The Book Eating Magician – Capítulo 322

Véspera da Tempestade #1

Depois de terminar a Sincronia com o Reynolds Spencer, Theodore ficou bastante ocupado. Ele conduziu a migração dos ents com a Mitra e ensinou algumas estratégias militares humanas aos elfos. No entanto, a tarefa mais difícil provavelmente era criar artefatos contra os mortos-vivos.

Os elementais, que usavam puramente o poder da natureza, eram inimigos naturais dos mortos-vivos, mas era muito ineficiente confiar apenas nisso. Não havia limite para o vigor dos mortos-vivos. Um meio mais eficiente era necessário para combater as legiões de mortos-vivos que não se importavam com ferimentos.

…E o Theodore encontrou a resposta para isso em um campo inesperado.

– “Omm.” Seus dedos se torceram de uma forma estranha enquanto ele cantava um cântico estranho.

Simultaneamente, um brilho de luz atingiu a pilha de flechas na frente do Theodore. Era o sistema xamã mais famoso do Continente Oriental, o mantra budista esotérico. Como um tipo de xamanismo mais poderoso do que o exorcismo, o mantra budista esotérico aniquilava todo o mal e bloqueava a fonte.

Não tinha poder suficiente, mas era como pólvora quando usado contra os mortos-vivos dos níveis mais baixos.

‘Isso não é o suficiente. Droga, a ideia é boa, mas eu não posso fazer o suficiente sozinho. Seria muito se eu pudesse fazer metade das 300000 que eu planejei originalmente.’

Theodore suspirou enquanto olhava para as flechas completas. Claro, não era uma boa ideia desistir do resto de suas tarefas para se concentrar apenas em fazer as flechas. Ele enxugou o suor da testa e olhou para as flechas empilhadas. Foi bom encontrar algo mais eficiente que os elementais, mas não era uma quantidade que ele pudesse fazer sozinho.

No entanto, o problema era que esse método envolvia uma magia de um sistema desconhecido, e o consumo de poder mágico era mais rápido que o normal. Flechas que destruíam o mal, talismãs que bloqueavam os mortos-vivos e proteções que enfraqueciam venenos e maldições precisavam ser feitas.

Significava que o Theodore tinha uma montanha de trabalho a fazer. Então, era inevitável que seu estado físico e mental chegasse ao limite.

‘…Bom, por hoje é isso.’

Era bom se preparar para a batalha, mas não fazia sentido se ele estivesse exausto na luta contra o Jerem. Theodore cuidou de mais algumas tarefas antes de sair do armazém. O ar frio da floresta profunda esfriou o suor do Theodore e penetrou em seus pulmões.

Foi uma pausa muito breve que não podia nem ser chamada de pausa.

– “Ah! Theodore, eu estava procurando por você.”

Theodore respirou fundo algumas vezes enquanto uma elfa se aproximava dele. Ela era uma elfa com cabelos pretos raros e usava roupas de pele de urso branco. Era a elfa superior, Titania. Como sempre, ela tinha um grande arco na cintura enquanto falava sem hesitação: – “Essa é a colocação dos arqueiros que você me ensinou da última vez… Acho que essa configuração é mais eficiente.”

– “Me mostre…”

Titania desenhou um mapa no chão. O desenho era simples, mas era um gráfico de estratégia que qualquer pessoa com alguma habilidade podia reconhecer. Theodore a ensinou apenas por alguns dias, mas era evidente que ela havia entendido as instruções do Theodore e as melhorado.

Ela viveu como caçadora por muitos anos, o que significava que ela estava mais qualificada do que qualquer outra pessoa para desenvolver estratégias em relação àquela floresta. Titania era ligeiramente inferior ao Alfred, mas definitivamente era um gênio.

‘De fato, é uma boa configuração.’

Theodore não conseguiu encontrar nada para acrescentar e disse a ela: – “Hum, muito bom, não? Já começou a trabalhar nisso com os outros?”

– “Eu informei a eles. Não é difícil cooperar com as outras tribos que treinam juntas.”

– “Certo, vamos fazer assim. Se você encontrar alguma melhoria no futuro, por favor me diga. Eu não sei sobre os pontos fortes ou fracos das diferentes tribos, então só posso confiar em você.”

– “O quê? S-Só pode confiar em mim…”

Será que ele estava colocando muito trabalho para cima dela? Theodore ficou confuso com a atitude da Titania e logo percebeu o motivo. De um ponto de vista externo, podia parecer que ele estava jogando muitas responsabilidades nela. Titania podia ser um gênio, mas ela era uma iniciante que não tinha experiência anterior em comando. Ele se culpou por ser irresponsável e abriu a boca para encorajá-la: – “Se achar que é muita responsabilidade…”

– “Não, não! Acredite em mim!”

– “Hã?”

Theodore ficou surpreso com a reação inesperada dela, e a Titania ficou levemente vermelha.

– “E-Ellenoa está esperando por você. As rochas e árvores foram movidas de acordo com suas instruções, e o treinamento dos elementalistas terminou.”

– “Oh, foi mais rápido do que eu esperava.”

– “Então eu já vou. Vejo você depois.”

Theodore não teve chance de responder enquanto a Titania desaparecia entre as árvores. Talvez ela fosse fazer algum treinamento. No início, ele se sentiu um pouco desconfortável por causa da atitude rígida dela. No entanto, depois de um tempo, ele percebeu que ela era bem sincera. A expressão e a voz rígida dela ficaram mais suaves, e o desconforto do primeiro encontro não estava mais presente.

Oh, hehe. Quem diria! >

Enquanto o Theodore dava alguns passos, uma luz e uma voz vieram do anel de prata em sua mão direita. Era o fragmento de Lemegeton, o livro proibido — Goetia.

Você realmente é o mestre deste Geotia, homem pecador! >

– “O quê?”

Fazendo uma elfo superior indescritível corar. Eu sinto que estou vendo meu criador novamente! >

– “Só você está pensando nisso.” Theodore olhou para o anel com uma expressão levemente corada.

Ele não sabia como se sentir sendo comparado ao Rei Solomon se tratando de mulheres, não de habilidades mágicas. No entanto, Goetia não se importava com os sentimentos do Theodore.

Ei, essa Ellenoa é uma elfa superior? >

– “Ugh.” Theodore reflexivamente parou de se mover. Ele havia esquecido a situação devido à crise da árvore do mundo. No entanto, as palavras do Goetia reviveram memórias antigas. As palavras de confissão que ele havia recebido anteriormente em Mana-vil… Na verdade, ele estava preparado para dar uma resposta, mas o bruxo que não sabia ler o clima estragou a programação.

*Knock, knock*

Theodore bateu em uma porta familiar e falou com uma voz suave: – “Ellenoa, é o Theodore.”

– “Ah, pode entrar.”

Após receber a resposta, Theodore girou a maçaneta e viu algo branco. Era o familiar que ele havia levado até aquele lugar.

Yiiip?

A raposa de três caudas fez um som satisfeito dos braços da Ellenoa. Era o Tres, a raposa de três caudas que o Theodore trouxe do Continente Oriental.

– “Tres?”

Yip!

Até aquele momento, a raposa não havia dado seu coração a ninguém, tornando a visão da raposa nos braços da Ellenoa algo incomum. Seria porque os elfos superiores eram os mais próximos da origem da natureza e eram únicos entre os elfos? Percebendo a relação entre o Theodore e o Tres, Ellenoa falou com uma expressão de surpresa: – “Theodore, você trouxe essa criança? É a primeira vez que eu vejo uma raposa de três caudas.”

– “Eu o encontrei acidentalmente no Continente Oriental. Eu o trouxe porque ele não tem uma mãe para cuidar dele. Mas ele parece gostar da floresta e de você.”

– “Ah… Entendo. Coitadinho.” Os olhos da Ellenoa brilharam com compaixão enquanto ela acariciava a barriga do Tres, o fazendo gritar de prazer.

Talvez fosse melhor deixar o Tres em Elvenheim depois que a luta acabasse. Os espíritos do Continente Oriental também queriam um ambiente onde pudessem viver longe dos humanos. Mas não era um problema para se preocupar naquele momento. No entanto, Theodore gravou profundamente em sua mente para que ele não esquecesse.

– “Theodore, sua mão.”

– “Ah, sim.”

Ellenoa agarrou as duas mãos do Theodore com um sorriso caloroso. Os elfos superiores tinham a habilidade de acalmar mentes e corpos cansados. Não era apenas tratamento de feridas, pois o consumo de poder mental também podia ser restaurado até certo ponto. Cercados por uma luz verde, eles ficaram em silêncio.

‘De fato, eu me sinto confortável com a Ellenoa…’

Não era uma questão de vigor ou poder mágico. Essa sensação de alívio derretia os limites do corpo e da mente. Então, naquele momento…

Kiiing… Uma dor de cabeça aguda o perfurou como uma flecha. A luz que unia o Theodore e a Ellenoa foi quebrada, e o Theodore olhou para fora da cabana com uma expressão sombria. Ele recebeu uma sensação sinistra que estava em um nível diferente de antes! Era como olhar para o céu noturno sem nenhuma luz das estrelas ou olhar para um poço onde nenhum som era retornado.

– “Está perto. Eu posso detectar…!”

Theodore lutou com a voz hostil que ouviu enquanto olhava para o sul de Elvenheim. Um tremendo número de mortos se aproximava.

*     *     *

O Planalto Vermelho era uma paisagem cheia de areias vermelhas onde as ervas daninhas não cresciam. Os canais de água haviam secado há muito tempo. Era uma terra de morte onde as nuvens de chuva não apareciam há anos. Não havia conceito de pessoas vivendo naquela terra estéril onde a vida não podia sobreviver.

…Pelo menos, até aquele dia. Como a água havia secado há muito tempo, não havia flora ou fauna para servir de alimento. O céu sem nuvens indicava que apenas a luz do sol intensa aparecia naquele lugar. Se não havia criaturas vivas, quem eram os novos moradores daquela terra morta?

Krruk… kuruuk… kuruk…

Ka… haaa… ku… kuheok…

Woo… oo… uhhhh…

Morte avançava. Aqueles com carne podre ou apenas ossos eram os mortos-vivos, um exército de pessoas mortas que não conseguiram encontrar descanso após a morte. Naquele dia, o nome daquela terra não era Planalto Vermelho. A procissão dos mortos indicava que aquela terra negligenciada estava cheia do fedor de cadáveres.

Havia um número terrível de pelo menos 100000. Era impossível contá-los, mesmo que fossem medidos em unidades de milhares. Os mortos-vivos cruzando o Planalto Vermelho eram uma grande ameaça para todo o continente. A luz solar intensa, a falta de água e a inexistência de vida selvagem não conseguiam nem mesmo agarrar os tornozelos dos mortos-vivos para atrasá-los. Eles se aproximavam da árvore do mundo sem fazer uma pausa.

‘Droga, ele seguiu corretamente.’

No céu, um corvo observava os mortos-vivos com olhos afiados. Era o Hugin, um animal de estimação que o Theodore herdou do Satomer. Com o desenvolvimento do Theodore, seu alcance estava agora em mais de 100 quilômetros. Ele usou esse método para espionar o Jerem e os Quatro Cavaleiros sem que eles percebessem.

Enquanto olhava para o exército de mortos-vivos com os olhos do Hugin, algumas perguntas vieram à mente do Theodore.

‘Há muitos deles, e a qualidade também é considerável. Como diabos ele criou tantos mortos-vivos?’

Era estranho. Todo o Reino de Lairon pode ter sido transformado em mortos-vivos, mas eles não foram criados da maneira adequada e eram relativamente inferiores em qualidade. O mesmo com a quantidade. Um arado manual feito de aço ainda era um arado manual, uma espada ainda era uma espada. No entanto, o poder dos mortos-vivos era limitado se o método de produção correto não fosse usado.

No entanto, e quanto aquele exército enorme de mortos-vivos? Mortos-vivos de baixo nível como zumbis e carniçais quase não podiam ser vistos. O exército consistia principalmente de mortos-vivos de nível intermediário. Lichs, cavaleiros da perdição e mortos-vivos seniores também podiam ser vistos. Era um número que exigiria a morte de todos no Continente Central, não apenas da Igreja de Lairon. Ele sentiu uma sensação de incongruência. As espadas e armaduras que os mortos-vivos estavam segurando…

Então, naquele momento…

Um rato está espionando.

Da retaguarda da legião de mortos-vivos além do horizonte, uma forma estranha voou alto no céu. Não, não era algo que pudesse ser reconhecido da perspectiva do Hugin. A distância entre o Hugin e o oponente era tão grande que o Theodore não conseguia enxergar direito. No entanto, ele não precisava ver a forma para perceber a identidade. Ele seria um tolo se não soubesse.

Era o rei demônio de Náströnd, Nídhöggur. Dentro de um vórtice de escuridão, ele chamou o Theodore com uma voz que parecia rasgar o céu e a terra.

Hoh, é você. O ladrão que devorou a alma que me pertencia, sem saber contra quem estava lidando…

Theodore não conseguiu dizer nada. Medo congelou sua espinha, e ele teve um palpite de que falar daria ao Nídhöggur um pretexto para fazer alguma coisa. Por outro lado, Nídhöggur não se conteve de falar enquanto uma luz vermelha brilhava na escuridão.

Não implore pela sua vida. Com certeza eu vou te matar. Não implore por misericórdia. Eu vou mastigar seu corpo e sua alma por centenas de anos. Seu futuro foi decidido neste momento.

Nídhöggur condenou o Theodore à morte, e dois raios de luz saíram do rei demônio. Os raios de luz apontaram para o Hugin.

Desapareça!

Pouco depois disso, a consciência do Theodore saltou para fora do corpo do Hugin.

– “Uwaaah!”

– “Theodore!”

Sangue encheu a garganta do Theodore, jorrando enquanto ele caía e segurava na mesa. Foi o preço que ele pagou por enfrentar o monstro chamado Nídhöggur através dos olhos do Hugin. Desconsiderando as roupas manchadas de sangue do Theodore, Ellenoa o abraçou e usou seu poder de cura. Não muito tempo depois, o sangue parou de jorrar e o Theodore mal conseguiu abrir a boca para falar: – “…Eu levei um golpe. Aquele maldito lagarto.”

Nídhöggur tratou isso apenas como uma saudação. O ataque telepático não continha nenhuma vontade de matar. Ser capaz de machucar um mago do 8º Círculo com apenas um ataque leve… esse oponente era um monstro que um mortal não podia enfrentar. No entanto, Theodore e os outros tinham seus próprios meios.

– “Ellenoa, quanto tempo até a invocação da criatura divina?”

– “Ontem, eu ouvi dizer que levaria quatro dias.”

– “Então, será em três dias. Com base na velocidade de marcha do inimigo, eles chegarão em dois dias. Nós temos que segurar com nossas próprias forças por um dia.”

Os mortos-vivos normais ficariam muito enfraquecidos durante o dia. No entanto, esses mortos-vivos provavelmente estavam além do senso comum. Significava que a batalha precisava ser mantida por pelo menos 24 horas. Eles tinham que lutar contra os mortos-vivos, que não conheciam a fadiga e ansiavam pelo sangue dos vivos. Era uma grande batalha que qualquer um sentiria medo.

Theodore se levantou de seu lugar.

‘Ele vai me mastigar?’

Haha. Ele riu alto pela declaração do Nídhöggur.

‘Você que é o idiota que não sabe contra quem está lidando. Eu vou te ensinar direitinho.’

Theodore não se esquivou da declaração de guerra do Nídhöggur.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar