Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

The Beginning After The End – Capítulo 479

Ascensão

POV ARTHUR LEYWIN

Tudo fazia sentido agora. Por algum motivo, Tess era o receptáculo para Cecília. Talvez fosse por causa de nosso relacionamento neste mundo, necessário para criar a ponte, mas isso não importava.

Se tanto Nico quanto eu nos tornamos tão fortes depois de reencarnar neste mundo, quão forte Cecília – o “Legado” – seria se reencarnasse no corpo de Tess? 

Os ecos distantes dos meus pensamentos ressoavam sobre e sob meu eu presente e acordado.

— Sylvie, você sabe o que Rinia disse. — Minha voz saiu suplicante, mas apenas por causa do estranho efeito da pedra-chave, que fazia com que os eventos se desenrolassem exatamente como havia acontecido. — Não podemos deixar que eles tenham a Tess. 

Senti Sylvie balançar a cabeça contra a parte inferior das minhas costas. Ela estava me segurando, me impedindo de continuar lutando. Porque Cadell e Nico estavam prestes a levá-la. E eu estava morrendo.

— Nós dois ficaremos mais fortes. — Ela disse, sua voz abafada. — Enquanto estivermos vivos, temos uma chance.

Com o Réquiem de Aroa canalizado, puxei o fio dourado entre os dedos. O tempo congelou.

Tessia ainda estava no ato de se virar para longe de mim. Ela acabara de pronunciar as palavras que eu temia que fossem as últimas que ela diria. Era quase engraçado, de certa forma, estava tão distraído que ainda não tinha ouvido o que ela disse. Considerei reverter o tempo, prestando mais atenção, apenas…

Além de Tessia, cansada da batalha e manchada de sangue, Cadell e Nico esperavam por ela. A cidade de Telmore estava queimando ao redor deles, as chamas altas como vitrais contra o céu cheio de fumaça. 

Este foi o momento em que tudo mudou.

— E este é nosso próximo desafio a superar se quisermos continuar avançando — comuniquei a Sylvie e Regis.

O corpo de Sylvie relaxou atrás de mim enquanto seu eu consciente exercia controle. Seus braços relaxaram, caindo para os lados, e ela se aproximou, com seu olhar atravessando o campo de batalha congelado.

Regis se manifestou ao meu lado, saindo da escuridão e entrando no mundo da pedra-chave em sua grande forma de lobo das sombras.

— E como exatamente faremos isso, princesa?

Passamos algum tempo seguindo os fios do tempo e do Destino de volta e para frente através desses primeiros anos da minha vida, mas não desbloqueamos nenhuma nova visão sobre a mecânica da pedra-chave ou aspecto do Destino. Seja pela natureza de interagir diretamente com os fios dourados através do Réquiem de Aroa ou da presença de Sylvie e Regis, descobri que podia fazer mudanças e explorar eventos alternativos sem me esquecer.

Mesmo enquanto pensava nisso, Regis se afastou de mim para ficar ao lado de Nico. Com um olhar travesso, Regis se ergueu e fechou as mandíbulas ao redor da garganta de Nico. O fio escapou do meu aperto e o mundo voltou a se mover. Houve um jato de sangue, e Nico cambaleou para trás, caindo duro no chão com um grito abafado e gorgolejante.

Antes que a cena pudesse avançar mais, agarrei novamente o fio com o Réquiem de Aroa e puxei levemente, revertendo o tempo para antes do ataque de Regis.

— Sente-se melhor agora? — perguntei a Regis, minha voz densa de exasperação.

— Na verdade não —, ele admitiu, seus ombros lupinos subindo e descendo enquanto suspirava profundamente.

— Concentre-se — repreendeu Sylvie de forma gentil antes de se voltar para mim. — Vá em frente, Arthur. Estou pronta.

Concentrei-me mais uma vez na runa divina do Réquiem de Aroa, mal notando a coceira constante no meu núcleo físico. Lentamente, querendo experimentar tudo como aconteceu, avancei ao longo do fio dourado, revivendo a criação da dimensão de bolso que me permitiu remover com segurança Tessia e os outros do campo de batalha por meio de um portal criado a partir do medalhão de Rinia.

Sylvie lançou seu próprio feitiço, se é que essa era a palavra certa para o que ela tinha feito ao transferir sua própria energia vital para mim, e nos entreolhamos novamente enquanto, mais uma vez, ela desaparecia.

Agarrei o fio com firmeza, congelando-nos de novo.

Sylvie ainda estava lá, dividida em duas partes: um aspecto fantasmagórico formado dentro da poeira de lavanda e ouro, e uma brilhante centelha prateada de sua própria força vital que se movia em minha direção com todo o resto de sua energia, se ligando a mim. Sylv?

A centelha prateada cintilou enquanto a imagem fantasmagórica permaneceu congelada. Cerrei os punhos e movi os braços com entusiasmo. Funcionou!

 — Funcionou, embora… estou tendo dificuldade em me forçar a permanecer consciente nesta forma…

— Claro — pensei de volta, sentindo-me estúpido. — Una-se a mim Regis, guie-a.

Regis, que já havia retornado ao seu estado incorpóreo, saiu de mim e flutuou em direção à centelha prateada. Zumbindo um ao redor do outro como vaga-lumes, a nuvem escura e a centelha prateada tremularam desajeitadamente, aproximando-se cada vez mais até que desapareceram em meu peito.

— Oh! — Sylvie pensou, sua mente relaxando e permitindo-me liberar uma tensão que não havia percebido que estava carregando. — Isso é muito melhor.

Vamos lá.

O fio voltou a se mover entre meus dedos, e caí no portal que eu tinha conjurado.

Só que… não me levou ao santuário subterrâneo como pretendido. Tinha funcionado para Nyphia, Madame Astera, e Tessia, mas enquanto caía nele agora, avançando cuidadosamente através do tempo, pude ver o tecido da magia etérica se desfazendo. À medida que o portal desabava, deixava para trás uma espécie de buraco.

Um buraco no reino etérico, percebi.

Do outro lado havia um grande salão circular com colunas brancas e lisas sustentando o teto, iluminado por um brilho quente.

A energia dourada escorria da pedra sólida, pressionando contra as bordas do buraco deixado pelo portal, mantendo-o aberto enquanto eu entrava. O portal tinha desaparecido, e o buraco entre as dimensões se engoliu no momento em que o atravessei. A luz dourada vacilou e desapareceu, e eu fiquei deitado no chão, exatamente como estava quando acordei pela primeira vez nas Relictombs.

— Sylvie? Regis?

— Estamos aqui — responderam juntos, dois pontos de calor e consciência dentro do meu núcleo agora quebrado.

Rolei para trás e sorri para o teto branco. 

— Funcionou.

Regis manifestou-se ao meu lado e atravessou a câmara. Farejou ao redor por um minuto. 

— O ovo não está aqui.

— Então não devemos precisar — pensei, nervoso e esperançoso ao mesmo tempo. — Sylv? Você consegue sair?

— Vou tentar.

A centelha prateada saiu do meu peito. Estava hesitante, flutuando no ar logo além do abrigo da minha carne e ossos. A forma lupina de Regis se tornou transparente e imaterial, depois mudou para uma nuvem escura, que voou para o lado de Sylvie. Os dois giraram um ao redor do outro momentaneamente, então…

Regis engoliu a centelha prateada. Ou pelo menos, foi assim que pareceu. Por alguns segundos, Sylvie só era visível como uma pequena quantidade de luz prateada vazando através do corpo incorpóreo da nuvem escura. Seus pensamentos combinados estavam distorcidos e difíceis de entender, mas esperei, confiando neles tanto quanto em mim mesmo.

Regis começou a brilhar com uma luz dourada fraca. Partículas de ouro e lavanda começaram a emanar da nuvem e a tomar forma diante de mim. Sylvie foi desenhada em ouro brilhante fora do ar fino, suas características tornando-se claras enquanto o halo ao redor dela desaparecia. Regis reapareceu ao seu lado, escuro contra sua luz.

Com Realmheart ainda ativo, observei cuidadosamente os fios do Destino. Curiosamente, a linha de tempo não foi drasticamente alterada pela aparição da Sylvie encarnada.

— Eu sempre estive aqui, de certa forma —, ela disse, imaginando o ovo multicolor em sua mente. — Esta parte de mim nunca te deixou. — Ela virou as mãos e olhou para elas com curiosidade. — É estranho, no entanto. Não me sinto muito… real. — Então, sem aviso, ela se dissolveu de volta à luz, aparecendo apenas como a centelha. — Olha! Eu posso…

A centelha avançou, movendo-se sem esforço através da minha carne para flutuar ao redor dos restos arruinados do meu núcleo.

— Mas por que eu poderia fazer isso?

— Pode ser apenas uma falha na matriz — disse Regis, sentando-se de volta nas patas traseiras, a língua para fora. — Mas minha opinião incrivelmente educada é que o Destino está apenas fodendo conosco.

Sylvie apareceu novamente diante de mim.

— Olha a boca, Regis! — Sylvie gritou suavemente, reprimindo um sorriso.

— As leis da realidade parecem estar quebrando quanto mais poderosos ficamos — disse enquanto estendia a mão e apertava a mão do meu vínculo. — Isso levanta a questão: o que acontece quando sairmos daqui? Faz sentido que ainda saibamos de qualquer coisa nova que aprendermos ou qualquer insight que ganharmos através da pedra-chave, mas e se eu… sei lá… desbloquear uma nova runa divina? Apenas como um exemplo.

— Uma pergunta interessante, mas a maior ainda permanece — respondeu Sylvie. — Como isso nos aproxima de um insight sobre o Destino e de escapar da pedra-chave?

Não pude conter completamente a franzida que se formou em meu rosto.

— As Relictombs são onde todo o conhecimento dos djin é mantido. Tudo o que eles sabiam sobre o Destino está aqui, em algum lugar. Olhando para trás, meu caminho por elas estava cheio de oportunidades perdidas. Primeiro, quero ver o que acontece quando reconstruo meu núcleo de éter dentro da pedra-chave. Depois disso… faremos o que todos os ascendentes fazem.


Navegar pelas Relictombs dentro da pedra-chave era diferente do que tinha sido na realidade. Minha habilidade de nos mover para frente e para trás na linha do tempo me permitiu explorar de uma maneira que eu não poderia antes. Curioso, avancei até Caera e eu reivindicarmos a Bússola do relicário da Academia Central, então guardei a Bússola em minha runa de armazenamento extradimensional e reverti o tempo novamente, até a primeira zona que tinha entrado.

Mais uma vez, de pé dentro da câmara simples, olhei para o espaço extradimensional. A Bússola estava lá, me esperando, apesar de eu tê-la tecnicamente adquirido no futuro. Sentindo uma empolgação crescente, retirei a Bússola e a virei em minha mão. A esfera polida ainda era um relicário inerte, então canalizei o Réquiem de Aroa a fim de repará-la novamente.

— Agora podemos ir a qualquer lugar — disse Regis, circulando em volta de mim com evidente ansiedade, suas garras batendo contra o chão de pedra. O som parou, e ele olhou para cima na minha direção com uma carranca em seu rosto lupino. — Qualquer lugar, exceto o milípede. Nunca mais…

Eu sorri com bom humor. Havia uma sensação de esperança compartilhada entre nós três.

— Na verdade, eu estava pensando. Agora temos tudo o que precisamos para navegar pelas Relictombs juntos, mas antes de fazermos isso, há mais uma coisa que quero saber.

As sobrancelhas de Sylvie se ergueram quando ela percebeu minha intenção.

— Eu… gostaria disso. Você acha…

— Sim, não vejo porque não. É a pedra-chave, afinal de contas. E se algo der errado, agora podemos facilmente tentar novo. — Toquei meu esterno. — Mas é melhor você entrar em mim. Estamos indo muito para trás.

Os olhos dourados de Sylvie brilharam apenas por um momento antes dela se transformar de volta em espírito, e junto com Regis, tomarem refúgio dentro do meu núcleo. Respirando fundo, ativei Realmheart e Réquiem de Aroa, peguei o fio dourado nas minhas pontas dos dedos e puxei com força.

Minha vida voou para trás, desenrolando todas as minhas muitas realizações e falhas em questão de momentos. A guerra, Epheotus, a Academia Xyrus, a Clareira das Bestas com Jasmine… e então, estava mais uma vez de pé diante da caverna de Sylvia, apenas um garoto recém separado de sua família. Mesmo assim, minha pele jovem estava marcada pelos feitiços e runas divinas. Mais estranho ainda, o núcleo em meu peito fervilhava tanto com éter quanto com mana.

— Veremos o que a vovó tem a dizer sobre isso… — murmurei, começando a descer para a caverna onde Sylvia aguardava.

Todas as outras vezes em que tinha vivido este momento se desenrolavam em minha mente, as memórias se sobrepondo e se fundindo. Uma realização me atingiu. Depois de tempo suficiente aqui, uma vida se tornaria indistinguível de outra.

— A pedra-chave te engoliria inteiro — acrescentou Sylvie, e um arrepio percorreu minha espinha.

O fim está à vista. Tem que estar.

Aterrissei no fundo da longa queda, sustentando meu corpo com mana e éter e pousando de forma confortável.

— Então criança, finalmente… — A voz retumbante de Sylvia se calou. Ela olhou para baixo na minha direção, seu corpo imenso, sentado rigidamente no trono de pedra pontiaguda. Seus olhos vermelhos – tão petrificantes para mim quando criança – estavam cheios de admiração, confusão e… medo enquanto penetravam em mim. Os enormes chifres crescendo de sua face demoníaca se voltaram ligeiramente enquanto sua cabeça fazia o mesmo. — Mas eu não entendo…

— Eu ficaria surpreso se entendesse — respondi casualmente. Enfiando as mãos nos bolsos da minha calça infantil, pulei para cima e para baixo nos dedos dos pés enquanto a encarava com um sorriso. — Há muito que precisamos falar, vovó Sylvia.

Uma hora depois, Sylvia e eu estávamos juntos no chão em frente a uma pequena fogueira. Em vez de suas formas demoníacas ou de dragão, Sylvia estava como eu a tinha visto em seu retrato. Uma mulher bonita, refinada e nobre, em sua meia idade nos padrões humanos. Seu cabelo loiro claro não estava trançado em volta de sua cabeça como uma coroa, como estava no retrato, mas pendia em uma única trança grossa sobre o ombro.

Seus olhos de lavanda iridescentes encontraram os meus, ainda azuis que herdei do meu pai.

— Essa é… uma história e tanto, Arthur. Quantas vezes você retrocedeu o tempo para nos trazer a este ponto?

— Nenhuma — disse em voz baixa. — Assumindo que você acredite em mim.  Caso contrário… — Realmheart ativou, erguendo os cabelos da minha cabeça e conjurando runas brilhantes sob meus olhos.

Ela levantou a mão para me deter.

— Eu acredito. Como eu não poderia? Mas então, você está cheio da confiança de alguém que sabe que não pode falhar.

Fiz uma careta e liberei a runa divina.

— Não posso falhar aqui, com você, talvez. Mas no quadro maior – o Destino – ainda está bem longe de estar decidido.

— E… — Ela hesitou, seus dedos inconscientemente brincando com sua trança. — E minha filha?

Eu sorri suavemente.

— Prepare-se, vovó Sylvia. — Saia, Sylv.

O espírito prateado flutuou para fora de mim, à deriva como uma folha ao vento ao meu redor. Sylvia observou com intensa apreensão. Depois de vários longos segundos, a pequena luz se espalhou, moldando-se em Sylvie da mesma maneira que sua forma humana mudava para a de dragão. Ela apareceu com o cabelo trançado e enrolado em volta da cabeça, não muito diferente do retrato de Sylvia, e usando um vestido de batalha de escamas pretas.

A mandíbula de Sylvie se moveu silenciosamente. Vovó Sylvia se levantou, favorecendo seu lado ferido. As duas se olharam sem palavras, uma sutil tensão se construindo entre elas.

Então, ao mesmo tempo, ambas deram um passo à frente e envolveram os braços uma ao redor da outra. Toda a tensão se dissipou como se fosse levada por uma maré recuante. Sylvie soltou uma risada surpresa, infantil e adorável, e sua mãe fez o mesmo. Vovó Sylvia olhou para baixo, na minha direção, sobre os ombros de Sylvie, e seus olhos brilharam com lágrimas.

Finalmente, Vovó Sylvia recuou, embora mantivesse as mãos nos braços de Sylvie.

— Você é mais bonita do que eu poderia ter esperado. Minha filha. Eu pensei que… bem… — Ela engoliu visivelmente e deu um pequeno aceno de cabeça, fazendo uma única lágrima escapar de seu olho e deslizar por sua bochecha. — Parece que confiar seu ovo a Arthur foi a decisão mais sábia que eu poderia ter tomado.

As duas começaram a conversar, Vovó Sylvia fazendo perguntas e Sylvie respondendo da melhor maneira possível. A história da vida de Sylvie até agora não era inteiramente feliz, e Vovó Sylvia alternava entre ficar vermelha e empalidecer enquanto Sylvie respondia às suas perguntas da melhor maneira que podia. Era estranho vê-la assim: encolhida em torno da pequena fogueira, sentada no chão com Sylvie, ambas em suas formas humanoides.

Estou feliz por tê-la visto assim, mesmo que seja apenas uma simulação, pensei comigo mesmo, minha garganta se apertando com emoção contida. 

Regis se moveu, apoiando o queixo na minha perna.

— Arma de apoio emocional de destruição em massa, se apresentando para o dever, senhor — brincou.

Senti um pequeno sorriso alisar minha testa franzida e o esfreguei entre as orelhas.

— À vontade.

A conversa entre Sylvie e sua mãe continuou por apenas dez minutos antes de Vovó Sylvia hesitar ao abordar o assunto sobre Agrona.

— Sim. Eu sei que Agrona é meu pai — respondeu Sylvie, levantando o queixo e parecendo subitamente desafiadora. — Tentei não deixar esse fato colorir muito negativamente minha visão de você.

Vovó Sylvia deu um sorriso suave e compreensivo à filha, mas seus olhos estavam fixos no chão.

— Isso é talvez mais do que mereço, então. Obrigada.

Limpei a garganta e esfreguei a parte de trás do meu pescoço, hesitante em interromper o momento, mas me lembrei de que, por mais real que isso possa parecer para Sylvie, esta versão da Vovó Sylvia não existia.  Nós viemos por uma razão, e eu precisava dessas respostas.

 — Quando fugiu dele, como soube das ruínas dos djinn? Onde você conseguiu aquele mapa?

Vovó Sylvia mordeu o lábio, uma expressão inesperada para ver em seus traços reais, e lançou um olhar para Sylvie antes de voltar sua atenção para mim.

— Como você já sabe tanto, não vejo mal em explicar mais, embora eu… nunca tenha esperado contar isso para ninguém. — Ela fez uma pausa para reunir seus pensamentos. — Havia um dispositivo na fortaleza de Agrona, uma relíquia dos djinn. Só que tinha uma mente djinn abrigada dentro dela.

— Como nas ruínas — disse, surpreso. — Mas como?

As sobrancelhas de Sylvia se franziram ligeiramente, e seus olhos se focaram em algum lugar além do fogo, olhando para um passado que apenas ela poderia ver.

— Ele a encontrou nos primeiros dias, quando seu povo tinha recém começado a explorar as Relictombs para ele. Era trabalho dela ajudar a navegar pelo lugar, além de armazenar e catalogar o conhecimento dos djinn relacionado às suas criações. Contudo, Agrona já havia conseguido removê-la das Relictombs e instalar ela profundamente sob sua fortaleza no momento em que foi banido e eu, tão tola, tentei avisá-lo dos planos do meu pai.

— Ela? — Sylvie perguntou.

— A espírito djinn… Ji-ae — respondeu Vovó Sylvia, olhando para longe. — Foi dela que descobri a verdade.

Sylvie inclinou-se para a frente e abraçou os joelhos.

— Que verdade?

— Quando voltei para Agrona, encontrei-o uma casca do asura por quem tinha me apaixonado. Talvez fosse seu verdadeiro eu, e eu só conhecia uma sombra, ou talvez seu banimento e a traição dos outros asuras, incluindo eu como ele pensava, quebraram algo dentro dele. Ele me aprisionou quando descobriu que estava grávida, desejando fazer experimentos em sua própria filha a fim de aprender mais sobre como os dragões manipulavam o éter e como ele poderia usá-lo contra eles. Era sua própria filha e ele a via apenas como mais um experimento.

Os dentes dela se apertaram e um fogo brilhante ardeu em seus olhos.

— Ji-ae me mostrou o que estava reservado para você… para nós duas. No entanto ela disse… — Sylvia hesitou, dando um suspiro trêmulo. — Ela disse que o Destino tinha algo diferente reservado para você. Ela me mostrou um menino, me contou sobre a reencarnação de um rei de outro mundo, Grey, e como ele te protegeria, se eu pudesse encontrá-lo.

— E foi assim que você conseguiu o mapa das ruínas dos djinn. — Sacudi a cabeça incrédulo. — Mais uma vez, parece que o Destino está brincando comigo. Alinhando tudo perfeitamente.

Caímos em silêncio e observei o pequeno fogo crepitar com alegria, suas chamas alaranjadas brilhantes ignorantes da pressão sobre meus ombros.

Embora tivesse aprendido o que vim buscar, não me deixou satisfeito. Na verdade, a revelação de que Agrona tinha uma dos djinn remanescentes à sua disposição, e que, ao que tudo indicava, estava disposta a ajudá-lo e tinha um entendimento mais profundo do conhecimento do povo djinn do que qualquer outro dos remanescentes que descobri, não me trouxe paz de espírito.

Chegou a hora.

— Devemos ir —, mandei para Sylvie.

— Só mais um pouco —, ela pensou de volta, seus olhos dourados se voltando para mim suplicantes. — Posso nunca ter a chance de falar com ela de novo.

— Você não está falando com ela agora — respondi de forma gentil e consoladora. — Esta não é Sylvia, apenas uma sombra dela criada pela pedra-chave.

— Eu… você está certo, claro. — Sylvie ficou rígida, não me olhando mais. — Estou perdendo o controle das minhas emoções.

Levantando-me, fiz uma reverência respeitosa.

— Vovó. Obrigado. Eu… sei que esta conversa provavelmente não fez muito sentido do seu ponto de vista, mas você foi de grande ajuda. Infelizmente, devemos ir…

— Espere —, ela disse, segurando o lado enquanto se levantava. — Antes de você ir, estive pensando. Você disse que eu lhe dei minha vontade bestial e, através dela, foi capaz de utilizar a técnica Realmheart. Eu sei por que isso o destruiu, e acho que posso lhe fornecer a compreensão necessária para controlá-la melhor.

— Isso não é necessário — respondi com um pequeno aceno de cabeça. — Quando isto acabar, não serei mais capaz de usar mana, e embora recupere o Realmheart eventualmente, será de uma forma diferente.

— Ainda assim — disse Sylvia, com um tom suplicante audível em sua voz, lembrando-me do fato de que, quando fiquei com ela em minha vida real, ela me manteve por meses a mais do que o necessário. Ela está solitária, eu sabia. Ela continuou, dizendo: — Talvez esse insight seja aplicável à sua versão do Realmheart, então. Gostaria de saber que… este conhecimento continuará vivo quando eu não estiver mais.

Meu impulso crescente de partir se dissipou, e soltei um suspiro profundo, sentindo-me murchar. Forçando um sorriso grato para esconder as emoções complicadas que esse encontro havia despertado dentro de mim, eu disse:

— Claro, vovó Sylvia. Por favor, mostre-nos.


— Bem, o primeiro djinn remanescente não foi mais útil desta vez — observou Regis de mau humor quando ativei a Bússola para nos levar para longe da primeira ruína.

— Ele foi útil o suficiente, mas não tinha mais nada para nos dar — respondeu Sylvie, seu olhar varrendo o laboratório bagunçado pela última vez.

— Pelo menos eu pude dar mais uma olhada naquela técnica etérica dele. — Eu disse. Tentei fazer com que o velho djinn remanescente me ensinasse, mas ele estava obcecado com o teste.

O portal girou enquanto seu destino mudava sob influência da Bússola e meus companheiros se abrigavam dentro do meu núcleo. Eu passei por ele.

A entrada despedaçada da segunda ruína estava atrás. Atravessei com pressa até chegar ao portão de cristal negro, preso em seu ciclo de quebra e reforma. “Entre-por-favor-seja-bem-vindo-descendente”. As palavras que se formaram na minha cabeça. Como antes, ativei God Step e pulei para o outro lado, ficando em pé diante do pedestal do segundo djinn remanescente.

À medida que Sylvia me ensinava mais sobre o Realmheart, cheguei a uma realização que anteriormente apenas pairava nos limites do pensamento consciente.

Na verdade, eu não sabia o que deveria estar fazendo. Não podia escapar sem descobrir insights sobre o Destino, mas não sabia exatamente como buscar esses insights. Ao contrário das pedra-chaves anteriores, esta estava completamente aberta. Nenhum quebra-cabeças foi colocado na minha frente, nenhuma meta fornecida. Eu havia aprendido a navegar e manipular o mundo criado pela pedra-chave, e isso havia trazido alguns pequenos insights na forma dos fios dourados, mas desde então não havia chegado mais perto de desbloquear seja lá que poder esta pedra-chave continha.

Entretanto, isso não significa que eu não pudesse fazer nada.

A segunda projeção djinn saiu de trás da coluna. Baixa e magra, com a pele rosa-lavanda e cabelos ametista curtos, vestia shorts brancos e uma faixa no peito que exibia os padrões entrelaçados de runas de feitiços que cobriam seu corpo. 

Ela me deu um sorriso fraco e triste.

— Então alguém recuperou minha criação, afinal. Na verdade, esperava que seu santuário ficasse intacto até o fim dos tempos… espere aí. Você já ouviu essas palavras antes. E… já me viu antes. — O sorriso se transformou em uma desconfiada careta — Quem é você?

— Você já sabe. E acho que também sabe pelo que vim. Não há necessidade de se preocupar com o teste que lhe foi atribuído. Em vez disso, quero aprender o que só você pode me ensinar.

Suas sobrancelhas se ergueram lentamente.

— Posso ver em sua mente. Você tem a força para resistir, para golpear e derramar o sangue de nossos inimigos. Você é exatamente quem eu estava esperando, e vou treiná-lo a empunhar o éter não apenas como uma ferramenta de criação, mas como uma verdadeira arma de destruição.

Uma lâmina de éter longa, fina e curva apareceu em sua mão esquerda, então uma segunda em sua mão direita. Ela as cruzou na frente dela, faíscas voando pelo ar onde se tocavam.

— Eu vou treinar você.

Eu invoquei minha própria espada de éter, segurando-a com as duas mãos. Então uma segunda se manifestou à minha direita na altura do ombro, e uma terceira à minha esquerda ao lado do meu quadril.

A djinn me olhou com surpresa e deleite. Ela deu um passo para trás, e várias espadas adicionais apareceram ao seu redor.

— Sim, você é quem eu estive esperando.

É difícil dizer quanto tempo treinamos. O tempo se tornou um borrão etérico e o espaço encolheu para aquela única pequena câmara. Suas palavras voltaram para mim enquanto lutávamos: Somente depois de entender o éter como ele mesmo é, que você pode começar a entender o Destino. Eu recitava isso como um mantra, me esforçando para entender cada aspecto de minhas habilidades enquanto lutava com ela. Quando ela começou a desacelerar, não mais capaz de empurrar-se para a total profundidade de suas habilidades devido à mecânica de falha de sua casa, puxei o fio de volta ao começo e fiz tudo de novo.

Meus companheiros não foram deixados para só assistir. Embora não lutassem ao meu lado, a projeção djinn manteve uma aula constante sobre as artes aevum e vivum. Acontece que ela sabia muito sobre a natureza da Destruição, e eu pude sentir a compreensão de Regis se aprofundando enquanto ele absorvia seus ensinamentos.

Na terceira repetição, no entanto, eu sabia que havia um limite para o que esta única remanescente djinn poderia nos ensinar. Eu precisava me esforçar mais, muito mais, todos nós precisávamos. E assim, seguimos em frente.

Nós três passamos de zona em zona, encontrando e conquistando desafio após desafio. Em vez de simplesmente passar por cada zona, ou capítulo, como os djinns os chamavam, examinamos os fundamentos dos espaços e os testes que nos proporcionavam. Afinal, esse era o propósito das Relictombs: abrigar o conhecimento etérico dos djinn, com cada capítulo fornecendo um exemplo real e físico dessas artes etéricas.

Foi uma tarefa difícil. O que me lembrou dos computadores do meu mundo antigo, com programas codificados em uma linguagem especial inventada apenas para a tarefa. Estudar as Relictombs era como tentar aprender essa linguagem estudando o resultado de um programa. Eu carecia do conhecimento subjacente necessário para sequer começar a ver o quadro completo.

Todavia, através do uso, prática e dificuldades, Sylvie, Regis e eu aprimoramos nossas próprias habilidades em dezenas de capítulos e provações, contra milhares de inimigos. Apenas uma habilidade não aumentou na potência. Na verdade, eu ainda não conseguia usá-la de forma alguma.

Enquanto estávamos na cúpula congelada no coração da zona nevada onde havia conhecido Three Steps e as outras tribos com Caera ao meu lado, eu considerei o Gambito do Rei. A runa divina foi fornecida por uma pedra-chave; faria sentido que fosse uma parte essencial da navegação desta pedra-chave, assim como Realmheart e Réquiem de Aroa. E ainda assim, não parecia fazer nada. Nada além de encher meus pensamentos com neblina e me dar dor de cabeça, de qualquer forma.

Foi por essa razão que voltei para esta zona. As tribos desta zona tinham um sentido instintivo de uso do éter que nem os dragões podiam reivindicar. As Garras das Sombras, em particular, se comunicavam de uma maneira que exigia manipulação mental do éter, então pensei que talvez pudessem oferecer alguma visão útil.

O que encontrei foi um deserto vazio. As tribos haviam desaparecido. Havia evidências de batalha espalhadas pela zona, os esqueletos de Garras das Sombras, Bicos de Lança, Quatro Punhos e Ursos Fantasmas espalhados pela neve como folhas caídas das árvores. Feridas congeladas como garras e mordidas marcavam seus corpos, e embora tivéssemos procurado, não encontramos nenhum vivo.

— Talvez, como você e Caera nunca vieram, as “coisas selvagens” cresceram fora de controle — ponderou Sylvie enquanto eu reparava o portal de saída.

— Onde estão eles agora? — Regis perguntou de onde estava mexendo em um monte de ossos aos pés da plataforma central.

— Não importa.

As partículas etéricas do Réquiem de Aroa correram pelos meus braços e ao longo da estrutura do portal.  Eu não tinha as peças da estrutura do portal, mas desta vez não precisava delas. Enquanto a runa divina reconstruía o portal, eu me lembrei de que isso não era real.

— Poderíamos voltar ao tempo em que você acabara de entrar nas Relictombs e então permitir que o tempo avançasse normalmente até você chegar a este lugar novamente? — Sylvie sugeriu, com o rosto banhado em um brilho levemente roxo do portal que apareceu dentro da estrutura reparada.

— Isso pode funcionar. Eu… — Fiquei em silêncio enquanto olhava através do portal.

Era translúcido, mostrando uma versão ligeiramente borrada do que estava atrás dele. Apenas… o portal não mostrava um lugar diferente, apenas o outro lado da moldura. Naquele lado, porém, o desgaste da plataforma era diferente, a pedra era mais suave. A luz era de um tom mais quente, e havia…

— É o mesmo lugar, mas em um tempo diferente — suspirei. — Regis!

Ele saltou do chão abaixo até o topo da plataforma, depois desapareceu em mim. Sylvie fez o mesmo depois dele e passei pelo portal.

Não parecia uma viagem como costumava ser através dos portais das Relictombs. Era mais como passar por uma porta de um lado frio para o interior quente de uma casa. O cheiro da primavera invadiram o meu nariz, assim como o odor mofado de algum tipo de animal. O ar estava cheio de vozes, algumas profundas e sonoras, outras mais cortantes e bicudas.

Olhei em volta maravilhado.

A pedra branca da cúpula central da zona brilhava com uma luz clara de branco e dourado. Dezenas de Garras das Sombras, Bicos de Lança, Quatro Punhos e Ursos Fantasmas vagavam entre fileiras de mesas e barracas de um lado da cúpula. O outro lado era um espaço aberto onde ainda mais jogavam jogos ou sentavam-se e assistiam, conversando animadamente. As Garras das Sombras bípedes e felinas tocavam patas com enormes Ursos Fantasmas brancos, envolvidos em conversas mentais, enquanto Quatro Punhos e Bicos de Lanças trocavam sacos de nozes por frascos de líquido esverdeado.

— É incrível, não é?

Girei em torno de mim, percebendo que um homem estava apoiado do outro lado da moldura do portal, observando as pessoas se movimentarem abaixo. Ele tinha pele azul-claro com um toque de roxo ao redor dos olhos e da boca, cabelos roxos que eram escuros o suficiente para serem quase pretos, e cada centímetro de sua pele exposta estava coberto de runas.

— Você é um djinn — disse estupidamente.

Seus olhos rosa suave se voltaram para mim por apenas um instante antes de voltarem para as tribos se misturando.

— Todos diziam que eu era louco, tentando criar vida consciente. E aqueles foram os bonzinhos. Os mais honestos me comparavam aos dragões. — Ele riu levemente, um som suave e musical. — Imagina? Tudo aquilo, tudo o que estava acontecendo, e ainda assim um djinn teria a audácia de chamar outro djinn de Indrath em voz baixa enquanto passava por mim nos corredores?

Eu encarei o homem djinn com um olhar vazio, totalmente perplexo.

— De qualquer forma, estou feliz que você tenha vindo, Arthur/Grey. — O djinn se afastou da moldura do portal e estendeu os braços. — Há muito o que discutir, meu velho amigo. Sobre o futuro.

Esfreguei a parte de trás do meu pescoço e o olhei com incerteza.

— Sinto muito, mas como você me conhece?

Ele inclinou levemente a cabeça para o lado.

— Somos velhos amigos, Arthur/Grey. Contei tudo sobre meu trabalho a você, e agora preciso discutir o que acontece a seguir. No futuro. No futuro distante, na verdade. Eu não posso fazer isso sem você, velho amigo.

— Isso está ficando estranho — pensou Regis, sua atenção girando enquanto tentava observar todos dentro da cúpula de uma vez. — Parece um daqueles momentos de tensão antes de um susto. Não gosto disso.

— Não posso deixar de concordar. Algo definitivamente não é o que parece — acrescentou Sylvie.

— Sinto muito, não o conheço — disse firmemente, dando um passo atrás. — Qual é o seu nome?

— Arthur/Grey, eu sou Haneul, seu velho amigo. — O djinn me observou não com confusão ou suspeita, mas com um sorriso suave e olhos profundos e confiantes. — Você sabe tudo sobre minha criação deste capítulo e as muitas provações que superei.

Olhei ao redor, sentindo-me cada vez mais como se estivesse do lado de fora de alguma piada que não entendia.

— Ah, mas agora vejo o meu erro — disse Haneul, franzindo a testa para baixo. — Escolhi mal. Essas memórias estavam armazenadas em algum tipo de dispositivo. Como o dispositivo está dentro do seu espaço extradimensional, não reconheci imediatamente que elas eram separadas de você. — Haneul suspirou. — Acho que você poderia dizer que é irônico, de forma humorística, que eu tenha esperado tanto tempo para me apresentar a você, e ainda assim tenha de alguma forma cometido um erro.

— Que dispositivo? Do que você está…

O cristal de memória djinn. Claro como o dia, me lembrei de pegar o cristal e da maneira como muitas versões da mesma voz foram reproduzidas em minha mente. Era a voz de Hanuel. Nunca ouvi as mensagens contidas naquele cristal. Deve ter sido como um diário. Seu registro do trabalho que está sendo feito… aqui, neste capítulo das Relictombs.

— Se este “Hanuel” pode ver até mesmo o espaço de armazenamento extradimensional ligado por aquela runa… — Os pensamentos de Regis se perderam significativamente. De repente, eu entendi.

Como se estivesse respondendo ao meu entendimento, a realidade começou a se desenrolar.

Começou com a moldura do portal, cuja pedra se transformou em algo como algodão-doce, que se desfez e flutuou para longe. Então a cúpula inflou sobre nós, dispersando-se como nuvens leves para revelar o céu azul acima. Contudo, rachaduras se formaram pelo céu para revelar o vazio negro-roxo além.

Quando olhei para baixo, todas as pessoas tribais haviam desaparecido, assim como a plataforma em que eu estava em pé.

Apenas o djinn e o portal permaneceram, flutuando no vazio do reino etérico.

— Destino. — A palavra saiu sem que eu quisesse, mas assim que a disse, tive certeza de que era verdade. Ativei Realmheart.

Sylvie manifestou-se de um lado, Regis do outro. Nossas três mentes conectadas estavam igualmente maravilhadas com o que estávamos vendo.

O djinn não existia mais. Em vez disso, um emaranhado de fios dourados estava amarrado em uma forma vagamente humana. Dezenas, talvez centenas ou até milhares, de fios se estendiam em todas as direções, desaparecendo na expansão infinita do reino etérico.

— Arthur/Grey. Estive aguardando sua ascensão.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.9 51 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
111 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Kiyo
Visitante
Kiyo
12 dias atrás

Eu no cimena:😭🥹😲🤯

Wesley LimaD
Membro
Wesley Lima
14 dias atrás

Aleluiaaaa tava cansado dele dando voltas

Gois
Visitante
Gois
17 dias atrás

Rapaz o próximo capítulo chega da dor de cabeça de ler.

Pedro Henrique
Membro
Pedro Henrique
16 dias atrás
Resposta para  Gois

já saiu?

Mathh_01
Visitante
Mathh_01
16 dias atrás
Resposta para  Gois

É de quem? Não me diga que é do Nico pfv

Dpalazzo
Visitante
Dpalazzo
17 dias atrás

Boa tarde a todos. Sou novo por aqui. Só consegui chegar no capítulo atual esta semana.
Que dia normalmente sai um capítulo novo?

Pedro Henrique
Membro
Pedro Henrique
17 dias atrás
Resposta para  Dpalazzo

Geralmente é semanalmente, você deu sorte, hoje sairá outro cap fique atento..

Danilo Torres
Membro
Danilo Torres
17 dias atrás

Mesmo enquanto pensava nisso, Regis se afastou de mim para ficar ao lado de Nico. Com um olhar travesso, Regis se ergueu e fechou as mandíbulas ao redor da garganta de Nico. O fio escapou do meu aperto e o mundo voltou a se mover. Houve um jato de sangue, e Nico cambaleou para trás, caindo duro no chão com um grito abafado e gorgolejante.

KKKKKKKKKKKKKKKKKK Regis vc é o melhor, fez o que todo mundo queria ah mto tempo, obrigado

Alguma coisaD
Membro
Alguma coisa
20 dias atrás

Gente, alguém lembra dessa pedra que ele pegou quebtem o diário desse carinha aí? Se sim, em que momento foi?

Danilo
Visitante
Danilo
19 dias atrás
Resposta para  Alguma coisa

Perto do final do cap 361, após o treinamento com a segunda djin remanescente.

JONAS
Visitante
JONAS
17 dias atrás
Resposta para  Alguma coisa

Ele guardou só que no momento ele pensou que não seria nada . Mesmo assim ele guardou achando que um dia ele encontraria um meio de utiliza ela ..

Note
Membro
Note
20 dias atrás

senti que alem de conhecer o destino o arthur aprimorou todas as suas habilidades ja que ele refez seus treinos e os avançou

VoidD
Membro
Void
20 dias atrás

QUE CAPÍTULO FODA

Oblivion☂D
Membro
Oblivion☂
20 dias atrás

Sem dúvidas o melhor capítulo, muitos sentimentos em um capítulo pqp, esse final foi coisa de louco cada vez melhorando e u mininu ficando cada vez mais pika, quase certeza que ele vai bater de frente com o agroboy e da Cecília daq uns cap.

Pedro Henrique
Membro
Pedro Henrique
20 dias atrás

Ainda vejo uma galera insistindo no núcleo de mana do Arthur.. Gente.. esqueçe isso, a falta de mana do Arthur é a arma mais poderosa dele. Por isso que ele bate de frente com o Legado.

Outra coisa, Arthur não tá mais forte que o Agronegócio ou o MC Kevinho. Isso não é Solo Leveling.. Além disso, a redenção da Cecília já quase que certa. Ou seja vai ter que ter 2 x 1 contra o Agricultura.

Espero que o núcleo da Silvia seja útil de alguma forma..

Pedro Henrique
Membro
Pedro Henrique
20 dias atrás
Resposta para  Pedro Henrique

Nós nunca, repito NUNCA, vimos o Agrona ou Kezess em ação, no 100% de poder. A única Arma que o Arthur tem é o Destino.

Tytanium-_-
Membro
Tytanium-_-
17 dias atrás
Resposta para  Pedro Henrique

Assim, não vejo problema no Art recuperando o controle da mana após a batalha/redenção da Cecil. Acho que a obra vai seguir o caminho dele sendo a criatura mais forte do verso tendo o Regis e a Sylv na party dele kkkk, mas não nego que seria interessante a Tessia com o potencial do Legado, estágio de integração e tal entrando na party também

Cachorro samurai
Visitante
Cachorro samurai
1 hora atrás
Resposta para  Tytanium-_-

E exatamente isso que acontece

Márcio Júnior
Visitante
Márcio Júnior
21 dias atrás

QUE CAPÍTULO BOM DO CARALHO!!!! ANSIOSÍSSIMO PARA OS PRÓXIMOS CAP. Art vai voltar roubadão, outra coisa, seria muito engraçado ele voltar e dar de cara com o Agrona kkkkkkkkk

Cadu
Membro
Cadu
21 dias atrás

Meu amigo q coisa kk

Quainttax
Membro
Quainttax
21 dias atrás

Magnífico

Arthur Medeiros
Visitante
Arthur Medeiros
21 dias atrás

Talvez, EU DISSE TALVEZ! Um dos melhores capítulos da obra, ele entrega tudo que precisamos misturando e trazendo a tona diversos sentimentos, alegria, surpresa, tensão, medo, curiosidade, euforia, tristeza… Além de responder muitas perguntas que tínhamos, como Hanuel e a conclusão da pedra chave, como Agrona sabia tudo sobre o futuro, como a Sylvia sabia sobre o Arthur, e explicando um pouco mais sobre o destino. Sim a obra está se encaminhando para o seu último ato…

Última edição 21 dias atrás por Arthur Medeiros
Filipe Dagrava
Visitante
Filipe Dagrava
22 dias atrás

isso pode sr considerado facilmente o melhor capitulo dessa obra, tem sentimentos, tem desenvolvimento, tem evoluçao de poderes, alem desse final, o fim ta começando….

Vitor-samaD
Membro
Vitor-sama
22 dias atrás

O gambito do rei provavelmente vai fazer ele ver todas as possibilidades de diferentes momentos do tempo – passado e futuro – ao mesmo tempo, sem precisar ficar indo de um em um, tipo o Dr. Estranho vendo 1 milhão de possibilidades e encontrando a melhor, o que talvez desenvolva ainda mais a compreensão dele das runas q ele já tem e as ainda hão de vir

⦕ Lok1 ⦖D
Membro
⦕ Lok1 ⦖
22 dias atrás
Resposta para  Vitor-sama

Penso o mesmo.

Filipe Dagrava
Visitante
Filipe Dagrava
22 dias atrás
Resposta para  Vitor-sama

caralho, pprt, e isso poderia fazer, talvez, ate mesmo que ele possa descobrir novas runas mesmo, ao mesmo tempo, sem nem precisar ter q ir nessas linhas do tempo novas, mas o gambito permitir ele ver a si mesmo nesses caminhos, no futuro, e junto com isso, ja desbloquear as runas, mesmo sem ter sequer realmente vivenciado isso em si

cotonete
Visitante
cotonete
22 dias atrás

Quero ver como que o destino vai ajudar ele ir contra agrona e Cecília e contra o velho kezao. São os 3 pica das galáxia. Alguém ae me um insght ae pls.

Time luxio
Visitante
Time luxio
8 dias atrás
Resposta para  cotonete

Ja jogou undertale? Art, vai dar uma de player e fica resetando

jp curioso
Membro
jp curioso
22 dias atrás

finalmente um bom capitulo

Ygor BrazD
Membro
Ygor Braz
22 dias atrás

tu é doido!!!!!!!!!!!!!! O Melhor capítulo até hoje! sempre esperei pelo retorno dessa Zona maravilhosa! O reencontro de Silvei com a mãe sendo a coisa mais linda dessa obra! A revelação da Ji-ae. E revivendo o cristal Djin esquecido na runa dimensional.
Agora que o Arthur precisa é melhorar o controle da destruição, aprender a usar alguns feitiços defensivos e Djin que ele encontrou é justamente aquele capaz de criar vida kkkkkkkkkkkk vai ser muito massa!

Júlio Celso
Visitante
Júlio Celso
22 dias atrás

Alguém pode tirar uma duvida por favor qual é o poder da Cecilia eu sei que ela é o legado mas exatamente o que o poder dela faz é uma maestria no controle da mana se for isso ela consegue utilizar os quatro elementos não é?

leafar
Membro
leafar
22 dias atrás
Resposta para  Júlio Celso

ela pode basicamente controlar mana de qualquer aspecto, seja fogo, terra, som, mana pura, mas sem necessitar absorver primeiro pelo núcleo dela, então ela pode simplesmente manipular desde a mana na atmosfera, até controlar a mana de ataques inimigos ou do próprio corpo do oponente, podendo zerar a mana de seu núcleo, ela também é hipersensível a mana, tendo meio que um realmheart ultra op e ilimitado.

Júlio Celso
Visitante
Júlio Celso
22 dias atrás
Resposta para  leafar

Entendi muito obrigado mais alguém pode herdar esse poder dela já vimos que o agrona passou parte do potencial para ele eu acredito que a tessia pode tbm utilizar já que ela conseguiu utilizar mana sem um núcleo no capitulo passado eu acredito que não foi atoa que o autor fez isso

Ryomen Sukuna
Visitante
Ryomen Sukuna
23 dias atrás

Parece que o destino é mesmo uma entidade senciente, acho que vamos ter mais 3 pov’s do Arthur e depois vamos ter um pov da Cecila, pra mostra a batalha do Arthur com Agrona, pra encerrar o volume.

LEONARDO
Visitante
LEONARDO
23 dias atrás

Pelo que deu a entender arthur já conseguil melhorar demais a runa do requiem de aroa e com certeza tanto ele quanto Regis melhoraram seu entendimento sobre a runa da destruição . Fora o aumento de controle do éter que arthur adquiriu com o treinamento roubado com djin guerreiro . E pelo visto ta vindo mais runas roubadas e poderes novos fora o próprio destino
Dependendo dos níveis de poderes que ele conseguir na pedra arrisco dizer que pode sair até mais forte do que agrona ou kessez
No mínimo ja vai conseguir peitar os dois em termos de força e poder

ꓷၜȋၜꓓD
Membro
ꓷၜȋၜꓓ
22 dias atrás
Resposta para  LEONARDO

Pra mim já ta claro que assim que ele sair, ele vai estar fazendo frente a ambos (Agrona e Kezess)… Ele não vai permitir que Kezess faça aquelas coisas e mova ele com Éter sem ele perceber e todas essas coisas… Assim que ele abrir os olhos, não duvido ele conseguir sentir Dicathen inteira.

DjonasK
Visitante
DjonasK
23 dias atrás

top demais

Antônio Icaro
Visitante
Antônio Icaro
23 dias atrás

A parte da Silvia fez meus olhos arderem 😔

pingola mole
Membro
pingola mole
23 dias atrás

mlk tem nem oque comentar desse cap, simplesmente incrível como o art ganhou um bom up, e se eu não entendi errado a Silvia deu a entender que ele ia recuperar a sua vontade bestial

pingola mole
Membro
pingola mole
23 dias atrás
Resposta para  pingola mole

na verdade tinha entendido errado

Schumann[49%]D
Membro
Schumann[49%]
23 dias atrás

Que capítulo incrível é agr eu vou ter q esperar uma semana pra ver mais? Como c faz isso comigo tortuguita desgraçada quero mais 100 cap pra ontem

pingola mole
Membro
pingola mole
23 dias atrás
Resposta para  Schumann[49%]

mentira que achei vc aqui, sou o “ata” do mangaschan

Última edição 23 dias atrás por pingola mole
Mathh_01
Visitante
Mathh_01
23 dias atrás

Será q o núcleo de mana da Sylvia vai ajudar o arthur com o destino? Ou vai restaurar a capacidade dele de usar mana? Muito tempo que não tem uma menção do núcleo da Sylvia. E porfavor, Turtle, que o próximo cap seja do Arthur, e não da Cecillia, ate um da Ellie ou da Caera ta bom, só porfavor, não coloque 2 cap da Cecillia tão perto um do outro

Júlio Celso
Visitante
Júlio Celso
23 dias atrás
Resposta para  Mathh_01

Já está chegando no final o volume pelo o que vi parece que nesse volume encerra a participação da Cecilia

Shadow
Visitante
Shadow
21 dias atrás
Resposta para  Júlio Celso

Sabia disso n. ela vai ter uma participação especial!!, acho que ela deve participar no próximo volume. O que é legado ? deve ser explicado, qual será a redenção dela ?. Pode ser que nesse volume a guerra, e na próxima deve haver como Agrona e Kezzes. Agrona n vai morrer tão cedo. Kezzes lidando com um surgimento de um ser poderoso.

Última edição 21 dias atrás por Shadow
Júlio Celso
Visitante
Júlio Celso
21 dias atrás
Resposta para  Shadow

o turtle disse no discord que essa decisão da tessia foi melhor decisão possível para obra e que ele não fez isso por acaso ou a Cecilia vai pro lado do Arthur ou a tessia aprendeu a controlar o próprio corpo já que agora ela aprendeu a controlar mana no nível de integração

ꓷၜȋၜꓓD
Membro
ꓷၜȋၜꓓ
22 dias atrás
Resposta para  Mathh_01

Esqueça Arthur voltando a utilizar MANA DIRETAMENTE… Próprio Autor já disse que ele não vai voltar a controlar mana diretamente do seu Núcleo, nem voltar a ter Núcleo de Mana.

Inari
Visitante
Inari
23 dias atrás

Capítulo absurdamente FODA

Gois
Visitante
Gois
23 dias atrás

Rapaz é impressão minha ou Arthur deu um UP no réquiem auroa, porque desta vez ele nem precisou das pedras das tribo pra restaurar o portal. Falou que não era mais necessário.

Última edição 23 dias atrás por Gois
ꓷၜȋၜꓓD
Membro
ꓷၜȋၜꓓ
22 dias atrás
Resposta para  Gois

Eu também notei isso kkk… estou até com medo de ficar apelativo. Contanto que ele não restaure “vidas” que ja morreram, acho que o que vier ta ótimo..

Italo Almeida
Visitante
Italo Almeida
23 dias atrás

Eu acho que o Agrona vai achar o Arthur e matar ele, depois exibir o corpo dele por toda Dicathen, mas com a ajuda do destino o Arthur volta e volta monstro demais.

Gois
Visitante
Gois
23 dias atrás
Resposta para  Italo Almeida

Arthur não vai estar na toca da Silvia, e além do mais quando agrona chegar Mordain vai lá com o povo dele. Não é atoa que foi citado que fica perto ou na base da clareira da besta. E Mordain já falou que ele consegue sentir tudo que acontece na clareira das bestas, então ele irá sentir agrona chegando lá e vai lá.

Última edição 23 dias atrás por Gois
Gud
Membro
Gud
23 dias atrás
Resposta para  Gois

mas voce acha q mordain tanka agrona? tipo pode ater dar uma luta mas n vai durar mt tempo, acho q teorio do mano acima plausivel

Ryomen Sukuna
Visitante
Ryomen Sukuna
23 dias atrás
Resposta para  Gud

Acho que Agrona e Mordain em questão de poder estão equilibrados

Ygor BrazD
Membro
Ygor Braz
22 dias atrás
Resposta para  Gud

em tese ele lutava contra o kezess e o ancião leviatã

Shadow
Visitante
Shadow
21 dias atrás
Resposta para  Gud

Mordain é tão velho quando Kezzes e o ancião Leviatã. Quando Agrona fala dele, ele relaciona Mordain como alguém mais fraco do que ele, mas deve ser. N me lembro direito da luta de Cecília e Mordain. Mas acho que o poder de Mordain e Agrona são quase iguais, n sei. Sempre achei que quanto mais velho, mas forte é o Asura. Agrona deve ter idade de Sylvia, mas durante todo esses anos, Agrona teve um aumento de poder incrível

pingola mole
Membro
pingola mole
23 dias atrás
Resposta para  Gois

isso foi spoiler ou um palpite?

Gustavo
Visitante
Gustavo
22 dias atrás
Resposta para  pingola mole

vc ta literalmente nos comentários do ultimo capitulo da novel, como vai ser spoiler

Kallimar EmptyD
Membro
Kallimar Empty
17 dias atrás
Resposta para  Gustavo

O cara tá nas drogas

Lucas
Visitante
Lucas
23 dias atrás
Resposta para  Gois

Mais provável que seja aquela outra fenix meio djinn que esteja lá mas n sei se ele tanka muito n

Ygor BrazD
Membro
Ygor Braz
22 dias atrás
Resposta para  Gois

Ainda temos aquelas perolas enlutadas. A uma grande chance do Arthur ter ido atrás do Aldir e usado uma nele e colocado ele de guarda junto de Mordain. Além disso estamos esperando a volta do Chul… para um segundo round

ꓷၜȋၜꓓD
Membro
ꓷၜȋၜꓓ
22 dias atrás
Resposta para  Ygor Braz

Aldir já “morreu” cara, nao viaja em relação a Aldir. Já se passou muito tempo dentro do Reino do Éter.

Marcos Vinícios de Moraes
Membro
Marcos Vinícios de Moraes
23 dias atrás

Parabéns Turtle, você sempre consegue se superar.

🇰​🇮​🇳​🇬​ 🇬​🇷​🇪​🇾​😈D
Membro
🇰​🇮​🇳​🇬​ 🇬​🇷​🇪​🇾​😈
23 dias atrás

Só tem retardado nesses comentários pqp

ZER007
Membro
ZER007
23 dias atrás

Não fale isso meu grande amigo.
Bom dia! Fique em paz e com saúde 🤝

anfabuD
Membro
anfabu
23 dias atrás

o que tu desejas meu nobre, está deveras flácido

Note
Visitante
Note
23 dias atrás

Descupe , meu caro se minha presença o incomoda.

Ryomen Sukuna
Visitante
Ryomen Sukuna
23 dias atrás

Como assim eu sou retardado???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Henrique king
Membro
Henrique king
23 dias atrás

Slk arrepiei com esse final

Fullmetal
Visitante
Fullmetal
23 dias atrás

QUE CAPÍTULO PQP!!! Eu tinha comentado uns cap anterior que achava que ele voltaria na zona de neve pra aprimorar umas habilidade e falar com a tutora dele lá, voltou , mas não falou ( podia 😔). Sobre o destino, certeza que ele vai apresentar algum futuro “imutável” pro nosso garoto maravilha onde ele tem que sacrificar algo MT grande e então começa sua luta contra o destino. E, vi o pessoal comentando que acha que o Arthur está muito mais forte que indrah & agrona, não acho, pelo menos não ainda, mas vai ser mt f0da ver ele colocar um pouco de medo no rosto desses 2

🇰​🇮​🇳​🇬​ 🇬​🇷​🇪​🇾​😈D
Membro
🇰​🇮​🇳​🇬​ 🇬​🇷​🇪​🇾​😈
23 dias atrás
Resposta para  Fullmetal

Autor já falou que ele não vai ter mais núcleo de mana e tbm não faz sentido o legado manipula mana e pro Grey e desnecessário

Leleo
Visitante
Leleo
23 dias atrás

fase de integração bro não necessário núcleo de mana para usa-la, embora não seja mais necessário pro Art o Turtle tem validade suficiente na própria história para fazer com q o Art volte a usar mana se assim ele quiser ¯\_(ツ)_/¯

Noite
Visitante
Noite
23 dias atrás

Calma lá patrão ? A porra do destino personificado tá falando com o Arthur agora ?

E outra, a menção de como o núcleo de mana e de éter do Arthur se sobrepunham me faz pensar que ele conseguir manipular mana de volta não seja tão impossível

Eu particularmente gostaria muito se o Arthur conseguisse manipular ambos por meio de estar na fase integrada de mana e manter o núcleo de éter, pq assim além dele estar além do núcleo branco também não haveria interferência entre ambos

Victor Arthur
Membro
Victor Arthur
23 dias atrás

Finalmente, chegamos aqui! Foram 479 capítulos esperando por este momento, o Destino está em nossa frente! Segue abaixo o meu relato como fâ de TBATE.

TBATE é a obra mais importante da minha vida, leio a obra há quase cinco anos, já li a Webtoon diversas vezes, ouvi todos os áudiobooks em inglês umas 10 vezes, tranquilamente, adoro cada aspecto desta obra, amo os personagens, a mensagem e o sentimento passado em cada novo plotwist, foreshadowing e linha. Turtle, se tornou um dos meus autores favoritos em todos os aspectos literários possíveis, criando o masterpiece do arquétipo literário “Broken Ace” que é o Arthur/Grey. A obra teve decisões e momentos que poderiam ter sído melhor elaborados, como o protagonismo das Lanças durante a guerra, como o relacionamento de alguns personagens, mas, ainda sim, apesar de pequenos deslizes, Turtle, sempre demonstrou um domínio gigantesco do seu ritmo narrativo e na construção de personagens, se mantendo fiel às propostas narrativas e estabelecendo um world-building que beira um dos melhores dos animangãs na história.

Arthur é um personagem muito especial para mim, comecer a ler TBATE no início do meu Ensino Médio, e hoje, estou na faculdade, me senti uma criança crescendo e aprendendo igual ele, cometi meus erros, me dediquei e mesmo assim parecia que não era suficiente por muito tempo, o que me fez criar uma grande empatia e sentimento de identificação com o personagem, sinto que o Arthur é muito mais do que apenas um personagem de uma webtoon, sinto ele como algo quase vivo, como se fosse um ser humano real, com decisões racionais que fazem sentido, e que comete erros baseado no sentimento e nas emoções como nós fazemos quando estamos tristes. Em diversos momentos ruins que tive durante esses anos, chegar nas sextas-feiras e saber que haveria um capítulo de TBATE, era o que tornava o sentimento de ler essa obra tão especial. Sonho com o dia que isso virar anime, imagino os incríveis momentos dessa obra ao vivo e a cores, como a Sylvia conversando com o Arthur pela primeira vez, o Arthur lutando contra os Wraiths, a morte do Reynold, o Arthur ativando a 3º Fase do RealmHeart, e outros diversos momentos incríveis que essa obra nos proporcionou por anos,

Sinto que independente do que ocorrer daqui para frente com TBATE, vou amar independente do que for, adoro as decisões tomadas pelo Turtle, mesmo as mais controversas que geraram um grande hate nos fóruns de TBATE por ai a fora, acompanhei as discussões e teorias dos fãs pela Reaper por anos, mas, ficava muito acoado em participar delas, acabei perdendo a oportunidade de diversas conversas legais, aqui na Central, eu comecei a participar mais, e senti que fiz algumas teorias e comentários legais, se um dia eles forem apagados, pelo menos, as boas memórias vão ficar.

O que falar sobre esse capítulo? Se não, apenas contemplar a beleza que é uma conversa da Vovó Sylvia, com a nossa pequena e amada Sylvie, cada palavra, vírgula, expressão. Perfeito! Não trocaria nada, depois de muito aprendizado, dor, perdas e estudo. Arthur finalmente chegou naquilo que já estava “escrito e predestinado” desde o começo da obra, um dos melhores exemplos de metalinguagem já feito. O Destino está em sua frente, Art, o poder que você procurava para proteger quem amava, infelizmente, ele chegou tarde para impedir as mortes do Reynold, Adam, Angela, Dir. Wilbeck. Mas, ele chegou no tempo certo para você salvar sua casa, Alice, Ellie, para impedir que os Asuras continuem suas desgraças com as vidas das pessoas deste mundo mágico de Dicathen e Alacrya, e o principal, espero que seja poder o suficiente para salvar o amor de Arthur, Tessia. Nossa Elfa burra preferida, eu sei que dezenas de fãs preferem Caera, e que os xingamentos contra nossa Rainha, vêm sendo cada vez mais comuns. Mas, perdão, gente. Arthur fez uma promessa naquele fatídico capítulo 212, e eu não vou perdoar se ela não for cumprida! E também, há a conversa do capítulo 176 no telhado do castelo.

Apenas para concluir, fico muito feliz em ver esse trio: Arthur, Régis e Sylvie finalmente adquirindo o nível de poder necessário para ser um terceiro lado nessa guerra de literais Deuses contra mortais, nas palavras da própria Seris: “Arthur é o terceiro lado desta guerra, a última esperança”, tal cena que me lembra muito o capítulo 8 de Sandman, “The Hope in The Hell”, sendo Arthur a esperança e os Asuras a própria Ant-Vida (Clássica luta entre Lucífer e Morpheus) Quero ver ansiosamente o que aguarda esses próximos capítulos.

E nessa semana, saiu o cover da season 6 da Webtoon, com a noticia que ela retornará oficialmente em 2024, assim como uma segunda série de Spin-Off: “The Beginning of Love Story”, aparentemente, uma história de romance em universos alternativos, com as principais garotas da obra, como Caera, Kaithilyn e Tessia (talvez, expanda-se para Jasmine e mais). Vivemos uma boa era para fãs de TBATE! Obrigado por tudo, gente! Vamos acompanhar os próximos capítulos!

Nesto
Visitante
Nesto
23 dias atrás
Resposta para  Victor Arthur

“The Beginning of Love Story” foi somente uma brincadeira do primeiro de abril, estou enganado?

WarlocSRPD
Membro
WarlocSRP
23 dias atrás
Resposta para  Victor Arthur

Comentário incrível mano, deu pra sentir o quanto você gosta da obra. Só não foi melhor porque defendeu a Tessia kkkkk. Me sinto quase da mesma forma com essa obra maravilhosa, assim como você também acompanho ela há algum tempo e ela me ajudou a se animar em vários momentos difíceis da minha vida.

Última edição 23 dias atrás por WarlocSRP
DjonasK
Visitante
DjonasK
23 dias atrás
Resposta para  Victor Arthur

Seu comentário merece respeito. Também gosto da obra, mas não conseguiria compor as palavras com tal propriedade.
Me interessei pelos àudiobooks em inglês. Se puder me dar umas dicas de quais e onde conseguir, serei muito grato.
Vamos acompanhar os próximos capítulos!

Victor Arthur
Membro
Victor Arthur
1 dia atrás
Resposta para  DjonasK

Boa noite, Djonask! Cara, os áudiobooks em inglês, eles estão disponíveis na audible da Amazon para compra, eles estão atualmente no volume 10 (penúltimo volume). Eu recomendo muito você ouvir, a qualidade deles é ótima!

DjonasK
Visitante
DjonasK
23 dias atrás
Resposta para  Victor Arthur

Ah, Ji ae parece estar jogando com o destino também. Tive a impressão de que ela tem conduzido as coisas, mesmo ensinando Agrona.

Ryomen Sukuna
Visitante
Ryomen Sukuna
23 dias atrás
Resposta para  Victor Arthur

Spin-Off: “The Beginning of Love Story” duvido que o autor tem toda essa coragem de lançar essa obra prima que ele tem guardado na sua imaginação, “The Beginning of Love Story”, superaria “The Beginning After The End”. Capaz de até ganhar um anime primero que o material original.

leafar
Membro
leafar
22 dias atrás
Resposta para  Ryomen Sukuna

concordo cara kkkkk, mas seria muita massa ver como seria cada rota com as demais garotas, tipo uma versão menos trágica dessa pedra chave

REIKAI123
Visitante
REIKAI123
23 dias atrás

CINEMA

David
Visitante
David
23 dias atrás

Capítulo viajado do cacete, mas muito bom. Finalmente estamos chegando ao fim da saga pelo Destino. Quero ver porrada!

Impressão minha ou o Arthur terá um núcleo de mana e de Éter ao mesmo tempo? Combinar os 5 elementos ao mesmo tempo num feitiço seria foda!

leafar
Membro
leafar
23 dias atrás

ok, muitas coisas. Primeiro, satisfatório o regis trucidar o nico, segundo, muito massa o papo da silvie e Silvia, terceiro, agora nossa trupe sabe do Ji’ae, sei lá como escreve, mas se esse bixo vai ajudar ou atrapalhar, só o tempo dirá, quarto, o que será que esse up no realmheart nos trará, quinto, se minhas esperanças tiverem certas, todas as runas terão um grande buff, principalmente o vivum do reis, brabo, e ultimo, assim como meu mano loki disse, art vai bater um papo com seu velho amigo destino, muitas coisas virao.

Última edição 23 dias atrás por Rafael Moreira
Johann
Visitante
Johann
23 dias atrás

Puta merda, que capitulo foda. Agora vai.

ꓷၜȋၜꓓD
Membro
ꓷၜȋၜꓓ
23 dias atrás

Então como muitos de nós prevíamos no capítulo anterior (no qual Ji-ae é apresentada) nossa Vovó Sylvia conseguiu os mapas das Ruínas através da própria Ji-ae (quase 98% de certeza que o Destino fez com que a Ji-ae fornecesse isso a Sylvia e também acalmasse o coração dela informando sobre o futuro de sua filha).

Arthur, Sylvie e Regis tiveram um POWER-UP ENORME nesse capítulo de hoje, em TODAS ZONAS que eles passaram eles aumentaram o potencial de quase todas Runas-Divinas(Destruição/Realmheart/Requiem Aroa’s/Godstep) – e seus também seus Éditos (Vivum/Aevum/Spatium)… A única que não evoluiu o Insight dela foi o King Gambit, que é a próxima a ter uma evolução no próximo capítulo junto através do Haneul (Destino), o criador da ZONA que eu mais amo, que é a da Neve ❄️… Saudades Three Steps.

Esse “Destino” é muito engraçadinho haha, se apresentou como a personificação do Djinn “criador” dessa ZONA/CAPITULO que foi o (Haneul ou Hanuel) tudo por causa do Cristal de Memória que esse idiota pegou que tinha no armário da 2° DJINN após concluir o teste e deixou no Armazenamento Extradimensional e esse Cristal era do Djinn que criou o “Capítulo Nevado”.. E em seguida se apresentou como o Destino já que a trollagem não deu certo pois o Arthur não tava entendendo nd 😂… Esse Arthur -_- … Enfim. 
Ansioso pelo próximo capítulo e aumentarmos o Insight do KING GAMBIT e também para finalmente conseguirmos o Édito do Destino..

Gian Carlos
Visitante
Gian Carlos
22 dias atrás
Resposta para  ꓷၜȋၜꓓ

Esse capítulo me fez pensar se o destino será a única runa divina que o Arthur vai conseguir será o destino… ao que parece esse Haneul também descobriu como criar vidas a partir do éter… Desde o momento que foi apresentado a runa da destruição eu pensei na possibilidade quase certa de também haver uma da criação, será que ele também conseguirá essa habilidade?

Davi
Visitante
Davi
23 dias atrás

Firrrrrst

djinn com sono
Visitante
djinn com sono
23 dias atrás

depois desse cap ou vai continuar no arthur ou vai pro pov da cecilia, tess, nico, da ellie, alice, alguem de epheotus, ou, de alguém em dicathen

Última edição 23 dias atrás por djinn com sono
djinn com sono
Visitante
djinn com sono
23 dias atrás
Resposta para  djinn com sono

e quando o Art sair daí, provavelmente a guerra vai estar no ápice

Willian Carlos
Membro
Willian Carlos
23 dias atrás
Resposta para  djinn com sono

Acredito que ela vai começar de verdade, vejo até uma possível guerra civil na terra dos lagartos…

Matheus RochaD
Membro
Matheus Rocha
23 dias atrás

Puta que pariu, que Capítulo incrível. Não consigo nem imaginar por onde começar e dialogar.
Pelo visto as tais ” Runas divinas” se tornaram algo mais literal, quando eu cheguei nos semanais e o Arthur havia acabado de formar o núcleo de Aether a uns 2 anos atrás, eu tinha a total certeza que o Arthur tinha potencial pra se tornar onipotente, e esse capítulo aproxima ele cada vez mais disso, o conhecimento de combate dele já é com certeza o maior possível. Ele masterizou quase todo o seu arsenal e e expandiu exponencialmente suas capacidades, o Réquiem de Aroa permite um controle absoluto do espaço tempo, o Realmheart não sabemos agora que tipo de Buff tem, mas eu chutaria que o Arthur agora e capaz de fazer como fez na 3 fase da integração, manipular mana e Ether juntos e ao mesmo tempo, buffando os mesmos poderes e os mesmos ataques, fora todo o leque de conhecimento que ele transmite, o menos explorado até agora foi justamente oque o Arthur mais tem afinidade, que é a Runa do God step, gostaria de ver o Arthur evoluindo essa Runa pra algo mais em área, ele sempre usa pra teleportar a si mesmo, seria interessante ver ele podendo interagir com o ambiente ou até manipular o espaço de uma forma melhor, a Destruição deve estar turbinada, o Régis deve ser capaz de controla-la melhor, a Sylv tem suas próprias habilidades agora turbinadas e o Arthur se encontrou cara a cara com o próprio destino, oque ele reserva para o Arthur? Oque ele deseja do Arthur, porquê ele escolheu o Arthur? Ele manipulou literalmente tudo ??? O destino é um Deus que dita o futuro, ou algo imutável que está traçado desde o sempre ? Ele é a causa ou uma consequência? E acima de tudo, o quão forte o Arthur irá se tornar ? Ele atualmente já está anos luz acima da Cecília e do Agrona, e provavelmente em termos de conhecimento já superou o próprio Lorde Idrath, quem será o vilão final ? Aparentemente nenhum deles e mais um obstáculo, Arthur pode resolver a situação atual com um estalar de dedos, virou praticamente uma divindade ( isso se ele puder reaplicar oque ele faz na vida “real”, oque e uma certeza, a pedra não mostra algo que ele não seja capaz de fazer, mostra um potencial que pode ser atingido, e está sendo atingido) no fim da obra o Arthur pode ser tão poderoso quanto o Rimuru ou o Anos, o próprio Clã Idrath já manipulou o conceito de dimensão do seu mundo, então não e impossível. Arthur graças ao destino pode ser uma entidade ainda mais forte que esses personagens.
A questão é… Como o Turtle vai fazer o desfecho da obra ? Arthur vai se tornar o Rei do mundo ? Possivelmente, ele até teve uma vida dentro desse reino em que ele era o Rei de didicathen, e só não foi na “vida real” porque não quis. Ou vai meter aquela de que depois de tudo só quer viver uma vida tranquila com a família? Isso já é impossível, com tanto poder ele tem uma grande responsabilidade, fora que não sabemos o que é o legado de fato, fora essa questão do Multiverso nesse mundo de TBATE aí, pode ter uma entidade vagando pelo multiverso que só o Arthur pode parar, quem ????? O Legado. Ou até o seu criador, aquele que deixou o “Legado”

djinn com sono
Visitante
djinn com sono
23 dias atrás
Resposta para  Matheus Rocha

eu não li seu comentário todo, mas o que eu li, eu não acho que o Arthur esteja esteja anos a frente do Agrona ou do kezess, em conhecimento sim, pórem, eu não acho que ele vai consegui controlar o destino assim na vida real, até pq ele ta no gambito do rei. E essa questão de “entidade”, seria uma boa ideia de um vilão final

REIKAI123
Visitante
REIKAI123
23 dias atrás
Resposta para  djinn com sono

Imagina, o ser que implementou o legado(algo que nem Agrona ou qualquer outra pessoa é capaz de explicar, como o destino) escolheu a Cecília, e o destino escolheu o Arthur para eles serem seus representantes em uma batalha final, aí talvez eles se unam para enfrentar essas divindades. (viajei muito, mas tem chance)

Júlio Celso
Visitante
Júlio Celso
23 dias atrás
Resposta para  REIKAI123

Faz sentido já que um dos objetivos do destino é impedir que o agrona absorva o mundo e para isso acontecer ele precisa do poder do legado muito provavelmente a luta contra o agrona vai ser tessia e arthur contra o agrona

WarlocSRPD
Membro
WarlocSRP
23 dias atrás
Resposta para  REIKAI123

Há alguns capítulos atrás o próprio Agrona disse que o Arthur e a Cecília são como a bigorna e o martelo do mundo. Talvez isso tenha alguma relação com essa sua teoria.

Shadow
Visitante
Shadow
21 dias atrás
Resposta para  REIKAI123

Parando pra pensar, lembra que no povo de Aldir. Aldri faz menção aos deus supremos. Pena que Autor n falou mais nd relacionado a esses deuses

⦕ Lok1 ⦖D
Membro
⦕ Lok1 ⦖
22 dias atrás
Resposta para  djinn com sono

Mano, não inventa essa de vilão final igual a anime shounen que destrói o final com isso. Acho que o vilão ou vilões finais já estão bem definidos, Agora e muito provavelmente o Kezess.

ꓷၜȋၜꓓD
Membro
ꓷၜȋၜꓓ
23 dias atrás
Resposta para  Matheus Rocha

Ele ainda não está acima de AGRONA e KEZESS, não até o momento. Creio que ele vai ficar a par deles assim que sair da Pedra-Angular.. e ultrapassar eles será algo fácil assim que sair da Pedra-Angular.

Vilões finais serão eles mesmo irmão: Agrona e Indrath.
Porque? Simples: Kezess se finge de burro, mas certos Djinns rebeldes contaram a ele sobre o Destino, mesmo que seja superficial…. Agrona tomou pra si o potencial do LEGADO, isso é super perigoso…. Enfim.

Sobre o Godstep: Querendo ou não é a Godrune que ele mais upou né mano, então acho que o TM deve ter dado uma maneirada nela, pois ele já está criando até dimensões de bolso kkk e ele disse que nesse capítulo observou bastante as zonas que tinham um grande efeito de SPATIUM ou seja, vai dali buffada também. E digo mais, além do Destino, sinto que ele vai desbloquear uma “Nova Runa-Divina” igual ele desbloqueou Destruição/Godstep.. não sei pq to sentindo isso.
Enfim, nosso menino após desbloquear essa ultima Pedra-Angular quando abrir os olhos, vai estar completamente diferente….

Noite
Visitante
Noite
23 dias atrás
Resposta para  ꓷၜȋၜꓓ

Se duvidar o buff do godstep vai ser ele poder viajar entre as próprias dimensões variadas que existem, imagina ele sair de dicathen direto pra epheotos depois pra alacrya, relictombs e etc
Bglh pode acabar virando /tp

Noite
Visitante
Noite
23 dias atrás
Resposta para  Matheus Rocha

Gostei da teoria do realmheart, mas usar só dessa forma seria muito complexo

Talvez ele pudesse usar esse buff pra forçar o corpo dele a entrar na fase integrada/ criar um núcleo de mana novo
Já que sem um núcleo é muito difícil controlar mana ou éter, isso foi mostrado no início do arco das relic tombs onde ele só conseguia mover éter pq o Régis atraia ele

DjonasK
Visitante
DjonasK
23 dias atrás
Resposta para  Noite

Para manipular mana, no início, precisa formar um núcleo, mas a evolução é que, com conhecimento, deixa de precisar do núcleo (integração). Se essa regra valer para éter, a próxima fase seria deixar de ter núcleo de éter (integração do éter). KKKKKK

Noite
Visitante
Noite
23 dias atrás
Resposta para  Matheus Rocha

Existem muitas teorias mano

Mas uma que eu acho que seria interessante é o destino ser uma entidade e o fato do destino ter escolhido o Arthur é pq ele sempre esteve destinado a quebrar o destino

Basicamente acredito que o destino sempre soube que o Arthur seria capaz de estar acima dele e por isso ele foi escolhido

Ainda dá pra brincar dizendo que o legado tbm ta relacionado a uma entidade

Uma teoria que eu mesmo pensei é que o legado é literalmente um legado, o poder de uma entidade que já morreu ou deixou de existir e que é muito maior do que demonstrado, apenas a Cecília que não descobriu ainda como usar
E o Arthur seria uma espécie de legado pro éter, os dois sendo como avatares de entidades e no fim eles lutariam não como pessoas mas sim como conceitos
O destino ou a força/ poder algo assim

WarlocSRPD
Membro
WarlocSRP
23 dias atrás
Resposta para  Noite

Sim, até porque os Asuras já mencionaram que existia um Legado antes mesmo deles irem para a dimensão criada pelos Idranth (Epheotus)

⦕ Lok1 ⦖D
Membro
⦕ Lok1 ⦖
22 dias atrás
Resposta para  Matheus Rocha

Concorde que, em termos de conhecimento específico sobre as artes de éter, o Arthur está bem acima dos demais. Entretanto, o Arthur quase teve o núcleo destruído pela Cecília no último combate, como que ele tá anos luz a frente dela e do AGRONA ?

P.P
Membro
P.P
23 dias atrás

ta saindo da jaula

RobHyo
Visitante
RobHyo
23 dias atrás

Fiquei muito feliz lendo esse cap, como os três pareciam estar bem após muito tempo… a parte com o reencontro de mãe e filha, foi insano.

⦕ Lok1 ⦖D
Membro
⦕ Lok1 ⦖
23 dias atrás

Ok, isso foi um viagem do caralho. Bem, agora o Arthur vai trocar um lero com o destino e vai ter um upgrade ? E o que é isso armazenado no cristal, um Djinn, um insight do destino ou o próprio destino ? Muitas perguntas e 0 respostas. Pelo amor de Deus, que chegue logo a próxima semana com esse cap no meio do meus peito, e não um pov de outros personagens. 🙏 🙏 🙏

Última edição 23 dias atrás por ⦕ Lok1 ⦖
djinn com sono
Visitante
djinn com sono
23 dias atrás
Resposta para  ⦕ Lok1 ⦖

ele provavelmente vai sair dai com um insight do destino, ou quase isso pelo menos

ꓷၜȋၜꓓD
Membro
ꓷၜȋၜꓓ
23 dias atrás
Resposta para  ⦕ Lok1 ⦖

Loki, o que estava armazenado no Cristal Djinn era apenas a voz, tipo um Podcast, sendo narrado pelo criador da ZONA NEVADA sobre como ele fez a Zona, seres senciente de éter e etc… Não tem um DJINN, tem a voz de um DJINN fazendo um relato sobre as criações dele dentro dessa zona/capítulo.

E não, não tem Destino também, o Destino apenas fez uma brincadeira ao se apresentar para o Arthur daquela forma achando que ele tinha escutado o relato do Djinn que está “gravado” dentro do Cristal Armazenado na Runa dele, mas Arthur nunca escutou, apenas deixou na Runa até encontrar a 3° Ruína e 4° Ruína.
Destino é esse relatado no final do capitulo.. “Em vez disso, um emaranhado de fios dourados estava amarrado em uma forma vagamente humana.”

⦕ Lok1 ⦖D
Membro
⦕ Lok1 ⦖
22 dias atrás
Resposta para  ꓷၜȋၜꓓ

Opa, me expressei errado. Quando eu digo um Djinn, eu quero dizer a parte da consciência dele como nos outros cristais, eu sei que todos eles estão extintos. O que estou pensando é se esse é realmente o próprio destino falando ou alguma manifestação de uma ensight do destino.

Última edição 22 dias atrás por ⦕ Lok1 ⦖

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar