Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 313

Um Convite do Bom Luke

Luke balançou a cabeça com um sorriso. Então, sinalizou para Samantha, e falaram no privado a alguns passos de distância: — Samantha, você ligou para a Elizabeth?

Atordoada por um instante, Samantha bateu na testa: — Esqueci.

Luke a confortou: — Está tudo bem. Ligarei para ela e falarei o que aconteceu, mas ela ficará mais aliviada ao ouvir você. Então, descanse um pouco e ligue para ela depois, okay?

Samantha assentiu: — Obrigada, Luke.

Ela se sentiu grata, afortunada, assustada e feliz ao mesmo tempo. Se sua filha não tivesse a persuadido para deixar Luke e Selina ajudarem no caso, teria sido difícil dizer se sua família podia sobreviver ao desastre da última noite.

Olhando para os seiscentos moradores, Samantha soube que quase metade da população se foi.

Porém, era uma coisa boa que nada aconteceu com seus filhos, ou ela teria quebrado.

Luke assentiu com um sorriso: — De nada, mas você realmente deveria agradecer a Elizabeth, que pediu por nossa ajuda, mesmo que pudesse ter sido repreendida. Você tem uma boa filha! — E então foi embora.

Era três da manhã, não era a melhor hora para fazer ligações. Ele faria Selina ligar para Los Angeles de manhã.

Já era hábito deixar os longos relatórios com Selina.

Após falar com Samantha, vagou pelo shopping mais uma vez e pegou todos os seus equipamentos.

Não havia como deixar os agentes falsos do FBI pegaram seus fios de aço ou câmeras.

Aqueles agentes agora estavam ocupados vasculhando as minas e resgatando residentes para examinar o shopping; este era o melhor momento para cobrir seus rastros.

Após isso, Luke caminhou até a frente do shopping e assentiu aos dois agentes que estavam protegendo a entrada: — Não se incomode comigo, só estou olhando em volta.

Os agentes simplesmente assentiram e permaneceram alerta contra atividades externas.

A porta foi levantada e muitas coisas podiam ser vistas pelas portas de vidro do shopping.

Um helicóptero pairou no céu e ocasionalmente miravam nas aranhas gigantes que surgiam ocasionalmente.

As equipes de agentes estavam procurando pelo resto da cidade para ver se conseguiam encontrar mais sobreviventes que ainda podiam estar escondidos. Luke balançou a cabeça levemente e parou de olhar em volta. Esta cidade estava prestes a fechar em primeiro lugar. Após este incidente, a maioria dos moradores provavelmente se mudaria.

Entretanto, ainda pode haver uma maneira das coisas mudarem. Enquanto ponderava isto, Luke retornou a despensa. Selina ainda dormindo na tenda.

Luke sentou no cobertor e examinou a colheita da noite.

Para cada residente que salvou, recebeu 20 pontos de experiência e crédito. Após uma noite de trabalho duro, obteve 4200 pontos de experiência e crédito.

Ele também foi recompensado com mais de 300 pontos de experiência e crédito pelas tarefas diversas que realizou.

Então, obteve mais 4500 pontos de experiência e crédito numa noite. O trabalho duro valeu a pena.

Boas recompensas para uma boa pessoa! Luke sorriu de deleite. Ao amanhecer, os moradores foram escoltados em ônibus e transferidos para um abrigo temporário na cidade vizinha de Wintersburg. Eles não podiam retornar até a Cidade de Prosperity ser completamente limpa.

 No abrigo de Wintersburg, os investigadores que já estavam aguardando questionaram os sobreviventes um por um sobre o que aconteceu noite passada.

Luke e Selina foram os primeiros a seres questionados e também levaram mais tempo.

Luke basicamente disse a verdade. Afinal, este assunto estava foi arquivado na LAPD, assim como o local de nascimento de Elizabeth.

Os dois agentes encarregados do interrogatório também foram educados.

Eles viram pessoalmente Luke arriscar a vida para resgatar os outros quando os agentes ainda estavam eliminando as aranhas na cidade.

Após horas de trabalho árduo, Luke resgatou dezenas de moradores.

Todos gostavam de um herói.

Entretanto, é claro, se o herói morresse no momento que aparecesse, só teriam acabado como um nome no relatório de casualidade e teriam sido facilmente esquecidos. O questionamento finalmente terminou ao meio-dia. Luke perguntou aos agentes se podia sair.

Os agentes fizeram uma ligação e retornaram logo: — Detetive Luke, você e a Detetive Selina estão livres para ir, mas receio que tenhamos que incomodar você de novo durante nossa investigação no futuro.

Luke agradeceu com um sorriso: — Está tudo bem. Estamos em Los Angeles mesmo, e você pode procurar por nós a qualquer momento.

Eles esbarraram em Samantha na saída.

Após pensar um pouco, Luke a cumprimentou: — Samantha, seu interrogatório terminou?

Samantha respondeu com uma expressão cansada: — Sim, terminou.

Luke falou: — Isso é bom. Estamos voltando para Los Angeles hoje.

Samantha ficou surpresa: — Tão cedo assim?

Luke assentiu: — Como vocês estão bem e seguros, podemos relatar a Elizabeth agora que completamos nossa missão.

Samantha ficou um pouco envergonhada: — Muito obrigada por tudo.

Luke riu: — Você já falou isso. Agora, por que não vem a Los Angeles conosco?

Samantha balançou a cabeça: — Mas há muitas coisas que precisam ser feitas aqui.

Luke balançou a mão: — Samantha, o incidente aqui não é simples. A Cidade de Prosperity será provavelmente fechada por um tempo para investigação. Você pode muito bem-fazer uma viagem a Los Angeles por alguns dias ao invés de ficar sem fazer nada aqui. Após o que aconteceu noite passada, não acha que a Elizabeth ficará aliviada ao ver você pessoalmente? Ela quase pediu para sair para voar até aqui quando liguei esta manhã.

Samantha hesitou: — Mas… — Ela então olhou para Chris.

Luke notou isso e sorriu: — Que tal isto? Acho que o Chris é um cara legal. Traga-o a Los Angeles com você. Por acaso, tem algo que quero discutir com ele.

Samantha achou isso estranho: — Sobre o que é?

Luke respondeu simplesmente: — É sobre as minas.

Samantha não perguntou mais, e foi falar com Chris.

Quando os dois retornaram, Luke falou para Chris no privado: — Chris, suas minas ainda podem operar?

Chris balançou a cabeça com um sorriso amargo: — O FBI me falou que eles precisam limpar o ninho das aranhas nas minas antes de eu poder enviar trabalhadores. Isso levará pelo menos dois meses.

Luke assentiu: — Nesse caso, por que não vem a Los Angeles com a Samantha? Quero falar com você sobre as minas.

Chris pensou que Luke só estava sendo educado, e rapidamente balançou a cabeça: — Obrigado, mas ficarei bem aqui.

Luke deu um tapinha no ombro dele: — Chris, mesmo que o FBI limpe as minas para poderem operar, elas ainda farão dinheiro? Até onde sei, o negócio nas minas não está indo muito bem.

Chris sorriu amargamente.

— Não muito bem. — Isso era eufemismo. A verdade era que a empresa estava prestes a falir.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar