Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

The Runesmith – Capítulo 23

Ganhando algumas Moedas!

Roland esperou até o fim. Ele viu algumas armas e acessórios mágicos finamente trabalhados serem transportados para o palco que foram vendidos por muitas moedas de ouro. Estava um pouco invejoso, mas feliz por ter conseguido vender seus produtos artesanais. Quando finalmente conseguir chegar à sua classe desejada, pensou que seria capaz de produzir armas ainda melhores.

Ele ainda estava cansado, sua habilidade de resistência ao sono subiu de nível uma vez no semestre em que ficou preso escrevendo em seu minúsculo quarto de pousada. As pessoas até começaram a dar-lhe olhares estranhos, pois ele só aparecia para uma refeição antes de se trancar novamente.

O leilão foi até tarde da noite e terminou perto da meia-noite. Ele ficou e esperou, não estava disposto a sair sem pegar seu dinheiro. A casa de leilões só deixava os vendedores pegarem sua parte depois que os leilões terminavam e não durante eles. Houve momentos em que os compradores mudaram de ideia e se recusaram a pagar. Eles seriam relatados aos guardas da cidade então, a casa de leilões era um negócio sancionado e tinha maneiras de fazer as pessoas pagarem.

Roland fez questão de manter o capuz e a máscara. A máscara parecia uma daquelas que os ninjas usavam, apenas cobria sua boca enquanto deixava seus olhos abertos. O capuz estava cobrindo o topo de sua cabeça, ele não usou uma máscara facial completa pois considerava desnecessária.

Deu um suspiro quando finalmente foi autorizado a pegar seu saque. Havia uma sala especial para isso. Depois de entrar, viu um funcionário trabalhando lá. Era um homem mais velho e havia dois guardas ao lado dele. Havia também outros dois parados bem ao lado da entrada. Eles provavelmente estavam lá para pegar qualquer um que pensasse em pegar mais moedas do que tinham direito.

“Vendedor número 64… você ganhou um total de 9 moedas de prata grandes e 2 moedas de prata pequenas.”

“Com uma comissão de 25%, você fica com 6 moedas de prata grandes e 9 pequenas.”

O homem fez uma rápida recontagem enquanto Roland assentiu. Ele perdeu 2 pratas grandes e 3 pequenas devido à taxa das casas de leilão. Não estava bravo, pois entendia que valia a pena. Rapidamente pegou o dinheiro que foi colocado diante dele cuidadosamente embalado em uma pequena bolsa. Assentiu sem responder e saiu rapidamente. Sem que ele soubesse, algumas pessoas na casa de leilões o notaram, pois estavam curiosas sobre quem era o novo artesão da cidade que era capaz de fazer os pergaminhos de magia de grau superior.

Roland correu todo o caminho de volta para a estalagem com pressa. Ainda havia muitas pessoas na cidade, bebendo até tarde da noite. Ele havia crescido um pouco desde meio ano atrás e com os bônus adicionais de suas habilidades de corrida e estamina, ele estava indo rápido. Na pousada não havia muitas pessoas ao redor, todos estavam principalmente na cama, pois precisavam fazer as coisas pela manhã.

De volta ao seu quarto, ele desabou em sua cama de colchão de palha. Realmente não conseguiu se lembrar muito do dia passado, pois acordou às 12 horas do dia seguinte, acordado com os sinos da igreja que soaram à distância. Ele se sentiu revitalizado depois do descanso e pronto para ganhar mais dinheiro. Seu plano estava se concretizando e havia dado o primeiro passo. Agora tinha que bater enquanto o ferro estava quente, ele precisava de mais materiais e, no devido tempo, melhores feitiços rúnicos para praticar e depois vender.

Roland não sabia por que, mas era muito bom se virar sozinho. Na verdade, preferia trabalhar para si mesmo, embora estivesse trabalhando mais horas do que um trabalhador regular faria. Com o influxo de novos ativos, ele comprou mais recursos, mais tinta e mais pergaminhos de monstros para os feitiços. Ele havia redesenhado esse feitiço de flecha de fogo tantas vezes que agora era um mestre nisso. Provavelmente levaria um tempo para dominar outro da mesma forma, então decidiu se concentrar no feitiço flecha de fogo por enquanto.

Ele passou incontáveis ​​horas redesenhando-o, fixando os caminhos mágicos nas formas corretas. Até usou todo o seu papel de desenho e lápis para praticar enquanto estava com pouca mana. Esta flecha de fogo certamente era algo projetado para uma classe de ferreiro rúnico, estava drenando muito suas reservas de mana. Se não fosse abençoado com uma grande quantidade de mana, não seria capaz de escrever mais do que um ou dois desses feitiços rúnicos por dia.

Quando uma pessoa fosse drenada de sua mana, ela começava a se sentir tonta e sonolenta. Se sua mana chegasse a zero, você teria uma dor de cabeça e às vezes até desmaiaria. Isso aconteceu com ele em um dos dias em que escrevia, sua devoção à tarefa em mãos o fizera sofrer uma reação negativa. Até recebeu um debuff em sua regeneração de mana no dia seguinte, o que interrompeu ainda mais seu progresso.

O tempo passou novamente e as coisas estavam ficando mais interessantes na casa de leilões Libra. O Sr. Percival, o avaliador, tinha uma pilha de novos pergaminhos rúnicos, todos eles com a versão rúnica do feitiço flecha de fogo. Desta vez, havia três no grau ‘superior’, o que fez o homem se perguntar se esse mestre de runas estava melhorando a cada dia.

Sempre havia pergaminhos rúnicos de grau alto e superior lá. A notícia se espalhou pela cidade e as lojas de magia estavam lentamente começando a olhar para essa nova pessoa que estava lentamente se infiltrando em seu território. Mas assim como Roland especulou eles ainda não se sentiam ameaçados, o número de produtos circulando era muito pequeno para afetar essas grandes lojas que tinham outros itens para vender além de pergaminhos de feitiço. Ele não sabia se eles agiriam de alguma forma, mas por enquanto, foi deixado em paz com seus assuntos.

Quanto mais runas superiores forem adicionadas, melhores serão os preços. Roland estava lentamente recuperando sua fortuna perdida, depositava dez pergaminhos a cada semana enquanto ganhava perto de uma pequena moeda de ouro. Logo ele conseguiu uma pena melhor, um papel melhor, e agora estava até pensando em ir para uma pousada mais cara que ficava mais para dentro da cidade. As coisas pareciam realmente boas, tão boas que agora ele podia começar a pensar no futuro mais uma vez e voltar à sua pesquisa.

Outros três meses se passaram em um piscar de olhos, Roland estava sentado em seu quartinho com uma pilha completa de pergaminhos. Seis deles estavam no grau superior, enquanto quatro deles estavam no alto.

“Eu fiquei bom nesse feitiço… mas acho que preciso seguir em frente.”

Roland estava um pouco cansado de redesenhar a mesma sequência várias vezes. Se sentia como uma pessoa na linha de montagem fazendo exatamente a mesma tarefa todos os dias. Precisava de alguma variação em sua vida e ele sabia exatamente a coisa para apimentar as coisas. Colocou seus pergaminhos criados em sua bolsa espacial e decidiu se vestir.

Saiu da pousada e da cidade, fazendo isso a pé. Ele teve certeza de sair de manhã cedo, dando-lhe mais tempo até o anoitecer. Esta cidade foi construída em uma grande montanha, mas isso não significava que as rochas eram a única coisa na área. Na verdade, havia uma grande floresta perto de onde ele estava indo. Em duas horas ele estava em seu destino.

‘Deve haver alguns por aqui…tem um…’

Roland parou e se colocou atrás de uma árvore. Sua furtividade subiu do nível básico para regular, mas se quisesse chegar ao avançado, precisaria de uma classe de ladino. Se agachou e enfiou a mão na bolsa de armazenamento, de onde tirou um livro de aparência tosca. As páginas deste livro foram amarradas por um barbante fino e empurradas através de pequenos orifícios nas bordas, mal estava se segurando de quão ruim parecia.

Do outro lado estava a criatura familiar que Roland estava se aproximando.

‘Dente…’

Era um goblin, mas em vez de ser verde, era muito mais pálido. Esta era uma variante que foi chamada de ‘Goblin da Montanha’. Essas criaturas vagavam pela floresta ao redor da cidade, mas não se aventuravam em direção a ela. Eles às vezes atacavam carruagens que passavam entre as cidades, mas isso era uma ocorrência rara.

O goblin não teve muita chance de reagir quando uma flecha vermelha brilhante atravessou seu cérebro, derretendo-o no processo. A pessoa que produziu esse feitiço mágico foi Roland. Ele tinha a mão colocada na página mais alta de seu ‘grimório’ bruto, ele o fez a partir dos pergaminhos de feitiços de menor graduação que não queria vender.

Havia descoberto uma coisa sobre sua habilidade de Domínio de Runas Básico. Ele poderia subir de nível usando pergaminhos rúnicos que fez ou armas que tinham runas gravadas neles. Esses goblins não ofereciam muita experiência, mas eram bons o suficiente para ele treinar suas habilidades neles. A ideia de usar seu estoque de pergaminhos como um livro mágico lhe ocorreu uma vez.

A página que ele usou para ativar seu feitiço se desfez em pó logo após a ativação. Essa era a maior fraqueza desse tipo de arma, tinha usos limitados, mas podia disparar rapidamente com ela sem ter que fazer encantamentos irritantes. Talvez se enfrentasse aquele esgrimista de nível 2 na batalha novamente, poderia realmente fazer alguma coisa, enviando sucessivamente essas flechas de fogo em seu caminho. Mesmo uma classe de nível 2 teria dificuldade em escapar de tantos feitiços de nível 2, como o feitiço de flecha de fogo.

Roland deu uma olhada em suas estatísticas e algumas de suas habilidades que estava aprimorando. Seus mais importantes eram os relativos às runas, ele não estava mais usando muito as de sua classe de mago. Até achou esses pergaminhos de feitiço muito mais poderosos do que seus feitiços regulares.

Ele se concentrou em evoluir a habilidade de escrita rúnica, o que significava que sua escrita de mana regular ficou para trás. Não se importava com isso, já que as runas eram o caminho a seguir para ele. Sua habilidade Domínio de Runas também estava subindo agora, pois finalmente a estava usando como pretendido, para a batalha. Além de sua inteligência, destreza e força de vontade, o resto de suas estatísticas não estavam realmente subindo, ele até atribuiu os pontos que ganhou ao fato de envelhecer.

Notou que as runas intermediárias começaram a ser manejáveis ​​depois que alcançou o 4º nível de sua habilidade de escrita, antes disso, ele mal conseguia criar a de grau inferior. Quanto maior o nível dessa habilidade, menos mana queimava enquanto criava, felizmente tinha muita reserva mesmo antes disso.

As duas habilidades que ele recebeu ao obter sua classe de mago também estavam subindo de nível. Estava constantemente usando sua mana para moldar a tinta mágica nos símbolos rúnicos desejados. Felizmente, isso foi suficiente para sua habilidade de Modelagem de Mana subir de nível junto com a habilidade de Regulamento que acelerou sua regeneração. Ele foi capaz de regenerar toda a sua mana em algumas horas, se ficasse realmente parado e descansasse, era ainda mais rápido. Tirar a roupa também melhorou essa tarefa, pois tinha mais pele descoberta para absorver a energia mana.

Ele era um escriba de nível dez depois de mais de meio ano de trabalho. Já estava no nível máximo de sua classe anterior ao mesmo tempo, aumentar o nível de sua segunda classe de nível 1 estava provando ser mais desafiador. Também não conseguiu escrever tantos esquemas de runas, pois estava sem dinheiro. Isso mudaria em breve, queria começar a comprar todos os pergaminhos de feitiços rúnicos que pudesse encontrar na cidade. Eles eram muito mais baratos do que armas rúnicas, então se concentraria neles primeiro.

Verificou a hora, tinha algumas horas para treinar, então decidiu ir para a floresta usando suas velhas táticas. Havia menos árvores para ele se esconder e eram principalmente da variedade pontiaguda. Ainda podia usá-los como cobertura enquanto permanecia parado e usando sua furtividade, também não precisava mais usar esses encantamentos irritantes. Usar esses pergaminhos de feitiço neste grimório improvisado era muito mais rápido.

Já estava sonhando em fazer um cajado mágico rúnico para si mesmo. Se continuasse a ganhar níveis com sua habilidade de domínio de runas enquanto ganhava mais mana, o uso de armas rúnicas poderia ser viável em um futuro próximo.

Enquanto sonhava acordado com as armas rúnicas, ele se aprofundou na floresta, era meio do dia, então teve tempo de sobra para se soltar. As flechas de fogo choveram sobre os goblins desavisados ​​que não tiveram tempo de reagir. Ele terminava cada encontro com um tiro na cabeça e não ficaria surpreso se conseguisse algum título se continuasse. Percebeu que não estava recebendo muitos pontos de experiência para esses monstros e atribuiu isso a pertencer a uma classe de artesanato. Estava fazendo isso para aumentar seu Domínio Rúnico que lhe daria algum XP de qualquer maneira, então foi uma boa troca.

Sua caça foi interrompida depois que ele ouviu um som agudo. Era um grito familiar de um goblin. Estava perto de sua localização, mas ainda longe o suficiente para não se preocupar. Essas variantes de goblins da montanha eram muito mais fortes do que as verdes que você encontraria nas áreas mais quentes do reino. Eles eram um pouco mais altos e suas peles eram mais duras e estaria acabado se eles conseguissem cercá-lo.

Foi considerado uma má ideia lutar contra eles, a menos que você estivesse pelo menos em sua segunda classe de nível 1 e nas últimas partes dela. Ele se perguntou por que os goblins estavam chamando seus amigos, isso era claramente um pedido de ajuda e logo um enxame desses diabinhos correria para a área. O mais inteligente seria recuar por enquanto, mas ele estava perto de onde o grito se originou.

A sorte estava do seu lado, pois havia um pequeno penhasco naquela direção. Se os goblins decidissem correr em sua direção, precisariam escalar uma borda íngreme, o que lhe daria tempo suficiente para escapar ou até mesmo disparar alguns feitiços mágicos nos monstros escaladores.

Ele permaneceu no parapeito por hora, enquanto tentava olhar de onde vinham os ruídos. Viu alguém vindo em sua direção e não era um goblin. Este era alguém que conheceu da pousada em que estava hospedado. Era uma garotinha ainda mais baixa que ele, essa era a garota gnomo com quem esbarrou no primeiro dia que veio para a cidade.

Ela parecia assustada e estava fugindo, atrás dela cinco goblins da montanha com algumas clavas de aparência grosseira e espadas curtas a perseguiam. Ela tinha uma adaga na mão que parecia usada, pois estava encharcada de sangue de goblin. O que a garota estava fazendo na floresta era um mistério. Claramente não era forte o suficiente para lutar contra esses goblins da montanha sozinha, o que tornava as coisas ainda mais estranhas.

Ela vinha em sua direção, mas abaixo dele havia uma saliência de cerca de vinte metros. Ela precisaria subir todo o caminho até aqui para chegar a segurança e ele não achava que os goblins a deixariam fazer isso. Já podia imaginar a garota subindo enquanto levava pedras, paus e talvez até as espadas curtas.

Deu um suspiro enquanto olhava para seu ‘grimório’ de feitiços flecha de fogo. Ele tinha feitiços de sobra, também tinha a vantagem do terreno alto. Provavelmente seria fácil cuidar desses monstros e veio aqui para usar esses produtos fracassados.

‘Acho que é hora de salvar uma bela donzela em necessidade? Gostaria de saber se posso conseguir algum tipo de título como ‘Cavaleiro Branco’ com isso.’

Ele pensou consigo mesmo enquanto mirava, sua mão no grimório improvisado.


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

5 2 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar