The World After the End – Capítulo 93

Caminho do Abismo (2)

No quarto dia, depois que Jaehwan voltou da destruição do Palácio, a Fortaleza de Gorgon não estava comemorando a vitória. Muitos ficaram feridos ou morreram. Eles venceram, mas estavam cansados. Também não estavam prontos para a reviravolta inesperada dos acontecimentos.

Foi Jaehwan quem pôs fim a todo o mal-estar. No quarto dia, ele convocou todas as pessoas da Fortaleza de Gorgon e declarou:

— Começaremos a Cerimônia de fluxo espiritual por três dias.

Todos murmuraram entre si. Não era uma coisa estranha de se fazer, mas ainda era chocante. Muitos haviam morrido para os que ainda estavam vivos tentarem chorar por todos. Mas a preocupação deles foi removida logo depois que um pano enorme, colocado logo abaixo do palco onde Jaehwan estava, foi descoberto.

Havia milhares de caixões, dedicados a todos os que morreram na guerra. As pessoas ficaram chocadas.

Quando tudo isso foi preparado? Eles então olharam para cima, mas Jaehwan não estava lá.

Ele já estava descendo os degraus.

Todos olharam para Jaehwan silenciosamente enquanto ele caminhava até os caixões. Jaehwan então parou na frente de um caixão e olhou para baixo.

— Isaac Kendel.

Era o nome de um herói que se tornou um Despertado de terceiro estágio, matou um General Inferior e morreu. Mas Jaehwan não sabia o nome dele.

Mas houve muitas dessas pessoas que morreram.

Jaehwan colocou a mão sobre o caixão. Dentro dele estavam os pertences daqueles que pereceram. O <Caos> não deixava um corpo para trás quando uma pessoa morria, então ele era substituído por seus pertences. Os caixões deveriam ser queimados quando tudo estivesse pronto.

Jaehwan fechou o caixão. Ele então continuou lendo os nomes de outros caixões e fechando-os ao fazê-lo.

— Rachel Belder.

— Kasim Hill.

Parecia que Jaehwan estava falando com aqueles espíritos perdidos, para dizer-lhes que eles tinham se saído bem. Um por um, os caixões foram fechados e as pessoas gemiam e choravam.

E depois que cada caixão foi fechado, Jaehwan se levantou.

— Todos vocês se saíram bem.

As pessoas estavam chorando. Alguns choravam alto, enquanto outros choravam silenciosamente.

— No entanto, vocês devem saber que ainda não tem nada acabado. A guerra está apenas começando.

Então, da parte de trás, dentro da fortaleza, algo foi empurrado para fora. Na carroça havia um objeto gigante que parecia uma serpente gigante mordendo o rabo. As pessoas olharam para o dispositivo em confusão. Depois de um tempo, alguém finalmente percebeu o que era.

— P-Porta estreita!

— É a Porta Estreita!

Foi o dispositivo que permitiu que os Monarcas vivos viajassem para o <Caos>. No momento estava desativado.

— Exatamente. É a Porta Estreita.

As pessoas tremiam. Aquele era o dispositivo que fazia do <Caos> um inferno para o povo.

— D-Destrua ela!

— Destrua essa coisa, por favor!

As pessoas gritaram. Eles temiam que as forças das <Grandes Terras> entrassem no <Caos> novamente. Jaehwan ficou ali em silêncio. Em vez disso, ele deu uma ordem.

— Traga-o para fora.

De trás da Porta Estreita, um homem foi arrastado para fora. Ele foi amarrado com correntes revestidas de magia. Muitos não o reconheceram, mas aqueles que lutaram na linha de frente da guerra sabiam quem era.

— G-General!

— É um General das <Grandes Terras>!

O povo entrou em pânico. Por que havia um general ali? Não estavam todos mortos?

— É Laika!

Foi chocante. Para a maioria das pessoas, a existência de generais era apenas uma palavra. Eles nem poderiam ter tido a chance de lutar contra eles, pois eram muito fracos. Mas agora, sabiam contra quem estavam lutando, de quem haviam conquistado a vitória.

Laika declarou,

— Você vai se arrepender disso!

Sua voz estava cheia de poderosa energia espiritual.

— O Monarca das Trevas não vai te perdoar!

Sua voz congelou a multidão. Jaehwan estava certo; a guerra não havia acabado. As pessoas começaram a perder a esperança, que foi substituída pelo desespero. Por que estavam lutando contra aqueles terríveis Monarcas? Por que o Mestre trouxe aquele General para este lugar? O que eles iam fazer com o General?

Matar ele?

“Mas e se isso irritasse ainda mais as <Grandes Terras>?”

Deixar ele ir?

“E se ele vazar informações?”

Eles não conseguiram decidir e pediram a Jaehwan que decidisse por eles. A resposta foi simples.

— Já chega.

A espada de Jaehwan balançou nas correntes que prendiam Laika, libertando-o. A multidão engasgou em choque. Laika imediatamente atacou Jaehwan, tentando acertar pelo menos um golpe antes de ser morto. Mas era uma falsa esperança. Seu braço esquerdo que tentou atacar foi cortado.

— AAAARGH!!!

Então, seu braço direito e ambas as pernas foram cortadas. Sangue jorrou de seu corpo, então se transformou em um pó prateado. As pessoas não acreditavam no que estavam vendo.

— Ha… HAHAHAHA!

Laika riu loucamente no chão com seu corpo sem membros.

— ME MATA!!!

— Não, você não vai morrer.

Laika olhou para Jaehwan em choque.

— O-O quê? Se você não me matar, todos vocês vão morrer! O Exército das Trevas virá para acabar com vocês!

— É por isso que estou deixando você viver.

Jaehwan declarou enquanto a multidão olhava para eles em silêncio.

— Volte e diga isso ao seu Mestre. Se ele quer guerra, venha até nós. Eu o esperarei no topo da Árvore das Miragens.

Laika nem conseguiu responder quando a [Porta Estreita] foi ativada. O dispositivo começou a emitir uma luz brilhante. Jaehwan então acrescentou:

— Claro, isso se ele tiver coragem de se matar, para começo de conversa.

Jaehwan chutou o corpo de Laika em direção à [Porta Estreita] e a luz engoliu o homem. No momento seguinte, as estocadas de Jaehwan foram em direção à [Porta Estreita]. O portão que fez o <Caos> se encolher por centenas de anos foi destruído.

Jaehwan declarou,

— O <Caos> agora declara guerra contra as <Grandes Terras>.

— Qual o significado disso?!

Todos se reuniram no escritório da Fortaleza de Gorgon. Chunghuh estava balançando a cabeça em choque. As pessoas estavam gritando com Jaehwan, para o qual ele franziu a testa. Nesse momento, o cômodo começou a mudar.

Era uma alucinação poderosa.

Os oficiais dentro ficaram confusos, como se tivessem esquecido por que estavam ali, e saíram. Jaehwan então se virou para o conjurador da magia que havia acabado de aparecer da parede.

— Obrigado.

— Eu sabia que você era maluco… Mas você realmente é maluco mesmo.

Era Sirwen.

— Você não disse que estava deixando o cargo de Mestre? Por que fez aquilo?

— Pela guerra.

Sirwen gritou.

— Eu sei, estou querendo saber o PORQUÊ!

Jaehwan então respondeu calmamente:

— É para tornar o <Caos> seguro.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar