Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Shadow Slave – Capítulo  12

O Cheiro de Sangue

Traduzido usando o ChatGPT



Neste momento, esse obstáculo olhava para baixo, evitando o olhar de Sunny. Sua mão repousava no cabo da espada. Como sempre, o jovem escravo não tinha ideia do que se passava na mente perfeitamente moldada de Hero. A incerteza o deixava nervoso.

Finalmente, depois de algum tempo, o soldado falou:

“Eu tenho apenas uma pergunta.”

Tanto Sunny quanto Scholar o encaravam, prendendo a respiração.

“Sim?”

“Você disse que um de nós deve ser sacrificado para salvar os outros dois. Por que ele? Pelo que vejo, você está muito mais perto da cova.”

‘Uma ótima pergunta! Eu estava prestes a fazê-la.’

Sunny se virou para o escravo mais velho, tentando muito conter um sorriso zombeteiro. Mas para sua consternação, Scholar tinha uma resposta pronta.

“Antes do primeiro ataque, ele já estava sangrando por causa do chicote de seu superior. Durante o ataque, ele ficou encharcado com o sangue de um escravo colega. Sua capa também estava encharcada quando o proprietário anterior morreu. O garoto já cheira a sangue. Mantê-lo vivo nos colocará em perigo. É por isso que ele é a melhor escolha.”

O sorriso morreu antes de chegar ao rosto de Sunny.

‘Maldito seja você e seu cérebro grande!’

O raciocínio de Scholar era assustadoramente sólido. Hero ouviu, sua expressão ficando mais sombria a cada palavra. Finalmente, ele olhou para Sunny, uma luz perigosa brilhando em seus olhos.

“Isso é verdade.”

Sunny sentiu sua boca ficar seca. Suor frio escorria pela sua espinha. Ele ficou tenso, pronto para agir…

Mas naquele momento, Hero sorriu.

“Sua lógica é quase incontestável”, disse ele, desembainhando a espada. “No entanto, você deixou de considerar uma coisa.”

Scholar levantou uma sobrancelha, tentando esconder seu próprio nervosismo.

“O que seria isso?”

O jovem soldado se virou para ele, o sorriso desaparecendo de seu rosto. Agora, ele estava irradiando uma intenção de matar densa, praticamente palpável.

“É que eu sei quem você é, Vossa Graça. Também sei o que você fez e como acabou como escravo. Apenas um dos crimes revoltantes que você cometeu seria suficiente para me fazer querer matá-lo. Então, se há alguém entre nós que merece ser sacrificado… é você.”

Os olhos de Scholar se arregalaram.

“Mas… mas o cheiro de sangue!”

“Não se preocupe com isso. Eu vou fazê-lo sangrar o suficiente para superar qualquer cheiro residual que o menino carregue.”

Tudo aconteceu tão rápido que Sunny mal teve tempo para reagir. Hero avançou com uma velocidade que parecia quase inumana. Um momento depois, Scholar estava gritando no chão, sua perna quebrada com um golpe do lado chato da espada do jovem soldado. Sem dar a ele a oportunidade de se recuperar, Hero pisoteou a outra perna, e um som doentio de ossos se quebrando pôde ser claramente ouvido. O grito se transformou em um uivo soluçante.

Assim, Scholar estava acabado.

A brutalidade das ações de Hero estava em tão forte contraste com sua postura geralmente graciosa que Sunny sentiu o sangue se gelando em suas veias. Isso era… assustador.

O soldado lhe deu um olhar calmo e disse em um tom placido:

“Espere por mim aqui.”

Então, ele agarrou o escravo mais velho e o arrastou pelo caminho, desaparecendo em breve atrás de um afloramento de rochas. Depois de alguns minutos, terríveis gritos puderam ser ouvidos ecoando pelo vento.

Sunny foi deixado sozinho, tremendo.

‘Droga! Isso é… isso é demais!’

Ele ainda não conseguia acreditar em como a morte de Scholar foi tão súbita e implacável.

Algum tempo depois, Hero voltou, agindo como se nada tivesse acontecido. Mas foi exatamente aquela normalidade que mais o incomodou.

Depois de separar o conteúdo da mochila de Scholar e jogar a maior parte da lenha fora, o jovem soldado colocou-a sobre o ombro e se virou casualmente para o jovem escravo:

“Vamos. Precisamos nos apressar”, disse Hero.

Sem saber o que dizer, Sunny assentiu e seguiu em frente.

Agora, só restavam os dois.

Era meio bobo, mas Sunny de repente se sentiu solitário.

Caminhar pela trilha de pedra era muito mais fácil do que escalar a parede da montanha. Ele até teve tempo para pensamentos desnecessários. Uma sensação estranha de melancolia desceu sobre Sunny… de alguma forma, ele começou a sentir que o fim deste pesadelo, seja lá o que fosse, não estava longe agora.

Eles caminharam em silêncio por um tempo antes de Hero falar.

“Não se sinta culpado pelo que aconteceu. Não é sua culpa. A decisão foi minha, e somente minha.”

O jovem soldado estava alguns passos à frente, então Sunny não conseguia ver seu rosto.

“Além disso, se você soubesse os pecados desse homem… na verdade, é melhor que você não saiba. Apenas confie em mim quando digo que matá-lo foi um ato de justiça.”

‘Eu me pergunto quem de nós se sente culpado.’

Essas pessoas… sempre tentando racionalizar suas ações, sempre desesperadas para manter uma ilusão de retidão mesmo enquanto fazem coisas mais sujas. Sunny odiava a hipocrisia.

Sem obter resposta, Hero riu.

“Você não gosta de falar, né? Bem, justo. O silêncio é ouro.”

Eles não falaram mais depois disso, cada um ocupado com seus próprios pensamentos.

O sol estava se pondo, pintando o mundo em um milhão de tons de carmesim. Lá em cima, o ar era limpo e fresco, perfurado por raios de luz escarlate. Abaixo deles, um mar de nuvens cor de vinho estava rolando lentamente pela montanha. As estrelas e a lua começaram a se revelar no céu carmesim.

Era bastante bonito.

No entanto, Sunny só conseguia pensar em como seria frio assim que o sol desaparecesse completamente.

Antes que isso acontecesse, Hero havia encontrado um abrigo para eles. Não muito longe do caminho, escondido atrás de algumas rochas altas, havia uma fenda estreita que se estendia para dentro da encosta da montanha. Felizes por estarem seguros do vento cortante, eles exploraram a fenda e acabaram em uma pequena caverna bem escondida.

Sunny fez menção de desatar alguns pedaços de lenha, mas Hero o impediu com um movimento de cabeça.

“Hoje vamos acampar sem acender fogo. A besta está muito perto.”

Acampar sem o calor das chamas para fazer companhia não seria agradável, mas pelo menos eles não iriam morrer congelados dentro da caverna. De qualquer forma, a alternativa era assustadora demais.

Sunny sentou-se, encostando as costas na parede da caverna. Hero se acomodou do outro lado, parecendo abatido e pensativo.

Ele obviamente estava de mau humor. Se nada mais, isso era evidente pelo fato de que hoje, pela primeira vez, o jovem soldado não havia cuidado de sua espada depois de fazer acampamento.

Logo o sol se pôs, e a pequena caverna ficou completamente escura. Sunny, é claro, ainda conseguia ver perfeitamente bem; Hero, por outro lado, agora estava completamente cego.

Na escuridão, seu rosto bonito parecia nobre e, por alguma razão, triste. Sunny o observou, sem querer adormecer.

Depois de um tempo, Hero de repente falou em voz baixa:

“Sabe, é estranho. Normalmente, eu consigo sentir a presença de alguém mesmo na escuridão absoluta. Mas com você, não há nada. É como se você fosse apenas uma das sombras.”

Com apenas o silêncio para respondê-lo, ele sorriu.

“Você está dormindo?”

A pergunta ecoou na escuridão. Sunny, que nunca havia falado com Hero a menos que houvesse uma necessidade urgente, e mesmo assim usando apenas algumas palavras no máximo, sentiu como se houvesse uma estranha intimidade entre eles agora. É por isso que ele decidiu falar. Talvez a escuridão lhe desse coragem.

Além disso, havia uma ocasião.

“Por quê? Você está esperando eu adormecer antes de me matar? Ou vai fazer isso de manhã?”


Comentários

4.9 11 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
6 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Roberto alstenyo (Leitor_supremo)
Membro
Roberto alstenyo (Leitor_supremo)
1 mês atrás

Krl essa obra aqui é boa mesmo vai si fude mano

SunnyD
Membro
Sunny
2 meses atrás

Isso foi muito foda me lembro até hj

Última edição 2 meses atrás por Sunny
Lordemongrel00
Membro
Lordemongrel00
3 meses atrás

Cara desse o início eu já não gostava de scholar, e eu já sabia que ele era lobo em pele de cordeiro assim que ele tinha dito a 2 capítulos anteriores que o garoto (mc) seria útil mais tarde.

Danilo
Membro
Danilo
3 meses atrás

“Não se preocupe com isso. Eu vou fazê-lo sangrar o suficiente para superar qualquer cheiro residual que o menino carregue.” KRL KKKKKKKKKKKKKKKKKK

Lordemongrel00
Membro
Lordemongrel00
3 meses atrás
Resposta para  Danilo

O foda foi que deu entender que hero era alguém que aparentava ser justo, mais foi na primeira chance ele mostrou que era um hipócrita.

Jupiter
Visitante
Jupiter
1 ano atrás

Haaa quero mais mano

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar