The Book Eating Magician – Capítulo 270

Planícies de Karul #1

Planícies de Karul.

Era uma região que ficava na fronteira entre Andras e Meltor, um lugar onde as duas nações derramavam sangue pelo menos duas vezes por século.

Apesar do terreno maximizar o alcance e o ataque de um mago, Meltor nunca conseguiu superar a defesa de Andras. A Fortaleza de Rutben era forte o suficiente para ser chamada de muralha inconquistável.

Além disso, as Planícies de Karul mudaram de aparência ao longo dos séculos.

Até o momento, as planícies foram atingidas por centenas de grandes magias do 7º Círculo, criando relevos no solo que não eram normalmente encontrados em um terreno plano.

A terra profundamente escavada se transformou em desfiladeiros e a acumulação de solo se transformou em colinas. O campo de batalha onde super-humanos e magos seniores se reuniam aos milhares já havia alcançado o estágio em que a natureza se tornou distorcida.

– “Nesse sentido, talvez esta seja a última vez que poderemos chamar esse lugar de planície.” O homem de idade murmurou enquanto tocava sua barba.

Já fazia 50 anos.

Ele estava atualmente no topo da Sociedade Mágica, mas as memórias daquela época eram claras como o dia. Era o mesmo para qualquer mago de idade semelhante que tivesse sobrevivido àquele campo de batalha.

Naquele lugar, magias e espadas se chocaram, lutando ferozmente para preservar seus nomes, e chuvas torrenciais de fogo caíram do céu.

Tudo isso em um solo pegajoso, mas que não estava coberto de água, mas sim de lama encharcada de sangue. Onde lâminas mortais surgiam de todos os lados. E os obstáculos sob seus pés não eram pedras, mas sim cabeças de pessoas.

Um lugar onde a névoa e as nuvens foram tingidas de vermelho; um inferno onde a vida humana era pisoteada como ervas daninhas.

Quantos cadáveres foram enterrados sob aquela terra de aparência pacífica?

Incapaz de imaginar, ele não conseguiu evitar em estremecer.

– “Comandante.” Então, uma pessoa de meia-idade se aproximou do presidente da Sociedade Mágica com alguns documentos. – “Nós corrigimos todas as inconsistências com o terreno da última guerra. Também foi relatado que a equipe de pesquisa do terreno encontrou os batedores de Andras e tentou capturá-los, mas eles falharam.”

– “Não será fácil pegá-los vivos.”

– “Sim. É um método antiquado, mas cada um deles tem uma pílula de veneno na boca. Todos eles cometeram suicídio assim que o método de fuga foi interrompido.”

A expressão do presidente da Sociedade Mágica ficou tensa com essas palavras. Nas áreas perigosas das Planícies de Karul, havia dois tipos de batedores: aqueles brilhantes o suficiente para não serem pegos; e aqueles que eram inúteis quando pegos.

Se houvesse uma tentativa de capturar os batedores, eles engoliriam o veneno sem hesitar, mesmo que não fossem soldados de elite. Isso já estava além da disciplina militar; estava em um nível próximo da loucura. Os soldados do Império de Andras eram como os Janízaros de Austen.

– “…Essa é a determinação deles. É algo complicado de lidar.”

– “Sim, é realmente irritante.”

Não era uma relação unilateral. Assim como Meltor odiava o império, Andras também odiava Meltor. Eles vinham sendo inimigos desde os primeiros dias da fundação do reino, então esse ódio estava em um nível instintivo.

– “Muito bom, Conde Carter. Sem a sua experiência, a conclusão do mapa estaria alguns dias atrasada. É uma grande conquista.”

– “Eu estou apenas cumprindo o meu papel.” Carter, que se tornou um conde após suas conquistas na guerra civil de Soldun, recebeu os elogios educadamente. Ele era um mago de guerra da torre vermelha que deixou sua marca como veterano, então era óbvio que ele seria colocado na linha de frente das Planícies de Karul.

Para o Comandante Benedict, presidente da Sociedade Mágica, não havia ninguém mais competente.

– “Hum?” Naquele momento, Benedict ouviu o toque de um artefato. – “…HohEle chegou. Entendido. Diga a todos os líderes para se reunirem em um lugar até eu chegar e chame as tropas que ele irá liderar.”

– “Comandante. Sobre quem você está falando?” O Conde Carter perguntou cuidadosamente, mostrando um interesse indisfarçável nas palavras do Benedict.

Era difícil para o Carter esconder a ansiedade em seus olhos.

Benedict riu e deu uma resposta que atendeu a essas expectativas, – “O herói chegou.”

Era a chegada do herói do reino, Theodore Miller.


Pouco depois de chegar nas Planícies de Karul, Theodore foi conduzido ao quartel do comandante e viu vários rostos familiares.

O mais surpreendente entre eles era o rosto do comandante.

– “Presidente?”

– “Já fazia tempo que eu não via seu rosto, Capitão.” Benedict, o chefe da Sociedade Mágica no centro das torres mágicas, estava olhando para o Theodore da cadeira principal.

Theodore ficou surpreso ao interpretar rapidamente a situação. O fato de que o presidente o chamou de Capitão em vez de Primordial significava que ele não foi até aquele lugar como um mago da Sociedade Mágica. Significava que o presidente era o comandante do exército de Meltor.

Theodore terminou de pensar e o saudou educadamente, – “Sim. Já faz algum tempo, Comandante.”

– “Hum.” Seu julgamento estava correto. Benedict balançou a cabeça e falou com os líderes sentados ao redor deles, – “Eu não preciso apresentá-lo, mas este é o Capitão da Quattro, Marquês Theodore Miller. Há algumas pessoas aqui que o conhecem, mas vamos deixar a conversa fiada para depois.”

O senhor falou severamente, se recusando a mostrar a empolgação em sua voz. À primeira vista, podia-se ver que o Theodore era um mago excelente. Poder mágico estava transbordando de seu corpo treinado, e não se sabia se as pessoas reunidas naquele lugar poderiam superá-lo. Como ele atingiu aquele nível em sua idade?

– “É bom ver você, Capitão Theodore. Quando eu soube que você estava a apenas três dias de distância, eu não pude deixar de me alegrar. Você pode culpar minha incompetência.”

– “Não. Por favor, me use como achar melhor.”

– “Huhu, você é muito modesto. Lamento se isso não atender às suas expectativas, mas nós já decidimos sobre sua posição.”

– “Isso…?”

A posição do Theodore já foi determinada…? O próprio Theodore ficou surpreso, enquanto o Benedict e os outros líderes assentiam com um sorriso. Então o Benedict empurrou um pedaço de papel para o Theodore e disse, – “Leia com calma.”

– “Sim…” Theodore recebeu o papel com uma expressão questionadora e depois começou a lê-lo.

Então seus olhos se arregalaram. – “Comandante, isso é…”

Theodore não conhecia a formação do exército, mas não pôde deixar de responder ao conteúdo.

【 O Capitão da Quattro, Theodore Miller, receberá o comando exclusivo de uma unidade composta de até 50 pessoas. Os candidatos serão recrutados da Quattro, dos magos de guerra ou das torres mágicas, e os membros serão organizados de acordo com o Theodore Miller. Além disso, Theodore Miller tem o direito de sobrepor as ordens do Comandante Benedict Alpen. 】

Significava que o Theodore tinha o poder de comandar uma unidade à sua disposição. Ele podia até mesmo ignorar as ordens do comandante!

Theodore estava sem palavras.

No entanto, Benedict apenas falou como se não fosse nada. – “Não há precedentes do tipo, mas não pense muito sobre isso. Nós chegamos à conclusão de que o poder de um mestre não é eficiente quando usado em uma formação não flexível.”

– “Mas…”

– “É o mesmo que a Mestra da Torre Vermelha. O poder de combate e capacidade de manobra dela são bons demais para serem contidos pelo exército. Claro, eu não posso permitir que você vague por aí sozinho como ela, então eu pensei nisso.”

O poder de um mestre, que podia ultrapassar 100 soldados, era uma força militar por si só. Um mestre podia inverter o fluxo do campo de batalha com um único gesto.

Portanto, era mais eficiente deixar isso a critério deles, em vez de encaixá-los no meio do exército. Assim como um mestre da espada focava no corpo a corpo para criar oportunidades de assassinato, Meltor controlava o campo de batalha com magos que podiam aparecer em qualquer lugar.

Além disso, Theodore e os magos de guerra eram os curingas das Planícies de Karul.

– “Além disso, Conde Carter.”

– “Estou à disposição, Comandante.” Carter deu um passo à frente pelo chamado do Benedict.

– “Então, Capitão, se você não se importar, eu gostaria de recomendar o Conde como assistente, contanto que você não tenha pensado em alguém de antemão.”

– “Sinto muito, mas eu terei que recusar.”

Era verdade que um veterano ativo seria útil, mas o Theodore recusou a oferta sem hesitação. No entanto, não era porque ele não gostava do Conde Carter. Benedict leu a expressão do Theodore e perguntou, – “Então você já tem alguém em mente?”

– “Sim.”

– “Você poderia me dizer quem é?”

– “Isso…”

Era um pouco complicado, então o Theodore sussurrou a resposta apenas para o Benedict.

– “—Hum.” Como o chefe da Sociedade Mágica, Benedict não pronunciou nenhuma palavra de surpresa. Ele apenas fechou a boca com uma expressão desagradável. Uma pessoa que não soubesse da situação seria enganada. Theodore o admirou internamente, enquanto o Benedict falava com o Conde Carter de uma maneira desconfortável.

– “Bem, eu entendo. O Conde Carter irá guiá-lo até as pessoas que você comandará. Uma reunião operacional em grande escala começará amanhã.”

– “Sim. Obrigado, Comandante.” Theodore aceitou o comando e deixou o quartel. O Conde Carter o seguiu apressadamente, enquanto o quartel parecia mais desolado do que antes.

Theodore se recusou a aceitar o favor do comandante, e o Benedict estava com uma expressão cuidadosa no rosto.

No entanto, ao contrário de sua aparência externa, Benedict estava satisfeito. De fato, Benedict seria forçado a aceitar se fosse “ele”.

‘Não importa o quão brilhante o Conde Carter seja comparado a ele. Bem, sim. O exército imperial ficará devidamente furioso.’

Benedict, o presidente da Sociedade Mágica, riu porque não esperava algo tão interessante. Isso absolutamente não faria mal a Meltor. Por isso ele se convenceu pela decisão do Theodore.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar