Supreme Magus – Capítulo 1178

Luta Contra o Tempo (2)

O que tornava a sobrevivência à magia do Caos tão difícil, mesmo para o lançador, era o fato de que ela atacava seu alvo e drenava todo o seu elemento luz até que o Caos se transformasse em escuridão, fazendo o feitiço acertar três vezes.

O primeiro dano ocorreria quando o Caos atacasse, o segundo viria assim que a falta do elemento luz causasse um desequilíbrio tóxico no corpo, e o último quando o elemento escuridão produzido pelo Caos se espalharia sem encontrar nenhuma resistência.

Lançar um feitiço do Caos não só custava tanta mana que até mesmo os Desgarrados tomavam cuidado de não usá-los indiscriminadamente, mas também era extremamente perigoso. O menor erro ao controlá-lo induziria à loucura.

Era a razão pela qual nem mesmo os Guardiões o usavam e por que geralmente muito poucas Abominações viviam o suficiente para se tornar Desgarrados. Os efeitos da magia do Caos combinados com sua fome implacável e isolamento os transformariam em criaturas irracionais, fáceis de encontrar e ainda mais fáceis de abater.

Somente aqueles com força mental e disciplina excepcionais poderiam resistir aos efeitos da magia do Caos por tempo suficiente para dominá-la. Salaark acreditava que Balkor não se encaixava no projeto devido à sua psique rachada, assim como Lith.

Tista pensou em todas as lições sobre Escultura Corporal que ela havia visto na academia, em casa sob a orientação de Lith e durante o aprendizado de Faluel.

‘Solus, conecte-se com o gêiser de mana da cidade novamente e use-o para se recuperar o máximo que puder.’ Tista disse através de seu link mental enquanto os três esperavam que as Bestas Imperador voltassem.

‘Pelo meu criador, minha condição deve ser ainda pior do que eu pensava se não consegui me lembrar do gêiser. Obrigada, Tista.’ Solus ficou tão chocada com a transformação recente de Lith que teve dificuldade em pensar com clareza.

Ela chegou perto de perdê-lo muitas vezes, mas nem mesmo a morte se compara ao horror de Lith sendo transformado em uma Abominação. Não apenas pela agonia que ela experimentou fisicamente, mas também pelo que aconteceria se a transformação se tornasse permanente.

Significaria ser forçado a seguir o Mestre e nunca mais poder sentir seu toque até que uma cura fosse encontrada.

Enquanto esperavam, Solus começou a compartilhar usando a conexão mental tudo o que havia acontecido, usando principalmente palavras para evitar envenenamento de mana e recorrendo a imagens apenas quando estritamente necessário.

‘Bons deuses.’ Phloria usou seus melhores feitiços de cura no anel de pedra no momento em que reconheceu a energia negra típica das Abominações.

Durante o surto de monstros causado pelos híbridos do Mestre, o exército coletou muitos dados sobre o Caos dos sortudos soldados que conseguiram sobreviver. Isso os ensinou a curar o Caos ao custo de várias vidas.

A luz não podia curar tais ferimentos, mas os impedia de se espalhar antes que fosse tarde demais. O elemento luz inundou Solus, não tendo nenhum efeito em seu corpo de pedra como Phloria esperava.

No entanto, transformou o Caos ainda persistente em escuridão que Phloria começou a destruir com precisão cirúrgica usando pulsos de trevas focados. Só então todos os efeitos colaterais da forma Abominação de Lith desapareceram de Solus.

Sua mente de repente ficou clara e a dor deixou seu corpo, permitindo que ela absorvesse a energia do gêiser de mana subterrâneo com mais eficiência.

‘Como você sabia que iria funcionar?’ Tanto Tista quanto Solus pensaram ao mesmo tempo.

‘Nem todo mundo consegue se esquivar de todos os feitiços como Lith costuma fazer. Quanto mais o exército luta contra as Abominações, mais aprendemos. Vocês não ouviram falar sobre esse tipo de tratamento porque ele foi descoberto bem recentemente pelo departamento de Balkor.’ Phloria respondeu.

O corpo de pedra de Solus tinha acabado de começar a se regenerar quando uma Dobra Espacial se abriu bem na frente de Xoth, o Nue, o prefeito de Reghia.

“Droga, precisamos de ajuda. Nunca vi esse tipo de ferimento ou força vital. Não importa o que eu faça, o garoto continua perdendo sangue, mana e essência vital!” Olua, a Roc, disse enquanto carregava Lith em seus braços.

Seu corpo estava flácido e baforadas de chamas negras saíam das muitas feridas abertas que se recusavam a cicatrizar. A asa esquerda ainda não havia se regenerado, perdendo tanta energia de sua extremidade rasgada que parecia uma tocha.

Olua agora parecia uma mulher de vinte e poucos anos, com cabelos e olhos loiros, que agora estava encharcada de sangue, entranhas e sujeira da luta. Ela assumiu a forma humana apenas para cuidar melhor de seu companheiro ferido, então ela não usava roupas.

Os poucos humanos que trabalhavam no posto avançado de defesa ficaram tão encantados com sua pele dourada brilhante e beleza que mal notaram o Wyrmling. Todo mundo simplesmente não se importava.

“Alguém chame seus companheiros! Eles devem saber de alguma coisa.” Bodya, o Nidhogg disse.

Ele agora parecia um homem bonito em seus trinta e poucos anos, com pele pálida, cabelos e olhos negros. Ele tinha o corpo de um atleta no auge, uma sinfonia viva de carne e músculos que geralmente daria muito o que falar às garotas, mas o tempo era essencial.

“Deixe-o no chão e eu faço o resto.” Tista disse enquanto usava Revigoramento em Lith e Solus.

‘A boa notícia é que, desde a chegada deles, sua taxa de recuperação tá simplesmente de outro mundo, Solus. A má notícia é que não faço ideia do que estou vendo.’ Ela pensou enquanto examinava as forças vitais distorcidas de Lith.

O lado híbrido ainda estava em desordem e o dano era evidente. Mesmo sem rachaduras ou sinais de danos permanentes, a força vital que geralmente parecia uma estrela em chamas cercada por uma esfera negra foi deformada em um pote gorgolejante.

A esfera parecia um ovo líquido cuja superfície fervia, escorrendo um líquido preto que chiava um pouco antes de atingir a chama da brilhante estrela azul.

Na última vez que Tista havia visto as forças vitais de Lith, seus três componentes tinham começado a se misturar, assumindo uma nova forma que seu irmão assumiu que era um sinal de que ele se tornaria uma espécie totalmente nova.

Agora, porém, não havia equilíbrio entre eles. O preto da Abominação cobria tudo como uma mortalha espessa, ameaçando sufocar o azul da Besta. Além disso, verificar a força vital humana de Lith era ainda mais difícil pela esfera inchada que a ofuscava completamente.

‘Estar perto de Lith é basicamente um revigoramento para mim, só que mais lento. Quando eu também me ligo a um gêiser de mana, minha força se torna quase infinita.’ Solus respondeu.

‘O problema aqui é que não posso absorver muita energia mundial sem estragar meu disfarce e preciso muito dela para curar minhas próprias feridas. Só preciso de alguns minutos para consertar meu corpo, mas Lith não tem tanto tempo.’

‘Tista, Phloria, vou usar suas vitalidades primeiro, então certifiquem-se de cronometrar seu revigoramento corretamente. Esperem até perder três quartos de sua energia ou não durarão o suficiente.’

‘Eu usaria a minha, mas até que meu corpo se recupere, não posso arriscar que a dor comprometa meu foco. A fusão das trevas é ineficaz no meu corpo de pedra porque, no meu caso, a dor significa que estou em estado crítico.’ disse Solus.

‘Não se preocupe com a gente. Basta nos dizer o que você está fazendo para que possamos ajudá-la caso algo dê errado.’ disse Phloria.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar