Estamos testando algumas plataformas de anuncios, caso notem links suspeitos e direcionando forçadamente para páginas indesejadas nos avise através do formulário de contato.

The World After the End – Capítulo 13

Bruxa do Massacre (3)

A “Bruxa do Massacre” em um grupo de caça a bestas de um chifre?

As pessoas que soubessem dariam risada. Ela era poderosa o bastante para lidar com bestas de três chifres sozinha. Se ela havia entrado em um grupo de bestas de um chifre, isso só poderia significar uma coisa.

“Que missão idiota é essa.”

Clã Raposa Vermelha.

Minorara recebeu um pedido de um certo Adaptado para caçá-los. O problema é que isso não foi dado a ela como um pedido oficial dos Guerreiros das Sombras.

Os Guerreiros das Sombras proibiram os Assassinos de aceitarem pedidos pessoais.

Portanto, ela tentou não os matar por conta própria e atraiu os monstros ao invés disso. Ela não podia se revelar.

“Droga… tinha certeza de que aquela besta de dois chifres ia acabar com eles.”

Habilidade única: [Atrair]

Essa foi a habilidade que deu a ela o apelido de “Bruxa do Massacre”. Isso permitiu que ela trouxesse monstros ao redor dela. Tudo foi como o planejado. Até que aquele cara estranho passou e matou a besta de dois chifres.

“Só passando por perto? Impossível.”

Minora olhou para o cadáver da besta de dois chifres que Kanghun e os outros homens pegaram. Ainda estava fresco na memória dela quando o monstro foi morto. Minora viu claramente em sua frente. Havia muita gente dentro do <Caos> que poderia matar bestas de dois chifres, mas o problema foi a maneira que ela morreu.

“Ele só a esfaqueou até a morte.”

Matar uma besta de dois chifres sem usar nenhuma habilidade. Não parecia possível. Não era uma possibilidade para a Minora, ou para qualquer um que ela conhecia. O líder do clã dela, o Guerreiro das Sombras, pode ser capaz disso, mas uma figura tão poderosa andando por aí também não fazia sentido.

“Ele é de uma família renomada?”

Havia alguns de famílias renomadas das <Grandes Terras> que visitavam o <Caos> para treinar.

“Não… Eles não seriam esfarrapados como ele.”

Os de famílias renomadas se moviam em grupos, vestiam roupas peculiares, e o jeito de andar deles era fácil de perceber. Ele com certeza não era um deles, mas ela não conseguia descobrir quem era ele.

-A Habilidade falhou.

-A Habilidade falhou.

Ela só esteve usando a habilidade de Assassino [Inspeção] no cara com nome de Jaehwan. Entretanto, como se estivesse quebrada, a habilidade dela não estava funcionando direito.

“Droga, tá fazendo isso de novo. Eu deveria aprender algumas habilidades boas agora…”

Agora ela estava usando os itens secretos e o palpite dela para descobrir sobre o homem. Ela conseguiu adquirir duas boas informações.

Uma era que o homem não tinha nenhuma habilidade relacionada a “Movimentação”.

“Ele anda de uma maneira muito simples. Se ele é poderoso o suficiente para esfaquear a besta de dois chifres até a morte, deve ter aprendido algum tipo de habilidade de movimentação…”

A habilidade de movimentação era uma habilidade passiva importante para se ter nas <Grandes Terras>. Para garantir a própria sobrevivência, seria necessário fugir rapidamente dos inimigos mais fortes. No entanto, aquele cara não parecia ter nada. Além disso, havia mais alguma coisa estranha.

A classificação de poder espiritual dele estava no nível de um [Não Adaptado].

Minora ficou chocada quando verificou a classificação. Os Guerreiros das Sombras distribuíram ferramentas precisas para checar o poder espiritual com certeza absoluta, já que os alvos dele poderiam estar escondendo o poder deles. As máquinas deles os permitiam ver através do poder espiritual até dos mais poderosos. A máquina mostrou a menor classificação possível para o homem.

Ele não tinha habilidades, e não tinha poder espiritual.

Mas matou uma besta de dois chifres com uma estocada.

Minora estava surpresa.

— Vamos descansar aqui.

Kanghun levou três dos membros do clã dele e escolheu um local à distância. Um falcão feito de poder espiritual foi então enviado. Era uma habilidade de entrega de mensagens. Eles estavam relatando a caçada,

Minora estava sentada em uma árvore cortada ao lado de Jaehwan.

O silêncio tomou conta.

Minora então fez uma pergunta, quebrando o silêncio.

— O que é você?

— …

—  Vi você matar a besta de dois chifres com uma estocada.

Ela falou para deixar o rapaz ciente de que ela sabia do segredo dele, mas ele não respondeu. Minora então falou de novo.

— Quase nenhum Adaptado no <Caos> consegue matar uma besta de dois chifres com uma única estocada. Quem é você? De onde veio?

— O que é o <Caos>?

“O que é o <Caos>?”

— Tá de brincadeira?

— Não.

— Então como pode não saber sobre o <Caos>? Quem é você?

Nenhuma resposta.

— Sabe o que estou perguntando?

Ela então percebeu que ele parecia estar tendo dificuldade para entender a linguagem. Percebeu que ele poderia não ter a entendido. Ela tentou perguntar de novo, mas não conseguia pensar em um jeito melhor de dizer isso.

“Hmm… o que devo fazer?”

Teria sido fácil se ela tivesse mostrado a janela de atributos dela e usado como um exemplo para mostrar o nome, clã, idade, e tal, mas era um tabu compartilhar informações pessoais entre Adaptados. Mostrar as habilidades e os atributos era o mesmo que mostrar sua fraqueza.

Além disso, ela era uma Assassina dos Guerreiros das Sombras.

Então ela decidiu mostrar uma janela de atributos separada que não incluía informações importantes. Foi quando ela acidentalmente apertou na janela errada.

— Essa sou eu—

Detalhes Individuais 」

Nome: Han, Minora.

Altura: 1,70m.

Peso: 46kg.

Medidas: 36-24-34.

Tamanho dos seios: 65D.

Etc: Pinta perto da extremidade inferior do olho esquerdo. Há também uma pequena pinta no seio direito. E também o quadril…

— AHHHH!

Ela rapidamente fechou a janela, que mostrava seus atributos físicos.

Jaehwan balançou a cabeça.

— Entendo. Agora eu te conheço.

Minora gritou enquanto corava de vergonha.

— Sabia o que eu tava perguntando esse tempo todo?!

— Eu não disse que não te entendia.

— Então me ignorou?!

— Não.

— Então me fala! Vamos ficar quites!

— Quer que eu fale minhas medidas?

— NÃO ISSO! SOBRE VOCÊ!

Ela gritou e Jaehwan sorriu. Havia um motivo pelo qual Jaehwan não a respondeu diretamente.

Quando ela perguntou quem ele era, ele não conseguia pensar em como deveria se descrever. Quando ele estava na Terra, era o filho de alguém ou o amigo de alguém. Ele frequentou a faculdade e também se juntou a um clube. Também tentou arrumar um emprego e se preocupou com seu país.

Mas depois de chegar na torre, tudo isso se foi.

Ele então fez novos amigos e novas memórias.

Yoonhwan, Seoyul e Jay…

Mas depois que o tutorial acabou, tudo isso desapareceu. O único com a memória daqueles 30 anos horríveis era Jaehwan, porque ele foi permitido de continuar com a memória dele como recompensa por limpar a torre. Os amigos com os quais ele lutou para escalar a torre podem estar vivos em algum lugar na Terra, mas eles não seriam mais amigos dele. Nenhum deles lembraria de Jaehwan mais.

Todos o abandonaram.

Seu passado, futuro e seus conhecidos.

Mas ele estava aqui. Então quem era ele?

— Não lembro.

Essa era a única resposta que ele poderia dar. E a mais sincera.

Minora não estava convencida.

— Acha que sou uma idiota?

— …?

— Acha que se disser que perdeu sua memória com um sorriso eu vou só balançar a cabeça e concordar?

— Não disse que perdi minha memória.

— VOCÊ ACABOU DE DIZER!

Minora gritou.

“Ele acha que é um [Homem Forte do Abismo] ou algo do tipo?”

Havia pessoas que perdiam as memórias no <Caos>, mas era raro encontrar alguém que havia perdido tudo que nem esse cara.  Só tinha um grupo que passou por uma perda de memória assim. Eram os fortes que voltaram do <Abismo>, acima do <Caos>. As janelas de atributos individuais deles foram destruídas, então não mostravam nada.

Mas o cara não parecia ter voltado do <Abismo>.

Foi quando a espada que Jaehwan estava segurando começou a vibrar como se estivesse chorando. Ela sabia que não era uma espada normal, mas uma espada que chorava? O que foi mais surpreendente foi o que aconteceu depois.

— Tá bom, já entendi. Para de chorar.

Jaehwan então começou a tirar algo da mochila. Em seguida a espada abriu suas lâminas como uma boca e começou a mastigar o item que Jaehwan deu a ela. Os olhos de Minora pularam pra fora.

“Uma Arma Espiritual!”

A espada que crescia comendo outros itens. Armas Espirituais só existiam nas <Grandes Terras>. Se aquele item era uma Arma Espiritual, fazia sentido o rapaz ser tão forte.

Matar uma besta de dois chifres com uma estocada.

Era possível com o poderoso dano que uma Arma Espiritual podia infligir. Então, não foi o poder do homem que permitiu que isso acontecesse. Foi o poder da espada.

Minora então olhou para Kanghun e para a Raposa Vermelha. Por sorte, eles pareciam não ter percebido o que estava acontecendo ali. Então Minora repreendeu Jaehwan nos pensamentos dela.

“Você tá muito vulnerável.”

Quem quer que ele fosse, expor uma Arma Espiritual abertamente assim mostrava o quão tolo ele era. A arma provavelmente era muito poderosa, mas confiar no poder da arma tinha seus limites. Mesmo que ele não fosse morto aqui, ele seria morto por sua ingenuidade logo, logo.

De qualquer forma, não importava. Ela só precisava completar a missão dela.

“O problema é, estou prestes a falhar na minha missão.”

A Raposa Vermelha estava agora voltando para eles. Parecia que o envio do relatório tinha ido bem, já que todos pareciam estar felizes.

Foi quando Minora teve uma ideia. Foi uma ideia brilhante mostrar um pouco de sua raiva por dar uma olhada em suas medidas e alcançar o objetivo dela ao mesmo tempo. Minora então se segurou no Jaehwan, que estava se limpando enquanto levantava.

— AH, ESPERA!

— …?

— Agora que parei pra pensar…!

Jaehwan sentiu algo macio encostando em seus braços. Ele se encolheu e tentou puxar o braço, mas Minora não soltou.

— Você é o Jaehwan! Jaehwan, né?

Jaehwan olhou para Minora que estava falando com ele com uma voz fofinha.

“Ela é louca?”

Ele se perguntou se essa mulher era a mesma que mostrou as medidas para ele agora mesmo.

— Não lembra de mim? Sou a Minora! Minora Han! Sabe, aquela com quem você caçou antes… Não prometemos caçar juntos de novo?

Caçar?

Ele procurou nas memórias dele só para ter certeza, mas ele não se lembrava. Fazia só um mês desde que ele veio para esse lugar depois de sair da torre.

— Sinto muito, mas…

Antes que Jaehwan pudesse terminar de falar, o cotovelo dela o cutucou. Minora piscou para ele e Jaehwan repetiu.

— Não te conheço.

Kanghun e os outros membros do grupo olharam para ele de forma estranha. Um deles até riu e Minora mordeu o lábio inferior.

“Caramba… Seu…”

Parecia que eles estavam pensando que Minora estava tentando chamar Jaehwan para sair e tomou um toco. Ela já esperava isso.

— Ah, então não lembra de mim?

— Isso.

— É… Foi o que pensei.

— …?

Jaehwan ergueu as sobrancelhas, mas Minora abriu um sorriso e disse:

— Você perdeu sua memória, né?

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar