The World After the End – Capítulo 151

A Grande Floresta (6)

— Enfim, eu sou Karavan. Vice-gerente de Ignis, A Chama. As pessoas também me chamam de Karavan das Chamas.

Karavan, que decidiu se juntar para reconectar sua ligação com Ignis, se apresentou sem jeito. Runald respondeu mal-humorado:

— Você se apresentou ontem e anteontem. Por que está fazendo isso de novo?

— Ah, achei que talvez não se lembrassem de mim, então fiz de novo. As pessoas não se lembram do meu nome mesmo depois de eu dizer duas ou três vezes. Ainda sou um vice-gerente, sabe…?

Karavan, ao contrário de seu nome conhecido, não era um homem com feições memoráveis. Ele tinha um rosto calmo e características faciais comuns. A única característica única sobre ele era seu cabelo de fogo, mas era evidente que ele o havia feito de propósito para que as pessoas pudessem se lembrar dele pelo menos por esse recurso.

— Não fique tão desconfiado, eu também tenho meus negócios. Ah, e Andersen me pediu para ajudar vocês…

— Mas você não parece confiável.

Karavan conteve seu aborrecimento e disse solenemente:

— Juro por Ignis que nunca trairia vocês. Além disso, vocês dois estão melhor indo comigo.

— Por quê?

— Porque não há outro que saiba mais sobre a Grande Floresta do que eu.

A Grande Floresta.

Um dos oito locais proibidos do <Abismo>. A Grande Floresta, cuja entrada ficava na fronteira do quarto com o oitavo local, possuía várias ameaças e havia recebido muitos apelidos.

Cemitério dos perdidos.

Anciãos Caídos.

Nono local esquecido.

Alguns diziam que aquele era o lugar mais perigoso de todos os oito locais proibidos. Alguns até diziam que a Grande Floresta era o ‘Abismo’ dentro do <Abismo>. Eram todos nomes diferentes, mas na maioria significavam a mesma coisa. No entanto, havia um fato de que todos concordavam em relação à Grande Floresta.

-Dentro da Grande Floresta estão as [Peças] deixadas pelos Três Deuses Antigos.

As [Peças] dos Três Deuses Antigos. O que isso significava era muito óbvio.

-As melhores [Peças] do <Abismo>. As três lendárias [Peças] esquecidas.

Eram peças lendárias que permitiam ao portador controlar todo o <Abismo>. Elas atraiam todos os tipos de deuses novatos e seus vice-gerentes para o <Abismo>. De fato, havia registros de que, por volta de cem mil anos antes, na era da ‘explosão populacional de deuses’, metade de todos os deuses novatos que nasceram se aventuraram na Grande Floresta. Os números oficiais contavam cerca de cinquenta mil deuses, mas com Vice-gerentes e Seguidores, os números teriam se multiplicado muito.

Foi um incidente que mais tarde seria chamado de ‘Corrida das Peças’.

— Muitos morreram naquela época. É engraçado dizer isso como se eu estivesse lá, sendo que ainda não tinha nascido, mas…

Karavan contou enquanto empurrava as folhas pretas para o lado. Jaehwan perguntou:

— Algum sobrevivente?

— Sim. Cinco, incluindo meu antecessor.

— Antecessor?

— Na verdade, foi o antecessor do meu antecessor do meu antecessor do meu… Mas enfim, você entendeu. Era um vice-gerente de Ignis que veio muito antes de mim. Apenas cinco deles, incluindo ele, voltaram vivos.

— Entendo.

— Então, você nunca ouviu falar da história? Sobre aqueles deuses que voltaram vivos. Todo mundo sabe disso no <Abismo>.

— Hã? É sobre aquilo…

Foi Runald quem interrompeu.

— Você está falando dos sete deuses?

— Ah, então você sabia?

Como todos os lugares, o <Abismo> tinha deuses poderosos que o representavam. Eles eram aqueles chamados de Sete Deuses do <Abismo>, ou os Sete pilares do <Abismo>.

Grande Irmão do Sistema.

Droyan, o Deus Dragão.

Ignis, o Deus da Chama.

Peste, o Deus da Doença.

Chronos, o Deus do Tempo.

Budda, o Deus do Ciclo.

‘Sem nome’, o Deus da Loucura.

Todo mundo sabia sobre eles no <Abismo>. Eram os sete deuses do <Abismo>.

— Desses sete, cinco deles incluindo Ignis, foram os que viajaram para a Grande Floresta. Droyan, Peste, Chronos e Budda.

— Ah, todos são famosos.

— Sim, eles são os mestres dos maiores locais agora.

— Ignis também…

— Ele é o mestre do terceiro local. Você já esteve lá?

— Sim, é um lugar incrível.

O terceiro local, ‘Tropical’, era um local com uma temperatura média muito alta dentro do <Abismo>. Era tão quente que era melhor acampar em outro local do que dormir no terceiro local. Karavan sorriu amargamente.

— Não é quente. É apenas um pouco abafado.

Abafado? Runald pensou que provavelmente era por isso que ele fora nomeado vice-gerente e perguntou:

— Enfim, o Grande Irmão era originalmente um dos Sete Deuses? Achei que ele não fosse considerado um deles.

— Bem, você está certo nisso. O Grande Irmão é muito mais. Há pessoas que não o consideram nessa categoria.

Grande Irmão do Sistema. Assim como Karavan disse, o Grande Irmão era muito mais do que apenas um Deus. Alguns até diziam que ele havia se tornado algo mais do que um Deus, então não era mais apenas aquilo.

— Ah, falando sobre ele, já estive em todos os outros locais, mas nunca no primeiro, onde dizem que o Grande Irmão reside. Eu queria ir lá algum dia.

— Hã? Você quer ir para o primeiro local?

— Sim. Já visitei todos os outros, mas não esse.

Karavan então caiu na gargalhada quando Runald franziu a testa.

— Por que você está rindo?

— Porque isso é uma piada engraçada.

— Piada? Eu não estou brincando.

— Hã? Ah… Acho que você realmente não sabe então?

Karavan parou de andar para olhar onde eles estavam, e então deixou um rastro para que não se perdessem, antes de continuar:

— Há duas coisas que você errou aí.

Ele quebrou um dos galhos de uma árvore próxima.

— A primeira é que o Grande Irmão não reside no primeiro local.

— O quê?

— Ele está no topo da Árvore das Miragens, chamada [Ninho]. Acho que é o lugar onde… Como se chamava? O primeiro pesadelo? Onde aquilo reside. Alguns chamam o [Ninho] de primeiro local, mas não é. Não há vice-gerentes ou seguidores lá.

As palavras de Karavan chamaram a atenção de Jaehwan quando ele mencionou ‘o Primeiro Pesadelo’. Runald perguntou:

— Então, onde fica o primeiro local?

— A segunda é que o primeiro local não está no <Abismo>.

— O quê?!

Runald gritou em choque. Era uma piada de mau gosto. Ele acabara de dizer que o Grande Irmão não estava no primeiro local, e agora estava dizendo que o primeiro local também não estava no <Abismo>. Esta era uma história estranha para Runald que vivia no lá já há três anos. Claro, era difícil ouvir qualquer história sobre o Grande Irmão, para começo de conversa.

— Do que está falando? Não há um primeiro local no <Abismo>?

— Sim. O local ficou tão grande que foi retirado da Árvore das Miragens.

O local foi retirado da Árvore das Miragens? Como isso era possível? Runald parecia confuso, mas Jaehwan fez uma careta. Ele tinha chegado a uma pergunta. Na verdade, era uma pergunta que ele tinha em mente há algum tempo.

Se o Grande Irmão fosse um Deus e se sua [Configuração] fosse o Sistema, então qual seria o alcance de seu mundo? Ele pensou na possibilidade, mas nunca a considerou seriamente. Era mais do que ‘grande’.

— Calma. Então…?

Como se lesse a mente de Jaehwan, Karavan sorriu e acenou com a cabeça.

— Sim. As <Grandes Terras> são o primeiro local do <Abismo>.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar