Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 360

Caroneira Annie

Annie exibiu um sorriso brilhante, seus olhos curvaram em luas crescentes: — Isso seria fantástico.

Enquanto conversavam, o carro chegou no acampamento. Luke ficou surpreso ao descobrir que o local tinha as instalações necessárias.

Havia um pequeno supermercado, um restaurante, um hotel e um posto de gasolina.

O oficial aguardando por Luke no hotel entregou a chave e deixou a gerente saber da transferência de quarto. Ele então entrou no carro e estava prestes a ir embora, louco para chegar em casa. Pode ser divertido viver na selva por um ou dois dias, mas se ficasse por muito tempo, seria entediante demais.

Divertido, Luke parou o oficial e perguntou sobre o acampamento que Annie estava indo.

— É meio remoto e nenhum carro vai lá. — O oficial apontou numa direção e continuou; — Há uma via lateral a várias centenas de metros por ali. Pegue aquela pequena estrada e após dirigir por cerca de quarenta minutos, chegará lá. Contudo, as condições da estrada são horríveis, então dirija devagar.

Luke agradeceu com um sorriso e falou para Annie: — Parece que terei que te levar lá.

Annie assentiu rapidamente.

Se Luke não levasse, ela teria que pedir alguém do acampamento para pegá-la, ou caminhar mais de 30 quilômetros numa estrada rural com uma mochila que pesava muito.

Luke e Annie voltaram ao carro e seguiram a direção apontada pelo oficial.

As condições da estrada eram horríveis de verdade. Havia muitos montes e depressões de madeira ao redor deles, e se Luke não fosse cuidadoso, o carro não conseguiria subir.

Graças a Direção Elementar, não foi muito perigoso para Luke, mas ainda levou vinte minutos para chegar no acampamento.

Na entrada do acampamento, um homem sem camisa estava cortando uma árvore. Notando o carro, parou e olhou para os estranhos.

Ele sorriu quando viu Annie: — Annie Phillips? 

Annie perguntou: — Stephen Christy?

O homem barbudo de meia-idade sorriu: — Sim. Você pode me chamar de tio ou Stephen.

Annie falou: — Okay, Stephen. Ah, este é o Luke. Não sei quanto tempo levaria chegar aqui se não fosse por ele.

Stephen limpou a poeira da mão e apertou a mão de Luke: — Valeu, Luke. Estava tão ocupado que esqueci. Você quer algo para beber?

Desde que passava um pouco das quatro, Luke não ficou com pressa de voltar.

— Obrigado, Stephen. A vista aqui é boa — ele falou educadamente ao entrar no acampamento.

Este lugar era perto de um lago e próximo a um declive suave. Havia grama, árvores e uma costa arenosa.

Quando o clima estivesse bom e o lago limpo, seria o lugar efeito para um feriado.

Era só que a estrada aqui estava numa condição ruim e poderia levar um tempo para ser consertada.

Uma fileira de cabanas de madeira simples, foi montada não muito longe do lago e se tornaria a hospedagem para os visitantes.

Stephen logo retornou com a camisa e perguntou com um sorriso: — Annie falou que ela fará as bebidas. O que gostaria?

Luke respondeu: — Café está bom.

Stephen gritou para uma cabine no final, onde ficava a cozinha.

Annie respondeu de dentro.

Luke passou meia-hora no acampamento. Não falou com Stephen por muito tempo, já que ele estava claramente ocupado como o gerente do acampamento. Quando Annie entregou o café, Stephen simplesmente sorriu e falou para eles conversarem, antes de voltar aos negócios.

Luke saiu do acampamento com um número adicional salvo no celular.

Bem… não era um pedaço de papel.

Quando saiu do acampamento, notou seu nome no caminho.

ACAMPAMENTO CRYSTAL ***

Tudo bem. Stephen não trocou a placa velha e apagada.

Annie falou antes que levaria outros dez dias antes do acampamento ser aberto oficialmente. Obviamente, muitas coisas não estavam terminadas.

Na realidade, as 20 crianças não chegariam até as férias de verão no final de maio. Stephen havia organizado este “grande” negócio sozinho.

Era final de março agora, e ainda havia dois meses restantes.

Luke balançou a cabeça com um sorriso.

Levaria um tempo até o acampamento começar a fazer dinheiro; quem sabia por quanto tempo a animada Annie poderia aguentar aqui.

Porém, isso não era preocupação sua.

Ele acelerou na volta, e chegou ao acampamento no momento que os alunos do ensino médio saíram para uma pausa.

As crianças estavam todas no nono ano. A maioria tinha quinze ou dezesseis anos.

A “noção ultrajante” de Selina era realmente demais.

Praticamente todos aqui eram menores; mesmo que Luke fosse apenas dois anos mais velho, era uma distância discernível.

Felizmente, ninguém viu Luke como um colega de classe.

No entanto, muitas jovens se juntaram para olhar para ele e sussurrar entre si.

Luke parecia jovem, mas claramente era mais maduro que um estudante do ensino médio normal; não era incomum que chamasse a atenção das garotas que preferiam esse tipo de coisa.

Após questionar duas garotas que estavam o espiando, Luke finalmente encontrou a pessoa encarregada das atividades de acampamento Nº 37.

Ela era uma mulher de meia-idade chamada Juliet Norton, e estava… em forma.

Tinha 1,75 metros de altura e tinha cabelos castanhos escuros e um rosto quadrado e comum.

Ela usava uma camiseta apertada, que delineava seus músculos. Luke sabia que ela deveria malhar muito.

Eles trocaram cumprimentos, e Luke mostrou seu distintivo e explicou que estaria substituindo seu colega pelo resto do treinamento de segurança, o que deixou Juliet ficou um pouco surpresa. Após avaliá-lo, no entanto, e até sentindo seu braço, falou com um sorriso: — Este físico… Você passou por treinamento especial, não é?

Luke sorriu, mas não disse nada; não queria dar um golpe nesta dama.

Juliet lembrou de como sua identidade dizia que ele era um detetive de nível dois na Divisão de Crimes Graves, e seu leve ressentimento desapareceu.

Geralmente falando, aqueles que malhavam e se mantinham em forma igual Luke não podia tocar em drogas ou algo do tipo, caso contrário, não conseguiriam manter uma gordura corporal apropriada.

Como um detetive de nível dois da Divisão de Crimes Graves, estaria sob muita supervisão interna.

Isso era o bastante para provar a integridade e profissionalismo de Luke.

Não era grande coisa que Luke fosse jovem. Na verdade, era mais fácil garotão quase na mesma idade para restringir os outros adolescentes.

Ele conseguia intimidar qualquer garoto aqui só com força bruta.

Para jovens, força e punhos eram a forma mais simples e direta de autoridade.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar