The World After the End – Capítulo 50

Mestre de Gorgon (8)
Não havia funerais no <Caos>.Funerais eram para os vivos. Era uma cerimônia para os vivos lembrarem dos mortos e pensarem neles. Mas todos no <Caos> já estavam mortos. Alguns sortudos teriam tido seus funerais, enquanto a maioria provavelmente foi deixada nos campos para se tornar cadáveres em decomposição. Mas não importava, pois nenhum deles sabia o que aconteceu com seus corpos.

Entretanto, o <Caos> tinha cerimônias para aqueles que pereceram.

No terceiro dia após Jaehwan se tornar o novo Mestre, uma cerimônia foi realizada para os espíritos mortos dentro do Castelo de Gorgon. Euren ficou no topo do pódio e começou a ler algo com a ajuda da habilidade [Amplificação de Som].

Nós conhecemos Aimel Grosheck. Mas não podemos enterrá-lo, porque ele não existe em nenhum lugar desse mundo. Com as poucas lembranças que nos foram dadas, ele se tornou parte da Árvore da Miragem, sem seu espírito nem seu corpo.”

Cerimônia de fluxo espiritual. Era o nome para lembrar dos mortos.

“Não vamos nos esquecer de Aimel Grosheck. Para isso, vamos falar dele. Falar mais e mais dele, para que não tenhamos mais nada a dizer sobre ele.”

O propósito da cerimônia era para apagar os rastros dos que morreram. Enquanto a cerimônia acontecia, falavam sobre o espírito, de novo e de novo, e nunca mais o mencionavam, uma vez que a cerimônia acabava.

Esse era o último presente que o <Caos> podia dar àqueles que partiram.

Jaehwan finalmente soube o nome do antigo Mestre depois de participar da cerimônia.

Aimel Grosheck. O Mestre de Gorgon que deu a posição para Jaehwan.

“Maldito velhote.”

Jaehwan não gostava da ideia de participar dessa cerimônia. Era por causa do velhote que ele era o Mestre. Euren olhava para Jaehwan de vez em quando enquanto lia do pódio.

— Mestre! Por favor, você deve participar! Você é o novo Mestre agora!

Euren parecia estar satisfeito por Jaehwan comparecer. Ele provavelmente pensou que foi por causa dele que Jaehwan veio. Mas não era. Jaehwan tinha seu próprio objetivo para comparecer a essa cerimônia irritante.

Jaehwan olhou em volta para as pessoas que compareceram. Mensageiros de outras fortalezas participaram enquanto os Líderes dos Dez-Clãs enviaram chifres de bestas como presentes. Alguns deles haviam enviado seus anciãos e oficiais para participar.

Ninguém chorou ou ficou triste, mas todos falaram sobre o Mestre.

Chunghuh gargalhou. Ele parecia calmo para um homem que havia perdido um amigo que conhecia há 900 anos.

— É igual a um funeral. É uma cópia do que os vivos fazem.

— Deveria dizer isso quando não fica bêbado.

— Quê! Só estou copiando a maneira de viver a vida!

Chunghuh gritou e deu um gole na bebida.

— Se tivesse vivido mil anos como eu, a morte não teria tanto sentido. É mais uma coisa boa. Você agora está livre da vida.

Jaehwan olhou para os outros e Chunghuh saiu para o grupo e começou a dançar e cantar. Jaehwan em seguida se virou para Euren. Antes da cerimônia começar, Euren havia lhe contado os detalhes.

— A cerimônia vai durar uma semana.

Jaehwan já conseguia sentir várias pessoas olhando para ele.

— É a primeira vez que um estranho se torna um Mestre. Precisa ter cuidado.

Certamente, aqueles que estavam o observando eram dos Dez-Clãs. Alguns pareciam ser bem poderosos entres eles. Jaehwan podia ouvir todos os [Sussurros] deles usando a [Suspeita].

[Não sei o que está acontecendo. Como aquele espírito jovem se tornou um Mestre?]

[Fiquei sabendo que ele não tem nem 100 anos.]

[Um garoto se tornando um Mestre!]

[Euren está tramando algo?]

Havia alguns que estavam apenas resmungando.

— Ele parece estar doido por uma briga.

Era uma senhora que usava um vestido roxo e um véu sobre o rosto. Ela estava olhando para Jaehwan. Foi quando sentiu um toque desagradável em seus quadris.

— Heh, a ranque dois das Damas Divinas também está aqui?

— Doutor, vou arrancar suas mãos.

— Acho que você ainda está boa para 500 anos de idade!

Enquanto Chunghuh e a mulher começavam a conversar, os outros dos Dez-Clãs estavam ocupados conversando entre si. Eles então se viraram para um homem gordo de meia-idade que estava se aproximando do Mestre.

[Olhem para o velho guaxinim do Clã dos Discípulos.]

— Você é o novo Mestre de Gorgon?

Um homem gordo com uma barriga enorme se aproximou. Jaehwan respondeu:

— Sim.

— Você parece bem jovem. Posso perguntar sua idade?

[Agh, ele tá nessa de novo.]

[O que há com essas pessoas de 1000 anos, se gabando de sua idade?]

[Silêncio. O médico está aqui também.]

[Ah, certo.]

O sussurro contou para Jaehwan que o homem na frente dele parecia bem velho.

— Tenho 50 anos.

— 50? — O homem retrucou, confuso.

— Sim.

— 50? Ele é jovem demais! Velhote, quem é esse cara?

A mulher ao lado do doutor perguntou e Chunghuh balançou a cabeça, esfregando a mão no quadril dela.

— Não deveria pensar nele. Não tente se aproximar dele. Só foca em mim, gracinha.

— Pode apostar que vou arrancar seu braço fora.

O homem gordo continuou:

— Você é o filho do antigo Mestre?

— Hein?

— Ah, eu estava apenas me perguntando se essa poderia ser a possibilidade…

Os homens dos Dez-Clãs pareciam incomodados com a pergunta.

[Um filho? Absurdo!]

[Aquele guaxinim velho está passando dos limites. Sei que ele é jovem, mas…]

[O Clã dos Discípulos não sabe nada além de estudar. Por isso são tão rudes assim.]

[Ainda é melhor do que só xingar direto.]

Jaehwan então percebeu que o homem na frente dele estava sendo rude. O antigo Mestre era mais de 900 anos mais velho que Jaehwan. Não tinha como Jaehwan ser um filho, e mesmo se fosse, era um problema porque não tinha como a sucessão familiar de um trono ser possível.

O que o homem estava querendo dizer era isso: “Um garoto como você não pode se tornar um Mestre a não ser que seja o filho de um Mestre ou algo do tipo.”

Chunghuh gargalhou.

— O velho guaxinim talvez tenha sua cerimônia hoje se não tomar cuidado.

— O que quer dizer, Doutor?

— Você vai ver.

O homem gordo continuou:

— Enfim, foi um prazer. Sou o ranque dois do Clã dos Discípulos. Jang Irhan.

Clã dos Discípulos? Jaehwan havia ouvido sobre ele usando sua [Suspeita]. Parecia que eram um clã de nível médio dentro dos Dez-Clãs do <Caos>.

— Jaehwan.

Jaehwan apertou a mão de Irhan. Mas algo começou a se mover enquanto Jaehwan apertava a mão dele. O homem sorriu ao descobrir sobre o Poder Espiritual de Jaehwan assim que tocou a mão dele.

“Então os rumores são verdade. Ele é um Não-Adaptado.”

Irhan estava nervoso ao comparecer à cerimônia. Ele tinha um propósito para essa visita com uma ordem do próprio Líder do Clã.

— Faça o que for preciso para obter permissão para construir nosso escritório em Gorgon. É um absurdo que não tenhamos sequer um escritório em nenhuma das Quatro Fortalezas.

O motivo pelo qual não havia escritório para o Clã dos Discípulos era por causa de Irhan. Ele se meteu em problemas tentando subornar os guardas do Posto Norte e enfrentou Carlton. Ele achou que mais alguns subornos resolveriam o problema, mas Carlton só reportou a questão diretamente para o Mestre da Fortaleza.

— Como podemos permitir que um Clã que suborna abertamente nosso guardas e se mete em problemas tenha um escritório em nossa Fortaleza?

O Mestre de Gorgon era tão rígido quanto o Capitão da Guarda Carlton. É por isso que o Clã dos Discípulos tinha que esperar por 10 longos anos por uma chance. Essa era a segunda chance para Irhan. Ele não usou nenhum suborno dessa vez.

Mas quando retornou, estava em choque. O antigo Mestre estava morto, Carlton estava no hospital, e um garoto estava sentado no trono como novo Mestre.

“Gorgon está acabada.”

Irhan pensou. Mesmo que ele estivesse aqui para conseguir permissão para obter seu escritório, ele não poderia se permitir implorar na frente de um garoto desses. Irhan segurou a mão de Jaehwan e ativou uma habilidade.

Habilidade de alto nível – [Oito Portões do Inferno]

Era uma habilidade que apenas os oficiais de maior ranque do Clã dos Discípulos poderiam usar. A habilidade que só podia ser usada com contato. Ela prende o alvo em uma terrível prisão cheia de bestas reunidas nas <Grandes Terras> e nunca o libertaria até que a pessoa que conjurou a habilidade a desativasse.

Irhan abriu direto no terceiro portão. Era o inferno cheio de calor em que vivia o Dragão Vermelho Tiamat. O homem à sua frente provavelmente estaria fugindo para salvar a própria vida no fogo do inferno, longe de Tiamat.

“Sinta o gosto do inferno!”

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar