Apocalypse Hunter – Capítulo 18

Missão Já Concluída (1)

*Knock!* *Knock!*

Zin já estava acordado quando bateram à porta. O som de passos subindo a escada foi mais que o bastante para acordar Zin.

— Olhe, caçador. É o dono.

— Estou ouvindo.

Depois de checar Leona, que ainda estava dormindo, Zin abriu a porta. O dono estava de pé parado na frente de Zin como se ele tivesse de falar algo.

— Eu ia falar contigo quando você descesse para tomar o café da manhã, mas parecia que você ia demorar para descer. Você vai comer algo?

— Eu iria se fosse de graça, mas dúvido que você vá oferecer comida de graça.

— Claro. Mas de qualquer jeito, eu recebi um pedido que prometer dar algum lucro.

— O que seu pedido tem a ver comigo?

— Você não parece um caçador fraco, não é?

— Bom, eu não sei que tipo de ajuda você está procurando, mas eu sou muito bom em qualquer coisa.

O dono balançou sua mão enquanto ouvia a resposta sincera, ainda que brincalhona, de Zin.

— Ah não, eu não preciso desse tipo de força. De qualquer jeito, não sei para o que é, mas recebi um pedido para buscar um caçador habilidoso.

Andarilhos ficavam em hotéis, e alguns deles eram caçadores. E geralmente pedidos para buscar caçadores eram feitos em hotéis. Os donos de hotéis introduziriam os caçadores e receberiam uma comissão. Em muitos jeitos, era muito fácil para donos de hotéis ganharem uma grana extra. Mas eles também estavam expostos ao risco de violência inesperada dos andarilhos.

— Mas você sabe, eu não te contei logo de cara porque me senti inquieto sobre isso…

— Você se sentiu inquieto?

— Nesse momento, há um soldado ficando em Shera.

— … Um Armígero está aqui? — Depois de ouvir isso, Zin inclinou sua cabeça.

— Eu não quero me envolver com esse tipo de pedidos, mas a recompensa é bem grande. Muitos estão hesitando em introduzir um caçador medíocre e se meterem em problemas. Mas eu não quero perder essa grande oportunidade, sabe como é né?

— Ah… eu entendo o que você está dizendo.

Zin organizou seus pensamentos e supôs:

— Um soldado está esperando um bom caçador chegar em Shera, mas você não sabe dos detalhes do pedido. E ninguém está disposto a introduzir um caçador, porque eles estão com medo do que pode acontecer.

— Exatamente! Você é esperto, senhor Caçador!

Zin assentiu lentamente com a exclamação. O dono o viu voltar vivo pouco depois de ir em direção ao sul. E ele estava certo que Zin era um caçador digno depois de ver a criancinha acompanhando-o.

O fato que uma pessoa viajou pela selva com uma criança significava que a pessoa era extremamente habilidosa. O dono baseou seus pensamentos mais nessas observações do que em seus instintos.

Interessante. Armígeros nunca deixariam a fortaleza a menos que por um motivo especial. Porém, há o PCMS logo ao norte… — Zin pensou.

— Parece que algo problemático aconteceu.

— Hmm… — Zin assentiu lentamente depois de ouvir a explicação do dono.

Acho que sei o que pode estar acontecendo.

Zin olhou para o dono que parecia inquieto. Não era surpresa que um civil iria sentir tanto pavor de um Armígero.

Civis tem quase tanto medo do Armígero como de salteadores, já que era muito raro estar em contato com o grupo.

— Onde está o soldado?

Não havia nada a se perder por encontrar com o soldado.

Zin deixou Leona dormindo e foi em direção à prefeitura de Shera onde o soldado estava ficando. A prefeitura era um lugar onde as pessoas no poder poderiam discutir sobre a administração da cidade. Era comum para uma cidade ter, pelo menos, uma prefeitura. Pessoas com muitas lascas ou anciões respeitados se reuniam na prefeitura. No fim, era um lugar onde pessoas poderosas eram atraídas.

Apesar das prefeituras não serem lugares ocupados, pessoas iriam sempre se reunir ali. Entretanto, além de guardas, não havia mais ninguém. E mesmo os guardas estavam aterrorizados. Eles sabiam que um caçador estava se aproximando deles.

— Você veio encontrar o soldado?

— Sim.

— Ele está no salão central no segundo andar.

Zin passou pelos guardas. Eles estavam armados um pouco melhor do que os guardas no Ponto Ardente, mas não muito melhores. Zin checou como os guardas de Shera estavam armados e pensou que era natural para eles terem medo.

Um único esquadrão Armígero podia aniquilar essa cidade. Era bem possível que um único soldado conseguiria aniquilar a cidade. O Armígero são uma organização com armas avassaladoras na era pós-apocalíptica. E ninguém sabia o motivo deles estarem reservando poder.

Conforme Zin entrou no salão no segundo andar, que parecia ter sido usado como um escritório em algum ponto, havia uma pessoa sentada em um sofá tosco. A pessoa olhou para o visitante e disse:

— Um caçador.

O homem estava com um uniforme cinza e tinha uma aparência limpa com uma boa postura, ele não parecia ordinario. Seu cabelo loiro penteado, aparência afiada, e contato visual forte sugeriam que ele não era uma pessoa comum.

— Hmm, eu pensei que havia um soldado aqui… — Zin disse enquanto sentava na cadeira de aço na frente do homem.

— Você não é um oficial? — Pessoas o chamavam de soldado, mas Zin reconheceu que ele era um oficial de primeira. Não era difícil descobrir. Ele tinha um distintivo de patente em sua alça, e ele o reconheceu.

— Não pensei que teria que corrigir pessoas sobre mim mesmo.

Zin calmamente olhou para o oficial Armígero na frente dele.

Loiro? Hmm… é raro de ver esse tipo por aqui. — Zin assentiu enquanto ele olhava para o oficial loiro.

Sem mudar sua expressão facial, o oficial olhou para Zin também.

— Bom, é um pouco tranquilizante que você seja um caçador que reconhece a hierarquia.

Zin se sentiu bem ao ouvir as palavras do oficial.

— Não é tão difícil reconhecer.

— Bom. Pontos bônus pela humildade. — O oficial lentamente assentiu como se estivesse satisfeito pela calma de Zin.

— Eu gostaria do loot das bestas mais perigosas que você já caçou, está tudo bem com isso?

Eles não davam pedidos perigosos para qualquer um. Dessa forma, um processo de verificação era necessário, e o caçador tinha que se provar com o loot.

— Você ficaria surpreso se eu te mostrasse, então me deixe te mostrar outra coisa.

Zin puxou uma flauta de junco de cor vermelha escura. Feita de junco longo, a flauta parecia sinistra. Ela nem entortava quando Zin a apertava com força com ambas as mãos.

— O que é isso?

— Vai ser mais rápido se eu te mostrar.

Zin pôs o junco em sua boca e soprou gentilmente.

*Aaaaaaaaaaiee!*

— !

O oficial levantou em pânico conforme o chiado assustador ecoava, e Zin guardou a flauta em seu bolso.

— Como, como… esse som saiu dessa flauta?

Era um barulho bizarro e assustador que não parecia nada como uma flauta. E tudo que Zin fez foi assoprar gentilmente. O oficial estava claramente abalado depois de ouvir o chiado.

— É a flauta do espírito do mal.

— Espírito do mal…?

— Se eu te dissesse que é um amuleto, faria sentido?

— Ah…

Depois de ouvir a resposta de Zin, o oficial suspirou em alívio e se sentou novamente.

— Sim… já ouvi sobre isso. Eu soube que caçadores extraordinários carregam amuletos especiais com eles…

O oficial parecia entender que o som aterrorizante veio da flauta.

— É uma prova boa o bastante? Senão, eu posso tocar mais uma vez.

— Está tudo bem, é mais que o bastante. Ah. Guarde isso! Eu estou bem!

Quando Zin tentou tirar a flauta de seu bolso, o oficial gritou e balançou suas mãos. Zin sorriu quando viu o oficial assustado que parecia solene a poucos instantes atrás.

Ele pode ter uma patente alta, mas é inexperiente.

Zin concluiu que ele ainda não era um soldado temperado de verdade. Um caçador que carregava um amuleto não precisava de muita verificação para mostrar suas habilidades.

— Você parece ser experiente. Mas de qualquer jeito, posso te perguntar algo de curiosidade?

— Claro. Se for algo que eu possas responder.

— Como essa flauta faz sons tão estranhos?

— Eu te disse. É a flauta de um espírito do mal.

O oficial encarou Zin como se não entendesse. Depois de experimentar um bom susto, o oficial ficou um pouco fora de si.

— É uma flauta que busca o espírito do mal.

— Hmm… isso é interessante…

Uma flauta feita com o sangue de um espírito do mal podia reproduzir o som daquele espírito do mal. Assim como se usava fogo contra fogo, o grito de um espírito do mal era usado para assustar outro espírito do mal. Entretanto, havia a possibilidade que o som do espírito do mal atrair um espírito do mal ainda mais poderoso, mas Zin não falou isso.

— Eu estava ficando de saco cheio dessa vila merda, e agora a pessoa perfeita aparece.

Muitos charlatões não apareceram porque eles estavam com medo do Armígero e muitos caçadores não apareceram porque eles não queriam se envolver com qualquer problema complicado. Zin foi o primeiro a aparecer.

— Eu não posso te dizer onde eu pertenço exatamente, mas me permita me introduzir. Meu nome é Charl, um primeiro-tenente. Você pode me chamar de Tenente Charl, ou Charl, como você quiser.

— Certo. Tenente Charl, vamos falar de negócios. — Zin falou baixinho várias vezes o nome do tenente.

Um nome falso…

Por qualquer razão, tenente Charl veio de muito longe. Se envolver com problemas do Milita era arriscado, e eles geralmente resolviam seus próprios problemas. Era muito raro para eles pedirem ajuda. Entretanto, o pagamento era geralmente bem gordo por qualquer pedido deles.

— Você viu um grupo de salteadores em tranqueirões?

— Hmm, prossiga, estou ouvindo. — Zin percebeu que suas suspeitas foram confirmadas.

— A 19 km norte daqui, nossa unidade de transporte de armas de fogo foi saqueada. Eu ouvi que caçadores são habilidosos em rastrear. Eu cuido dos salteadores, então eu não vou pagar para você erradicar eles. Assim que você rastreá-los com sucesso, eu estou disposto a pagar 700 lascas como recompensa.

— Para um simples trabalho de rastreamento, é uma recompensa bem generosa.

— Nós poderíamos produzir as armas de fogo novamente, mas eu gostaria que você soubesse que nós tratamos esse assunto com seriedade e punimos todos que subestimam nosso grupo.

Zin estava surpreso que a recompensa para uma simples missão de rastreamento era 700 lascas.

— Mas então, como a unidade de transporte do Armígero foi saqueada pelos salteadores?

— Você conhece eles? São complicados de se lidar. Eles trouxeram um grupo de bestas.

— Ah, eu entendo.

Os salteadores usaram o som alto de seus tranqueirões e atrairam vários grupos de monstros para lutar contra a unidade do Armígero. Quando a primeira onda de monstros foi liquidada, os salteadores trouxeram outra. Os salteadores aniquilaram a unidade do Armígero depois de terem exaurido todo o poder de fogo deles contra os monstros.

De muitos jeitos espertos, os salteadores atacavam e utilizavam de todos os meios ao dispor deles. E parecia que eles utilizaram monstros para atacar as unidades notórias do Armígero.

Tenente Charl estava encarregado de vingar a unidade de transporte aniquilada.

— Hm… o qual seria a recompensa se eu acabasse com todos eles?

— …Isso é impossível. Mas de qualquer jeito, se eu for incapaz de lutar, vou te pagar o dobro da recompensa,1.400 lascas por acabar com eles.

Assim que ele acabou de falar, Zin esticou sua mão.

— Então, eu vou levar às 1.400 lascas.

— … Você está me dizendo para dar a recompensa adiantada? Você sabe que isso é besteira.

— Não é isso que eu quis dizer.

Zin começou a falar novamente.

— As armas de fogo roubadas incluem um Panzerfaust, lança-foguetes RPG-7 e ogivas?

— O que? Como você sabe sobre isso…?

Conforme Zin falava, Charl não conseguia acreditar em suas orelhas enquanto olhava para ele. Zin sorria e começou a falar com confiança.

— Você me perguntou se eu tinha visto os salteadores irem para o sul. A resposta curta é sim.

— O que…

— E todos estão mortos.

A boca de Charl estava aberta em espanto. A missão já estava completa antes mesmo dele oferecê-la.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar