The World After the End – Capítulo 98

Caminho do Abismo (7)

[ALERTA! ALERTA!]

[REMOVAM OS INFILTRADOS!]

Adultos ao redor do prédio começaram a persegui-los. O pequeno Jaehwan rapidamente matou as pessoas que bloqueavam o caminho enquanto corriam. Sirwen queria perguntar: “Você não tem medo deles?”

No entanto, ela sabia a resposta. Ele diria—

“Não tenho medo”, ou “São apenas números. Eles não são reais.”

— Está na hora de nos separarmos.

Eles tinham chegado ao telhado.

— Essa é a sua saída.

Havia um buraco um pouco mais longe da cerca do telhado, apenas o suficiente para ser alcançado se alguém pulasse. Estava ficando menor a cada segundo.

[REMOVAM ELES!!]

Mais adultos começaram a sair correndo pela porta do telhado. Pequeno Jaehwan lutou para segurá-los enquanto falava.

— Eu tenho uma pergunta.

— Hã?

— Tenho amigos lá fora?

Sirwen não conseguia dizer. Ele tinha um ‘amigo’? Havia muitos que o amavam. Chunghuh, Cayman, Euren, Karlton… Os líderes dos Dez-Clãs e outros.

Mas, eles eram seus amigos?

Ele era reverenciado, admirado e adorado. No entanto, ninguém o entendia.

Ele era muito poderoso. Alguém além da imaginação.

— Sim. Muitos.

Ele era apenas um homem, afinal. Também se sentiria solitário.

Sirwen então percebeu que Jaehwan estava sozinho há muito tempo.

— Entendi.

Ela não conseguia ver o rosto do pequeno Jaehwan quando ele respondeu. De repente, ela ficou triste ao olhar para ele. Ela sabia que não era possível, mas tinha que perguntar. Ela abraçou o menino com força pelas costas.

— O quê?

O pequeno Jaehwan se encolheu com o contato repentino.

— Você quer ir comigo? Para sairmos deste lugar, juntos.

— Juntos…?

— Sim.

O menino respondeu:

— Não. Tenho que ficar.

Mesmo que não houvesse ninguém por perto, mesmo que o próprio mundo estivesse contra ele, o menino decidiu ficar. Para proteger este mundo. Para nunca desistir.

Sirwen então percebeu que sua mãe estava certa. Aquela história inventada não era mentira. O Pequeno Príncipe não tinha desistido deste mundo.

— Agora vá.

Sirwen sentiu as lágrimas escorrendo pelo seu rosto.

— Sim. Estou indo.

Sirwen então se virou. Assim como o menino, ela tinha um trabalho a fazer.

“Mas talvez… Isso não seja um adeus, afinal.”

Ela olhou de volta para o menino que estava avançando contra incontáveis ​​adultos se aproximando, em direção ao seu próprio mundo. Sirwen pensou consigo mesma:

“Talvez eu devesse contar a ele sobre o menino.”

“Adeus, Pequeno Príncipe.”

Quando percebeu, estava de volta à Onda de Memórias.

“Eu deveria desistir da memória do Padrinho.”

Ela não podia arriscar cair na [Estranheza] novamente. Além disso, ela não tinha certeza de quanto tempo se passou desde que estava lá dentro. Ela ainda não sabia sobre o fluxo do tempo.

“Mas acho que posso fazer uma boa torre agora.”

Ela não conseguiu encontrar as memórias de seu padrinho, mas seu nível como [Pesadelo] aumentou.

— Eu deveria me juntar à equipe de expedição dele. Vou fazer com que ele me conte as memórias lentamente.

Ela pensou enquanto segurava a partícula vermelha:

“Oh, eu não verifiquei sobre o que era essa memória.”

Vermelha era uma memória importante pelo que ela ouviu. Ela a acariciou, verificando para ver do que se tratava.

“Essa…”

A memória veio em sua mente, e dentro dela estava a informação do [Registro do Abismo] de Mulack. Era sobre um ser que Mulack conheceu antes de entrar no <Abismo>.

O desastre do <Caos> — O Único Rei, Catástrofe.

“Único Rei, Catástrofe?”

Ela leu a memória.

[Informação]

Indivíduo: Único Rei, Catástrofe

Título: O primeiro Despertado, Desastre do <Caos>, Rei dos Homens Mortos

Poder Aproximado: ???

Descrição: Selado pela ‘Fábrica do Vazio’ feita pelos primeiros [Mestres] no início de <Caos>

Etc: Espada do Vazio

Por que essa memória era vermelha? Ela não conseguia entender. Eles tinham que passar pelo Rei Catástrofe para chegar ao <Abismo>, mas não precisavam lutar contra ele. Se aquele que entrar no <Abismo> for um Adaptado no estágio de um General, ou um Despertado com seu mundo único, ele ou ela tinha o direito de entrar no <Abismo>.

Além disso, Catástrofe não era um ser que pudesse ser combatido.

E não havia ninguém poderoso o suficiente para lutar contra ele no <Caos>. Nem mesmo os generais…

“Espera aí. Ele…?”

Então, ela começou a decifrar algumas das ações de Jaehwan que não faziam sentido. De repente, sentiu sua consciência quebrar em pedaços.

“Não… Eu tenho que impedi-lo!”

Ela esperava que não fosse tarde demais quando caiu inconsciente. Sirwen só acordou depois de duas semanas, e foi depois que Jaehwan enfrentou o Único Rei, Catástrofe.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar