The Death Mage Who Doesn’t Want a Fourth Time – Capítulo 35

Uma nova vida nasceu, então vamos melhorar nossa qualidade de vida

O quarto que Zadiris tinha preparado para o nascimento da criança de Bilde era um dos incontáveis quartos nas ruínas de Talosheim.

O quarto estava limpo e um tapete feito de pêlo macio, retirado da barriga de um lobo de agulha, havia sido colocado no chão, Bilde estava deitada nele.

— Primeiro, [Esterilização]. Bilde, você está bem? (Vandalieu)

Haviam três outras mulheres Ghoul no quarto além da Bilde. Elas provavelmente eram mulheres que tinham dado à luz antes, agindo como parteiras.

— V-Van. (Bilde)

Provavelmente graças as dores do parto, a respiração de Bilde estava áspera e havia suor em sua testa, quando ela percebeu que Vandalieu estava lá, estendeu a mão para ele. Que pegou aquela mão pequena… que ainda era maior que a sua, e ela a apertou.

— Eu vou dar o meu melhor para dar à luz a um bebe saudável, okay? (Bilde)

O que era suposto um homem responder nesse momento? Essa era uma pergunta difícil de se responder na posição de Vandalieu. Ele estava ciente de sua própria falta de expressão e voz monótona, então ele pensou que poderia soar frio se apenas dissesse — Dê o seu melhor assim ele hesitou. Tentando parecer o mais reconfortante possível, ele disse — Está tudo bem, eu estou aqui com você, apenas relaxe. (Vandalieu) 

Vandalieu não tinha licença de médico, nem tinha testemunhado um parto antes, então ele não sabia exatamente o que era correto ou como Bilde poderia relaxar, mas a encorajar era a prioridade no momento.

Na verdade, a sua falta de expressão era conveniente em situações como essa. A sua falta de confiança não estava aparente em seu rosto.

— Okay! (Bilde)

Parece que Vandalieu tinha a encorajado com sucesso. Ela definitivamente parecia estar com dor, mas ainda sorriu.

Quando Vandalieu pensou no fato de que a fez sorrir, a dor das garras dela penetrando sua mão direita pareceu algo trivial. Ah, elas perfuraram a pele dele.

… Mas ele pode ver uma fraca sombra de morte na feição dela.

— Controle a sua respiração, inspiração curta, expiração longa. (Parteira)

— Verifique seus status se puder, sua Vitalidade caiu? (Parteira)

— Vou ter certeza de te entregar o seu bebe. Descanse segura. (Zadiris)

Olhando para todos, Vandalieu percebeu que Bilde não estava mostrando qualquer estranheza ou sinais visíveis de sua condição piorando. Ela não demonstrou estar doente, e também não deveria haver nada de anormal com o bebê.

— Eu vou te examinar um pouco, okay? (Vandalieu)

Mas Vandalieu definitivamente podia ver a sombra da morte, então ele usou [Transformação em Forma Espiritual] para transformar o seu braço esquerdo ocioso em forma espiritual e inseriu-o dentro do abdômen de Bilde.

Assim descobriu que o cordão umbilical tinha se enrolado em torno do pescoço do bebê. Nesse ritmo, o bebê seria estrangulado.

— Estou feliz que Zadiris me chamou aqui. (Vandalieu)

Pensando nisso, ele soltou o cordão umbilical do pescoço do bebê… embora tivesse sido mais fácil fazê-lo com a mão direita.

— Como esta indo, garoto? (Zadiris)

— Tudo bem, eu resolvi isso. (Vandalieu)

Os ossos da mão direita de Vandalieu rangiam e as garras de Bilde tinham se cravado de modo que seu veneno paralisante o adentrava, mas agora não havia nenhum problema com a mãe ou a criança.

— Certo! O resto depende do seu esforço, Bilde! (Zadiris)

Depois disso, assim como Zadiris disse, o parto continuou com os esforços de Bilde, enquanto Vandalieu ofereceu seu encorajamento ao ter sua mão direita apertada.

Levaram seis horas para a criança nascer, e Vandalieu aprendeu sobre o quão boas as mães do mundo são.

Um bebê cinza-marrom com um rosto enrugado. Foi a primeira Ghoul nascida na comunidade em muito tempo.

— Olhe, é uma menina. Eu não posso dar o seu nome completo para ela, Vandalieu, mas está tudo bem se eu der metade dele? (Bilde)

Bilde segurava sua criança, parecia visivelmente exausta, mas indescritivelmente feliz.

Vandalieu estava bem com isso, mas o pai verdadeiro da criança não se importaria? Bilde parecia tão feliz que ele estava hesitante em perguntar.

— Por mim tudo bem. (Vandalieu)

E essa foi a resposta que ele deu.

Vandalieu perguntaria sobre isso mais tarde para descobrir que os Ghouls recém-nascidos eram geralmente nomeados por suas mães, ou seus nomes seriam decididos após consultar o chefe da tribo. Como Bilde era a mãe, ninguém disse nada sobre sua decisão de dar a seu filho metade do nome de Vandalieu.

— Quer segurar ela? (Bilde)

— Com prazer. (Vandalieu)

Ele olhou para o bebe dormindo pacificamente em seus braços… As fraturas dos ossos de sua mão direita ainda não tinham sido curadas e não se moviam muito após ter garras secretoras de veneno paralizante presas por horas até o final do parto. Então ele segurou o bebe com seu braço esquerdo e a colocou sob seus joelhos.

— Ela é leve e muito aconchegante. (Vandalieu)

O corpo do bebê parecia muito leve para Vandalieu. Mas este bebê iria crescer e viver por trezentos anos. Quando este pensamento lhe ocorreu, ele percebeu como a vida era misteriosa.

O nascimento de uma nova vida era um evento emocionalmente comovente. Vandalieu sentiu isso pela primeira vez em suas três vidas.

Quando viveu na Terra, mesmo ao assistir aquele tipo de documentário que dizia —  É assim que uma nova vida nasce —, sua única reação a isso foi apenas,  Hmm. —  Afinal, ele estava apenas observando um completo estranho em uma tela ou o nascimento de um animal, então ele não se sentiu emocionalmente impactado.

Mas ele tinha experienciado a morte duas vezes… Incluindo a vez depois de que ele se tornou um morto-vivo, três vezes. E agora ele estava tentando trazer Darcia de volta à vida, ele podia realmente sentir a emoção desse evento.

Ele decidiu que faria de tudo que pudesse para proteger essa criança. Não era seu pai, mas ele era o Rei Ghoul, afinal de contas.

— Então eu estou postergando a minha viagem para as Masmorras. (Vandalieu)

Borkus e Vigaro fizeram caras solitárias quando Vandalieu lhes disse isso, mas eles entenderam que não podia ser evitado.

As restantes nove mulheres dariam à luz uma a uma num futuro próximo. Se uma situação inesperada surgisse enquanto Vandalieu estivesse em um Ninho do Diabo ou Masmorra, ele não seria capaz de lidar com isso.

— Faz tanto tempo desde a última vez que eu escutei o choro de um bebe! (Vigaro)

— Você pode tomar o seu tempo para se acalmar primeiro, mas certifique-se de mostrar o bebê para nós também. (Borkus)

— Para uma nova vida nascer nestas ruínas que apenas esperavam para se transformarem pó, este é um evento verdadeiramente feliz. (Nuaza)

— Quão bom, agora nós podemos beber um pouco. (Titan)

— Se tiver algum álcool para beber. (Titan)

— Tem, apesar de não ser muito saboroso! (Titan)

Para Vigaro e os outros Ghouls que tinham sido incomodados pelo seu problema de baixa fertilidade, foi claramente um evento feliz, mas mesmo Borkus e os outros Titãs Mortos-Vivos estavam verdadeiramente felizes por ver o nascimento deste bebé.

A propósito, alguém poderia ter questionado se seria higiênico permitir que o bebê ficasse perto dos mortos-vivos, mas não era um problema. Vandalieu já havia lançado [Esterilização] , [Matar Insetos] , [Desinfecção] e [Preservação] em todos os Titãs Mortos-Vivos.

Uma vez que um sistema de drenagem foi estabelecido, Talosheim se tornaria uma cidade fortaleza tão higiênica quanto qualquer cidade do Império de Amid. No entanto, havia relativamente poucas pessoas vivendo na cidade, considerando o seu tamanho, por isso nunca perderia a sensação de ser uma cidade fantasma.

— Também quero fortalecer as defesas de Talosheim e usar [Alquimia] para fazer itens mágicos que vão aumentar a fertilidade dos Ghouls. Vou deixar as aventuras e treinamento entre essas atividades. (Vandalieu)

Aqueles dedicados ao caminho de ser um guerreiro ou um mago poderiam tê-lo repreendido por sua falta de dedicação, mas ninguém aqui repreendeu Vandalieu.

— Tudo bem! Vamos apenas decidir a ordem em que vamos fazer as coisas aqui! (Vigaro)

—  Isso é perfeito. Ninguém foi para Masmorras por duas centenas de anos, então o que se sabe que pode conter dentro delas. O número de monstros provavelmente aumentou, então eu vou limpar ele para você! (Borkus)

— Pode ser que eles tenham sido abandonados por tanto tempo que novos andares desconhecidos tenham aparecido neles.

— O que nós vamos fazer sobre as lições de combate desarmado? Por enquanto, eu suponho que vamos ao básico. (Basdia)

— Jyuh! Meu lorde, nesse caso, eu devo aumentar meu nível e trabalhar duro para alcançar meus companheiros! (Homem Esqueleto)

— Nós vamos usar esse tempo para aprender nossas habilidades também! (Crianças)

Neste momento, Vandalieu percebeu mais uma vez de quanta bondade ele estava cercado nessa terceira vida.

A primeira coisa a fazer era criar os Itens Mágicos para resolver o problema da fertilidade dos Ghouls. Fortalecer as defesas de Talosheim teria que ser feito depois que o Ninho do Diabo da floresta fosse completamente removido da cidade, caso contrário, eles estariam com Raptores e Lobos de Agulha até o pescoço.

— Santo Filho, por favor, nos dê mais alguns dias.

Então lhe foi dito. Parecia que o problema estava no número de monstros, não em sua força. Mesmo que os Lobos de Agulha não fossem problemáticos, os Raptores eram inteligentes o suficiente para correr se percebessem que não poderiam ganhar a briga, então exterminá-los era aparentemente muito difícil.

— Eu estou pensando em fazer dois tipos de Itens Mágicos. (Vandalieu)

— Um para fazer o esperma e os óvulos sobreviverem mais, e outro para evitar que fetos morram antes de alcançar um certo tamanho, se eu me recordo? Criar itens mágicos com ambas funções seria difícil, afinal.  (Zadiris)

Na construção ao lado da sala de maternidade temporária, Vandalieu estava discutindo a criação dos itens mágicos com Zadiris, Tarea, Basdia e algumas outras mulheres Ghoul.

— Sobre isso, eu estava pensando em fazer com que o item mágico faça com que o esperma e os óvulos sobrevivam por mais tempo, algo que seja fácil de colocar e tirar. (Vandalieu)

— De fato, se for algo permanente… nós vamos produzir crianças infinitamente. (Tarea)

— Você está certa, vai ser difícil parar todos mudarem de hábitos de forma repentina. (Basdia)

Até o momento, os Ghouls experienciaram dificuldade para engravidar, e mesmo se conseguissem, a maioria de suas crianças não nasceria. Por conta disso, eles não tinham um sistema de casamento e era natural para a sociedade darem o seu máximo para criar crianças. Mesmo depois de Bilde e as outras engravidarem, elas não mostraram nenhum sinal de se segurar.

Mesmo que Vandalieu criasse o item mágico, eles não simplesmente diriam, — Certo, vamos propor o planejamento familiar de agora em diante.

Não existiam dispositivos contraceptivos convenientes ou pílulas como na Terra, o que tornava isso ainda mais difícil.

Bem, não teria problemas em ter um grande número de crianças por enquanto. Na verdade, seria algo bom. Talosheim ainda tinha muito espaço disponível e um suprimento quase sem fim de comida.

Contudo, se reproduzir ao ponto de superpopulação seria um problema. Diferente de Braga e das outras crianças monstros, Ghouls não chegam a maturidade dentro de um ano.

— Definitivamente ocasionaria problemas. Ter uma criança já é trabalhoso, mas ter duas ou três de uma só vez… (Tara)

— E tem muitas dando a luz pela primeira vez, incluindo Bilde. (Zadiris)

Não haviam enfermeiras como na terra, nem livros, programas de televisão ou internet como referência para aprender como criar uma criança. Já que Tarea e Zadiris tinham passado pela experiência de criar uma antes, elas estavam preocupadas que houvesse mães que sofressem de ansiedade pós-parto.

Bem, não necessariamente significa que ter apenas uma criança preveniria ansiedade pós-parto.

— Então eu acho que o melhor seria explicar sobre contraceptivos quando eu fizer o item mágico. (Vandalieu)

— Você está certo. Diferente dos humanos, nosso tempo de vida é longo. É bom para nós termos muitas crianças, mas devemos ficar bem tendo uma a cada 5 ou dez anos. (Basdia)

Para humanos, especialmente para aqueles que vivem em comunidades rurais, existem circunstâncias onde eles não têm o luxo de dar um espaçamento entre o nascimento das crianças por conta do trabalho de criá-las, e eles provavelmente não compreenderiam o conceito de planejamento familiar de qualquer forma.

Por conta da tecnologia médica não ser bem desenvolvida, havia a forte crença de que eles deveriam ter o tanto de crianças quanto fosse possível enquanto estivessem jovens e saudáveis. Mas como Basdia disse, Ghouls tinha um longo tempo de vida então seria fácil os convencer de adotar essa política.

Contudo, humanos teriam contestado isso fortemente.

— Mas os homens podem se segurar? Eu acho que uma a cada 5 ou 10 anos é impossível. (Basdia)

— E esse é o porquê de que vai ser um acessório que pode ser colocado e retirado. Pode ser usado apenas quando se deseja ter uma criança. (Tarea)

Seria um dispositivo contraceptivo reverso.

— Então que tipo de acessório você vai fazer? (Basdia)

— No momento, estou pensando em fazer um colar ou uma faixa que vai ao redor da coisa. (Vandalieu)

A forma e parte do corpo onde o item mágico seria usado era muito importante. Esses fatores afetariam a dificuldade de criação do item com [Alquimia] , os materiais necessários e a força de seu efeito quando concluído.

Por exemplo, se houvesse um item mágico que permitisse andar no ar como se fosse o chão, não seria provável que a maioria das pessoas esperasse que tal item mágico fosse um tênis?

Pelo menos, ninguém pensaria que seria um óculos.

Em contraste, se houvesse um item mágico que permitisse alguém ver através do objetos, a maioria das pessoas esperaria que fosse um óculos, não um tênis.

Desta forma, certos formatos tornariam mais fácil criar o item e produzir um efeito mais forte, dependendo do tipo de efeito desejado.

Algo que garantisse força física seria um anel ou um bracelete. Algo que garantisse algum tipo de visão seria óculos ou, alternativamente, uma medalha. Algo que deixa alguém correr em alta velocidade seriam sapatos ou uma tornozeleira.

É claro, itens mágicos como meias que permitem alguém ver no escuro aparentemente existiam, mas criar esse tipo de item requer um nível alto em [Alquimia] e materiais caros.

Atualmente, havia mais materiais alquímicos disponíveis do que comida. A razão para isso foi que qualquer coisa que eles obtiveram de caçar monstros, eles mesmos tinham que usar.

Não existia Guilda dos Aventureiros para coletar pedras mágicas, então Braga e as outras crianças brincavam com elas como pedras.

Contudo, Vandalieu, o único que podia criar um item mágico de atributo morte, tinha [Alquimia] no nível 1. Criar uma faixa que fosse em torno da coxa, perto do abdômen, ou um pingente pendurado a uma distância similar era o limite da sua habilidade.

Ele também tinha a opção de fazer um cinto, mas Ghouls não tinham o costume de usá-los, então isso poderia fazer o uso do item mágico impopular.

… Vandalieu teria dificuldade em criar um item que fosse usado mais perto que isso das partes “relevantes” do corpo.

— Então, tem alguma cor ou design que vocês preferem? (Vandalieu)

Vandalieu tinha chamado Basdia e as outras mulheres a essa discussão para lhes perguntar isso. Desde que seria elas que usariam, é melhor perguntar a elas pelas preferências de cor e formato.

… Por conta de sua função, seria constantemente desgastado durante o uso, afinal de contas.

— Vamos ver… Todas gostam de branco, preto, prata e dourado. (Basdia)

— Acho que ninguém gosta de ver vermelho, com exceção das batalhas. (Mulher)

— Eu acho que todas gostam de coisas que se parecem com asas. E também, corações, talvez. (Mulher)

Basdia e as outras ofereceram suas opiniões sobre os gostos das Ghouls. Vandalieu não tinha confiança em seu senso de moda, então isso foi uma grande ajuda.

Por sinal, em Lambda, o coração era aparentemente um símbolo da deusa Vida. Como esperado da deusa do atributo vida.

Contudo, um coração negro seria um mal presságio, então talvez um prata seria melhor?

— Por enquanto, nós devemos tentar fazer algo. (Tarea)

— Estou contando com vocês. (Vandalieu)

Na verdade, quem faria os objetos seriam a Tarea e as outras Ghouls artesãs. Criar um item mágico requer a habilidade [Alquimia], mas era simplesmente imbuir um objeto com magia. Este propriamente dito era geralmente feito por um artesão. 

Haviam alguns alquimistas que faziam tudo por si mesmos, desde colher os materiais até criar os itens, mas eram excepcionalmente incomuns.

— Então o que você vai fazer quanto ao item que mantém os fetos vivos? Algo facilmente removível seria problemático. —  Em seguida Zadiris murmurou:  — Dourado e prateado? Os jovens de hoje em dia realmente gostam de coisas brilhantes… — Mas quando ela fez essa pergunta, Vandalieu respondeu: — Isso é um pouco complicado.

Como Zadiris disse, seria melhor para o item mágico ser difícil de remover. Se saísse acidentalmente e fosse perdido ou a mãe esquecesse de colocá-lo e o bebe viesse a óbito, seria um problema sério.

Mas não significava que poderia ser algo para colocar dentro do corpo…

Os dois acenaram conforme pensavam sobre isso…

— E quanto a uma tatuagem? (Zadiris)

— Então um piercing? (Vandalieu)

— Eh? (Ambos)

Eles se olharam depois de terem dado respostas completamente diferentes.

— Garoto, um piercing ficaria muito longe do abdômen. Uma tatuagem não vai desaparecer, e pode ser aplicada em qualquer lugar. (Zadiris)

— O piercing não estaria nas orelhas, nariz ou lábios, mas sim no umbigo. Quanto às tatuagens, quem as faria para começo de conversa? (Vandalieu)

Parecia que os Ghouls não tinham tido a ideia de furar os umbigos. E Vandalieu não tinha pensado na ideia de fazer um item mágico a partir de uma tatuagem gravada no corpo.

Então depois de uma discussão, eles resolveram usar o piercing no umbigo.

— Se nós usarmos tatuagens, não ficariam distorcidas quando a barriga crescesse? O bebe já teria crescido o suficiente neste ponto, mas re-aplicar a tatuagem toda vez que quiser engravidar não seria uma opção. Nesse caso, eu acho que os piercings são melhores. (Basdia)

E assim a opinião de Basdia foi aceita.

Coincidentemente, a ideia de que piercings eram colocados do pescoço para cima era não apenas para dos Ghouls, mas de toda Lambda. Piercings no umbigo se espalhariam e ficariam gradativamente populares, começando por Talosheim, mas essa era uma história para um futuro distante.

A partir de então, Vandalieu viveu um estilo de vida mais brando do que o habitual, mas ainda duro para um garoto de três anos.

Ele normalmente descansava um dia por semana, e se uma das mulheres grávidas entrasse em trabalho de parto naquele dia, ele ainda teria que comparecer. Ele descansava três horas no dia seguinte para compensar. Tendo isso como o ritmo básico de seu estilo de vida, ele passou seu tempo reparando e mantendo a cidade de Talosheim, bem como o treinamento em combate desarmado enquanto esperava Tarea e as outras artesãs criarem os protótipos para os itens mágicos.

A manutenção e reparo eram simples.

— Ergam-se, juntem-se, retornem. (Vandalieu)

Ele apenas tinha que usar [Transmutar em Golem]. Os escombros no chão ganhariam pernas para se mover, se juntar, mudar a forma e retornar a forma original.

Construir um edifício a partir do zero ainda seria difícil, mas consertar um que havia se desgastado um pouco era simples. Graças à habilidade de [Carpintaria], Vandalieu tinha uma ideia geral do que precisava fazer.

Em Lambda, aparentemente a mesma habilidade foi usada para construir ambas as covas para Ghouls e casas de pedra para Titãs.

Vandalieu não só reparou os edifícios, mas também usou a habilidade [Engenharia] para reparar e manter as estradas e o sistema de esgoto.

Talosheim não tinha sistema de encanamento, mas tinha um sistema de esgoto. Eles usaram um Item Mágico para purificar a água usada enquanto juntavam os resíduos em um local para fermentar e usar como estrume.

É claro que, uma vez que tenham se passado duzentos anos, este sistema seria inutilizável sem algum concerto.

Vandalieu transformou a superfície do solo em Golems para expor os canos do esgoto, transformou esses tubos em Golems, bem como para reparar as rachaduras e remover quaisquer bloqueios e aplicou o feitiço [Anti-degradação] que ele tinha aprendido depois de suas habilidades subirem de nível, antes de transformar o chão de volta.

Ele forneceu mana ao item mágico purificador de água.

Ele fez o Homem Esqueleto e os outros Mortos-Vivos exterminarem os monstros gosma desconhecidos que tinham crescido nos tanques usados para fermentar os resíduos.

Com tudo isso completo, o sistema de esgoto se tornou utilizável novamente.

Eles teriam que extrair água de poços e canais, mas era muito conveniente simplesmente ser capaz de descartar qualquer água usada.

Depois de viver em Lambda por três anos, Vandalieu percebeu o quão grande eram os sistemas de esgoto da Terra. Ele era especialmente grato por ter sido Japonês.

Depois de fazer tudo utilizável novamente, ele pretendia fazer com que a manutenção fosse feita automaticamente por Golems.

Vandalieu exauriu o básico de combate desarmado com Basdia.

— A sua força é quase a mesma de um Ghoul adulto, Van. Vamos praticar como se fosse uma batalha real. (Basdia)

Ele apreendeu vários padrões, assim como defender e desviar… com seu corpo.

Basdia balançou suas pernas, chutou-o, jogou-o ao redor, pisou nele… ele foi surpreendentemente amassado. Mesmo que não tenha usado nenhuma magia, ele duvidava se realmente tinha a força de um Ghoul adulto.

— Você tem talento para isso e tem uma percepção apurada para agressividade, mas os seus ataques são exagerados e monótonos, Van. Você vai ficar mais forte se você se mover mais rápido e fizer algumas fintas. Além disso, precisa sempre prever o próximo movimento do seu oponente. (Basdia)

Basdia sabia que Vandalieu entrava em pânico quando repreendido duramente e que ele não gosta de ser ensinado metaforicamente. Assim, ao mesmo tempo em que não facilitava para ele no treino, ela se certificava de falar em um tom gentil conforme o ensinava.

E dessa forma Vandalieu pode seguir suas lições com compostura.

Ele tinha dependido completamente de magia para defesa até o momento, e seus ataques eram monótonos, tendo em vista que ele simplesmente utilizava sua quantidade sobrepujante de mana para alcançar a vitória. Uma parte disso não teria muito o que fazer, dado o quão jovem era seu corpo, e ele mesmo achava que não havia outra forma. Ele nunca tinha nem mesmo entrado em uma briga como um Japonês, e após isso ele tinha se tornado um animal em laboratório em Origin, o qual não podia fazer nada além de se enfurecer como um animal. Ele tinha a impressão de que lutas desarmadas e artes marciais estavam muito distantes dele.

Mas graças a seu pai nesse mundo, ele aparentemente tinha músculos fortes.

— O que realmente impressiona é como você não fecha os olhos. Eu levei três meses para aprender a não fechar eles, mesmo quando sou atingida no rosto, mas você tem feito isso desde o começo, Van. Você tem um talento inacreditável. (Basdia)

— Obrigado. (Vandalieu)

Seu rosto e bochechas foram atingidos, embora levemente, então seu rosto estava mais rosado do que o normal, mas os olhos de Vandalieu permaneceram abertos.

Saber que ele podia fechar os olhos e usar [Transformação em Forma Espiritual] para ver usando seus olhos em forma espiritual parecia influenciar seus instintos e reflexos.

As mulheres grávidas entraram em trabalho de parto a cada poucos dias, e Vandalieu participou de cada um deles.

Coisas como o cordão umbilical preso ao redor do pescoço do bebe não aconteceria toda hora, eles seguiram normalmente. Isto é, com as dificuldades habituais, drama e emoções que os humanos experienciam, os bebês nasciam com segurança.

As coisas pareciam ir bem com os Ghouls após o nascimento também, incluindo Bilde. Isso era graças ao fato de que os Ghouls são mais robustos do que humanos e que esse lugar é um meio ninho do diabo.

As veteranas que experienciaram nascimentos antes, como Zadiris e Tarea estavam ensinando várias coisas quanto a vida após dar à luz, então parecia que tudo se sairia bem.

Foi no meio de julho que se tornaram verdadeiramente ocupados com o processo de criação do item mágico.

Imbuir magia nos itens que a Tarea criava acabou sendo difícil. Reparar a muralha do castelo inteira teria sido de longe mais fácil que isso.

— Nesse ponto, fazer três itens mágicos em um dia é o meu limite, huh… (Vandalieu)

— A sua habilidade é nível 1, não é, garoto? Esse ritmo é o suficiente. (Zadiris)

— Se fizer eles tão rápido, o ritmo em que eu levo para fazer eles não vai ser o suficiente. Acessórios não são a minha especialidade afinal. (Tarea)

Haviam cerca de seiscentos Ghouls precisando dos itens mágicos. Nessa velocidade, levaria mais de trezentos anos para fazê-los para todos.

Contudo, nem todos os Ghouls queriam filhos agora, então não tinha necessidade de se apressar.

— E pelo seus cálculos, estaria fazendo itens mágicos para mim e Tarea também. Ou será que essa é a sua forma indireta de se confessar? Hmm? (Zadiris)

— Oh meu, Eu não devo. Mesmo que eu pereça jovem, tenho mais de 260 anos. Contudo, se o Van-sama deseja isso… (Tarea)

— Vocês não deveriam provocar um garoto de 3 anos de idade. Se disserem isso muitas vezes. Eu irei realmente tomar suas palavras em uma década ou duas. (Vandalieu)

A criação dos itens mágicos continuou com conversas agradáveis como essa, usando os órgãos em pó e pedras mágicas de monstros derrotados.

Ah, a Pedra Mágica que Vandalieu acabou de esmagar, era de um Nobre Orc?

Vandalieu tentou várias coisas em seu tempo livre.

— Um peixe e… [Fermentação]

Como não tinha soja, ele tentou fazer molho de peixe a partir do próprio peixe. Ele não tinha se dado o trabalho de inventar o molho em Origin, mas teve sucesso após três tentativas agora.

O molho de peixe ficou com um cheiro ruim e grosso, mas ervas poderiam ser adicionadas para deixá-lo mais leve.

Depois, ele tentou usar nozes e castanhas para fazer missô de nozes e de castanhas, e encontrou uma certa dificuldade. Ele conseguiu fermentar usando magia, mas não ficou completamente satisfeito com o sabor.

Os pesquisadores que extraiam a mana do Vandalieu tinham tentado usá-lo para fazer missô anteriormente, então esse era um dos seus pontos fortes, mas essa era a sua primeira vez a partir de nozes e castanhas.

— Acho que não é tão saboroso como era dito na Terra. Mas tem o gosto de nozes e a fragrância de castanhas, então eu acho que deve estar tudo certo? (Vandalieu)

Vandalieu não sabia que missô de nozes não usava sal e nozes como substitutos para o missô, mas simplesmente adicionou nozes ao miso já feito.

Contudo, ele tinha feito algo que o sabor o agradou, então ele lançou [Maturação] nele para deixar o sabor mais forte e compartilhou com todos.

Wasabi e gengibre também foram descobertos no meio ninho do diabo perto de Talosheim, então eles foram rapidamente cultivados. Bem, para o gengibre, era apenas uma questão de transformar as áreas onde cresceu em campos e ocasionalmente colocar fertilizantes… apenas isso geraria uma colheita de gengibre a cada semana. Ninhos do diabo eram realmente lugares incríveis.

A cultivação do wasabi precisou de uma intervenção. Wasabi libera um componente tóxico que previne outras plantas de crescerem em sua proximidade, mas esses componentes afetam o crescimento do próprio wasabi e o impedia de ficar muito grande.

Vandalieu teve a ideia de imbuir estacas com [Desintoxicação] que neutraliza a toxina na área em que foram colocadas.

Foi um grande fracasso, mas também um sucesso. Os Ghouls e Titãs teriam que ir nos Ninhos do Diabo próximos e encontrar mais wasabi para usar.

Vandalieu também tentou criar Jenga. Tudo o que ele precisava era transformar lenha em golens de madeira e os dividir em peças de mesmo tamanho. Era ainda mais fácil do que fazer placas e peças para o Reversi.

— Este molho de peixe, poderia esse ser o lendário molho de soja? O dito nas lendas, aquele no qual o campeão Zakkart tentou e falhou em criar… (Nuaza)

— Tanto faz o que é, o gosto é bom. (Borkus)

Molho de soja é mais difícil de fazer do que missô, mesmo o campeão Zakkart teve dificuldades em recriá-lo.

Ele aparentemente conseguiu criar missô, mas Bellwood tinha botado fogo nos armazéns de missô antes que ele se espalhasse.

Gengibre e wasabi eram usados na comida desde o início. Mas todos ficaram contentes que estava sendo cultivado e podia ser colhido de forma confiável.

Jenga ficou famoso em Talosheim assim como Reversi. Nenhum carpinteiro dentre os Titãs havia se tornado morto-vivo, então os Ghouls e Mortos-Vivos se aproximavam de Vandalieu com carne de monstros em troca de peças de Jenga.

— Será que eu poderia viver uma vida pacífica apenas fazendo aromatizantes e brinquedos? (Vandalieu)

A troca era primitiva, mas parecia que aquela vida poderia ser gratificante para ele.

O primeiro estágio da criação de itens mágicos estava completa, foi no fim do verão em setembro que Talosheim tinha retornado a sua aparência de uma cidade fortificada limpa, quando o som do caminhar do outono podia ser ouvido.

— Agora, eu vou começar nas masmorras hoje. (Vandalieu)

Vandalieu estava finalmente começando suas aventuras para ganhar pontos de experiência.

[Os níveis de Alquimia, Carpintaria, Engenharia e Culinária aumentaram!]

Uma longa mesa de jantar havia sido preparada em um local escuro e desconhecido.

Um fluido vermelho era despejado em taças de vinho e compartilhado entre aqueles ali reunidos.

Trajavam roupas elegantes que poderiam ser vendidas por um valor suficiente para uma família comum viver de forma luxuosa por um ano, além de sobre-decorados com jóias.

Alguém poderia pensar neste lugar como um banquete para a nobreza, mas aqueles reunidos no local não eram nobres no senso comum daquele mundo.

Um ar de elegância e nobreza aparentava derivar deles.

Os homens e mulheres aqui eram belos, talvez de aparência efêmera.

Era possível que todos ali possuíssem ambos, profunda beleza e inteligência.

Mas na realidade, eram frios, impiedosos, demônios cruéis que ansiavam por sangue.

— Portanto, vamos iniciar nosso encontro. O primeiro tópico de discussão é… o Dhampiro mencionado anteriormente. (Vampiro)

Com seus olhos escarlates brilhando em júbilo, o vampiro de linhagem pura que liderava a discussão umedeceu sua garganta com o sangue fresco que havia sido derramado sob sua taça.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar