The Book Eating Magician – Capítulo 215

A Turbulência de Uma Guerra Civil #2

O Reino Religioso de Lairon…

Como um reino religioso, Lairon era um reino construído sobre a base de uma religião. Ficava no meio do Continente Central e havia uma razão pela qual Lairon podia suportar ter fronteiras com quatro países.

Eles eram fortes. Lairon era um dos reinos mais fortes da região central, mesmo eles não sendo comparáveis às potências do norte. A fonte de seu poder, que conseguia barrar quatro reinos, era uma terceira força, que não era magia nem habilidade de espada.

Era a única Ordem Sagrada do continente. Eles eram um grupo que resolveu recuperar todos os restos deixados para trás dos deuses da Era da Mitologia.

O rei, ou para ser mais preciso, o Papa Bento I, foi o primeiro a exercer o poder de um deus absorvendo os restos mortais de um. Então ele trouxe abundância para a terra seca e deu um poder misterioso àqueles que se submeteram ao nome de Lairon.

Na Idade das Trevas, após a Era da Mitologia, houve um ressurgimento do interesse nos “deuses” e “paladinos”.

– “Nos registros antigos, eles eram louvados como santos que curavam os feridos e lutavam contra a injustiça. Eles eram adultos que encarnavam diretamente a justiça.” Enquanto o Marquês Piris falava, um pouco de desprezo encheu sua voz enquanto eles caminhavam pelo corredor. – “É pura bobagem.”

Os paladinos eram enganosos e mais ansiosos em explorar do que ajudar as pessoas. Os cardeais percorriam os países uma vez por ano pedindo “doações”, e o papa atual era verdadeiramente arrogante. Além disso, a igreja construiu uma instalação para fazer lavagem cerebral nas crianças, e todos os que se rebelavam contra o regime eram rotulados como hereges.

Em essência, eram pessoas cruéis que fingiam ser misericordiosas.

‘A aparência exterior deles é falsa.’ Não havia nada mais apropriado para descrever o Reino de Lairon.

Piris olhou para o grupo que o seguia e seu rosto escureceu antes de ele acrescentar, – “Isso não é tudo. A carta foi enviada com o filho do Marquês Baek, porque há uma oportunidade que garantirá a intervenção do Reino de Lairon.”

– “O que você quer dizer com oportunidade…?”

– “Eu vou falar sobre isso na sala de reunião.”

Depois de dizer isso, o marquês entrou em uma passagem secreta, pois a presença de Meltor tinha que ser escondida até a guerra civil começar a sério.

Todas as tropas de Meltor foram escondidas nas cavernas costeiras, e os suprimentos que podiam suportar mil pessoas por um mês foram completamente camuflados. Eles estavam convencidos de que teriam a vantagem desde que não fossem pegos.

Depois de um tempo, o marquês acenou no final da passagem secreta, – “Venham todos. Cinco pessoas podem conversar sem pressa nesta sala.”

Era como ele disse. Depois de passarem por uma caverna úmida, os quatro convidados foram recebidos com ar quente e móveis antigos. O Mestre da Torre Branca Orta, comandante geral do exército da expedição, se sentou primeiro. Ao lado do Orta estavam o Theodore, o Visconde Carter e depois o Vince.

Uma luz encheu os olhos do marquês quando ele viu isso. ‘Hoh?’

Foi porque ele não conseguiu encontrar nenhuma insatisfação nos rostos dos outros dois, apesar do segundo em comando ter menos de 30 anos. Em outras palavras, era um reconhecimento completo do status do Theodore.

No entanto, como qualquer nobre astuto, o marquês não revelou seus pensamentos interiores. Em vez disso, ele ferveu o chá na chaleira e agradeceu ao grupo que chegou de tão longe. Depois disso, ele continuou falando sobre Lairon novamente, – “Cerca de dois meses atrás, um emissário veio de Lairon.”

O emissário do Reino de Lairon era um cardeal que se chamava Antonio e ele entrou no palácio do Príncipe Elsid com ousadia. Apesar da segurança dos cavaleiros, ele apareceu diante do príncipe.

É um prazer conhecê-lo, Príncipe Elsid. Eu sou um servo fiel de Lairon, Cardeal Antonio.

Os cardeais, juntamente com os cruzados, eram conhecidos como as lanças e escudos de Lairon. Um cruzado exercia o poder de deus com suas espadas e escudos, enquanto um cardeal criava milagres recitando cânticos especiais como magia.

Surpreso com a visita, Elsid perguntou o que o Antonio queria.

Lairon nos disse que você terá que nos servir se quiser ter sucesso.

 O que você está tentando dizer, Cardeal Antonio?

Não é grande coisa, Vossa Alteza. Simplesmente construa um templo adorando Lairon, depois envie 100 nobres que aprenderão nossos ensinamentos e os pregarão diretamente em seu reino. Se fizer isso, Vossa Alteza não terá problemas em obter a coroa.

Compreensivelmente, o príncipe ficou furioso.

– Ridículo! Como se atreve a tirar sarro de mim com essa língua astuta?! Lairon é o deus de vocês, não o deus do Reino de Soldun! Se for continuar com isso, vá embora!

Os cardeais eram famosos por seu fanatismo, que não tolerava insultos, mas a resposta do Antion foi calma. Ele sorriu maliciosamente e desapareceu da presença do Elsid tão repentinamente quanto apareceu. Sua expressão mostrou que o Elsid se arrependeria da decisão daquele dia.

O marquês explicou até esse ponto e suspirou com um rosto cansado. Raiva ferveu dentro dele enquanto ele se lembrava disso. Antonio se esgueirou no palácio e ameaçou o príncipe. O Reino de Lairon podia ser forte, mas Soldun não era um reino fraco. As palavras do Antonio não foram uma proposta ou conselho, mas um insulto.

– “Ainda assim.” Orta murmurou depois de ouvir a história. – “É sem precedentes. Se recusarmos as condições impossíveis, eles irão para o outro lado. Somos hereges que rejeitaram a graça de Deus.”

– “…Isso é uma justificativa para a guerra?” Theodore perguntou.

Orta assentiu enquanto bebia seu chá. – “Pode não ser normal, mas desta vez há um poder no reino que concorda com eles. Os nobres provavelmente aceitaram a proposta de Antonio.”

– “Então, o reino não acabará sendo um tributário do Reino de Lairon?”

– “Eles preferem ser a cabeça de uma cobra do que a cauda de um dragão. Esse é o caso do Duque Cornwall.”

As palavras do Orta estavam erradas? O marquês suspirou profundamente. – “Precisamente. Duque Cornwall é de uma família que sempre trabalhou de forma independente desde o passado. Ele é uma pessoa que quer superar o título de duque.”

Um nobre que queria ser rei, mesmo que fosse apenas em nome, e um reino que queria um fantoche que seguisse sua vontade…

Os interesses dessas duas forças coincidiam.

O Duque Cornwall era o chefe da facção que se opunha ao Príncipe Elsid; portanto, um expurgo direto ou indireto não podia ser evitado após a obtenção do reinado. O duque pensou que era uma grande oportunidade para uma revolução, mesmo tendo arrastado o Reino de Lairon.

No entanto, Theodore tinha mais uma pergunta. – “Isso me lembra, onde está o Lorde Baek? Eu ouvi dizer que ele se tornou um marquês…”

– “Ah, ele está— não, espere um minuto.” Depois disso, o Marquês Piris se levantou e puxou um mapa pendurado na parede dos fundos.

Era um mapa estratégico detalhando todas as propriedades e tropas do Reino de Soldun. O mapa estava aberto, como se todos os detalhes já tivessem sido completados.

Então ele apontou para uma parte no mapa aberto. – “O Marquês Baek recebeu o Estado de Atron. É necessário ter sua força na fronteira da área que contém a facção dos nobres. Sua família principal permanece em Piris, mas as tropas principais se moveram para Atron com o Marquês Baek.”

Orta estava olhando o mapa quando de repente ele estendeu a mão e apontou para uma parte vermelha. – “E essa propriedade em vermelho no mapa?”

– “É o Marquês Fergana. Ah, você conhece o Marquês Fergana?”

– “Claro.”

Não apenas o Orta, mas o Theodore, o Visconde Carter e o Vince também já ouviram esse nome. Era o nome de um dos dois mestres do Reino de Soldun — o mago do 7º Círculo, Marquês Fergana. Vince expressou com raiva, – “Isso significa que um mago do 7º Círculo foi contra seu país e se juntou aos nobres? Eu não consigo entender.”

– “A única filha do Marquês Fergana se casou com o Duque Cornwall.”

– “Ah.”

Não tinha como evitar se envolvesse relações de sangue. Vince se convenceu e recuou.

No entanto, desta vez o Carter avançou. – “E quanto ao Conde Mersen? Se o outro mestre de Soldun se unir aos nobres, essa luta será difícil.”

– “Ah, o Conde Mersen declarou neutralidade.”

– “Neutralidade?”

Fazia sentido permanecer neutro em uma guerra civil que decidiria o futuro do reino? O grupo de pessoas olhou de forma confusa para o Marquês Piris. No entanto, ele apenas encolheu os ombros. – “Ele não tem tempo para se preocupar com a mudança de regime. Ele não pode sair do seu território porque está se defendendo contra os ataques dos bárbaros do sul.”

Se isso fosse verdade, podia ser tanto sorte quanto infortúnio. Com o Marquês Fergana e o cruzado desconhecido, os inimigos tinham dois mestres. Se o Conde Mersen se juntasse a eles, haveria três. Do lado do príncipe, havia apenas um mestre disponível, então não haveria esperança de ganhar se não houvesse reforços.

Com a adição do Theodore e do Orta, o lado do Príncipe Elsid passou a ter três mestres, colocando o Duque Cornwall em desvantagem. Naquele momento, Theodore sentiu o olhar do Orta nele.

‘…Ah, entendo.’

Theodore imediatamente reconheceu o significado do olhar do Orta e interrompeu seus pensamentos momentaneamente. Meltor tinha dois mestres presentes… Será que essa informação devia ser divulgada ao Marquês Piris?

Orta deixou para a pessoa envolvida decidir se a informação devia ser revelada. Theodore pensou nisso antes de balançar a cabeça levemente. ‘Eu vou esconder essa informação por agora.’

Por mais minucioso que o Marquês Piris fosse, não havia certeza de que os olhos do inimigo não pudessem alcançá-los.

Não havia um ditado que dizia, “se quiser enganar seus inimigos, comece enganando seus amigos”? Portanto, Theodore decidiu ocultar seu poder de combate. Orta e Baek Jongmyung podiam igualar os dois mestres do outro lado, por isso era mais eficiente para o Theodore se mover separadamente.

Orta assentiu, depois se virou para o Marquês Piris e disse, – “A explicação é suficiente.”

Eles ouviram tudo o que precisavam saber. Então o Orta colocou vários modelos no mapa. Havia diferentes modelos baseados em infantaria, cavalaria e magos. Cada um deles era de tamanho diferente, o que representava o número de tropas, então o Orta colocou os modelos no lugar, com base na explicação que acabou de ouvir.

– “A partir de agora, vamos discutir o movimento das tropas.”

Era o início da reunião estratégica.


Em conclusão, o papel do Theodore não era diferente do que foi discutido antes de ele sair de Meltor. Ele se moveria separadamente das tropas regulares. Depois de consumir a Bolsa de Aiolos, Theodore melhorou no uso da magia espacial. Podia não ser tão rápido quanto o Orta, mas o Theodore ainda podia se mover a uma velocidade incrível.

Ele também tinha mais poder de fogo que o Orta. Enquanto o Theodore combinava poder de fogo e mobilidade, ele estava mais perto de um exército do que de um indivíduo. Se tratando de guerra, ele era várias vezes mais forte do que outros magos do 7º Círculo ou mestres da espada.

O problema era que ele tinha que seguir sozinho para exercer seu poder.

– “Theo.” Sylvia chamou. Ela foi a primeira pessoa a entender esse problema. – “Não podemos ajudá-lo, não é?”

– “Sylvia.”

– “Eu não estou reclamando. Diga-me honestamente. No momento, seremos um fardo para o Theo se nos movermos juntos, certo?”

Foi uma análise fria. Theodore olhou nos olhos azuis da Sylvia em vez de negar suas palavras.

Afinal, era exatamente como ela disse. Como um mestre do 7º Círculo que despertou sua Feitiçaria e se tornou pioneiro em um novo território, Theodore podia dizer que o resto da unidade seria apenas um fardo em uma luta entre mestres. Eles seriam um fardo ainda mais pesado se tratando de uma guerra de guerrilha.

A quantidade de poder mágico consumida para o movimento espacial aumentaria, e o tempo necessário para o acerto e a fuga também aumentaria bastante.

– “…Entendi.” Sylvia olhou para o acordo tácito. – “Mas aquelas pessoas seriam capazes de acompanhar você.”

‘Aquelas pessoas?’ Theodore inclinou a cabeça para um lado, mas a Sylvia não explicou. Não, ela não queria explicar. Ela não queria mostrar a ele seu lado ciumento.

Ela percebeu que precisava de mais poder para ficar em pé de igualdade com suas rivais que tinham cabelos vermelhos e azuis. Ondulações começaram a se formar dentro da silenciosa Sylvia. Ela lutou com as emoções fervendo dentro dela antes de mal conseguir falar.

– “É só desta vez. Da próxima vez, eu não deixarei você ir sozinho.”

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar