Supreme Magus – Capítulo 1168

Força do Caos (4)

Um poderoso tapa quase torceu e arrancou fora seu pescoço.

“Você está louco? Você quase quebrou o tanque!” A voz de Xenagrosh fez as memórias desaparecerem, devolvendo-o à realidade.

Nandi se viu sentado no chão de uma sala que parecia ter sido uma zona de guerra. Tudo o que não estava protegido pelas poderosas matrizes que cercavam a versão de Vastor da Loucura de Arthan havia sido destruído.

Pedaços quebrados de equipamentos estavam espalhados pela sala junto com as lascas de madeira que uma vez foram móveis e as paredes tinham mais buracos do que queijo suíço.

“Eu sinto muito. Eu-“

“Acabei de ter um vislumbre do fardo que seu nome carrega. Agora volte aqui e abasteça a máquina. Nossa pequena briga quase esgotou as reservas de energia.” Xenagrosh o interrompeu.

Nandi se concentrou nos cristais de mana vivos decorando sua pele para conjurar a energia mundial necessária. Ele a usou para restaurar as matrizes, fortalecer o tanque de genes e alimentar as habilidades de auto-reparo da base.

“Posso te perguntar uma coisa?” Durante os últimos dias, Nandi havia aprendido da maneira mais difícil o motivo pelo qual Baba Yaga nunca o deixava sozinho com as crianças e por que o havia enviado ao Mestre.

Havia partes tão dolorosas de seu passado que ele só podia falar sobre elas com aqueles que haviam passado por experiências semelhantes.

“Contanto que você não vá me chamar para sair, claro.” Ela respondeu enquanto abastecia o tanque com um fluxo constante de vitalidade de seu núcleo de troll.

“Por que vocês seguem cegamente o Mestre? Ele é apenas um simples homem, enquanto mesmo antes de se tornar um híbrido, cada um de nós tinha poder suficiente para massacrar um exército.”

“É complicado.” disse Xenagrosh.

“Sou todo ouvidos.”

“Eu o conheci há cerca de uma década, logo depois que um de seus alunos mais queridos, alguém chamado Nalear, quase morreu por causa do que a academia considerava apenas uma brincadeira.” Veneno encheu sua voz, fazendo Xenagrosh querer cuspir de desgosto.

“O Mestre tem pesquisado a Loucura de Arthan por décadas por conta própria, mas até aquele momento, ele sempre seguia a lei do Reino. Ele pretendia usar o conhecimento adquirido com o Rei Louco para encontrar uma maneira de curar todas as doenças sem os riscos que a Escultura Corporal envolve.”

“Depois desse incidente, no entanto, o Mestre adotou uma abordagem mais radical e considerou a própria humanidade como a doença que precisava ser tratada. Ele precisava de pessoas para seus experimentos com Magia Proibida e eu precisava de comida.”

“Nossos interesses se alinharam e começamos a trabalhar juntos. O pacto era simples. Ele usaria seus recursos para me fornecer uma casa segura e algo semelhante a vida enquanto eu usaria minhas habilidades para fornecer a ele todos as cobaias e conhecimentos que sua pesquisa precisaria.” Ela disse.

“Isso não soa muito como uma Organização, tá mais para uma parceria.” disse Nandi.

“Nenhum de nós estava interessado no outro, exceto em como poderíamos explorar nossos respectivos talentos.” Xenagrosh balançou a cabeça. “Não havia confiança nem vínculo entre nós, só negócios.”

“Com o tempo, no entanto, o Mestre ficou intrigado com a minha capacidade de lançar feitiços silenciosos de todos os níveis, de nunca envelhecer nem sofrer qualquer doença, assim como fiquei absorta pelas suculentas quantidades de energia que seus experimentos geravam.”

“Cada uma de suas tentativas fracassadas liberava tanta força vital e energia mundial que dava para manter minha fome sob controle por quase um dia. Logo começamos a comparar notas e, uma vez que entendi seu potencial, me ofereci como cobaia.”

“O Mestre conseguiu criar matrizes que me ajudaram a controlar a energia do Caos que percorria meu corpo e alterou a máquina na tentativa de saciar minha fome para sempre. Ele falhou, mas com cada um de seus experimentos, eu podia sentir minha força crescer.”

“Foi a coisa mais incrível que poderia ter acontecido. Como você sabe, depois de chegar ao estado Desgarrado, Mogar vira as costas para nós e uma vez que dominamos nosso novo estado, não há espaço para melhorias.”

“Nós não nos tornamos diferentes de magos falsos, capazes de aprender novos feitiços, mas limitados em sua execução pelo poder do núcleo de mana. Foi então que eu me ofereci a ele para encontrar mais de nossa espécie.”

“Nós, Desgarrados, acumulamos inúmeros recursos ao longo dos tempos, mas não temos como gastá-los por causa que a energia do Caos que percorre nossos corpos corrompe lentamente tudo o que tocamos.”

“Não podemos comer, beber ou mesmo ter intimidade sem matar nosso parceiro.” Suas palavras desencadearam mais memórias em Nandi que apenas um tapa na hora certa impediu de ter outro episódio de Loucure de Sangue.

“A cada Abominação que se juntava à nossa causa, a Organização tomava forma.”

“No começo, todos nós considerávamos que o Mestre não seria nada além de nosso servo, mas ele era o único capaz de criar matrizes que nunca tínhamos pensado, também era o único que criava maravilhas da Forja que nos davam um novo poder enquanto o melhor que podíamos fazer era ser seus cães de caça.”

“Com o tempo, ele ganhou nosso respeito e sua gentileza lhe rendeu nossa lealdade. Graças aos seus dispositivos, pudemos participar de eventos sociais de tempos em tempos, nos dando esperança e propósito. O Mestre nos ensinou a falar e andar, até ajudando alguns de nós a lembrar quem eram.”

“Ensinamos a ele tudo o que podíamos porque sabíamos que se algo acontecesse com ele, a Organização iria desmoronar e voltaríamos a ser nada além de pedaços de energia do Caos.”

“Naquele momento, nenhum de nós se contentava só com a sobrevivência, queríamos viver novamente. Toda forma de desrespeito a ele era recebida com extremo preconceito e o mais poderoso de nossa espécie o protegeria 24 horas por dia, 7 dias por semana, para garantir que nenhum pirralho arrogante poderia arruinar tudo.”

“Isso levou os novos membros a assumirem que o Mestre era nosso líder e nós os deixamos acreditar nisso. Nós éramos seus professores, mas ele era nosso amigo, nosso confidente, nossa única esperança. Com o tempo, a mentira se tornou verdade.”

“No entanto, nunca respeitamos o Mestre apenas por seu poder, mas por sua vontade e determinação imortais.” disse Xenagrosh.

“Se ele é tão gentil, então de onde essas pessoas vêm? Duvido que tenham se voluntariado para o papel.” Nandi apontou para o tanque de genes à esquerda.

Estava cheio de humanos cuja força vital foi transferida para Vastor para aumentar suas chances de sobrevivência e rejuvenescer seu corpo envelhecido.

“Escória da sociedade. Sujeira que não tinha outro papel senão tornar a vida dos outros mais difícil.” A ideia de tal escória se tornar parte de Vastor a deixava doente, mas Xenagrosh respeitava sua vontade.

“Criminosos condenados?” disse Nandi.

“Não. Escolhê-los a dedo levaria muito tempo. Estou falando de viciados, bêbados, bandidos, apostadores, mendigos sem-teto. Todas as pessoas que não têm nada a oferecer à sociedade além de mais miséria.”

“Cada cidade do Reino, cada favela, tem tantos deles que mesmo quando eles desaparecem em dezenas, ninguém relata. Ao tirá-los, o Mestre permite que os três Grandes Países concentrem seu bem-estar em pessoas cuja vida vale a pena  salvar.”

“Foi o que o Mestre ensinou a Gadorf, o Wyvern, sobre como escolher sua presa. Teria permitido que ele passasse despercebido por décadas se ele não começasse a lidar com o comércio de escravos.” Xenagrosh disse enquanto olhava para seu amuleto de comunicação piscando com preocupação.

Ela se preocupava com seu irmão mais novo, mas com a vida de seu pai adotivo em jogo, ela não podia permitir um único momento de distração.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar