The Book Eating Magician – Capítulo 115

Misterioso #1

‘Myrdal Herseim!’

O rosto do Theodore ficou tenso pelo nome inesperado. Na verdade, não era surpreendente o Myrdal ser tratado como um sábio pelos elfos. Em um mundo onde os elfos superiores não podiam invocar os governantes elementais sem pegar emprestado o poder da árvore do mundo, Myrdal, no entanto, conseguiu invocar um com seu próprio poder.

Esse feito fenomenal era mais do que o suficiente para ele ser um convidado valioso de Elvenheim.

– “O Sábio Myrdal disse.” Ellenoa ignorou a confusão interna do Theo e começou a recitar a profecia em uma voz calma, – “No futuro, a sexta dançarina abrirá os olhos e os seres esquecidos acordarão de um sono profundo. Dois países competirão entre si e invocarão um desastre indescritível. Mas não há necessidade de temer. O convidado vindo de um lugar distante evitará o desastre. Quando isso acontecer, por favor, guie o convidado até aqui.”

– “…Essa é a profecia?”

– “Sim.”

Era como um quebra-cabeça misterioso, mas o Theo foi forçado a sentir um calafrio, já que tudo isso aconteceu.

Há cerca de cem anos, talvez mais do que isso, Myrdal visitou esta cabana e fez uma profecia. Ele previu os eventos que começaram com o nascimento da sexta dançarina, Ellenoa, e depois o aparecimento do Laevateinn e do visitante que o deteve.

Theodore pensou nisso e foi atingido por uma ideia maluca. ‘Impossível… Mesmo que ele possua um contrato com um governante elemental, por quanto tempo um ser humano pode viver?’

Ele conheceu algumas existências que viviam além dos padrões comuns de vida, como um mestre da espada que podia derrubar uma montanha com uma espada, ou um mago do 8º Círculo que podia resistir até mesmo a desastres naturais. Também tinha os guardiões de Elvenheim que podiam reverter uma situação com uma flecha.

No entanto, Theo não sentiu nada do tipo quando os encontrou. Este era um sentimento de admiração e medo incompreensíveis. Myrdal Herseim era algo completamente diferente dos mestres desta era. Naquele momento, um pedaço aleatório do quebra-cabeça se encaixou no lugar.

[ Um livro original foi consumido. Promovendo uma conexão com o Myrdal Herseim… Sucesso. Myrdal Herseim aceitou a conexão com o portador. ]

[ A conexão está começando. ]

“Conexão” foi um fenômeno que ele só experimentou quando ingeriu o livro Introdução à Magia Elemental.

– “Ah…!” Um som emergiu da boca do Theo. Não havia nenhuma evidência para apoiar sua especulação, mas sua intuição estava convencida de que ele estava certo.

Nos registros da Sociedade Mágica, Myrdal Herseim era um grande mago que entendeu os elementais além do que qualquer outro há 300 anos…

E ele ainda estava vivo. Talvez não tenha sido uma coincidência o Theo ter feito um contrato com a Mitra. A fim de trazê-lo até esta cabana, Myrdal pode ter arranjado alguma coisa. No entanto, enquanto ele estava ponderando, Ellenoa continuou sua explicação.

Mas logo ela chegou ao fim. – “…Isso é tudo que eu posso te dizer.”

Felizmente, uma parte do Theodore estava ouvindo e ele podia lembrar de todas as palavras que ela disse. Apenas uma pessoa podia entrar de cada vez, então ela explicou como usar a Fonte da Sabedoria. Ele inscreveu as instruções em sua mente.

Após terminar a explicação, Ellenoa abriu a porta. Então a escuridão o acolheu.

‘É outra porta espacial.’

A porta levava a outro espaço, então, embora a cabana parecesse surrada, o interior era completamente diferente. Theo deu um passo antes de se virar para a Ellenoa e dizer, – “Eu já volto. Espere um pouco.”

– “Ah...” Ela piscou como um esquilo surpreso enquanto o Theo desaparecia completamente na escuridão da cabana.

Simultaneamente, a porta surrada fechou e a Ellenoa ficou sozinha. No entanto, ela não se sentiu mal apesar de estar sozinha. Theo disse para ela esperar e que ele voltaria logo.

Ellenoa respondeu um pouco atrasada, – “…Sim, eu vou aguardar.”

Suas orelhas espreitavam pelos cabelos como um coelho enquanto ela abaixava o rosto vermelho.


Após a tontura familiar das viagens espaciais, Theo alcançou um espaço além do limite da cabana.

Esta era a Fonte da Sabedoria. Ele pisou em um dos mistérios dos elfos, cujo verdadeiro nome foi esquecido.

Quando ele percebeu a realidade, uma exclamação fluiu da boca do Theodore, – “…De fato! É por isso que ela é chamada de Fonte da Sabedoria.”

Era literalmente uma fonte. A fonte era transparente o suficiente para ele ver o fundo, e tinha uma luz azul brilhando dela. De acordo com a descrição da Ellenoa, toda a sabedoria registrada dos elfos estava contida nesta água mineral. Parecia água mineral, mas não era. Além disso, não era possível entrar em contato com ela, a menos que uma cabaça da árvore do mundo fosse usada.

Theo queria explorar os princípios mágicos desse lugar, mas isso levaria mais de um ou dois dias. O tempo limite deste lugar era de 30 minutos, então ele tinha que priorizar o que ele queria saber.

Dakak.

Primeiro o Theo pegou uma cabaça pendurada na parede, como a Ellenoa descreveu. Ela foi feita de uma semente da árvore do mundo, mas não tinha tanta diferença de outra qualquer. Era só um pouco mais leve que uma cabaça normal.

‘Só uma vez.’

Houve um som quando a água mineral azul entrou na cabaça. Ele tentou mergulhar os dedos como um teste, mas tudo o que ele sentiu foi o ar. O mesmo aconteceria se ele pulasse na água da fonte; seria como cair em um buraco profundo. Este era um lugar que estimulava a curiosidade intelectual dos magos.

Theodore colocou os lábios na cabaça.

“Beba da água mineral e pense na sabedoria que você quer descobrir. Então você receberá uma resposta para essa pergunta.”

A água mineral azul fluiu. Passou dos seus lábios para sua língua e seguiu até sua garganta. No entanto, Theo não conseguiu sentir nada. Além do sabor, não havia sensação de líquido em sua boca. De acordo com a Ellenoa, beber era apenas um ritual para inserir o espírito da fonte nele.

‘Myrdal Herseim.’ Então ele começou a pensar bastante sobre a existência que o lembrava uma cordilheira, os olhos que se assemelhavam ao oceano… o velho com os cabelos e barba branca.

Theo se lembrou das memórias daquele dia em que ele não conseguiu nem levantar um dedo. Então enquanto a cabaça esvaziava…

Wuuuuuu.

A água azul começou a oscilar. A água clara e transparente brilhou com uma luz branca antes de se mover para frente e para trás, como uma onda erguendo seu corpo.

Não, não era uma onda erguendo seu corpo. Não era nem mesma a água. No meio da fonte, uma imagem parecida com um humano apareceu. Ela quebrou e se fundiu várias vezes, mas o Theodore conhecia a forma final.

Era o velho de presença magnífica, Myrdal.

– [ Hoh, o convidado pelo qual eu estive esperando finalmente chegou. ]

– “…Myrdal Herseim.”

Apesar de já ter se encontrado com ele uma vez, Theo mal conseguiu falar. Era apenas uma forma reproduzida pela Fonte da Sabedoria, mas a presença do Myrdal era notável. Theodore tremeu como se um peso estivesse esmagando seus ombros.

No entanto, Theo estava diferente daquela época. Ele cresceu em círculos e como pessoa. Portanto, Theo era capaz de ficar firme sem ser perturbado pela presença do Myrdal.

O velho sorriu gentilmente com a visão. – [ Você melhorou. Você ainda é imaturo, mas melhorou. Podem estar incompletas, mas você ganhou as chamas primordiais. Se você não se importar, eu, Myrdal, gostaria de ouvir seu nome. ]

– “Theodore Miller.”

– [ Theodoro… Não, Theodore. Haha, é um nome engraçado para um mago. ]

Myrdal achou engraçado…? No entanto, antes que o Theo pudesse perguntar o motivo, Myrdal o chocou com as próximas palavras.

– [ Já faz algum tempo, “Ganância”. Não, ou agora eu devo chamá-lo de Gula? ] O velho falou diretamente com a mão esquerda do Theo.

Theo não sabia como, mas estava evidente que o Myrdal Herseim conhecia o Gula. Porém ele nem teve tempo de expressar sua surpresa enquanto uma boca aparecia em sua mão esquerda e uma voz fluía dela.

– …Sim, você. A voz do Gula soava nervosa. – Um fragmento de memória me chamando, que pretensioso.

– [ Huhu, por favor, me perdoe. Eu previ sua visita, mas não posso me mover neste momento. Então, eu sou forçado a cumprimentar você e o seu contratante dessa forma. ]

– Dando desculpas… Talvez por se sentir desconfortável, Gula mudou de assunto sem mais reclamações.

De fato, a atitude branda do Gula estava diferente do habitual. Em outras palavras, essa pessoa chamada Myrdal Herseim era alguém que deixava o Gula nervoso e desconfortável. Theo ouviu atentamente a conversa entre eles.

Gula foi direto ao assunto primeiro. – Eu me pergunto como você ainda está vivo. Explique porque você esperou por mim, não, pelo meu portador. Se a resposta não for aceitável, eu considerarei você como um “inimigo” de agora em diante.

– [ Você ainda é muito inflexível. Eu que permiti que o seu portador assinasse um contrato elemental. Você não deveria estar mais alerta? ]

No entanto, Gula permaneceu em silêncio. Este foi um protesto silencioso que significava que ele não ouviria mais bobagens. Foi a primeira vez que o Gula agiu cautelosamente com alguém, então o Theo observou o confronto com um humor estranho.

No final, Myrdal levantou as mãos e respondeu em voz baixa, – [ É porque seus pensamentos são muito diferentes. ]

– Meus?

– [ Isso mesmo, Gula. Diferente dos outros seis, você não presta muita atenção ao destino do mundo. Orgulho que quer consumir todas as espécies, aquele que quer parar o mundo atual… ]

Então o Gula gritou em uma voz aguda, – Pare!

Myrdal fechou a boca como se estivesse esperando. Theo não sabia o que estava acontecendo, mas ficou claro que o Myrdal disse algo que estimulou o Gula. Deve ser algo ruim, considerando que o Gula que quase não possui emoções foi forçado a gritar. Theodore examinou as poucas palavras que ele ouviu.

‘Myrdal mencionou o Orgulho. Sendo assim, o resto das informações que o Myrdal ia dizer…’

Era sobre o resto dos Sete Pecados. Como se estivesse afirmando a ideia do Theo, Gula falou com o Myrdal em uma voz que não escondia sua raiva, – Você está tentando me ameaçar? Um remanescente dos mitos.

– [ Eu estou pedindo educadamente. ]

– Você com certeza é bom de papo.

Theo não conseguia entender a conversa. Ele só percebeu que os dois tinham concordado em algo. Myrdal queria expor algo para o Theo, mas o Gula o impediu antes de ceder um pouco.

No final, Gula acenou a bandeira branca e falou com uma voz irritada, – Eu vou tolerar só uma vez.

– [ Obrigado por sua generosidade. ]

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar