The World After the End – Capítulo 14

Bruxa do Massacre (4)

— Jaehwan! Você perdeu sua memória!

Jaehwan olhou para o rosto de Minora mais de perto.

Ela era linda mesmo. Entretanto, essa carinha linda estava forçando Jaehwan a concordar que havia perdido sua memória.

— Não disse que não perdi?

Minora sorriu e respondeu:

— Certo… Então posso te perguntar uma coisa? Deve saber se não perdeu a memória.

— Vá em frente.

— A região que estamos. Como se chama?

Jaehwan não conseguia responder. Ele tinha ouvido de várias fontes até agora, mas não sabia as palavras corretas para descrever isso. Quando ele ficou em silêncio, os outros membros do grupo olharam para ele e estranharam. Atenção era algo que ele não gostava.

Então Jaehwan de repente ouviu a Minora sussurrar a resposta.

[A resposta é ‘Caos’.]

Jaehwan decidiu usar a resposta por enquanto.

— Caos.

— Ah. Você sabe.

Minora sorriu. Parecia que ela era mais interessante que o esperado, considerando que ela era do tipo que andava por aí mostrando suas medidas.

[Mas você realmente não sabia.]

Minora enviou uma mensagem enquanto olhava para Jaehwan com um sorriso.

— Isso é estranho… Achei que você realmente tivesse perdido a memória.

[Isso é estranho… como você não sabe?]

As duas vozes vieram ao mesmo tempo. Até onde Jaehwan sabia, a habilidade [Sussurro] não funcionava enquanto estivesse falando. Parecia que a mulher estava usando uma habilidade diferente para enviar a mensagem.

— Me deixa te perguntar mais uma coisa então.

— Prossiga.

— Sabe onde é localizado o <Caos>?

Ele não fazia ideia. Como ele ficou em silêncio, a voz de Minora veio novamente.

[A resposta é Árvore da Miragem. Caos é a parte do tronco da Árvore da Miragem.]

Jaehwan olhou para Minora por um instante e respondeu:

— Caos é a parte do tronco da Árvore da Miragem.

Como ele respondeu a segunda pergunta corretamente, os membros pareciam ter perdido o interesse. Kanghun interviu para resolver a situação.

— Haha, acho que a Minora deve ter se confundido. Foi mal, Jaehwan.

Mas a voz que veio na mente de Jaehwan era diferente.

[Não sei quem você é e por que não sabe o básico, mas sei duas coisas. Uma é que não quer atenção, e a outra é que você é bem forte.]

Jaehwan escutou sem responder.

[Acho que podemos fazer um acordo. O que acha?]

Ela tinha total controle agora.

Jaehwan podia conseguir algumas informações com ela.

Primeiro, que esses membros eram criminosos malvados.

Segundo, que Minora precisava matar esse grupo por um certo motivo.

Terceiro, que Minora não podia revelar a identidade dela por outro motivo.

Quarto, que se aquele grupo não morresse, Minora e Jaehwan seriam os que morreriam naquela noite.

Depois de ouvir todas as informações, Jaehwan conseguiu entender o que ela queria.

“Então ela quer que eu mate esses caras para ela.”

Mas ele ainda não tinha intenção de fazer isso. Ele sabia que eles pareciam más pessoas, mas não era certo julgá-los pela primeira impressão. Na verdade, o ferreiro Jay parecia um gangster à princípio, mas tinha um bom coração.

[Você vai ver logo, logo. Eles vão tentar te matar também.]

E a noite chegou.

Quem se ofereceu para acampar foi o líder Kanghun. A vila não estava longe, mas raciocinou que poderia ser perigoso se mover à noite, já que mais monstros poderiam aparecer.

Jaehwan fingiu dormir e usou a [Suspeita] para ouvir a conversa entre o grupo com [Sussurro].

[Líder, é verdade?]

[Sim. É uma Arma Espiritual mesmo.]

[Arma Espiritual?]

[É uma arma que come outros itens para continuar crescendo. É uma arma valiosa usada apenas pelos Monarcas das <Grandes Terras>.]

[EITA! Armas usadas pelos Monarcas!]

[Pois é. Não acho que essa arma seria tão poderosa, mas ainda é uma oportunidade.]

Foi como a mulher pensou.

“Então… acho que estão falando da minha espada.”

Isso foi inesperado. De acordo com as informações de Beastrain, itens dropados na Torre dos Pesadelos eram lixo se comparados aos itens das <Grandes Terras>. Jaehwan não achou que sua espada chamaria atenção por causa disso.

“Acho que era especial.”

Ele estava fascinado com a espada comendo todo tipo de equipamento, mas nunca imaginou que teria algum valor. Ele só ficou com ela porque não tinha mais nada com ele.

Os homens continuaram conversando.

[Mas líder, ele não é forte?]

[Sim.]

[Ele matou uma besta de dois chifres sozinho. Como vamos derrotá-lo?]

[Seu idiota.]

Kanghun zombou e continuou.

[Viu como ele matou o monstro?]

[Uh… algo meio que brilhou e…]

[Ele matou com uma estocada.]

[Hein?]

O homem parecia confuso.

[Como isso é possível?]

[Não é possível. Aposto minha vida que existem muito poucas pessoas que conseguem matar uma besta de dois chifres com uma estocada em toda a região do <Caos>.]

[E-Então ele é forte assim?]

[Agh, seu burro. Ei, não brinque e use o dispositivo de medição para verificar o poder espiritual dele.]

[Sim, senhor!]

Depois de um momento…

[H-hein? Líder, a classificação de poder espiritual dele é a mesma que a de um Não Adaptado. É menor que a minha!]

[Não é? Sabia.]

Kanghun gargalhou.

[Então como ele matou a besta de dois chifres?]

[Ei, se esqueceu do que começamos falando?]

[Uh… Espiritual… Espera.]

[Exatamente.]

[Essa Arma Espiritual é forte assim?]

[Até onde eu sei, todas as Armas Espirituais vêm do <Abismo>. Já ouviu falar desse lugar, né?]

[Sim, os galhos da Árvore da Miragem, né?]

[Isso. É esse lugar.]

[Ah… Então é a arma dos galhos!]

Jaehwan não pôde deixar de rir.

“Me pergunto o que pensariam se soubessem que trouxe isso das raízes.”

A conversa permitiu que Jaehwan adquirisse as informações que ele precisava. Ele conseguiu saber as regiões básicas da Árvore da Miragem.

Torre dos Pesadelos, as raízes.

Caos, o tronco.

Abismo, os galhos.

Então a árvore era dividida em três grandes regiões.

“Então a Torre dos Pesadelos era apenas uma das inúmeras raízes.”

Ele saiu das raízes para o tronco. Que era esse lugar, o Caos.

Os homens continuaram a falar uns com os outros.

[Mas líder, como ele conseguiu a arma? Se ele for do Abismo…]

[Sem chance. Acha que o Abismo é algum tipo de brincadeirinha?]

[E se ele for de uma família renomada? Há uma chance, já que ele tem essa espada.]

[Não, todos os membros de famílias renomadas enviam uma mensagem antes de visitar o Caos. A última família que mandou uma mensagem para vir visitar foram os Greens, mas que parte dele se parece com eles?]

[Fiquei sabendo que eles têm essas antenas na cabeça.]

Kanghun concordou.

[E tem outra evidência que prova que ele não é de uma das famílias renomadas.]

[Qual é?]

[O cheiro.]

[Cheiro?]

[Ele não cheira a alguma coisa?]

[Hmm… Hein? Isso é…?]

Kanghun sorriu.

[Sim… É o cheiro dos sonhos.]

[O cheiro dos sonhos só vinha das raízes ou dos galhos… Então ele veio de um dos dois. Uma pessoa forte do Abismo ou um novato.]

Jaehwan suspirou. Ele não sabia que suportaria esse cheiro.

[Ele não pode ser a pessoa que veio do Abismo. Ele é um Não Adaptado. Não faz sentido.]

[Então, é um novato?]

Ninguém respondeu, mas parecia que todos haviam chegado à mesma conclusão. Eles começaram a se encher de ganância e luxúria.

[E a mulher?]

[Vocês cuidam dela. Ele é mais importante.]

[Hehe… Claro. Vamos cuidar bem dela então.]

Os homens começaram a se mover.

[Agh… Então chegou mesmo nisso.]

Minora estava certa. Esses caras eram criminosos. Jaehwan esperava isso, mas era uma pena que sua expectativa não tenha o traído.

Naquele momento, algo rolou e esbarrou nele.

— Oops!

Uma sensação macia veio do cotovelo direito de Jaehwan. Era sem dúvidas um tamanho 65D.

— Não sabia que estava aqui!

[O que tá fazendo! Eles estão se movendo!]

— Ah, Jaehwan, eles estão segurando espadas!

[Vamos! Façam como o planejado!]

— EEEEK! Jaehwan! Me ajuda!

[Nossa, não vai cumprir a promessa?]

O plano era Jaehwan dizer as palavras prometidas e começar a lutar. Isso era o que ele deveria dizer:

“HAHA! Raposa Vermelha, eu estava esperando por vocês. Sou o Homem Forte do Abismo que veio para castigá-los!”

Mas ele não quis fazer isso. Ele não sabia o que era um Homem Forte do Abismo, mas fazer algo assim só porque foi ensinado sobre o nome da região não parecia justo.

[Qual é! Eles estão vindo!]

Minora gritou, mas Jaehwan ignorou. Tecnicamente falando, Jaehwan nunca prometeu nada. Foi a Minora quem só pediu a ele para fazer isso.

Espadas apareceram.

— Matem-nos!

Minora abraçou Jaehwan e rolou para o lado. Espadas golpearam onde eles estavam e Minora gritou:

— Vamos! Use sua espada! A preta! Pegue-os com ela!

— Não estou com ela.

— O QUÊ?

— Não estou com ela.

Jaehwan apontou para Kanghun e os olhos de Minora abriram em desespero. A Arma Espiritual estava nas mãos de Kanghun.

— Emprestei para ele.

— O QUÊ? POR QUÊ?

— Ele queria dar uma olhada enquanto estava de guarda.

— Você deixou ele pegar a arma por causa desse motivo idiota?!

Claro que ele não emprestou a espada dele por causa disso. Na verdade, Jaehwan tinha um outro propósito.

“Verei o quão forte ela é agora.”

Jaehwan sorriu enquanto observava as espadas voando.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar