The Book Eating Magician – Capítulo 229

Presentes do Elsid #1

Independentemente da época, as guerras nunca eram uma coisa boa. Eles consumiam recursos e o processo sempre era duro para os ombros do perdedor.

Os líderes vitoriosos tinham que justificar os benefícios que obtiveram com o conflito armado e por que as pessoas tiveram que sangrar. A raiva e os ressentimentos das pessoas não iriam embora só porque tudo havia terminado.

As guerras consumiam tudo…

Os vitoriosos deviam matar tantos quantos aqueles que morreram…

E destruir tanto quanto aquilo que foi quebrado.

Essa era a política de vingança em igualdade, e essa linha seria cruzada no momento em que eles permitissem que as emoções tomassem conta de suas decisões. Eles estavam sofrendo com a perda e queriam usar a violência como resposta. Mesmo assim, eles não conseguiram recuperar o que foi perdido na guerra. Não, mesmo que não pudessem, eles ainda tinham que fazer isso.

Todos sabiam que era uma corrente de vingança, mas ninguém podia escapar. No entanto, isso realmente não se aplicava a esta guerra.

– “…É complicado, pois essa é uma guerra civil.”

– “Eu concordo, Vossa Majestade.”

Os vencedores da guerra civil, Elsid e seu conselheiro Marquês Piris, suspiraram. Seria mais confortável se esta fosse uma guerra normal. O vencedor teria o direito de adquirir todos os territórios do perdedor e reabastecer os recursos consumidos na guerra.

No entanto, isso não era possível em uma guerra civil. Os nobres também faziam parte do Reino de Soldun, enquanto os soldados eram seu sangue e sua carne. Elsid pode ter sido capaz de cortar a cabeça do líder da facção dos nobres, mas explorar suas propriedades seria apenas comer da sua própria carne.

Ele olhou para os documentos em suas mãos com uma expressão complexa. – “Aqueles que arbitrariamente se juntaram ao exército do duque serão punidos, mas é difícil se livrar daqueles que apenas apoiaram com algumas tropas ou suprimentos.”

– “Eles provavelmente também não queriam se juntar aos rebeldes.”

– “No entanto, eles não tinham força para declarar neutralidade e não tiveram coragem de recusar as exigências do duque. Eles não são inocentes, mas… será demais puni-los com a pena de morte.”

Essa era a tristeza dos fracos. Aqueles dentro da esfera de influência do Duque Cornwall não foram capazes de receber a proteção do Príncipe Elsid e não tiveram escolha a não ser fornecer tropas. Se o duque tivesse vencido e eles não tivessem cooperado com ele, eles seriam pisoteados pela força esmagadora do duque.

Se essas pessoas fossem executadas, claramente tornaria os assuntos do reino mais turbulentos.

– “Confisque 80% de seus bens e os proíba de cruzar as fronteiras de suas propriedades pelos próximos três anos. Se houver um pedido oficial, eu darei permissão para sair de acordo com as circunstâncias.”

Não era muito diferente de absolver oficialmente aqueles rebeldes menos importantes. Os conselheiros ao redor do Elsid pareceram surpresos, mas aceitaram taciturnamente que não havia alternativas. Havia algo mais importante do que aqueles pecadores, e eles não estavam falando sobre o Duque Cornwall, cuja execução já havia sido decidida. Era outra coisa.

– “Marquês Fergana. O problema é como lidar com ele.”

Como um dos dois únicos mestres do Reino de Soldun, perder um mago do 7º Círculo era doloroso de várias maneiras. Em primeiro lugar, ele não estaria envolvido nas forças rebeldes se o Duque Cornwall não fosse seu genro. Talvez o duque tivesse previsto isso e planejado o casamento por esse motivo.

No entanto, agora eles estavam nessa situação.

– “É demais matá-lo, mas não podemos deixá-lo livremente.”

Sua punição deveria ser diferente da dos nobres menos importantes que participaram da guerra. Afinal, o Marquês Fergana tinha o poder de resistir ao Duque Cornwall, independentemente de suas relações familiares. Era impossível para eles perdoarem suas ações.

Não, não apenas eles. Até mesmo o Elsid não podia perdoar facilmente o Marquês Fergana. Então, Elsid pediu conselho aos magos de Meltor, – “Existe alguma magia para restringir a vida e a vontade de uma pessoa do 7º Círculo, fazendo-a se submeter completamente?”

Parecia ridículo, mas o mago de máscara branca acenou com a cabeça tranquilamente. Apesar de ser um estrangeiro, ninguém contestou o seu direito de participar desta reunião. Ele era o comandante principal do exército de Meltor, o Mestre da Torre Branca Orta.

– “Contanto que você dê o consentimento, não é uma tarefa impossível.”

– “Por favor, explique em detalhes.”

– “É um feitiço chamado Juramento de Obediência.”

Esta era a magia que os governantes costumavam usar no passado distante, quando eles não acreditavam na lealdade de seus seguidores.

Independentemente de a origem da pessoa ser baseada em aura ou magia, o estigma da obediência completa seria gravado em seu coração. O acordo mágico tornava impossível para estranhos interferirem. Uma vez aplicado, não seria resolvido até a morte.

Era uma técnica que costumava ser usada em vários países há três séculos, mas atualmente estava quase intocada. No entanto, não era devido a um motivo humanitário. Era que o número de magos experientes que podiam usar o Juramento de Obediência foi reduzido.

Elsid ouviu o Orta antes de falar em voz baixa, – “Esse procedimento… Posso pedir sua ajuda com ele?”

Ele entendeu os horrores da técnica, mesmo sem ouvir a explicação. No entanto, Elsid não tinha outra escolha.

Neste ponto, ele não podia perder o Marquês Fergana. Ele estava sentado no trono graças à ajuda de Meltor, mas a ameaça do Reino de Lairon ainda permanecia. Não havia razão para o Elsid hesitar, considerando que ele fez uma troca voluntária com o Oriente. Como rei, ele tinha que priorizar o futuro do Reino de Soldun, mesmo que privasse uma pessoa de sua dignidade.

– “Entendido. Por favor, deixe-me sair para que eu possa preparar as ferramentas.”

– “Eu permito. Mais do que qualquer outra coisa… eu estou muito grato.”

Orta assentiu para o Elsid antes de se virar. O Mestre da Torre Branca podia se curvar a outro rei, mas ele não seria submisso. Pouco tempo depois, a reunião foi encerrada. Os comandantes do exército rebelde, incluindo o Duque Cornwall, foram condenados à morte, enquanto o Marquês Fergana recebeu uma punição especial. Os nobres menos importantes que involuntariamente se juntaram aos rebeldes receberam uma punição leve, enquanto aqueles que capturaram o Duque Cornwall receberam suas recompensas.

Elsid viu isso e não pôde deixar de murmurar, – “Há um longo caminho a percorrer, sério.”

A revolução do Reino de Soldun havia apenas começado.


Aquele dia foi oficialmente registrado como a data em que a “Guerra Civil do Elsid” terminou.

O Duque Cornwall e os 32 nobres que haviam causado a rebelião assim que o rei morreu foram pegos um por um para serem executados. Alguns choravam enquanto outros respiravam baixinho, como se já estivessem conformados com seus destinos.

O Duque Cornwall foi o único que teve uma reação diferente. Ele tinha correntes em ambos os pulsos e tornozelos e olhou para Elsid enquanto se ajoelhava.

Então ele olhou para o trono e disse, – “…Você acha que está sentado neste trono por causa de suas próprias forças? Sem a família Cornwall, não haveria Soldun! Eu sou o verdadeiro descendente do rei!”

– “Esse cara rude!” O carrasco deu um soco no duque.

No entanto, o duque não parou de falar, apesar de seu ferimento. – “Me chame de traidor! Mas você não é qualificado para me punir! Você também pegou emprestado o poder de outro reino!”

– “…Bem, suas palavras não estão totalmente erradas.” Elsid nem mesmo ergueu uma sobrancelha ao encarar o duque com uma atitude significativa. Ele olhou para baixo com olhos frios para a pessoa que ainda não havia percebido sua loucura até o fim.

O Duque Cornwall não entendeu por que não foi capaz de vencer.

– “No entanto, você perdeu. Em uma situação onde você não tinha linhagem de sangue ou legitimidade, você nem sabia que estava sendo usado como uma marionete e acabou fugindo.”

– “Q-Quê?”

– “Você não tem sorte, sabedoria ou coragem para assumir a responsabilidade por seus erros. Tal pessoa não merece o trono.”

O duque morreria ali. Elsid ergueu a mão esquerda. Era o sinal para impor a punição.

A boca do Duque Cornwall se abriu enquanto o machado do carrasco descia. A tentativa do duque de refutar o insulto ao seu orgulho foi interrompida. A lâmina afiada do machado cumpriu sua missão com a perfeição de sempre.

A dignidade com que o Duque Cornwall viveu chegou ao fim e sua cabeça caiu com uma expressão desagradável.

Elsid baixou os olhos para ele com uma expressão desconhecida.

– “Parabéns pela sua coroação, Vossa Majestade.”

Ouvindo uma voz por trás, Elsid virou a cabeça. A pessoa de máscara e túnica branca era o Mestre da Torre Branca Orta. No entanto, não era apenas ele. Vince, Visconde Carter e o Theodore também estavam reunidos com ele.

Elsid recebeu as palavras e encolheu os ombros com uma risada leve. – “…Me parabenizando depois da morte do duque? Você é bem meticuloso.”

– “Não há garantia antes que as brasas sejam apagadas.”

– “Isso mesmo. Não há nada de errado em ser cuidadoso. Agora, a propriedade do Cornwall reverterá para a coroa.”

A atmosfera ficou mais leve enquanto eles começavam a falar sobre as terras e o Elsid descia do trono. A execução do Duque Cornwall foi a última, então o Elsid não precisava mais ficar sentado no trono.

As execuções do dia encerraram completamente a guerra civil. A cerimônia de coroação podia ainda não ter acontecido, mas o Elsid já havia se tornado o rei. Ele deu dois passos à frente e disse aos convidados, – “Isso me lembra, você disse que iria embora em um futuro próximo?”

– “Sim, não somos livres o suficiente para ficar aqui por muito tempo.”

– “De fato… Mas será que vocês não poderiam ficar até esta noite?”

– “Você precisa de mais alguma coisa?” Era uma pergunta que parecia rude, mas o Orta a fez sem hesitar. Elsid pode ter vencido a guerra civil, mas o Reino de Soldun estava longe de ser capaz de ganhar sua capacidade adequada.

Orta pediu para não dar muita importância à presença deles, se possível, então ele ficaria muito descontente se o Elsid dissesse que haveria um banquete.

Elsid entendeu e negou apressadamente, – “Não, não é isso. Não é o que você está pensando. Há muitas coisas a serem feitas por agora.”

Eles tinham que restaurar os edifícios destruídos pelos cercos, bem como indenizar as famílias dos soldados mortos. Elsid subiu ao trono, então ele tinha a responsabilidade de suportar todo esse fardo e estabilizar os sentimentos públicos. Não havia chance de ele dar um banquete.

Orta leu a verdade no rosto do Elsid e olhou para ele com curiosidade. Embora o Orta achasse que não havia mais nada para conversar com o Elsid, ele ainda cumpriria suas obrigações com seriedade. – “…Eu entendo. Eu irei aguardar.”

Um sorriso brilhante apareceu no rosto do Elsid. – “Obrigado por me escutar. Eu não vou decepcioná-los.”

Não iria decepcioná-los? Uma expressão sutil apareceu nos rostos dos magos. Com base no contexto, Elsid preparou um presente para eles. Theodore também teve um pensamento semelhante e logo encontrou o olhar do Elsid. Não foi um momento passageiro. Os olhos do Elsid estavam claramente encarando ele.

‘O quê?’

Simultaneamente, a língua na palma de sua mão esquerda se mexeu. Foi devido ao cheiro de tesouros.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar