The Death Mage Who Doesn’t Want a Fourth Time – Capítulo 33

Uma nova determinação em meu terceiro aniversário

Na cordilheira que se elevava sobre os lados leste e oeste de Talosheim, a [Capital do Sol], o campeão Zakkart tinha deixado três espelhos de mercúrio que havia criado usando técnicas secretas de alquimia. Os espelhos de mercúrio líquido refletiam a luz do sol em direção a cidade, garantindo ao local a mesma quantidade de horas de luz solar que em qualquer outro lugar no nível do solo.

E assim por muito tempo, o arroz fino que podia ser colhido três vezes ao ano, (semelhante ao arroz da Índia na Terra) era cultivado, preenchendo os estômagos da raça que precisava de grandes quantidades de alimento.

Mais da metade do território do país era coberto com ninhos do diabo, mas por conta da iluminação, as culturas cresciam rapidamente e rendiam colheitas três vezes ao ano tão abundantes quanto em outros lugares.

Contudo, durante a guerra com a nação-escudo Mirg, os campos se tornaram pastos regidos por monstros e todos os espelhos de mercúrio foram destruídos.

Deixando a história triste de lado, Vandalieu estava trabalhando em algo para fazer hoje também.

— Rei, o que você está fazendo? (Criança)

Antes que ele percebesse, as crianças da raça de Goblin Negro, Anibus e Orcus tinham se reunido ao redor dele.

Apenas algumas semanas passaram desde o nascimento deles, mas nenhum era menor que Vandalieu no momento. Ele tinha escutado que monstros se desenvolviam rapidamente, mas ver com seus próprios olhos era algo chocante.

Ouvir que os Goblins Negros estavam na verdade crescendo mais lentamente que Goblins puros, era ainda mais surpreendente.

— Isso é uma arma? (Braga)

— Não exatamente, Braga. (Vandalieu)

Braga, uma dos jovens Goblin Negros, pensou que o objeto de madeira em formato de disco que Vandalieu estava formando com sua [Transmutação de Golem] poderia ser uma arma de arremesso como um boomerang, mas aquilo não era uma arma. 

— Eu sei, é um prato! (Zamedo)

— Bugoh? Para substituir as folhas que a Mamãe estava usando esses dias? (Gorba)

Zemedo, um Anubis jovem com a aparência de um cão, e Gorba, um Orcus que já tinha o tamanho de um homem adulto, achavam que poderia ser um prato, mas estavam errados também.

— Então o que é isso? Fala pra gente! (Memediga)

A irmã gêmea mais nova de Zemedo… ou irmã mais velha? Memediga, de qualquer forma, sua irmã, também estava curiosa.

— É um brinquedo. — Vandalieu disse a ela.

— Um brinquedo? (Crianças)

Quando seus amigos falaram simultaneamente e olharam confusos, Vandalieu ajustou o equilíbrio do disco fino. Finalmente satisfeito com aquilo, a última coisa que ele fez foi usar o que tinha dentro do barril ao lado… Borracha. Ele transformou um pouco da borracha em um golem e cobriu o disco com ele, para que não ferisse alguém.

Era um pouco bruto, mas estava concluído.

— Esse é um brinquedo chamado Frisbee. (Vandalieu)

O que Vandalieu tinha criado era um Frisbee.

Ele tinha jogado gravetos enquanto brincava com o lobo esqueleto, mas ele tinha pensado que poderia ser mais interessante usar um Frisbee como as pessoas faziam na terra.

Em Lambda, esportes e brinquedos eram subdesenvolvidos. Toda cidade tinha torneios de atletismo e combate, haviam até mesmo bonecos e coisas de pelúcia.

Mas não haviam Frisbees ou esportes que envolviam o uso de bolas… Bem, eles devem ter em algum lugar se procurasse bem…

Então Vandalieu tinha decidido tentar fazer um. Felizmente, dispunha de madeira mais que o suficiente espalhada ao redor, e ainda mais sorte foi terem árvores de borracha, então Vandalieu fez golens de borracha e os usou para coisas como pregas e material de amortecimento.

— Isso é um Frisbee, você joga ele… (Vandalieu)

— Acerta as pessoas com isso? E então ganha quando derrota todo mundo? (Criança)

— … Esse é um brinquedo que você arremessa, pega e depois joga de volta para a pessoa que jogou para você. (Vandalieu)

Como os amigos de Vandalieu pareciam ter pensamentos perigosos em relação ao Frisbee, ele pensou se não deveria ter feito bolas primeiro. Mas ele geralmente não gostava de esportes com bolas, então ele não tinha muita vontade de fazê-las.

Por conta dele ter sido sozinho na escola, para ele, esses esportes com bolas não foram nada além de [Dor] infligida durante as aulas de educação física. Eles não serviam para nada além de mostrar as conquistas das pessoas populares.

 — Por enquanto, eu vou mostrar a vocês o básico. Tentem jogar. (Vandalieu)

Aquele dia, Basdia pensou em chamar Vandalieu depois dela voltar da sessão de caça a monstros e treinamento dela, e aconteceu de cruzar com aquela cena.

— Van? (Basdia)

Vandalieu estava correndo atrás de um pequeno disco que girava no ar.

Ele pegou o disco e então jogou de volta em direção às crianças, que estavam a uma certa distância dele.

— Isso é algum tipo de treinamento? Não, ele deveria estar descansando, então eles estão brincando? (Basdia)

Basdia pensou por um momento que eles estavam em algum tipo de treinamento onde aprendem a arremessar uma arma no meio do ar e jogar ela de volta no inimigo, mas a atmosfera ao redor deles não sugeria que estavam treinando, então ela decidiu ficar e observar.

Depois de olhar um pouco, ela compreendeu que eles estavam brincando. Mas apenas de olhar, ela não conseguia entender o que poderia ser divertido naquilo.

— Aqui vai, Rei. (Orcus)

O garoto Orcus segurando o disco deu um longo giro com seu braço e o jogou.

Por conta dele ter a habilidade [Força Sobre-Humana] que o garantia uma grande força física desde seu nascimento, o disco voou alto, muito rapidamente.

— Ah, isto é… (Vandalieu)

Era impossível para Vandalieu receber. Basdia pensou, mas Vandalieu correu até perto da muralha em ruínas e, sem reduzir os paços, começou a escalar como um animal quadrúpede.

Ela pensou que ele estava usando magia, mas parecia que ele estava usando garras.

— Van parece pequeno, mas ele tem muita força, e ele é mais rápido do que imagina. Como esperado do homem que será o pai da minha segunda criança. (Basdia)

Assentindo satisfeita, e pensando mais positivamente em relação a Vandalieu, Basdia decidiu que ela falaria com ele mais tarde e saiu para não incomodá-los.

Além do Frisbee ter ficado popular entre os Ghouls, Goblins Negros e com os Anubis em particular. Sua popularidade era duvidosa entre os Titãs e Orcus.

Atualmente uma vasta quantia de materiais tinha sido trazidos para Talosheim.

Mais de 90% deles eram produtos obtidos pelos Titãs Mortos-Vivos que trabalhavam sob ordens de Borkus para exterminar a influência exterior dos ninhos do diabo de Talosheim.

Havia muita carne de monstros, madeira, plantas medicinais, ervas e bens de Talosheim que a Nação-Escudo Mirg tinham abandonado ou nunca foram encontrados em primeiro lugar.

A maioria ainda era utilizável… A velocidade com que cada material era trazido era maior que a taxa de processamento dos materiais, então Vandalieu simplesmente conjurou [Preservação] neles e foram acumulando em uma grande pilha.

Dentre os materiais rapidamente coletados estavam moedas que eram usadas no Reino de Orbaume duzentos anos atrás… moedas de prata e cobre de tamanhos variados, coisas que não teriam uso agora. A Nação-Escudo Mirg tinha provavelmente tomado as moedas de ouro e qualquer outra moeda de valor maior, mas as de prata e valores menores foram deixadas para trás.

Se alguém polisse aquelas moedas e as levasse para o Reino de Orbaume, elas provavelmente poderiam usá-las, com exceção das danificadas. A moeda pode ter sido revisada nos últimos 200 anos, mas elas pelo menos deveriam ter o valor do cobre e prata. Com sorte, poderiam valer alguma recompensa, da mesma forma que as moedas antigas na Terra eram valorizadas por entusiastas.

Mas no momento, só tinha uma forma de dar uso para elas.

— O que devemos fazer com isso? (Vandalieu)

— Não tem nada para fazer com elas. Por enquanto, nos deixe guardar em algum lugar até você ir ao Reino Orbaume, Van-sama. (Tarea)

Tarea estava recebendo uma massagem nas costas de Vandalieu depois de voltar da troca de profissão para a sua original [Ferreira][5] especializada em armadurasna sala de troca da guilda dos aventureiros em ruínas. 

— Revisões de equivalência são incomuns, então eu acredito que não deve ter nenhum problema, contudo… Eu não conheço muito sobre o Reino Orbaume. Mesmo se você perguntar a Kachia e as outras… Ah, isso seria difícil… (Tarea)

— Está certa, eles eram de nações inimigas que não faziam nada além de travar guerras no final das contas. (Vandalieu)

Países vizinhos normalmente teriam pessoas indo e vindo através da fronteira, mas infelizmente na região do Visconde Balchesse, na qual Kachia e os outros antigos aventureiros estavam ativos quando ainda eram humanos, não eram adjacentes ao Reino Orbaume.

Não, mesmo em áreas onde a Nação-Escudo Mirg e o Reino Orbaume compartilhavam a fronteira, quase ninguém fazia negócios com o outro lado, além dos comerciantes do mercado negro.

Essas duas nações tinham sido inimigas desde suas fundações, e aparentemente muitos ducados do Reino de Orbaume tinham sido tomados como resultados de conflitos medonhos que ocorreram há apenas alguns anos, então era complicado uma situação em que fizessem negócios entre si.

Mas se fosse questionado se as nações ainda funcionam apropriadamente, a resposta era sim. O império Amid cobria um terço do continente… metade do continente era de regiões consideradas inabitáveis por humanos, e mantinham relações comerciais com nações insulares próximas e outros continentes.

Além disso, o Império não tinha problemas econômicos ou problemas relacionados à produção de alimentos.

O estado do Reino Orbaume não era conhecido, mas provavelmente não sofreu nenhum problema pelas mesmas razões. Os ducados eram originalmente pequenos países individuais, e eles provavelmente eram capazes de negociar com nações fora do continente através do Reino.

Vandalieu tinha pensado em levar as moedas que ele tinha conseguido dos bandidos ao redor de Evbejia para o Reino Orbaume e comercializar com ele, mas levando em conta esses fatos, provavelmente seria melhor que ele não fizesse isso.

Parecia um desperdício, mas provavelmente era melhor simplesmente derretê-los em metal.

— Eu vou perguntar ao Artesão Datara mais tarde. (Vandalieu)

Datara era um Titã Morto-Vivo que tinha sido um experiente ferreiro especializado em metais quando vivo. Ele continuou a balançar seu martelo por duzentos anos… bem, fazia movimentos com o martelo, mas na verdade não fazia nada.

Ele tinha readquirido um pouco de sua sanidade e memórias quando ele conheceu Vandalieu, e agora se esforçava para restaurar o seu local de trabalho.

Suas várias ferramentas tinham sido corroídas, ele não seria capaz de trabalhar a menos que criasse todas elas novamente.

— Essa é uma boa ideia. Ainda não sou capaz de usar metais. (Tarea)

Tarea era uma habilidosa Ferreira com habilidades em níveis altos. Contudo, ela ainda era inexperiente com o uso de metais.

Ferreiros[2] no mundo de Lambda usam principalmente materiais retirados de monstros para criar suas armas e armaduras. Eles não usam metal com muita frequência, ao contrário dos ferreiros especializados em espadas da Terra que alguém poderia imaginar, os quais forjavam metal para criar espadas e katanas. Mesmo que eles usassem as vezes, seria apenas pó de Mythril ou fragmentos de Oricalco como catalisadores, ou usavam ferro para fazer fechos para armaduras.

Os ferreiros que usavam primariamente metais eram artesãos que criavam armas usando cobre, bronze, ferro, adamantina ou oricalco como materiais base, e os materiais de monstros eram usados apenas como catalisadores.

As habilidades e ferramentas usadas pelos dois tipos de artesãos eram diferentes.

No caso de Tarea em particular, ela tinha treinado suas habilidades depois de se tornar um Ghoul em um ninho do diabo na floresta, onde metais eram escassos. A última vez que ela tinha usado um metal em algum trabalho foi a mais de duzentos anos atrás.

— Se eu tiver as ferramentas, desde que eu não precise criar algo, eu acho que conseguiria pelo menos fundir as moedas, sabe? Mas se temos um especialista por perto, é melhor deixar isso para ele. (Tarea)

— Você está certa. E Datara provavelmente ficaria irritado se eu não pedisse a ele para fazer isso. (Vandalieu)

Datara era um velho mal-humorado. Se ele descobrisse que Vandalieu havia dado essa tarefa a Tarea, que não tinha habilidade no manuseio de metal, ele ficaria muito irritado de fato. E como ele era agora um morto-vivo, cujas emoções muitas vezes saíam do controle, havia uma chance de que essa raiva se tornasse permanente.

E velhos mal-humorados no geral parecem assustadores quando irritados.

— Mesmo assim, que vergonhoso. Ficando animada demais e… nnh… acabando com dor nas costas. (Tarea)

A amigável mulher com duzentos e sessenta e quatro anos, que parecia mais como uma pessoa em seus anos de juventude, tinha ficado com uma lesão nas costas.

Devido a sala de troca de profissão estar funcional, todos os Ghouls, incluindo Tarea, tinha conseguido profissões.

As profissões eram bênçãos dadas às pessoas pelos deuses mesmo antes do surgimento do Rei Demônio. Obviamente, monstros não podiam passar por uma troca de profissão. Isso se aplicava mesmo para Sam e Nuaza, que tinham sido pessoas antes de se tornarem mortos-vivos.

Contudo, os Ghouls eram uma das raças que Vida tinha criado juntamente com os Vampiros. Eles eram meio-monstros, mas por conta da parte humana, eles podiam passar pelo processo.

Esse era certamente o caso, considerando que Tarea e Kachia mantiveram seus atributos bônus e habilidades das profissões que tinham quando humanas, mesmo depois de se tornarem Ghouls.

Então, os Ghouls que tinham vivido em ninhos do diabo até o momento, usaram a sala de troca de profissões disponível a eles em Talosheim, que antes eram incapazes de trocar de profissão nas cidades ou fazer um por eles mesmos.

Além disso, Tarea pode mudar a profissão a qual ela tinha sido forçada quando foi vendida por sua família e que já a muito havia alcançado o nível 100. [Prostituta] para a sua profissão original [Ferreira] especializada em armamentos.

— Agora eu posso me tornar uma [Artesã Renomada] e [Artista] com as quais eu sonhava quando era uma humana! (Tarea)

Ela estava muito feliz. [Artesã Renomada] [Artesão] seria títulos honoráveis dados a artesãos habilidosos na terra, mas em Lambda, eles eram profissões comuns superiores que todas as profissões relacionadas ao artesanato compartilhavam, incluindo os ferreiros. Elas apareceriam como [Artesão: Ferreiro] ou [Ferreiro: Artesão].

E para ganhar EXP e subir seu nível, Tarea começou a trabalhar com materiais desconhecidos, como os espólios dos Raptores e Tubarões Voadores[3], mas ela estava muito entusiasmada.

—  Eu entendo como se sente. (Vandalieu)

Vandalieu compreendia a sensação de ser incapaz de conseguir uma profissão. Ele realmente sabia.

Enquanto ele disse isso, Vandalieu anestesiou a dor nas costas de Taria com a magia do atributo morte [Transformação em Forma Espiritual] em uma parte do seu corpo e passava nos músculos de Tarea para diminuir a rigidez deles.

— Se eu fosse capaz de fazer isso na Terra, poderia abrir minha própria loja. (Vandalieu)

Massagens em forma de espírito, nós provavelmente entendemos suas dores musculares melhor que massagistas comuns!… ou talvez não.

Enquanto Vandalieu liberava a tensão nos músculos dela, ele também checava secretamente as condições de seu corpo, mas parecia não haver problemas. Não tinham sinais de redução das funções dos orgãos.

— Ah. (Tarea)

Ela tinha notado?

— Eu apenas pensei em algo. O senhor não consegue manipular metal com [Transmutação de Golem], Van-Sama? Tenho certeza que existem Golens feitos de cobre, ferro e Mythril. (Tarea)

Aparentemente não tinha percebido. Não era como se Vandalieu estivesse fazendo algo errado, sentiu-se aliviado ao responder à pergunta de Tarea.

— Consigo. Mas gasta mais Mana do que quando eu faço Golens de pedra. Eu nunca tive a chance de tentar com Mythril, mas eu acho que deve funcionar. (Vandalieu).

Como Tarea, a exclusão de Vandalieu da sociedade humana significava que sua oportunidade de trabalhar com metal era limitada. No entanto, ele tinha testado com pequenas quantidades de ferro antes, e ele tinha conseguido criar um Golem de Ferro que poderia caber na palma de sua mão.

— Mas eu ainda não posso fazer muito além de fazer grandes mudanças em sua forma. Eu posso fazer coisas como fazer moradias, consertar casas feitas de pedra e endireitar pedaços de metal, mas por exemplo… (Vandalieu)

Vandalieu usou [Transmutar em Golem] para mudar o formato de algumas moedas de cobre e transformá-las em uma espada.

— Entendo, isso não é bom. (Tarea)

Tarea soube que aquela espada seria inútil assim que colocou o olhar nela. Não era nada além de um pedaço de cobre na forma de uma espada.

A lâmina não tinha ponta alguma, nem sequer seria capaz de cortar um galho. Era uma arma fina e contundente em vez de uma espada.

— É assim que é. Eu não consigo fazer uma estátua de pedra que se assemelha com uma pessoa, ou colocar detalhes finos. (Vandalieu)

Conforme ele falava, Vandalieu usou Golems de terra e pedra para fazer uma boneca que se assemelhasse com Tarea, mas… Embora tivesse o formato de uma mulher, as características faciais eram ásperas e os detalhes como os dedos eram muito grosseiros.

Usando [Transmutar em Golem] dessa forma, ele não poderia criar pequenos detalhes. Mesmo quando construindo casas, construir edifícios complicados e altos como prédios na Terra seria impossível.

Mesmo ao fazer armas, na melhor das hipóteses ele seria capaz de ter metal derretido derramar-se em um molde… O processo de fundição. Mesmo isso era impossível, a menos que o molde para a forma desejada já fosse feito para ele.

Para se tornar capaz de criar coisas detalhadas, ele provavelmente precisaria de habilidades como [Ferraria] e [Carpintaria] em adição com [Transmutar em Golem]. Na verdade, ele já tinha conseguido [Carpintaria] ao construir as casas usando [Transmutar em Golem]. Isso significava que ele tinha ganho a experiência necessária para aprender as técnicas de [Carpintaria], em outras palavras, ele tinha usado ativamente a habilidade.

— Bem, eu consigo remover as impurezas do metal… dessa forma. (Vandalieu)

A espada de cobre começou a tremer, e partículas semelhantes a poeira começaram a cair diante de seus olhos. E então a espada de cobre estava brilhando reluzente, como se tivesse se transformado completamente.

— Isso é cobre?! Brilha como uma gema… Van-Sama, isso é incrível! Se você for capaz de purificar cobre dessa forma e fazer o mesmo com o ferro, esta é uma técnica que seria desejada em todo o mundo! (Tarea)

Em Lambda, elevar a pureza de uma substância a cem por cento era impossível só com a tecnologia. Não havia quase nenhum exemplo de magos de atributo terrestre mesmo hábeis que conseguiram fazer tal coisa. Historicamente, alguns magos tinham produzido metal com cem por cento de pureza, mas apenas com pequenas quantidades de metal usado para começar. Tais técnicas não poderiam ser industrializadas.

E assim, se Vandalieu foi capaz de criar cem por cento de ferro puro, ele iria rivalizar com aqueles magos históricos qualificados… Não, tinha a chance de ele os ultrapassar.

Contudo, Vandalieu não demonstrou orgulho.

— Isso pode ser verdade, mas isso é na verdade realmente cansativo. (Vandalieu)

— Ah, isso consome uma grande quantidade de Mana, não é? (Tarea)

— Não, na verdade cansa meu cérebro. (Vandalieu)

Vandalieu se deitou e descansou sua testa contra as costas de Tarea. Sentindo como estava quente, Tarea soltou sua voz de surpresa.

— Febre? Van-sama, sua testa está quase quente o suficiente para me queimar! (Tarea)

— Isso é conhecido como uma febre mágica. Se você ultrapassa os limites da sua inteligência para forçar um feitiço complicado, isso aparentemente pode acontecer. (Vandalieu)

O número de inteligência nos status governava a magia e as técnicas marciais,  representando a quantidade que o cérebro pode processar, e a velocidade com que o faz. Se esses limites são ultrapassados, uma febre é desenvolvida, como um computador que foi sobrecarregado.

Usar [Transmutar em Golem] para purificar cobre como Vandalieu tinha mostrado para Tarea não consumia muita Mana. Mesmo que fosse diferente para outros magos, para Vandalieu, que tinha uma reserva de Mana de 100,000,000 era realmente uma quantia minúscula.

O que ele estava realmente fazendo era ciência de nível do ensino médio. Ele estava simplesmente transmudando o cobre com a imagem de ejetar todo o material que não fosse cobre de dentro dele.

Mesmo que o atributo terra dos magos manipule os minerais, eles são incapazes de aumentar sua pureza. A razão disso era provavelmente por eles não compreenderem a estrutura molecular dos metais. Ninguém poderia culpá-los, já que esse é um mundo de fantasia sem microscópios de elétrons.

Contudo, Vandalieu compreendia o conceito de moléculas. Mas aumentar a pureza de um único quilo de cobre para 100% causou uma febre intensa o suficiente para nublar sua consciência, então a técnica se provou verdadeiramente difícil.

— Ou talvez minha inteligência seja apenas muito baixa. Eu tenho a sensação de que existe uma boa forma de contornar isso, mas… Fuh, as costas da Tarea são boas.

Quando Vandalieu usou [Chamas Demoníacas] ao redor de si e pressionou sua testa contra as costas de Tarea, ele repentinamente percebeu algo.

— Parando para pensar nisso, Tarea é…(Vandalieu)

— Si-sim, sou o que? (Tarea)

— Seus braços são fortes e musculosos, não são?  (Vandalieu)

— É ai que você quer tocar?! Tem muitos outros lugares melhores, sabe? Se for você, Van-Sama, eu não me importaria se sua mão escorregasse um pouco! (Tarea)

— Outros lugares… Suas costas é bem musculosa também, não é? (Vandalieu)

Mesmo que armeiros não usassem martelos como os ferreiros, eles ainda usavam uma quantidade considerável de força física. Esse era o porquê da Tarea ter mais músculos em seus braços e costas do que o esperado… embora poucos tinham notado isso devido ao seu uso de roupas e ornamentos que cobrem suas costas e braços superiores.

— Nãooooo! Por que está apenas escolhendo lugares como esses? (Tarea)

Tarea estava cobrindo seu rosto com vergonha, mas Vandalieu apenas quis dar um elogio normal. Músculos eram coisas esplêndidas. Eles impunham justiça, e eram poderosamente belos.

Mesmo que alguém não tivesse opiniões tão extremas, os músculos esbeltos não seriam considerados atraentes?

— Eu-eu não preciso mais de massagem… oguh?! (Tarea)

Mas talvez contorcer-se com Vandalieu nas costas tenha sido uma má ideia. Os quadris de Tarea deram um som de estalo desagradável.

— … Não tem nenhum problema com seus ossos. Você tem costas muito tensas. Deu um mau jeito.(Vandalieu)

Tarea parou de se mover, e Vandalieu usou sua magia mais uma vez para anestesiar a dor dela e estabilizar a área afetada.

Tensão nas costas é inacreditável, para deixar um Ghoul com [Resistência à Dor] meio inconsciente.

A propósito, essa era a primeira vez que o termo [mau jeito nas costas][4] tinha sido usado em Lambda, e nos próximos anos a seguir, o termo se espalharia de Talosheim para todo o continente. Mas agora, ninguém tinha ciência disso.

— Aí está você, garoto… Então, quem é que está deitada desse jeito? (Zadiris)

— É a Tarea, ela não consegue se mover pois está com tensão nas costas. (Vandalieu)

Era o anoitecer, que chegou cedo em Talosheim, quando uma Zadiris animada veio ver Vandalieu.

— Ela está com tensão nas costas, você diz? Como é de se esperar de uma pessoa idosa. (Zadiris)

— Kyiiiiiih, mesmo você que é 30 anos mais velha que eu! Eu espero que fique com mau jeito nas costas também! (Tarea)

— Mau jeito? Bem, eu compreendo que você está me zicando. (Zadiris)

Embora Vandalieu tivesse anestesiado a dor, a lesão não havia sido curada, então Tarea ainda estava deitada para se recuperar.

Enquanto Zadiris olhava atentamente, ela viu que os braços de Vandalieu haviam se fundido nas costas de Tarea.

— … O que vocês estão fazendo? (Zadiris)

— Terapia de assimilação com forma de espírito. Se eu transformar o meu corpo em forma de espírito e fundir com Tarea, ela se torna capaz de usar minha habilidade de cura rápida. Eu não posso usar magia de cura, mas eu tentei ver se havia alguma coisa que eu poderia fazer e é por isso que vim. (Vandalieu)

— Fuh, fufufu, está com inveja? Van-sama e eu nos tornamos um… Não, Não, você não pode me sacudir! Pare com isso, sua garotinha insolente! (Tarea)

— Ora ora, eu estou apenas fazendo isso, pois você não mostra respeito pelos mais velhos. (Zadiris)

Satisfeita em fazer Tarea gritar depois de ser provocada por ela, Zadiris sussurrou no ouvido de Vandalieu com uma expressão séria.

— O tempo de vida dela está em perigo? (Zadiris)

— Não, ela está apenas velha. Eu não consigo ver uma sombra da morte, então eu acho que ela ira ficar bem enquanto não se forçar muito. (Vandalieu)

— … Ela não vai aquetar o rabo, então isso é impossível. (Zadiris)

— Você está certa. Eu vou perguntar a ela mais tarde se ela quer que eu use [Reverter Envelhecimento] para ela. (Vandalieu)

Tarea se machucou duas vezes seguidas pode ter sido apenas algo único dela, mas Vandalieu e Zadiris suspeitaram que poderia ser porque ela estava envelhecendo. Eles poderiam estar pensando demais, mas seria melhor reverter sua idade e fazê-la se tornar saudável novamente muito antes que a sombra da morte se tornasse visível.

— Parando para pensar, como está o seu treinamento? (Vandalieu)

— Hmm, está indo bem. Eu alcancei o nível 100, então eu prevejo que vou mudar de profissão amanhã de novo. (Zadiris)

Os Ghouls que passaram pela mudança de profissão tinham começado com profissões de [Aprendiz]. Existia [Aprendiz] em todos os tipos de profissão, como [Guerreiro Aprendiz], [Mago Aprendiz], [Armeiro Aprendiz] e [Empregada Aprendiz.]

Assim como o nome sugere, eles eram aprendizes, então os valores dos atributos e habilidades eram fracos. Contudo, os bônus foram distribuídos amplamente sobre suas habilidades, para que todos pudessem levar em consideração suas próprias forças e fraquezas enquanto treinavam e planejavam quais habilidades queriam obter.

Zadiris e os outros Ghouls tinham aumentado o nível de suas profissões de aprendiz ao limite dentro do espaço de apenas alguns dias, mas eles eram um caso especial.

Humanos com profissões de aprendizes normalmente não eram muito diferentes da maioria das pessoas. Começando desse estado, eles treinariam com espadas de madeira e lanças, praticariam combate, lutariam contra monstros de Rank 1 como Goblins, Sapos Grandes e Esqueletos sob a supervisão de um mentor e iam ganhando EXP lentamente.

Mas Ghouls eram no mínimo tão fortes quanto monstros de Rank 3 para começar, e já tinham muitas habilidades relacionadas ao combate. Além disso, eles eram capazes de matar monstros como Lobos Agulha, enquanto que aprendizes humanos seriam simplesmente obliterados, ganhando assim grandes quantidades de EXP.

Zadiris tinha se juntado com outros Ghouls em derrotar monstros como Tubarões Voadores e Raptores, e rapidamente alcançou o nível 100 na profissão [Maga Aprendiz].

A propósito, o nível dela como um monstro não aumentou. Parecia que os pontos de experiência eram divididos em [Pontos de Experiência da Profissão] e [Pontos de Experiência de Monstro].

— Sei que está ansioso para tentar, mas deveria estar relaxando no momento. Quando as costas de Tarea estiverem curadas, vai ser a data que combinamos de fazer o seu aniversário. (Zadiris)

— Bem, contudo, não sei como vai ser. (Vandalieu)

Com a maldição [Não pode apreender profissões existentes], Vandalieu não podia conseguir uma profissão que já tenha tido a existência confirmada em Lambda.

Ele queria tentar, então ele estava com altas expectativas, mas também um pouco ansioso de não ser capaz de conseguir uma profissão.

Bem, no caso deste último, ele teria simplesmente de se concentrar em tornar os Mortos-Vivos e os Ghouls mais fortes.

— Auuh, Van-sama, minhas costas estão em um estado ruim…? (Tarea)

Sem saber sobre a maldição de Vandalieu, Tarea assumiu que ele estava falando sobre suas costas, então ele teve que gastar algum esforço para acalmá-la.

E então o aniversário do Vandalieu chegou. Vandalieu foi levado ao castelo real.

— Jovem mestre! Por favor, pense que é uma brincadeira e coloque essa bolsa na sua cabeça! (Saria)

— Não se esqueça de usar a venda e os tampões de ouvido antes disso, okay? (Rita)

Vandalieu congelou quando Saria e Rita se aproximaram dele com uma bolsa de couro e uma venda feita de pano.

Primeiro, Vandalieu pensou que isso poderia ser um gekokujou[1], mas isso parecia ser uma surpresa planejada, então ele animadamente colocou a venda e a bolsa de pena sobre sua cabeça. Vendo de fora, ele parecia uma criança sendo raptada.

— Aí está ele! Eu tive muito trabalho para trazer isso aqui para você! (Borkus)

— Eu também! Eu trouxe muitos deles também. (Vigaro)

— Parem de competir um com o outro quando nós ainda nem mesmo mostramos a ele! (Basdia)

Depois de um tempo, as coisas ficaram barulhentas. Pensando que uma surpresa maior estava esperando por ele do que ele pensava, o coração de Vandalieu começou a latejar.

— Feliz Aniversário!

A venda e a bolsa foram removidos. Vandalieu viu um grande refeitório que havia sido construído depois que Talosheim começou a negociar com o Reino Orbaume, a fim de realizar festas de buffet como os humanos da alta sociedade..

Borkus, Vigaro, Zadiris, Nuaza, Basdia, Tarea e muitos outros estavam espalhados pelo grande local.

O salão de jantar fora uma vez magnífico, mas agora estava em ruínas, uma mera sombra do que era uma vez. Como se para substituir as decorações e ornamentos que tinham sido perdidos, um grande número de cadáveres cobertos de penas coloridas e escamas tinham sido alinhados em torno dele.

— Esses são os dinossauros! (Vandalieu)

Ninguém sabia seus nomes exatos e eles eram na verdade bem diferentes dos dinossauros que tinham habitado a Terra, mas a estrutura óssea deles era facilmente identificável como a de dinossauros com apenas um olhar.

Cadáveres parecidos com Tiranossauros, com enormes dentes afiados crescendo em suas bocas.

Cadáveres parecidos com Pteranodontes. claramente diferentes de pássaros e morcegos.

Cadáveres parecidos com Triceratops, com grandes chifres saindo de suas cabeças.

Corpos parecidos com Estegosauros, com folhas de osso crescendo em suas costas e espinhos em suas caudas

Alguns de seus chifres foram quebrados e suas barrigas foram costuradas; eles não ficaram ilesos. Mas todos eles pareciam relativamente frescos.

— Esse é o nosso presente. Nós escutamos da sua mãe que você queria aqueles monstros com escamas que não são dragões, Van, então trouxemos todos eles aqui. (Basdia)

— Havia muitos deles saindo das masmorras. Apesar de termos retirado o sangue e órgãos, já que teriam apodrecido de outra forma. (Vigaro)

Parecia que a informação de que Vandalieu gostava de dinossauros tinha sido vazada pela Zadiris.

Bem, talvez porque ninguém sabia o que poderia ser categorizado como um dinossauro, enormes monstros como crocodilos e cobras, bem como uma criatura carnívora de três metros de comprimento, possuindo garras afiadas e dentes com escamas cobrindo todo o seu corpo foram incluídos entre eles também.

Mas isso não inibiu as emoções que Vandalieu sentiu.

— Todo mundo… muito obrigado… (Vandalieu)

Ele foi levado às lágrimas. Ele sabia o quão difícil deve ter sido trazer os corpos de todos aqueles monstros de volta dos ninhos do diabo e masmorras, mesmo que seu sangue e órgãos tivessem sido retirados primeiro. As Carruagens Amaldiçoadas que ele fez para atravessar a Cordilheira Boundary provavelmente ajudaram, mas mesmo assim, não teria sido fácil.

— Vandalieu… (Darcia)

O espírito da Darcia surgiu do fragmento de ossos que Saria trouxe anteriormente.

— Sabe, durante todos esse tempo, houve muitas vezes em que pensei que tudo tinha acabado. Seu pai foi morto, eu fui capturada… mas você ainda tinha três anos. Muito obrigada. Certifique-se de se tornar ainda mais saudável e forte a partir de agora, ok? (Darcia)

Vandalieu tinha criado tantas lágrimas que seria impossível contá-las. Lágrimas de raiva, frustração, tristeza, miséria, sofrimento, ódio, tristeza, ressentimento, raiva, aversão.

Mas essa era a primeira vez que ele chorava de felicidade.

Que sensação agradável era.

— Obrigado mãe. Obrigado, todo mundo. Por favor continuem tomando conta de mim de agora em diante. (Vandalieu)

Era por isso que ele viveria.

E ele reviveria sua mãe.

As lágrimas de alegria que ele choraria depois de ressuscitá-la certamente seriam agradáveis também.

Não havia maneira dele ser morto, não havia maneira dele morrer.

Quanto a qualquer um em seu caminho, ele iria matá-los, e transformá-los em seus aliados.


Notas:

[1] O termo ferreiro em inglês tem varias variações, como arms smith, blacksmith, swordsmith… então vamos manter o termo Ferreiro para todos, e adicionar especializado em… para a melhor compreensão.

[2]Aqui é utilizado “blacksmith”, que seria referente a ferreiros que usam mais ferro e aço.

[3] Lembrem-se que os ferreiros nesse mundo normalmente usam os monstros como material para armas e armaduras, e não metais.

[4] Nota da gringa: Isso é notável em japonês porque o termo é bastante incomum, (ぎ っ く り 腰/gikkuri-goshi), onde “ぎ っ く り/gikkuri” é uma onomatopeia e “腰/goshi” significa quadril/costas, então é algo como um “estralo nas costas”? De qualquer forma, parece estranho se você não sabe o que a palavra significa.

[5] Nota da gringa: Este é um termo japonês que é semelhante à rebelião/motim/golpe de Estado/traição onde aqueles em posições mais baixas, como vassalos, derrubam aqueles em posições mais altas, como senhores

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar