo que o carro não estava desacelerando, ela abriu fogo sem pensar duas vezes.

Bang! Bang! Bang! Bang!

Disparou quatro vezes consecutivamente.

Vanessa girou o volante, mas duas balas ainda acertaram os espelhos laterais e os explodiram.

Luke achou estranho, contudo, mirou no A8 correndo novamente do banco traseiro.

Agora há pouco, ele só disparou duas vezes quando Elsa abriu fogo.

Assim, foi aquele que realmente atingiu os espelhos laterais.

Vanessa cerrou os dentes. Se seu carro não tivesse desviado, as balas poderiam tê-la atingido.

 Encarando para a oficial fria no meio da rua, Vanessa não ousou assumir mais riscos.

Quanto mais se aproximavam, mais precisa a mira da oficial se tornaria, e ela definitivamente estava mirando em Vanessa, a motorista.

Vanessa girou o volante abruptamente e conseguiu girar o carro, antes de voltar pelo caminho que vieram.

Elsa abaixou a arma: — Vamos lá, Bell. Apenas siga elas. Não precisa pressioná-las demais.

Desde que as assaltantes decidiram voltar, as coisas ficaram mais fáceis.

Ela e Luke as forçaram a voltar, e deram sua localização a NYPD. Contanto que estivessem em Nova York, a polícia só poderia se culpar se não conseguissem capturá-las.

O celular dela tocou. Uma mulher falou: — Aqui é Marta, chefe da Divisão de Crimes Graves da NYPD. Estou falando com a Detetive Elsa?

Elsa respondeu: — Está.

Marta perguntou: — Agora estamos a caminho da sua localização. Qual é a situação?

Elsa olhou para o A8 na frente e respondeu: — Está tudo sob controle.

Parecia haver uma discussão do outro lado da ligação, antes da voz de Berit surgir: — Elsa, o que está fazendo? Minhas fontes me disseram que Sergei estava aí e estava num tiroteio com as assaltantes de banco. Você será responsável se ele escapar.

Elsa olhou para Luke pelo retrovisor interno e achou um absurdo: — Tudo bem, Sargento Berit. Por que não assumimos a responsabilidade e você se retira deste caso?

Berit não soube como responder, o que deixou Marta com mais raiva.

Ela estava encarregada especificamente de resolver o caso das assaltantes de banco. Não se importava com o conflito de Berit e os dois detetives de Los Angeles. Tinha que resolver o caso das assaltantes primeiro.

Estava tudo uma bagunça e Berit não estava ajudando em nada.

Transferir a culpa ou roubar crédito era tudo bom e legal, mas só depois que o caso fosse resolvido.

Agora, ainda precisavam ver o dinheiro ou as criminosas. Berit era realmente idiota por ameaçá-los num momento crucial.

Marta agarrou o celular: — Detetive Elsa, a atitude pessoal do Sargento Berit não tem nada a ver com a Divisão de Crimes Graves. Vamos conversar sobre as assaltantes. Qual é a situação agora?

Elsa olhou para frente e respondeu: — Bem, elas estão fugindo na direção do Queens.

Marta ficou sem palavras.

Elsa falou: — Ultrapassamos elas mais cedo e as forçamos a voltar. Se estiver no seu caminho, melhor prestar atenção para não as perder.

Marta perguntou: — Hã? O que elas estão dirigindo?

Elsa observou enquanto as quatro assaltantes forçaram um Benz a parar e expulsaram o motorista, antes de roubar o carro e fugir.

Ela finalmente disse: — Bem, acabaram de roubar um Benz S-class preto. São bem rápidas. Não as deixe escapar. Não acho que possamos pegá-las no nosso mísero carro. Elas são de vocês.

Os olhos de Bell arregalaram até os brancos poderem ser visto. Eu já perdi numa corrida? Meu bebê não é miserável!

Luke, contudo, deu um joinha para Elsa. Bell imediatamente soube que estavam mentindo.

Ela perguntou a Luke com o olhar, e este gesticulou para Bell parar próximo do Audi A8.

Luke saiu e circulou o A8.

Coincidentemente, notou que o motorista azarado cujo carro foi roubado pelas assaltantes estava fazendo uma ligação: — Meu bem, não estou mentindo. Meu carro novo acabou de ser roubado em Nova York. Por quem? Não tenho ideia! Aquelas mulheres abandonaram um A8 e roubaram meu carro! Hã? Elas são lindas? Elas apontaram uma arma na minha cabeça? Não, não, meu bem, realmente não entrei em nenhum daqueles clubes noturnos de fantasia. Elas estavam segurando armas de verdade…

Luke ficou atônito. Se aproximou e perguntou: — Senhor, precisa da minha ajuda?

 O homem levantou a cabeça aturdido: — Hã?

Luke pegou o celular e falou: — Olá, sou um policial. Posso validar que um bando de assaltantes acabou de roubar o carro deste cavalheiro. Você pode assistir nas notícias de hoje à noite se não acredita em mim. Foram as assaltantes do banco de Manhattan que o roubaram.

Após isso, jogou o celular de volta ao homem.

Este ficou encantado: — Meu bem, você finalmente acredita em mim agora, não é? O quê? Ele não é meu amigo e nem um ator. Ele é realmente… um policial de Nova York? — Ele próprio ficou na dúvida.

Como a NYPD poderia contratar um policial tão jovem?

Luke sorriu e mostrou seu distintivo: — LAPD!

O homem ficou sem palavras.

Uma mulher gritou do outro lado da ligação: — Canalha, você está mentindo para mim! Um polícia da Costa Oeste veio à Costa Leste para atestar por você? Vá para o inferno! Quero divórcio!

Após a ligação ser encerrada, o homem olhou atordoado para Luke e sentiu vontade de amaldiçoá-lo.

Luke deu de ombros: — Se ela ainda suspeitar após ver os noticiários, você realmente deveria considerar seu relacionamento. Afinal, você foi roubado e eu sou um policial de verdade.

Após um longo silêncio, o homem finalmente respondeu: — Obrigado.

Luke riu e acenou para Bell.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar