Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Genius Warlock – Capítulo 221

Capítulo 221

Pouco depois de se acomodar em sua cadeira em frente a Shamus, dois suculentos bifes T-bone foram apresentados em pratos. Um deles foi cuidadosamente grelhado à perfeição, reservado para Oliver, enquanto o outro era destinado a Shamus.

— O bife está do seu gosto? 

Oliver engoliu lentamente o bife T-bone que tinha colocado na boca e respondeu.

— Sim, está delicioso…

— Fico feliz. Este é o prato principal deste restaurante. É tão delicioso que estou comendo o meu vigésimo prato. 

Shamus apontou para a pilha de pratos empilhados como uma torre ao seu lado. Em seguida, ele mastigou o bife T-bone até o osso.

Croccroc.

Sua força na mandíbula parecia extraordinária, já que o osso duro se desfez como se fosse um doce.

— Os druidas costumam ter um bom apetite? 

— Geralmente? Treinamos tanto nossas mentes quanto nossos corpos ao extremo, então precisamos de muitos nutrientes. E a maioria de nós cresceu com fome quando éramos jovens, então temos alguns limites quando se trata de comer. 

— Você cresceu com fome? 

— Oh, você não sabia? A maioria dos druidas são crianças vendidas por causa da pobreza. O treinamento é rigoroso e você precisa cortar os laços com o mundo exterior, então quem gostaria de fazer isso? 

— É a primeira vez que ouço isso. 

— Você tem muito a aprender. 

Shamus encerrou a conversa assim, mas parecia que ele queria dizer algo. Era como se estivesse provocando uma pergunta… E Oliver prontamente atendeu.

— Isso também se aplica a você, Sr. Shamus? 

— Eu? Claro, nem me lembro do rosto dos meus pais, mas lembro claramente que fui vendido. 

Shamus bateu na têmpora com sua característica atitude exagerada. Junto com isso, observou a expressão de Oliver.

— Bem… Não posso culpar meus pais. A Groelândia, é um local estéril e pobre, então é comum os pais oferecerem seus filhos aos druidas. Graças a isso, fiquei rico, então não tenho ressentimentos. 

— Então, todas as crianças vendidas se tornam druidas? 

— Bem… deixe-me fazer uma pergunta em vez disso. Todos que treinam se tornam bruxos? 

— Uh… não. 

— Exatamente. Tornar-se um druida é difícil. Apenas alguns talentosos conseguem. Às vezes, nem uma pessoa se torna druida em um ano. 

— Entendi… 

— Você não sabe nada sobre druidas. Não é estranho, mas é estranho. Como um Solucionador, você deveria ter encontrado pelo menos um. Há muitos como eu nos dias de hoje. 

— Eu conheci uma pessoa. Mas a hora não estava certa, então não pude perguntar. 

— Oh, sério? Que pena. Se ele estivesse em Landa, há uma chance de que ele pudesse ter feito parte do grupo Prazer. Você sabe o nome dele por acaso? 

— Scott. 

— Hmm, não estou familiarizado com esse nome. Você sabe o que ele está fazendo atualmente? Sempre tive curiosidade sobre outros druidas e adoraria ter a chance de encontrá-lo um dia. 

— Ele está morto. 

— Oh, sério…? Quem o matou? Alguém que pode matar um druida deve ser bastante capaz. 

— Fui eu. 

— …… 

— Para explicar, é complicado, mas tivemos uma discordância enquanto trabalhávamos juntos… Isso é ofensivo para você? 

— Ofensivo? De jeito nenhum. Os fracos merecem morrer. Não é pior alguém entrar nesse ramo sem essa determinação? 

Shamus respondeu com uma mentira. Ele escondeu suas emoções com um item mágico, mas Oliver ainda conseguia ver.

— Obrigado por entender. De qualquer forma, posso perguntar sobre a proposta de negócio? 

— Hein? Já? Ouvi dizer que você gosta do prazer da conversa, mas está tentando passar para o entediante tópico do trabalho tão rapidamente? Ou será que eu não sou charmoso o suficiente? 

Shamus mostrou um sinal flagrante de decepção.

Para ser justo, Oliver apreciava envolver-se em conversas com os outros. Ele gostava da experiência de descobrir novas informações, reconciliar perspectivas divergentes e trocar pontos de vista com os outros por meio do discurso.

No entanto, Shamus provou ser um parceiro de conversação atípico. Embora parecesse se envolver em diálogo com Oliver, a realidade era bem diferente. Shamus usava uma mistura de meias-verdades enganosas e fabricações insinceras para avaliar o caráter de Oliver, sem realmente participar genuinamente da troca.

É exatamente por isso que Oliver desejava ir direto ao ponto e chegar ao cerne da questão. Ao fazer isso, ele esperava estabelecer um diálogo mais genuíno e sincero.

— Peço desculpas. Só estou curioso sobre que tipo de proposta de negócio você teria comigo… Eu não sei nada sobre negócios. 

— Ah, Grandes espíritos… Você tem talento, mas não percebe nada. Pode haver um caso mais triste? Você já está fazendo isso, não está? 

— Desculpe? 

— O negócio de treinamento de bruxos. 

— Treinamento de bruxos…? Ah, você está falando do Grupo de Lutadores? 

— Sim, vi sua luta ontem. Foi bastante impressionante, sinceramente. Só para que você saiba, eu não sou o tipo de pessoa que fala bobagens sobre essas coisas. 

Era sincero.

— Obrigado pelo elogio. Mas como você viu? Não havia… Ah, você deve ter visto através da Árvore Mundial. 

Oliver se lembrou da conversa que teve com Gordon no passado.

Gordon tinha dito que Shamus podia lidar com magia elemental, empatia com a natureza, metamorfose e até mesmo usar a Árvore Mundial.

— Uau…! Você é esperto quando se trata de tópicos inesperados e ingênuos. Adivinhou imediatamente. Impressionante. 

— Ouvi dizer que você estava lidando com a Árvore Mundial da última vez. Obrigado pelo elogio. 

— Não é um elogio. Estou apenas declarando fatos. Pessoas comuns nem sabem o que é a Árvore Mundial, e há poucos Solucionadores que realmente conhecem. Apenas aqueles que podem pensar de forma independente sabem sobre a Árvore Mundial. 

— É mesmo? 

— Sim, é. Apenas aqueles que sabem como pensar podem entender o poder da Árvore Mundial… Estou curioso, como você descobriu sobre a Árvore Mundial? Os bruxos ensinam sobre a Árvore Mundial nos dias de hoje? 

— Por acaso, aconteceu de eu ler sobre isso em um livro. 

— Em um livro? Por acaso? 

— Sim, comprei alguns livros em uma livraria de segunda mão. 

— Isso é realmente interessante. Um livro sobre a Árvore Mundial em uma livraria de segunda mão… E tenho certeza de que você não está mentindo, então vamos seguir em frente. 

— Sim, obrigado. 

— De qualquer forma, o ponto é que eu confirmei suas habilidades. Você transformou o Grupo de Lutadores, aqueles vira-latas, em lutadores bastante úteis… Impressionante. 

— É graças ao trabalho árduo e ao aprendizado dos membros do Grupo de Lutadores. 

— Mas se o professor é incompetente, tudo é inútil. Primeiro, deixe-me pedir desculpas. 

— Por quê? 

— Da última vez na casa de leilões, sugeri que você se juntasse ao meu grupo, lembra? Peço desculpas por isso. Eu não conhecia suas verdadeiras habilidades e subestimei você. 

— Não, não estou ofendido de forma alguma. 

— Fico feliz em ouvir isso. Acredito que aqueles com talento devem ser tratados de acordo, especialmente você. 

— Eu? 

— Sim. Pode parecer estranho, mas você me lembra a mim mesmo. 

— Sério? 

— Você veio sozinho para Landa e se tornou um Solucionador renomado em um ano, certo? Assim como eu, você teve uma amante rica. 

— Desculpe, mas não entendo muito bem o que você está dizendo. 

— Jane… você sabe, a filha daquele velho. Não era Jane o nome dela? Ela não é sua amante? 

— Não. 

— Ah… bem, não importa então. De qualquer forma, você me lembra a mim mesmo. Você é um bruxo, mas é tão competente quanto eu. Além disso, como bruxo, você deve ter tido uma infância igualmente infeliz. Objetiva e emocionalmente, você transborda charme… É por isso que quero propor uma parceria. 

— Que tipo de parceria? 

— Algo como um negócio de mercenários. Treinamos bruxos e vendemos seus serviços. 

Oliver ponderou por um momento e depois perguntou.

— Isso é possível? 

— Se você tiver as habilidades… Há muitos bruxos de terceira categoria procurando educação e empregos, e também há muitas pessoas que desejam poder. Não apenas nesta cidade, mas também fora dela… Certamente, você não acha que os inúmeros mercenários e super-humanos em Landa só trabalham aqui, certo? 

— Para ser honesto, só aprendi isso hoje. 

— Você realmente tem muito a aprender… Mas está tudo bem. Vou ensinar a você enquanto trabalhamos juntos. Como o mundo funciona, como reunir dinheiro e poder, e como viver com esse dinheiro e poder… É um negócio promissor, então em um ou dois anos, talvez possamos comprar um prédio em uma área residencial de classe alta. 

Shamus falou com sinceridade, pelo menos em certa medida.

— Hm… posso ser honesto com você? 

— Claro. Mas essa linha parece algo que você diria quando está prestes a recusar, não é? 

— Embora eu aprecie sua alta avaliação de mim e sua proposta… Honestamente, quero recusar. 

— Hmm… gostaria de saber o motivo. 

— Eu realmente não gosto de estar afiliado a uma organização. 

— Não estou pedindo para você trabalhar sob o meu comando. Estou sugerindo uma parceria. 

— Mas ainda é a mesma coisa que entrar para a sua organização, Sr. Shamus. 

Quando Oliver apontou isso de maneira precisa, Shamus ficou momentaneamente sem palavras.

Ele parecia franco, mas afiado, vulnerável, mas resoluto.

— Não entendo… Geralmente, Solucionadores procuram empregos estáveis assim que se tornam conhecidos. 

— Hm, pessoas diferentes têm pensamentos diferentes, certo? Sr. Shamus, você também não recusou opções melhores e veio para a Firma de Crime? 

Shamus riu.

— Oh, você ouviu essa história também? 

— Sim. 

— Mas está enganado. Acha que vim para a Firma de Crime sem planos ou pensamentos? Estabeleci metas específicas e fiz planos antes de ingressar na Firma de Crime. Eu não queria passar o resto da minha vida fazendo favores para os outros. 

— A criação de um negócio era sua meta? 

— De maneira mais precisa, a meta é ganhar riqueza e poder. Ser um Solucionador e administrar um negócio são apenas meios para esse fim. Quem, além de um pervertido, gostaria de correr por aí fazendo favores por alguns trocados? Você é esse pervertido? 

Shamus perguntou, e Oliver ponderou seriamente. Para descobrir se era ou não um pervertido.

Ao refletir, Oliver pensou sobre por que trabalhava como Solucionador.

Recentemente, ele estava fazendo esse trabalho para ampliar seus horizontes, conhecendo várias pessoas, mas antes disso, era para usar o mercado negro.

“Mas por que eu queria usar o mercado negro?”

Ele se lembrou de eventos que pareciam ter ocorrido há muito tempo, mas não tinham, e logo Oliver encontrou a razão fundamental.

A razão pela qual deixou a família Joseph e se tornou um Solucionador.

— Era para conhecer a luz bonita. 

— Luz bonita? O que é isso? 

— Emoções. Uma emoção um pouco especial. 

— Emoção? Ah… bem, bruxos usam emoções como materiais. Julgando pelo fato de você mencionar uma emoção especial, deve ser algo que não se encontra facilmente, certo? 

— Sim. Pensei que poderia encontrá-la no mercado negro, mas também não estava lá. 

— Então, deve ser uma emoção ainda mais difícil de encontrar. Quanto mais rara, mais poder você precisa para obtê-la. 

Shamus tentou persuadir Oliver mais uma vez. Oliver decidiu segui-lo por enquanto.

— É mesmo? 

— Claro. Parece que você ainda não conhece o mundo, quanto mais valioso algo é, mais pessoas poderosas são capazes de possuí-lo. Carros bons, casas boas, álcool de qualidade, mulheres bonitas. É tudo o mesmo conceito. 

— Ah… entendi. 

— Não seria muito mais fácil encontrar se você parasse de ser um Solucionador e se concentrasse em ganhar poder? Você teria dinheiro e poder, e até mesmo subordinados para dar ordens… Se quiser, posso te ajudar também. 

Shamus falou sinceramente, e Oliver conseguiu ler suas verdadeiras intenções.

Para ele, o negócio em si não era tão importante.

O que ele queria era ter Oliver sob sua influência.

— Hm… você tem um ponto válido, mas vou ter que recusar educadamente. Não quero me apressar. 

— Ha… então não é tão desesperador para você? 

— Não, é desesperador… É só que há tantas outras coisas interessantes no mundo, e quero levar meu tempo para explorá-las todas. 

Shamus parecia ter tomado uma decisão e deu de ombros.

— Tudo bem, então…? Não há mais nada que eu possa fazer. Não posso forçar você mais além. Terminei meu negócio aqui, então pode ir embora se quiser. 

Com as palavras de Shamus, Oliver se levantou de sua cadeira. Ao sair, ele olhou para um lado do restaurante.

— Gostei da refeição. Obrigado, Sr. Shamus, por me convidar. 

— Eu deveria ser o agradecido por você ter vindo. Embora não tenhamos concordado em tudo, espero que possamos nos dar bem no futuro. Também apreciaria sua ajuda com meu trabalho mais tarde. 

— Então, entre em contato com o Sr. Forrest. 

— Forrest? Ah… Ei, como gesto de amizade, gostaria de alguns conselhos? 

— Conselhos? 

— Sim, não confie muito nos corretores. Mesmo que digam que são amigos ou parceiros e compartilham lucros, são o tipo de pessoas que te apunhalam pelas costas. Especialmente, aquele cara Forrest. 


Após a saída do bruxo Dave, apenas Shamus permaneceu no segundo andar do restaurante Cornucopia. Ou, mais precisamente, parecia que Shamus era a única pessoa presente.

— Chefe, você está bem? 

Algo se mexeu em um canto do restaurante, e uma pessoa apareceu.

Era um druida que tinha escondido seu corpo com um feitiço de camuflagem, e ele era um dos subordinados de Shamus.

Chompchomp!

Shamus respondeu enquanto mastigava seu bife T-bone.

Ele naturalmente tinha um bom apetite, mas quando estava irritado ou pensativo, ele comia ainda mais do que o normal.

— Para ser honesto, não estou muito bem… Não me lembro da última vez que fiquei tão irritado. 

Shamus falou com uma risada, mas seu subordinado discerniu a raiva subjacente em seu tom. Embora Shamus mantivesse uma aparência descontraída e risse frequentemente, na realidade, era como um predador agachado antes da caçada. Era essa abordagem que o havia impulsionado até sua atual posição de poder.

— Devo ir atrás dele e derrubá-lo agora? 

O subordinado perguntou a Shamus. Na verdade, muitos dos subordinados de Shamus estavam posicionados no restaurante caso precisassem agir.

Todos eram figuras conhecidas em Landa que haviam sucumbido à riqueza ou ao poder de Shamus.

— Não, está tudo bem. Ele não é um alvo fácil. 

— Não é fácil? 

— Sim. Aquele garoto bonitinho, ele sabia que você estava lá. Os olhos dele pararam por um momento. 

— Mesmo? Meu feitiço de camuflagem estava perfeito. Além disso, eu estava usando um item mágico que esconde minhas emoções. 

— Mas ele percebeu. Não sei que tipo de truque ele usou. Claro, eu poderia pegá-lo se tentasse, mas não posso interferir tão descaradamente enquanto ele estava cumprindo uma missão da Firma de Crime. Isso não é muito cortês, não é? 

Shamus disse meio brincando, mas na verdade, era uma conclusão derivada da combinação de inúmeras possibilidades.

Seu relacionamento com a Firma de Crime tinha ido além de ser apenas simples e havia sutilmente chegado a um ponto de restrição mútua, mas ele ainda não podia interferir.

Ainda precisava da influência da Firma de Crime.

Pelo menos até que a Prazer pudesse se estabelecer na Inglaterra.

— Aliás, como foi? Com o Grupo de Lutadores no primeiro andar? 

— Tentamos provocar uma briga conforme suas instruções, mas não houve uma reação significativa. 

— Mesmo? 

— Sim, pensei que aqueles marginais do beco facilmente cairiam na provocação. Mas eles apenas comeram silenciosamente suas refeições e saíram. A disciplina deles é muito boa. 

— Ha… Droga. Eu realmente odeio isso. 

Shamus falou com um nível raro de sinceridade, o máximo que ele tinha exibido entre as palavras que falou hoje.

Ao encontrar Dave pela primeira vez, Shamus o considerou inicialmente apenas mais uma figura obscura entre os muitos contendores em potencial disputando poder em Landa. No entanto, rapidamente ficou evidente que as habilidades de Dave se estendiam muito além disso.

Suas habilidades eram muito mais multifacetadas e intrincadas do que Shamus havia antecipado. Não apenas havia negociado sozinho com a Firma de Crime, mas também transformou um grupo desorganizado de bandidos de rua em um grupo de lutadores formidável e manteve disciplina estrita entre eles.

Realizar tais feitos exigia mais do que força ou habilidade. Exigia um certo grau de habilidade de liderança.

— Chefe, você não está levando isso muito a sério? Dave não ganhou nada com esse incidente. 

— Isso é o que me preocupa. 

— Desculpe? 

— O Grupo de Lutadores, a Firma de Crime. O cara que conciliou as duas organizações e construiu um relacionamento não ganhou nada. Não faz sentido, não é? Ele poderia ter conseguido bastante. 

— Então…? 

— É uma de duas coisas. Ou ele é um cara realmente esperto tramando algo nos bastidores, ou é um tolo verdadeiramente altruísta… Eu preferiria o primeiro. 

— Não um tolo? 

— Sim, um cara inteligente pode ser previsto porque ele tem uma motivação oculta. Mas um tolo não pode ser previsto. Porque ele não tem um objetivo. É o caos. 

O subordinado ponderou por um momento e balançou a cabeça.

— Hm… isso é muito difícil para um novato como eu entender. De qualquer forma, não deveríamos derrubá-lo o mais rápido possível? Se uma força bem treinada estiver sob o controle da Firma de Crime, será difícil manipulá-los mais tarde. 

Shamus não negou.

Ele foi quem mais se beneficiou ao explorar a estrutura organizacional aparentemente eficiente, mas na realidade vulnerável da Firma de Crime.

— Oh, não podemos deixar isso acontecer. Simplesmente não podemos. Ainda há muito a ganhar… Podemos usar o canal que garantimos da última vez? 

— Você quer dizer o canal no Distrito Y? 

— Sim, entre em contato com o Comitê Anti-Desenvolvimento através deles. 

— O que devo dizer a eles? 

— Pergunte como puderam simplesmente deixar de lado o bruxo que causou confusão no Distrito Y. Se você der algum dinheiro a eles, provavelmente vão reagir imediatamente. 


Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar