Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 25

Gratidão, a Família que Não Pode Ser Perdida

Não muito longe, Robert já estava correndo de sua casa enquanto gritava: — Luke, como você está?

Luke gritou de volta: — Estou bem. Os criminosos estão mortos.

Quando disse isso, ele se levantou e deu um joinha para a Vovó Lucy: — Lucy, você deveria se juntar nas Olimpíadas. Com suas habilidades, você pode ganhar uma medalha de ouro.

Um largo sorriso floresceu no rosto enrugado da Vovó Lucy quando disse: — Haha, é claro. Eu caçava urso com meu avô desde quando tinha cinco anos. De fato, herdei essa arma dele.

Luke pensou. Merda, não admira que essa arma seja tão poderosa. Então, era usada para caçar ursos algumas décadas atrás?

Naquela época, armas de pequeno calibre não eram tão populares, e todos os tipos de armas eram usadas para caçar.

Havia até uma arma de caçar leão com um calibre excessivamente largo que podia até deslocar o braço de alguém quando disparada.

Em comparação, a arma de caçar urso da Vovó Lucy era completamente normal… não, não realmente. Sua arma ainda era muito assustadora não importa como se olhe.

Foi naquele momento que Luke jurou alocar ainda mais pontos de atributo em sua destreza.

Quando enfrentasse uma arma assustadora como essa, um corpo ágil que podia se esconder rápido era muito mais útil que um corpo forte.

Quando Robert chegou, Luke lhe deu uma explicação simples. Robert começou a chamar mais pessoas para lidar com isso.

Embora Luke fosse um policial que se envolveu diretamente no incidente, Robert queria deixá-lo descansar ao invés de continuar a trabalhar no caso depois daquela situação de ameaça de vida.

Depois que Robert disse a Luke voltar para casa, Luke foi para o lado da rua e deu um grande abraço na Vovó Lucy: — Lucy, obrigado. Muito obrigado, a Claire está sã e salva.

Lucy sorriu e acariciou as costas de Luke.

Como Lucy tinha uma estatura baixa de cerca de 160 centímetros, ela só podia acariciar as costas de Luke.

— Conheço a Claire desde que ela era um bebê, matarei qualquer um que ousar colocar uma mão nela — Vovó Lucy declarou.

Luke assentiu e sorriu: — Isso mesmo. Mas ainda assim, obrigado. No futuro, sinta-se livre para me procurar se precisar de algo.

A Vovó Lucy sorriu: — Não se preocupe. Hm, apenas se lembre de ajudar a trazer o Mickey para casa sempre que ele escalar um lugar alto de novo.

Luke sorriu e deu outro abraço: — Tudo bem. Sem problemas. Mickey, você ouviu ela.

O gato sentado atrás da vovó apenas deu uma olhada em Luke e não se incomodou em fazer um som.

Lucy então disse: — Vá para casa. Você acabou de sair do trabalho, e isso aconteceu logo depois. Volte e tenha um bom descanso.

Luke assentiu: — Descanse também, Lucy.

Quando Luke foi embora, Robert também tinha acabado de terminar seu trabalho na cena. Ele se aproximou e deu uns tapinhas no ombro de Luke antes de dizer: — Vamos para casa.

Luke perguntou: — Você não vai dizer nada a Lucy?

Robert respondeu: — Visitarei ela com a Catherine amanhã. Também vamos com presentes. Não se preocupe.

Luke assentiu. Mesmo que Robert esquecesse, Catherine não.

Mas internamente, Robert resmungou consigo. Quando eu era um garotinho, fui acampar com a Lucy. Bem diante dos meus olhos, ela disparou quatro vezes em dez segundos e matou quatro javalis selvagens avançando nela. Depois de ver isso, como eu ousaria esquecer de agradecer ela pela ajuda?

Ela simplesmente era uma super assassina oculta pela sua identidade como uma dona de casa.

Quanto a Claire, Catherine já tinha a levado para casa. Elas estavam atualmente sentadas no sofá e Claire não parecia nenhum pouco amedrontada. Ao invés disso, ela estava conversando animada sobre sua experiência enquanto Catherine ouvia atentamente.

Mesmo quando Robert e Luke retornaram, as duas não os notaram. Luke sorriu para a vista.

Claire, a garota travessa, estava ocupada dizendo a história da façanha heroica anterior de Luke.

Mas, o que estava acontecendo com sua descrição dele voando mais de 20 metros como o Superman antes de colidir direto com o cara mau? Se ele realmente pudesse voar, precisaria correr tanto ao ponto de pingar suor?

Luke resmungou internamente, mas continuou com o sorriso em seu rosto, o que acalmou Claire.

Luke não queria perder nenhum membro dessa família.

Era assim que ele se sentia, mesmo que não fosse filho biológico de Catherine e Robert.

Quando fez cinco anos, aprendeu que seus pais biológicos faleceram um ano antes. O Serviço de Proteção a Criança o enviou para Catherine.

Catherine era irmã de seu pai biológico, tia paterna de Luke.

Claire também não era filha biológica de Robert. Ela era a filha da Catherine e seu ex-marido.

Claire só tinha três anos quando Luke começou a morar com eles. Assim, os dois cresceram juntos e seu relacionamento não era diferente de irmãos normais.

Das três crianças nesta casa, apenas Joseph de cinco anos era filho biológico de Robert e Catherine.

De fato, Robert tinha aguardado deliberadamente por Claire e Luke chegar numa certa idade antes de decidirem ter um bebê.

Era óbvio que Robert era um bom homem.

Ele não era pai biológico de Luke e Claire, mas assumiu muito bem o papel de um.

Robert pisou na frente e interrompeu a história de Claire, lhe dizendo para ir tomar banho e dormir. Ela ainda tinha que ir na escola no dia seguinte.

O rosto de Claire caiu no desespero: — Huh? Preciso ir à escola mesmo depois disso?

Catherine bateu na cabeça dela com um sorriso: — Olhe para como você está se comportando. Você parece completamente bem. Tudo bem, vá tomar banho e dormir.

Na verdade, a própria Claire era o motivo que não podia faltar na escola. Depois desse incidente, ela ainda estava tão animada quanto antes. Assim, ela teria que comparecer na escola como sempre.

Catherine era uma professora de biologia e Claire não podia enganá-la mesmo se quisesse.

Depois que Claire subiu as escadas, Catherine se aproximou e abraçou Luke com força sem dizer nada.

A força do abraço chocou Luke e rapidamente disse: — Não se preocupe. Está tudo bem agora, Catherine. Ficaremos todos bem.

Somente depois de dez segundo que Catherine o liberou. Ela disse solenemente: — Me prometa, nunca mais corra tal risco de novo no futuro.

Luke respondeu: — Ok, prometo.

Catherine olhou para ele um pouco antes de balançar a cabeça e suspirar: — Esqueça. Você não vai ouvir. Apenas se lembre de ficar seguro.

Luke assentiu: — Entendo, Catherine.

Os dois entenderam que se Luke tivesse decidido não fazer nada naquela situação, Catherine teria ficado desapontada com ele.

Afinal, Claire era sua filha, a pessoa que cresceu com Luke.

Se Luke escolhesse não fazer nada mesmo quando Claire estava em perigo, somente provaria que Catherine criara Luke por nada.

A reação de Robert foi menos extrema. Ele apenas deu uns tapinhas no ombro de Luke e disse: — Vá para cama mais cedo. Saberemos qual é a situação amanhã no trabalho.

Luke assentiu e subiu as escadas para tomar banho.

É claro, havia apenas um banheiro escada acima. Claire ainda estava dentro.

Assim, Luke ficou de fora esperando com suas roupas. Seus dois olhos ficaram vazios enquanto sua consciência afundava no sistema.

Missão: Resgate a vítima sequestrada, Claire.

Conclusão da missão vale um total de 250 de experiência e crédito.

Como a contribuição do Anfitrião à missão foi de 50%, 125 pontos de experiência e crédito foram recompensados.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar