Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  122

Quatro Meses Atrás

Traduzido usando o ChatGPT



Nephis mudou muito desde a última vez que Sunny a viu.

Por fora, ela parecia quase a mesma – alta, firme e estranhamente distante, como se existisse um pouco separada do resto do mundo. Ela ainda usava a Armadura da Legião Luz das Estrelas, que acentuava as linhas graciosas de seu corpo esguio e ágil. Agora, também havia uma capa branca sobre seus ombros, próxima na cor ao metal imaculado da elegante armadura de placas.

O cabelo prateado da Estrela da Mudança estava muito mais longo agora, quase alcançando os ombros. Sem o corte curto e masculino, ela parecia estranhamente madura e feminina, fazendo o coração de Sunny bater um pouco mais rápido. Seus calmos olhos cinzentos eram tão impressionantes como sempre.

As verdadeiras mudanças, no entanto, estavam muito mais profundas. Talvez apenas uma pessoa que a conhecesse tão bem quanto Sunny poderia notá-las, ou talvez fosse precisamente porque ele a conhecia tão bem que o véu de indiferença distante que encobria seu verdadeiro eu se rompeu, revelando os sentimentos mais profundos abaixo.

Nephis parecia estar muito mais viva agora, muito mais presente. Seus olhos brilhavam com determinação e resolução, irradiando uma sensação quase contagiosa de confiança temperada.

…Este era o seu poder. O poder da convicção.

Sunny estremeceu sob aquele olhar.

Neph era a pessoa que ele mais ansiava ver e, ao mesmo tempo, esperava nunca mais ver. Ela era a verdadeira razão pela qual ele teve que deixar o castelo.

Despertado por este encontro predestinado, um turbilhão de memórias subiu à superfície de sua mente.

Se ao menos ele soubesse na época…

Bem, realmente não teria mudado nada.


Quatro meses atrás, na noite em que se aventuraram no mar amaldiçoado em um barco feito de ossos de demônio, Sunny tremia ao vento.

…Depois de uma eternidade passada no frio abraço da escuridão, a noite interminável de sua fuga finalmente estava chegando ao fim. Ele se virou para o leste, onde uma linha fantasmagórica de lilás pálido apareceu no horizonte.

Tremendo, ele lambeu os lábios e disse com voz rouca:

“Cas. Cassie. É manhã.”

Depois que ele pronunciou essas palavras, o último vestígio de força que mantinha Sunny desapareceu, e ele desabou sobre as pedras, seu peito subindo pesadamente e depois caindo.

Um novo amanhecer estava pronto para banhar o desolado inferno da Costa Esquecida em luz solar quente. Eles haviam sobrevivido.

Os três Adormecidos estavam empoleirados em uma mão gigante de pedra que se projetava das ondas negras, como se fosse mantida acima do abismo sem luz por uma deusa. Sunny e Cassie se abraçavam para se aquecer, enquanto Nephis estava deitada no centro da palma de pedra, ainda inconsciente. Através das aberturas na armadura despedaçada, a pele de marfim dela estava pálida e sem vida.

‘Conseguimos.’

Eles escaparam das garras do Devorador de Almas, navegaram pela escuridão amaldiçoada e até sobreviveram a uma batalha com o terrível habitante das profundezas… por algum milagre.

Sunny não conseguia acreditar que eles realmente conseguiram realizar a ousada fuga. Desde o momento em que soube do feitiço de encantamento colocado em suas mentes pelo antigo demônio, sentiu que as chances de se salvar da árvore maligna eram mínimas. Talvez porque tivesse tirado sua arma mais perigosa e testada… sua mente.

E ainda assim, de alguma forma, eles tiveram sucesso.

Completamente exausto, Sunny fechou os olhos e ouviu o mar escuro recuar para se esconder do sol nascente. Sem perceber, ele caiu no sono.

Quando acordou, o sol já estava alto no céu. Sunny esperava se sentir debilitado agora que a adrenalina havia deixado seu corpo machucado, mas, para sua surpresa, ele não estava nem na metade da dor que havia antecipado. Trama de Sangue era realmente um Atributo milagroso para alguém tão propenso a desastres como ele.

Até seu dedo quebrado não doía tanto.

Sunny ainda teve que gemer ao se sentar.

Cassie dormia ao seu lado, tão esgotada pelos eventos da noite anterior quanto ele… talvez até mais. Seu rosto delicado parecia vulnerável e pálido, retorcido em uma carranca ansiosa. Sunny suspirou.

Nephis ainda não havia recuperado a consciência. Em algum momento enquanto ele dormia, a garota cega usou sua capa para cobrir a Estrela da Mudança, ajudando-a a preservar algum calor. Neph permaneceu imóvel e sem movimento, seu rosto drenado de toda cor. Apenas o som suave de sua respiração disse a Sunny que ela ainda estava viva.

Ele tremeu, lembrando-se da visão angustiante de sua carne dilacerada se restaurando no cadinho da chama purificadora. Desencadear essa chama sempre cobrava um alto preço de Nephis, trazendo-lhe dor e sofrimento inimagináveis. Quem sabia que preço ela havia pago para se afastar das portas do esquecimento? Ele nem mesmo percebeu antes que ela poderia usá-lo para se curar.

Talvez houvesse uma razão pela qual ela nunca tinha feito isso no passado. Só o tempo poderia dizer.

‘É hora de avaliar a situação.’

Desviando o olhar da Estrela da Mudança, Sunny olhou em volta, tentando discernir suas circunstâncias atuais. Seu coração estava pesado.

Se eles tivessem sobrevivido ao ataque do monstro de tentáculos e ao subsequente naufrágio apenas para se encontrarem encalhados no meio do mar amaldiçoado, sem uma maneira de seguir em frente, isso seria uma reviravolta verdadeiramente macabra do destino.

A leste deles, havia apenas a vastidão vazia da enorme cratera. A mesma coisa para o…

Sunny congelou, notando uma linha escura à distância. Aquilo era… aquilo era a borda oeste da cratera. Eles quase a atravessaram!

Sentindo um estranho entusiasmo apertando seu coração, Sunny rapidamente virou-se e olhou para o oeste. Seus olhos se arregalaram.

Por alguns momentos, sua cabeça estava silenciosa e vazia. Então, um único pensamento apareceu:

‘Estávamos tão perto…’

Ele ficou quieto por muito tempo, esquecendo-se de tudo o mais. Algumas horas depois, Cassie finalmente acordou. Sentindo que ele não estava mais ao seu lado, ela chamou com uma voz assustada:

“Sunny?”

Ele lambeu os lábios.

“Estou aqui.”

Cassie sentou-se e esticou a mão, encontrando o ombro dele.

“Por que… por que você parece tão estranho?”

Sunny piscou e, em seguida, lentamente virou a cabeça para olhar a garota cega. Um sorriso hesitante surgiu em seu rosto.

“Cassie… nós encontramos. Encontramos a cidade que você viu.”


No final, Nephis permaneceu inconsciente por dois dias inteiros.

Sunny estava realmente começando a se preocupar com ela, mas então, no terceiro dia, a Estrela da Mudança finalmente voltou a si. Na época, ele estava sentado em cima do dedo indicador da mão gigante, olhando para oeste com uma sensação calorosa e animada em seu coração.

Eles conseguiram! Finalmente iam voltar para casa!

Sunny mal podia esperar para retornar ao mundo real. Ele nem se importava mais tanto em se tornar um Despertado e o correspondente salto em poder e status.

Tudo o que ele queria era sua cama macia, montanhas de comida deliciosa e chuveiros quentes ilimitados.

Sunny baixou a cabeça e olhou para Nephis, tentando determinar se havia algo errado com ela. Nos webtoons, um dos personagens certamente sofreria algo como amnésia bem antes das coisas melhorarem.

Mas a Estrela da Mudança parecia estar bem. Ela ainda era a mesma Nephis que ele conhecia – alta, firme e estranhamente distante, como se houvesse uma barreira invisível separando-a do resto do mundo. Quando o olhar de seus impressionantes olhos cinzentos caía sobre ele, Sunny sentia seu coração bater um pouco mais rápido.

Ele sorriu.

‘Graças aos deuses!’

Nephis franziu a testa, baixou a cabeça e então perguntou com um tom plano:

“Por que você está sorrindo?”

Percebendo que estava sorrindo de orelha a orelha como um bobo, Sunny piscou e tentou dar de ombros com falsa indiferença.

‘Abortar, abortar! Desvie a atenção dela!’

“Olhe atrás de você.”

A visão do que estava a oeste era uma das razões para seu bom humor, então não era um exagero.

Nephis encarou-o por alguns momentos, suspirou e virou-se.

Atrás dela, um alto muro da cidade construído com pedras polidas cinzentas erguia-se acima das encostas da colossal cratera.

Esse muro era um sinal de que todo o seu sofrimento não foi em vão e de que todos os seus sonhos estavam prestes a se tornar realidade.

Era esperança.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.7 17 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
GreyD
Membro
Grey
1 mês atrás

Que sofrimento vei

Nonno
Membro
Nonno
8 meses atrás

pior q todo mundo q ta ai são tipo os melhores adormecidos do mundo, mas n conseguem sair do feitiço kk
obg pel ocap

Emo Tenebroso
Membro
Emo Tenebroso
3 meses atrás
Resposta para  Nonno

As vezes não, foi dito que muitos tiveram a sorte de nascer ao lado da cidade, só o grupo do mc que passou por esse sofrimento todo.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar