Endless Path: Infinite Cosmos – Capítulo 34

Família Hephaestus (1)

Vahn continuou correndo na direção da guilda enquanto verificava o tempo no sistema. No seu ritmo atual, ele ainda precisaria de cerca de 20 minutos para chegar a guilda, o que deixaria menos de uma hora e meia para chegar aos portões da cidade e voltar para a estalagem.

Ele começou a suar depois de perceber que provavelmente não conseguiria terminar tudo a tempo. Levaria alguns minutos para esperar na fila da Guilda, e mesmo que ele fosse visto imediatamente após sua chegada, levaria tempo para processar a troca. Quando suas preocupações começaram a se agravar, Vahn sentiu que a energia começava a liberar-se lentamente de seu abdômen enquanto sua velocidade começava a aumentar lentamente.

(“Eu posso usar [Vontade do Imperador] para aumentar minha velocidade !?”) Como ele não havia alternado entre os dois recentemente, ele não estava acostumado com as diferenças entre seu estado normal e seu estado de poder. Ele sabia que a habilidade parecia aumentar sua velocidade, mas achou que era apenas o resultado do aumento da percepção e mobilidade dentro do domínio.

Enquanto ativava completamente a habilidade, Vahn resolveu realizar mais experimentos nos próximos dias enquanto treinava Lili. Depois de ativar completamente [Vontade do Imperador], ele notou que sua velocidade mais que dobrou e começou a ter esperança de que havia tempo suficiente para concluir tudo.

Em seu estado de espírito alegre, ele não estava prestando atenção à aparência dos pedestres ao redor. No momento em que ele ativou [Vontade do Imperador], eles sentiram uma onda supressora passar por eles. Eles olharam horrorizados quando o garoto correu com uma velocidade assustadora pelas ruas da cidade com um sorriso demoníaco no rosto. Civis mais fracos até tiveram alucinações de que o garoto era o ceifador que veio buscar suas almas, o que resultou em alguns deles desmaiando no local.

Vahn continuou adiante, alegremente inconsciente dos rumores que causaria a circulação nos dias seguintes. Seu único foco era chegar na Guida o mais rápido possível, então ele começou a usar alguns dos becos que mapeara anteriormente para contornar as estradas povoadas. Com seu minimapa e a mobilidade que ele havia polido na floresta e na masmorra, ele foi capaz de navegar facilmente pelos vários corredores sem perder velocidade.

Quando ele estava perto de seu destino, Vahn começou a aumentar ainda mais sua velocidade devido à sua emoção. Infelizmente, mesmo com o aumento da percepção provocada pela habilidade, ele não conseguiu impedir-se de colidir com o corpo de uma pessoa que acabara de passar pela entrada do beco. No último momento, ele tentou mudar seu peso para evitar uma colisão direta e acabou perdendo o equilíbrio depois de esbarrar no transeunte inocente e bater no chão duro.

Ele estava sentado no chão, atordoado, incapaz de se recuperar da quase colisão frontal. De uma área atrás dele, ele podia ouvir o som de uma mulher se dirigindo a ele.

“Ei garoto, você está bem?”

Depois de balançar a cabeça um pouco, Vahn olhou na direção da fonte da voz. Ele ficou atordoado depois de ver quem estava falando com ele. Olhando para ele com uma expressão de intriga, havia um personagem que ele conhecia no mangá.

Provavelmente devido à sua identidade como deusa, ela parecia quase idêntica ao seu desenho no mangá. Ela tinha 165 cm de altura com cabelos e olhos vermelhos combinando. Ela estava vestida com roupas casuais, vestindo uma blusa folgada de linho e calça preta que parecia abraçar sua figura. Nos braços e pernas, havia um par de botas marrons até o joelho e luvas pretas que passavam pelos cotovelos. Seus traços mais marcantes foram os seios grandes, que espiavam pela gola aberta da blusa, e o grande tapa-olho preto cobrindo a metade direita do rosto.

Era Hephaestus, Mestre de forja e Deusa da família Hephaestus classificada em 3° . Vahn sabia que seria ela quem receberia Hestia no futuro e que um dia forjaria a adaga viva de Bell, o que ajudaria seu crescimento monstruoso.

Enquanto ele a olhava, Hefesto também estava avaliando o garoto que quase a chocara. Ele parecia bastante jovem, mas tinha um rosto bonito com um olhar um pouco ingênuo e desapegado. O que chamou sua atenção, e a razão pela qual ela simplesmente não se afastou, foi a aura sendo emitida pelo garoto e a espada que estava em suas costas.

Sua aura era notavelmente semelhante à de um deus liberando sua divindade, embora em uma escala muito menor. Parecia ter uma força repressiva que até fez sua alma tremer um pouco. Ela suspeitava que ele provavelmente fosse descendente de um deus, mas não conseguia identificar qual. Seu principal interesse era a espada nas costas dele …

Como uma deusa da forja, ela tinha visto e praticado quase todas as técnicas entre os céus e a terra. Foi a primeira vez que ela viu uma lâmina tão forjada e o mais surpreendente foi o material usado em sua construção. Dada a capacidade única de seu olho, ela conseguia discernir facilmente entre a classe e os materiais constituintes usados ​​para forjar uma lâmina. Embora parecesse semelhante a um composto mágico de ferro e elementos mais pesados, ela não conseguia enxergar através da composição da lâmina ou de seu grau!

“Ei garoto, se você não estiver com pressa, eu gostaria de dar uma olhada naquela espada nas suas costas. Você pode tratá-la como se eu aceitasse seu pedido de desculpas por quase me atacar. O que você diz?” Ela realmente queria dar uma olhada melhor na espada, então tentou chegar a um compromisso fácil que não prejudicasse nenhuma das partes.

Ao ouvi-la falar mais uma vez, Vahn rapidamente se levantou antes de se curvar. “Sinto muito por quase machucar você, mas estou com pressa agora, então não posso ficar por aqui.” Ele começou a se virar para seguir em direção à Guilda, a poucos quarteirões de sua localização atual. Por trás, uma mão agarrou a gola do capuz e o impediu de avançar. Vahn ficou surpreso com a quantidade de força nas garras.

“Vamos garoto, tenho certeza de que seja o que for que pode esperar por alguns minutos. Qual é a pressa?” Hephaestus não sabia quando teria a chance de inspecionar a lâmina no futuro e ver como o garoto tentando sair sem se apresentar ou explicar a situação deixava uma expressão amarga em seu rosto.

Vahn notou o olhar que ela estava dando a ele, então ele rapidamente explicou sua situação atual. Ele esperava que ela entendesse e permitisse que ele partisse, mas a reação dela o surpreendeu.

“Hahahahaha, é isso? Então não tem problema nenhum. Deixe-me me apresentar, garoto. Meu nome é Hephaestus, e eu sou a deusa da família Hephaestus. Você deveria ter ouvido falar de mim, certo?” Ela deu um sorriso atrevido que irritou Vahn um pouco, embora ele não tivesse certeza do porquê.

“Meu nome é Vahn Mason, e sim, ouvi falar de você e sua família.” Ele podia ver a expressão dela se iluminar um pouco com as palavras dele, e ela assentiu como se dissesse ‘claro, claro …’.

“Então, que tal uma troca, Vahn? Minha família tem algo chamado ‘passe de convidado’ que pode ser emitido para os comerciantes que transportam materiais para nós de fora da cidade. Contanto que você segure o passe, será tratado como um convidado da família Hephaestus, e nenhum dos guardas da cidade se atreveria a assediá-lo. Em troca, eu gostaria que você acompanhasse minha oficina nas proximidades para que eu pudesse inspecionar essa espada nas suas costas. Combinado?

Vahn ponderou suas palavras por um momento antes de finalmente concordar. Se ele pudesse ter que correr e voltar entre a guilda, o portão e a estalagem, isso seria útil. Isso também lhe daria a oportunidade de construir um relacionamento com Hephaestus, o que tornaria mais fácil abordar Hestia no futuro.

Hefesto assentiu, esperando seu acordo antes de abrir caminho para um prédio próximo. Vahn ficou surpreso quando percebeu que a oficina estava no mesmo distrito comercial que o Abraço da Lareira. Ele começou a perceber por que tantas empresas na área pareciam ter o nome de lareiras e forjas … Acontece que a principal oficina de Hefesto estava dentro do mesmo distrito.

Ela continuou a conduzi-lo pelos andares inferiores da loja, que mostravam uma variedade de armas e equipamentos de design exclusivo. Vahn notou que nenhum dos itens em exibição tinha um preço listado, e a segurança da loja era incrivelmente estreita. Mesmo com o uso de [Vontade do Imperador], ele podia sentir uma sensação de perigo vindo de cada um dos guardas das lojas, enquanto eles davam a ele um olhar frio em resposta à sua curiosidade.

“Ei garoto, quando você vai parar de emitir essa sua aura? Não me diga que você não pode controlá-la?” Hefesto estava ficando um pouco irritada com quanta atenção Vahn estava atraindo para eles. Ela começou a suspeitar que o garoto atrás dela estava faltando algumas partes dentro da cabeça dele.

“Ah, desculpe, eu tinha esquecido disso …” Vahn riu desajeitadamente, enquanto Hefesto soltou um grande suspiro enquanto colocava a mão na testa.

“De qualquer forma, estamos aqui. Certifique-se de não tocar em nada sem permissão.” Ela o levou a uma sala dentro da área mais segura da oficina. Quando ele entrou, viu armas e armaduras que quase pareciam possuir vida. Embora eles não estivessem sendo usados ​​no momento, ele podia sentir uma aura de perigo emitida pelas lâminas, enquanto a armadura parecia possuir as qualidades inatacáveis ​​de uma montanha. Ele podia ver uma grande disparidade entre seu próprio equipamento e as obras-primas à sua frente.

Enquanto ele estava olhando com admiração para os itens, Hephaestus deu um aceno apreciativo ao ver sua expressão. Ela estava sentada atrás de uma grande mesa onde vários projetos e plantas podiam ser vistos espalhados ao longo de sua largura. Depois de limpar os desenhos e guardá-los, ela bateu na mesa para chamar a atenção de Vahn.

“Vá em frente e coloque a espada aqui. E se você não se importar em responder minhas perguntas, isso seria útil.” Vahn assentiu, mas antes de colocar a espada sobre a mesa, perguntou sobre o passe de convidado. Embora parecesse um pouco irritada, ela removeu um emblema de metal de sua mesa que mostrava dois martelos cruzados sobre um vulcão. Ela jogou o emblema na direção dele, e Vahn olhou para ele brevemente antes de colocar a espada na mesa.

Hefesto examinou atentamente a marca do metal e até usou várias ferramentas para bater ao longo do comprimento da lâmina. Ela tocava levemente enquanto ouvia algo que Vahn não conseguia ouvir, e acenava com a cabeça de vez em quando como se percebesse algo de suas ações. Vahn estava muito curioso sobre o que ela era capaz de discernir da lâmina e começou a ficar nervoso …

Aparentemente satisfeito com sua investigação, Hefesto se voltou para Vahn com uma expressão curiosa no rosto. “Onde você conseguiu essa espada?” Essa era a pergunta mais importante em sua mente, pois ela estava genuinamente curiosa sobre suas origens.

Desde que ele concordou em responder suas perguntas, Vahn contou a mentira que ele havia preparado enquanto ela inspecionava a espada. “Era uma herança do meu falecido avô. Não tenho certeza de onde ele conseguiu.” Usando seu ‘avô’ como desculpa novamente, Vahn começou a se sentir em dívida com o homem que nunca havia conhecido.

“Hmm, e quando ele morreu? Qual era a profissão dele?” Hefesto podia sentir um sentimento de incongruência em suas palavras, então decidiu se aprofundar mais. Era muito difícil esconder qualquer coisa dos olhos dela, e ela estava determinada a ver através do garoto na sua frente.

Vahn ficou nervoso vendo o olhar em seus olhos e começou a se arrepender de concordar em vir aqui …

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar