Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 60

Disparos Matadores e Combate Corpo a Corpo

Luke estava se movendo para uma nova posição, quando ouviu alguém gemer de dor antes de desabar no chão.

Reflexivamente, ele disparou duas vezes na cabeça daquela pessoa.

O armazém então afundou no silêncio.

Desta vez, ninguém ousou disparar em Luke.

Passou apenas um minuto e cinco deles já estavam mortos. Este era um pesadelo para eles.

Eles não conseguiram entender quem ofenderam. Por que havia tantos inimigos de repente?

Cheney, que estava se escondendo no canto, sussurrou algo.

Luke não se incomodou em tentar descobrir o que ele estava dizendo. Ainda havia um número desconhecido de inimigos no armazém.

Ele continuou se movendo naquela postura agachada estranha com a AK levantada o tempo todo.

De repente, alguém apareceu diante dele. Luke quase abriu fogo, quando notou quem era a pessoa e afastou rapidamente.

Bang! Bang!

Dois disparos soaram e as balas atingiram o objeto que Luke estava se escondendo atrás.

Luke amaldiçoou internamente.

Aquele disparando nele não era um dos membros da gangue. Em vez disso, era o colega de Cheney. Os ternos inteiramente pretos que usavam eram muito fáceis de reconhecer.

Mas por que essa pessoa abriu fogo em Luke antes de certificar quem era?

Então de novo, os colegas de Cheney também não podiam ser culpados. Luke havia abatido seus inimigos desde o momento em que chegaram. Eles também estavam nervosos em vê-lo.

Felizmente, Cheney notou isto, e rapidamente disse algo enquanto fazia um gesto para Luke.

Luke lhe deu o dedo do meio em resposta.

Cheney apagou levemente, mas entendeu o que Luke queria dizer e sorriu impotente.

Luke estava extravasando seu ressentimento por quase levar um tiro pelo colega de Cheney mais cedo.

Cheney não ousou mais desprezar Luke e Selina.

Em curtos dois minutos, com Luke como vanguarda e Selina como apoio, nenhuma de suas balas foram desperdiçadas porque mataram cinco pessoas de uma vez; sua eficiência em uma situação de combate era aterrorizante.

Até mesmo Cheney se perguntou que tipo de policiais eles eram — os policiais do Departamento de Polícia de Westside Houston eram todos viciosos?

Luke deu uma olhada e viu que o colega de Cheney não estava mais mirando nele.

Aquela pessoa também parecia estar em uma má forma. Sua perna foi atingida e ele só podia ficar oculto atrás da cobertura. Não admira que tivesse agido tão ferozmente mais cedo.

Luke acenou antes de fazer um gesto para aquela pessoa.

Quando a pessoa viu seu gesto, entendeu e assentiu. Ele então levantou a arma e disparou algumas vezes numa certa direção.

Então, Luke começou a avaliar o armazém e descobriu que houve reações de duas posições diferentes.

Com sua visão dinâmica, conseguiu perceber imediatamente qualquer mudança. Sem nenhuma hesitação, mirou a arma e disparou três vezes.

— AHH! — Com um grito miserável, outro inimigo foi atingido. Lentamente, o gemido sumiu.

O colega ferido de Cheney ficou chocado: — Merda, este policial só dispara para matar.

Luke não hesitou nenhum pouco e imediatamente começou a se mover novamente. Ele deu a volta em duas prateleiras e estava prestes a ir ao outro lado onde havia algum movimento.

Bem naquele momento, uma figura vermelha saltou sobre as duas prateleiras e atacou Luke como um gato ágil.

Com os sentidos afiados, ele sabia que não seria capaz de levantar a AK a tempo.

Assim, largou a AK antes de inclinar para trás no mesmo instante e chutar com a perna.

A figura vermelha não esperava uma reação tão rápida. O chute aterrissou diretamente em seu abdômen e colidiu em uma prateleira.

Luke finalmente deu uma olhada clara na figura vermelha quando imediatamente gritou: — HDP! Parado! — Enquanto sacava sua arma e mirava nela.

A figura vermelha só apagou por um momento e a arma de Luke já estava mirada em sua cabeça.

— Carol Mira? — Luke perguntou baixinho.

A figura segurou seu abdômen e ofegou por ar enquanto perguntava: — V-Você é da polícia?

Quando Luke viu a notificação do sistema, ficou super feliz. Sua expressão não mudou e disse: — Sim. Departamento de Polícia de Westside Houston, Detetive Luke Couson.

A mulher de vermelho pareceu hesitar quando perguntou: — Você também está aqui para me capturar?

Luke hesitou levemente antes de balançar a cabeça: — Não, estou aqui em um caso de contrabando de armas.

Carol relaxou visivelmente quando disse: — Você… Você pode me deixar ir, então?

Luke rapidamente lembrou do que tinha visto no arquivo e chegou numa conclusão. Ele permaneceu em silêncio.

Usando sua mão livre, apontou numa direção.

Carol olhou e viu Selina lá.

Luke acenou a mão e disse a mulher para se apressar. Alegria surgiu no rosto de Carol quando assentiu e sussurrou: — Obrigada.

Então, se forçou de pé e rastejou até Selina.

O chute de Luke a fez sentir como se sua barriga inteira tivesse sido perfurada. Felizmente, ela tinha uma habilidade única que a permitia se recuperar rapidamente.

Enquanto se movia, a arma de Luke permaneceu apontada para ela. Desde que ela não podia fazer nada, parou de se preocupar com ele.

Luke fez um gesto para Selina e se moveu em silêncio para o lado para abrir um caminho para Carol.

Selina estava cuidando das costas de Luke o tempo todo e estava protegendo a passagem da qual vieram.

Carol olhou para ela e assentiu em agradecimento antes de fugir.

Quando Luke viu Carol sair do armazém, suspirou internamente antes de focar no que estava acontecendo dentro do armazém de novo.

Ele se moveu até Cheney e perguntou: — Onde estão seus colegas? O ambiente aqui é muito complicado. Uma mulher de vermelho me emboscou mais cedo e depois que a chutei, ela se escondeu de novo. Você pode dizer seus colegas para saírem? Caso contrário, receio que possa acabar matando eles por acidente.

Cheney rompeu em suor frio quando ouviu isso.

Ele testemunhou pessoalmente as habilidades de Luke com uma arma. Ele ficou muito aterrorizado.

Quase toda vez que disparava, um inimigo morreria. Se seus colegas levassem um tiro por engando, eles muito provavelmente também morreriam.

Embora estivessem em uma missão, este local era realmente muito desfavorável para eles.

Depois de uma leve hesitação, Cheney falou com seus colegas no rádio. Em seguida, Luke começou a ouvir pessoas se movendo na direção deles.

Ele deu um suspiro pesado de alívio quando ouviu isso.

As duas pessoas se movendo na direção deles provavelmente eram os colegas de Cheney. Outra pessoa não se moveu e muito provavelmente era a pobre alma que levou um tiro na perna.

Luke sussurrou para Cheney: — Vou ir pegar seu colega ferido. Lembre-se, diga-o para não atirar.

Cheney assentiu estranhamente e falou no rádio de novo.

Quanto a Luke, rapidamente encontrou a pessoa ferida e se certificou que a pessoa o visse com clareza antes de chegar mais perto.

Quando chegou, disse: — Por favor, não mire sua arma mais em mim. Fique em silêncio.

Então, segurou sua arma em uma mão e arrastou a pessoa pelo colarinho com a outra. Ele não se importou se a pessoa estava machucada ou não enquanto arrastava na direção de Cheney.

Talvez Luke tivesse amedrontado os inimigos, pois não havia mais sinal deles. Mesmo quando Luke alcançou Cheney, nenhum disparo foi feito.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar