Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 170

Ah, Meu Inglês é Ruim

Após se despedir das duas lindas garotas, Elsa e Luke aguardaram por um táxi fora do Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle.

Elsa o provocou: — Parece que você encontrou alguém nesta viagem a Paris. Aquela garota faladora combina muito bem com você.

Luke sorriu: — Sonhe. Tivemos uma boa conversa no avião, mas é só isso.

Elsa achou engraçado: — Se você diz. Vamos relatar ao departamento de polícia primeiro. O resto do tempo é todo nosso.

Naquele momento, um táxi chegou e um homem dele saiu cambaleante e vomitou numa lata de lixo.

Elsa e Luke não acharam nada de mais. Enjoo não era incomum.

Porém, cheiraram o táxi quando entraram. Havia um vago cheiro de vômito, mas não encontraram nada.

O motorista era um homem de cabelo curto. Virou a cabeça e perguntou sinceramente: — Estão com pressa?

Olhando para o homem que tinha uma cicatriz acima do olho esquerdo e lembrando do passageiro com enjoo que acabou de sair, Elsa e Luke sentiram um déjà vu estranho.

Ambos responderam: — Não, por favor, velocidade normal.

O motorista deu de ombros com tristeza: — Oh, que pena.

O canto dos olhos de Luke tremeu: — Uma taxista que conheci em Nova York uma vez me fez uma pergunta similar.

O motorista já havia ligado o carro. Sorriu e perguntou: — Hm? E depois?

Luke respondeu: — Depois, mal consegui ficar em pé quando sai do táxi após chegar no destino.

Elsa comentou: — Você estava melhor que eu. Eu vomitei.

Atordoado por um momento, o motorista caiu na gargalhada: — Haha. Isso deve ter sido engraçado.

Olhando para as costas do taxista, Luke perguntou de repente: — Suas placas de licença podem ser trocadas, não podem?

O motorista riu: — O que está falando? Meu inglês é ruim. Não consigo entender.

Luke revirou os olhos: — Não importa se entende, só estou avisando, não acelere, porque não pagaremos extra. Mesmo que possa voar como um avião, apenas mantenha seu táxi a cento e vinte quilômetros por hora.

Após um breve silêncio, o motorista argumentou humildemente: — Mas o limite de velocidade é de cento e sessenta quilômetros…

Luke ficou sem palavras: — Se é assim, apenas dirija no menor limite de velocidade possível.

O motorista gargalhou, e sentiu que tinha sido descoberto.

Após ser um policial por um longo tempo, Luke podia dizer facilmente quão únicas algumas pessoas eram. Por exemplo, este taxista tinha uma atmosfera similar a Bell.

Após dar o aviso ao motorista, Luke olhou no retrovisor e viu Kim e Amanda. Elas estavam conversando alegremente e tirando fotos na parada de táxi.

Então, um jovem de aparência decente se voluntariou a tirar uma foto para elas com um sorriso. Eles então começaram a conversar entre si.

Quando o táxi de Luke partiu, Amanda, Kim e o cara ainda estavam conversando.

Luke não se incomodou, já que Amanda estava claramente feliz em conversar com qualquer um.

Bem, qualquer um que não fosse feio.

Quanto mais lindo era o cara com quem conversava, mais feliz ela ficava.

Quando o táxi entrou no centro da cidade, Elsa perguntou de repente: — Devemos ficar no mesmo hotel?

Luke pensou por um momento e respondeu: — Devemos nos separar, já que estamos aqui para nos divertir. Não quero ser a terceira roda.

Elsa falou aliviada: — Me deixe na frente. Vou caminhar. Enviarei uma mensagem de texto depois que fazer check-in.

Seria estranho ela sair e se divertir se Luke estivesse com ela.

Se Luke não estivesse, ela simplesmente seria uma pessoa comum. Ninguém saberia que ela era uma policial.

O motorista parou o carro a alguns metros na frente.

Luke disse: — Me dê seu cartão.

O motorista perguntou: — Hã? Não consigo te entender.

Luke retrucou: — Quer que eu chame o policial bem ali?

Notando o desdém no rosto do homem, Luke percebeu após um momento que o homem não estava com medo da polícia.

Arremessou o que parecia com um ioiô no assento do motorista. Voou em volta das mãos do homem e os amarrou.

Luke perguntou com um sorriso: — Diga-me, você pode se safar se eu pedir o policial para checar sua carteira de motorista?

O motorista lutou por um momento e por fim disse: — Tudo bem, eu desisto. Eu te dou meu cartão.

Luke riu: — Okay, Daniel. Tenho certeza que um bom motorista como você deve ser famoso em Paris.

Sistema: Você derrotou Daniel e recebeu uma lista de suas habilidades.

Habilidades de Daniel: Direção Elementar…

A expressão do homem mudou: — Você me conhece?

Luke riu e retirou o ioiô. Deu um tapinha no ombro de Daniel e falou: — Esta é minha gorjeta.

Daniel sorriu quando ouviu o som prazeroso do dinheiro e aceitou os cem dólares.

Era muito pouco como tarifa de táxi, mas bem generoso como gorjeta.

Um momento depois, Elsa saiu com um cartão e se despediu de Luke.

Olhando para Elsa, que já estava vagando pelas ruas de Paris, Luke comentou: — Daniel, me dê seu cartão também.

Após uma breve hesitação, Daniel deu outro cartão: — Cobro mais se chamar pelo meu táxi.

Luke perguntou: — Quanto você cobra?

Daniel revirou os olhos e respondeu: — Quinhentos euros por vez, sem contar a tarifa do táxi.

Luke assentiu: — Okay, parece justo.

Daniel ficou sem palavras: — Hã? — Ele propôs intencionalmente um preço ultrajante, porém, o passageiro achou ser justo? Ele havia encontrado um idiota?

Contudo, lembrando de como Luke amarrou suas mãos agora há pouco, imediatamente deixou essa suposição de lado.

Dez minutos depois, Luke estava vagando pelas ruas de Paris de uma maneira relaxada, observando a cidade como se fosse um milharal.

Paris era famosa por sua beleza, mas poucas pessoas sabiam que também era uma cidade com alta taxa de crime. Este era um problema inevitável em qualquer metrópole.

Pequenos furtos e roubos aconteciam por toda parte, e não podiam escapar do Nariz Aguçado de Luke.

Se um homem estivesse carregando algumas carteiras que tinham cheiros diferentes, era altamente improvável que seus amigos tivessem entregue-as para comprar o jantar para eles, certo?

Caminhando casualmente, Luke chutou um pedregulho aleatório em um ladrão que havia acabado de pescar uma carteira. O ladrão gritou de dor e a carteira deslizou de volta para o bolso da garota completamente alheia de que havia acabado de ser furtada.

Missão: Pare o ladrão

EXP +3

Crédito +3


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar