Supreme Magus – Capítulo 1176

Passado Doloroso (2)

“Requer requinte e um conhecimento dos jogos de poder da Corte que são necessários anos para aprender. Eu sei que meus pais estão trabalhando no julgamento e confio minha vida a eles.”

“Gritar e atacar em vingança é algo que apenas criancinhas idiotas fariam. Minha mãe já lutou com e enterrou mais pessoas como Deirus do que posso contar.”

“A melhor jogada que posso fazer é esperar uma oportunidade surgir e usar esse tempo para aprimorar minhas habilidades para que, se mamãe precisar de ajuda com o trabalho sujo, eu possa realizar magia como nem mesmo um arquimago pode.”

“Lith, por outro lado, é meu melhor amigo e meu ex-namorado.” disse Phloria.

“E daí? Deirus machucou você intencionalmente, enquanto meu irmão só escondeu a existência de Solus para proteger um grande segredo que poderia custar sua vida. Quero dizer, uma torre de magos? Pessoas morrem por muito menos.” disse Tista.

“Tista, você já amou alguém? Aquele tipo de amor que te faz querer arriscar sua vida pela pessoa, aceitar aquele alguém especial mesmo que seja um monstro, esperar anos para que a pessoa se abra e ainda encontrar apenas silêncio e mentiras em troca?” perguntou Phloria.

“Não. Eu tive alguns namorados no passado, mas eu não acho que realmente amei um deles.” Tista suspirou de inveja. Ela só podia imaginar o quão doloroso era para Phloria, mas ela sonhava em experimentar esses sentimentos pelo menos uma vez em sua vida.

“Eu sei que na academia eu tinha acabado de me tornar adulta, mas isso não fez meu relacionamento com Lith menos importante. Pelo contrário, estabeleceu o padrão para todos os meus outros relacionamentos.”

“Eu terminei com ele não porque meus sentimentos mudaram, mas porque eu estava cansada de esperar que ele se abrisse. Falei com ele sobre isso inúmeras vezes, mas ele sempre evitou o assunto.”

“Eu pensei que se nossos sentimentos fossem reais, a distância poderia nos ajudar a descobrir o que queríamos. Mesmo quando ele ficou dois anos seguidos sem me contatar, eu não me ressenti porque pensei que Lith tinha conseguido seguir em frente com sua vida e eu estava feliz por ele.”

“Ainda assim, pra mim, ele sempre foi meu precioso primeiro namorado, que não se importava que comparado a mim era só um baixinho com um olhar assassino, não se ressentia de mim por ser mais rica ou mais forte do que ele. Lith só se importava com quem eu era, não com meu nome de família.”

“É por isso que quando eu namorei outros homens, eu me recusei a me contentar com alguém que me tratasse como um objeto ou que deixasse seus próprios sentimentos de inadequação envenenarem nosso relacionamento. Apesar de todas as suas falhas, eu coloquei Lith em um pedestal porque pelo menos ele tinha sido honesto comigo.”

“Ou assim eu pensava até saber sobre Solus. Isso destruiu tudo o que eu pensava sobre ele e manchou com dúvidas todas as nossas boas lembranças. De repente ele foi de um primeiro namorado perfeito para um completo estranho.”

“Como eu poderia não me ressentir dele por compartilhar todos os detalhes mais íntimos da minha vida com outra mulher? Como eu não poderia me sentir traída com o pensamento de que talvez as coisas que eu mais amava sobre ele realmente vieram de Solus?”  perguntou Phloria.

“Tenso.” Tista assentiu.

“É mais do que tenso. Quando um de seus inimigos te passa a perna, dói, mas você sempre sabe que no lugar deles teria feito o mesmo. Eu nunca esperaria uma coisa dessas de Lith.”

“Não depois das coisas maravilhosas que ele disse e fez por mim ao longo dos anos, como quando nos encontramos no aniversário da minha mãe depois de tanto tempo ou em Kulah. Lith compartilhou tanto comigo, mesmo depois do nosso término, e ainda assim não me disse o mais importante.”

“Que a vida dele não é dele e que qualquer mulher que lhe der seu coração estará compartilhando ele com Solus. Eu acredito neles quando dizem que ele nunca me traiu com ela fisicamente, mas esse não é o ponto.”

“O ponto é que eles arruinaram algumas das minhas memórias mais preciosas, transformando o que eu pensava saber sobre relacionamentos em uma mentira.” Phloria conseguiu conter as lágrimas, mas apertou os braços da poltrona com tanta força que a pedra rachou.

“Sinto muito, Phloria. Eu não deveria ter perguntado.” Tista amava seu irmãozinho de todo o coração, mas sabia que Phloria estava certa.

Se Lith tivesse sido seu primeiro amor em vez de seu irmão, no lugar de Phloria ela ainda estaria juntando os pedaços de seu coração.

“Não se desculpe. Toda vez que falamos sobre Lith e Solus, minhas irmãs pisam em ovos para não ferir meus sentimentos. Eu realmente precisava desabafar com alguém, especialmente porque só posso falar sobre os segredos de Lith pra meia dúzia de gato pingado.” disse Phloria.

Tista preparou um chá forte de menta para elas e tirou alguns pastéis de seu item dimensional, deixando a amiga se acalmar antes de mudar de assunto para algo menos doloroso.

“Sabe, Tista, você pode não ser uma boa cozinheira, mas seu chá é realmente delicioso. Você deveria me ensinar alguma hora. O meu não é nada além de suco quente de folhas.” Phloria disse depois que o calor da bebida se espalhou por seu corpo e a doçura do creme aliviou seus nervos.

“Mas chá não é basicamente isso?” perguntou Tista.

Phloria preparou outro pote e deu uma xícara a Tista.

“Ai deuses!” Tista cuspiu o líquido de volta no copo depois de um gole. “Retiro o que disse, o chá é muito mais do que isso.”

“Eu falei.” Phloria riu. “Você ainda está determinada a não ensinar a linguagem universal de Tyris?”

“Sim, seria apenas uma perda de tempo. Não é como se eles não pudessem, é que eles se recusam a aprender. Devemos encontrar uma maneira melhor de usar nosso tempo aqui.” disse Tista.

Elas começaram a discutir se era melhor participar de uma oficina e compartilhar parte de seus conhecimentos mágicos com o povo de Reghia ou se tornar parte da força de defesa da cidade.

“Experiência de combate seria bom pra você, mas eu não deixei o exército só para me juntar a outro.” disse Phloria.

“O que você quer dizer com mais experiência de combate? Eu sou uma excelente lutadora e depois de termos treinado juntas(aqui ela fala “sparring” que é um tipo de duelo/disputa por meses, você deve saber bem disso.” disse Tista.

“Falo de experiência prática real, não de treinos. Mesmo antes do Despertar, eu lutei contra monstros, mortos-vivos e até mesmo Despertos.” A imagem de Nalear apareceu na mente de Phloria por uma fração de segundo, mas foi o suficiente para fazê-la estremecer.

“Durante suas missões para a Associação, você sempre teve informações sólidas, enquanto ao trabalhar para o exército você tem que responder a uma crise, mesmo quando tudo o que sabe são rumores infundados.”

“O que você está tentando dizer?” perguntou Tista.

“Que você ainda não se acostumou a enfrentar um inimigo verdadeiramente desconhecido. Até onde eu sei, isso só aconteceu em Othre com os bonecos de carne de Thrud. Como você se saiu contra eles?”

“Mal. Seus poderes não faziam sentido e naquela época eu não tinha treinamento com armas.” Tista suspirou.

“Por quê? Você se considera uma especialista agora? Você faz alguma ideia de quanto tempo seu irmão e eu treinamos antes que ele tivesse uma sólida compreensão do básico?” A voz de Phloria não continha desprezo, mas conseguiu irritar infinitamente Tista.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar