Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  1003

A Queda de Falcon Scott (21)

Traduzido usando o ChatGPT



“Segurem-se, seus vermes!”

Uma massa de Criaturas dos Pesadelos avançava por uma rua da cidade, a poucos metros de se chocar com uma barricada improvisada formada pelos imponentes corpos dos MWPs disparando. A superfície da estrada estava quebrada e derretida, e as ruínas dos prédios ao redor estavam envoltas em chamas.

Saltando de um telhado que desabava lentamente, Sunny mergulhou e pousou entre as abominações. A lâmina esmeralda do Pecado do Consolo se moveu, lançando jatos de sangue ao ar. Ele se esquivou para o lado, desviando de uma rajada de balas, e gemeu.

Já era a segunda semana do cerco, mas os danos causados ao seu corpo e alma pelo Portão dos Pesadelos estavam demorando para se curar. Sunny ignorou a dor e convocou as sombras, erguendo um muro negro delas para bloquear a rua.

“Lançadores de chamas!”

Os pilotos dos MWPs não pararam de disparar seus canhões de massa, mas longas correntes de fogo laranja-avermelhado saíam de seus pulsos sobre o muro. Sunny dançava entre as chamas, circulando sua energia para ativar a Arma do Submundo. O efeito da Memória do Fogo foi ampliado, elevando ainda mais sua resistência elemental.

As Criaturas dos Pesadelos não tiveram tanta sorte.

Enquanto ele lidava com a cabeça do enxame, Belle e Dorn atacavam sua cauda pelos flancos. Uma espada afiada e um martelo pesado liquidavam rapidamente as abominações frenéticas, e ao mesmo tempo, projéteis de tungstênio voavam de uma torre de dormitórios próxima, abatendo os alvos mais perigosos sem falhar.

Encurraladas, o enxame derreteu rapidamente. A última a morrer foi uma criatura horrenda com escamas resistentes cobrindo seu corpo reptiliano. Sunny simplesmente acertou a abominação com a lateral de sua mão, tornando-a pesada como uma pedra e dura como aço. O crânio do réptil se despedaçou, desintegrando-se em uma nojenta chuva de sangue e ossos.

Antes mesmo do corpo pesado tocar o chão, o Feitiço já estava sussurrando:

[Você matou um Monstro Desperto, Espinho Escamado.]

[Você recebeu uma Memória.]

Seus olhos brilharam.

‘Mais uma Memória!’

Sunny limpou a mão com uma expressão revoltada, olhando ao redor. Luster e Kim apareceram em um telhado próximo, sinalizando que nenhuma das criaturas escapou. Ele soltou um suspiro de alívio.

…A situação estava sob controle.

Após a batalha mal sucedida com a Nuvem Devoradora, a pressão sobre os defensores de Falcon Scott aumentou constantemente. O fato de haver uma grande brecha no muro não ajudava em nada. Eventualmente, a barreira defensiva foi rompida em mais dois lugares, obrigando o Primeiro Exército a evacuar os civis ainda mais no interior da cidade e criar um anel secundário de defesa nas ruas vazias.

A topografia do cerco não era mais simples. Os humanos ainda seguravam o muro, desviando a maioria das Criaturas dos Pesadelos de sua altura – mas agora, várias seções da grande barreira estavam separadas, quase se transformando em fortalezas independentes. Um destacamento de soldados foi encarregado de defender as brechas do solo.

Na maioria das vezes, eles conseguiram impedir que as Criaturas dos Pesadelos atravessassem as barricadas para a cidade, mesmo que a taxa de baixas entre as equipes no solo fosse muito maior. No entanto, algumas monstruosidades ainda chegavam às ruas de tempos em tempos.

Sunny acabara de lidar com um desses enxames invasores.

‘Essa é a quarta hoje… não é um bom sinal.’

Ele se curvou em um acesso de tosse doloroso, sentindo uma fraqueza nauseante permear seu corpo mais uma vez. Depois de um tempo, a tosse diminuiu, e Sunny permaneceu imóvel por alguns momentos, respirando roucamente e esperando a fraqueza passar.

Logo, ela se foi, e tudo o que restava era uma dor latejante em seu peito.

“Maldição…”

Ele se endireitou e olhou para sua equipe, que seguia em frente pelo caos em chamas da rua destruída. Assim que eles o alcançaram – todos, exceto Samara, que ainda estava em seu ninho de atirador no topo da torre de dormitórios vazia – Sunny olhou para Kim e perguntou:

“Alguma atualização da Ceifadora de Almas?”

Ela assentiu.

“Sim, senhor. Mestre Dale empurrou o inimigo para trás, retomando o controle sobre a Brecha C. Recebemos ordens de descansar. Nosso próximo turno começa em dezesseis horas.”

Sunny esfregou cansado o rosto.

“Dezesseis horas, huh? Ou o Comando do Exército está se sentindo generoso, ou eles esperam problemas reais amanhã. Bem… ainda mais razão para garantirmos que estejamos descansados e cheios de essência. Sinalize Sam para descer e recuar para os alojamentos.”

Ele estudou seus soldados por um momento, garantindo que nenhum deles estava ferido. Sem… sem um curandeiro no grupo, se recuperar entre as batalhas se tornara um tanto complicado, exigia ajuda externa, pelo menos.

Felizmente, os membros do grupo estavam ilesos. Ele assentiu, os deixando ir, e virou-se.

Os MWPs permaneceram imóveis, os canos incandescentes de suas armas brilhando na penumbra. O líquido refrigerante gotejava, evaporando em nuvens de neblina. Alguns pilotos abriram as cabines, sentando-se nas portas das escotilhas com expressões cansadas no rosto. Eles em breve recuariam para o interior das máquinas de guerra superaquecidas, perseguidos pela fumaça e pelo cheiro de corpos carbonizados.

Mas, por enquanto, os soldados aproveitavam o curto momento de descanso na frieza da noite interminável.

Ao notar Sunny, um dos pilotos ergueu uma mão e a fechou em um punho. Sunny devolveu a saudação firme e então seguiu em silêncio.

Alguns minutos depois, ele tropeçou, agarrando-se a uma parede em um beco escuro e isolado. A Espada Divina do Consolo sussurrou, zombando dele, mas não era muito difícil suprimir a voz odiosa nesses dias. Sunny descansou por alguns momentos e então deu um passo para trás.

Saint emergiu das sombras, tão silenciosa e ameaçadora quanto sempre. Pesadelo juntou-se a ela, o luar brilhando em seus chifres de adamantino.

Sunny suspirou e convocou a Sela Superfaturada. Prendendo suas correias no garanhão negro, ele olhou para as duas Sombras e disse:

“Vocês sabem o que fazer. Voltarei em dezesseis horas… tomem cuidado hoje. É provável que tenhamos que dar tudo de nós amanhã.”

Saint assentiu indiferente, então montou no cavalo negro e estendeu uma mão. Sunny colocou o cabo da Espada Divina do Consolo nela, ao mesmo tempo em que enviava dois de seus fantasmas à frente. Então, ele observou a cavaleira taciturna se afastar enquanto ela seguia em direção ao muro.

Hoje em dia, os dois trabalhavam por turnos. Se o Diabo da Antártica não estivesse defendendo Falcon Scott, a Guardiã Angelical da Antártica estaria.

Milhões de pessoas já haviam sido evacuadas da cidade condenada, mas milhões ainda permaneciam. A capital do cerco não podia ser permitida a cair, ainda.

Sunny tossiu mais um pouco, proferiu uma maldição silenciosamente, e caminhou na direção oposta de onde Saint havia partido.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.9 7 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
2 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Lucas
Visitante
Lucas
3 meses atrás

Sunny tá só o bagaço dps de cair em cima do portal

Leywin
Membro
Leywin
11 dias atrás
Resposta para  Lucas

Além disso, perdeu um companheiro…

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar