Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  1282

Correntes do Tempo

Traduzido usando o ChatGPT



Sunny não sabia exatamente o quão longe eles tinham viajado longe da ilha escura, mas a distância devia ser imensa. Sua concha das sombras não era apenas enorme, ela também foi criada para reinar na água. Considerando que ele estava se movendo com a corrente do Grande Rio, sua velocidade já grande foi ainda mais intensificada.

Então, ele decidiu que seria seguro subir à superfície.

Ascendendo gradualmente, ele rasgou o abismo radiante e finalmente ergueu a cabeça acima das ondas cintilantes.

Ainda agarrada aos seus chifres, Nephis se curvou e respirou pesadamente. Foi difícil para ela resistir à resistência da água, que a havia golpeado como um carneiro por tanto tempo.

Quanto maior a velocidade de Sunny, maior era a resistência. Ela já estava exausta por estender sua Habilidade além do limite, e suportar a corrida febril pelas profundezas não devia ter sido fácil.

Mas agora que a cabeça da serpente de ônix estava acima da água, Nephis finalmente pôde descansar um pouco.

O céu ainda era impenetravelmente negro. Um brilho suave estava surgindo do rio, iluminando o vazio vasto de sua extensão fluente. A visão era tão onírica e mágica como no primeiro dia em que Sunny a viu…

Mas seu coração foi perfurado pelo desespero.

Isso porque mesmo agora, depois de deixar a ilha escura tão para trás, ele não conseguia ver nenhum indício de terra em qualquer lugar ao seu redor.

Uma antiga dúvida se arrastou para sua mente, sugando a força de seu corpo cansado.

‘E se não houver terra… e se esse mundo todo for apenas água…’

Sunny rangeu os dentes, soltando um rosnado baixo e esforçando cada fibra de sua concha para acelerar ainda mais.

Com seu focinho de ônix como a ponta de uma lança e sua barbatana dorsal preta como uma lâmina afiada, ele cortou a superfície brilhante do Grande Rio. Mais rápido, mais rápido… ele ainda não tinha acabado com sua essência.

Havia uma certa sensação de euforia que ele sentia, voando em direção ao horizonte com uma velocidade terrível. A velocidade, o poder de sua concha, o peso leve do corpo de Neph pressionando suas escamas e o vazio imenso do céu negro infinito… era quase libertador.

Mas, ao mesmo tempo, seu coração estava afogado em ansiedade, medo e pavor.

E logo, ele provou estar certo em ter medo.

Sunny sentiu uma premonição sinistra e ergueu um pouco mais a cabeça acima da água. No próximo momento, seus olhos serpentinos se estreitaram.

Lá, à frente deles… a superfície do Grande Rio estava fervendo. Um enxame infinito de crustáceos estava se movendo rapidamente em direção a eles, centenas de milhares de Bestas Corrompidas ardendo com um desejo louco de devorar a serpente de ônix e sua cavaleira vivos.

O corpo enorme de Sunny estremeceu, mas ele tentou se manter calmo.

‘Isso não é o fim…’

O enxame de crustáceos era um inimigo assustador, mas o terror estava em quão numerosos os Gafanhotos do Rio eram. A legião faminta que se aproximava de Sunny era a maior que ele já havia visto até então, o suficiente para que até mesmo a Serpente Azure pudesse não ser capaz de prevalecer contra ela. No entanto…

Ao contrário do leviatã antigo, Sunny não estava restrito pela necessidade de defender sua presa e, embora os crustáceos fossem numerosos, eles não eram individualmente fortes.

Muito mais importante, eles não eram tão rápidos.

Fazendo uma curva acentuada, Sunny rugiu e voou para o oeste, paralelo à massa de abominações que se aproximava. Seus pensamentos febris se dissolveram em uma simples necessidade bestial de fugir do enxame. A distância entre eles diminuía rapidamente, e ainda assim ele ainda não conseguia ver a borda do grande trecho de água agitada.

E quando ele finalmente viu, não havia mais tempo.

‘Maldição!’

Enquanto Nephis se levantava e convocava uma espada, Sunny mergulhou na massa de crustáceos. A água subia ao seu redor, criando uma barreira… mas mais do que alguns abominações passaram por ela.

Suas mandíbulas se fecharam e a espada de Nephis brilhou.

…Alguns momentos depois, eles romperam a parede de Gafanhotos do Rio e se libertaram do enxame. Sunny havia alcançado apenas as bordas do trecho de água agitada, e mesmo que eles tivessem que passar pelos crustáceos no final, a extensão do Grande Rio à frente deles estava clara.

Sunny nadou com toda a sua força, contornando o enxame perseguindo-os e aumentando a distância entre os gafanhotos rastejantes e sua cauda.

‘Mais rápido, mais rápido, mais rápido…’

Logo, os crustáceos ficaram para trás. Nephis se curvou novamente, segurando sua espada com uma mão trêmula.

…Ele não tinha muita essência restante.

Eles continuaram a se mover rio abaixo, cobrindo uma tremenda distância. A serpente de ônix voava como uma flecha… não, muito mais rápido do que qualquer flecha poderia voar. Mas ainda não era o suficiente.

Depois do primeiro enxame, veio outro.

Depois do segundo enxame, veio uma criatura assustadora que se lançou contra eles das profundezas.

Depois da criatura, veio uma massa gigantesca de algas podres que quase os prendeu e devorou, uma dúzia de bocas grotescas aparecendo de repente debaixo das ervas marinhas ondulantes.

E depois disso, havia mais horrores do que ele conseguia contar. Bandos de pássaros predadores que pareciam ter pérolas crescendo em sua carne ressecada, criaturas invisíveis que eram capazes de transformar instantaneamente grandes extensões do rio em gelo de adamantium, luzes fantasmagóricas que queimavam nas profundezas da água, enchendo suas mentes com um desejo indescritível de se aproximarem delas…

Mas Sunny era uma serpente fluvial, um monarca entre as bestas. Seu corpo longo era rápido, poderoso e tenaz. Ele era incrivelmente rápido e se sentia em casa na água. Ele havia escapado dos crustáceos, rasgado as algas podres, mergulhado nas profundezas para evitar as aves de rapina, atravessado o gelo, resistido ao encanto das luzes fantasmagóricas…

Ele havia escapado de todos eles.

No entanto…

Sua essência estava se esgotando. Estava quase acabada. Ele estava exausto e além dos limites de sua força mental.

E ainda não havia terra à vista.

Quando os sete sóis surgiram lentamente além do horizonte, afugentando a escuridão impenetrável, e o Grande Rio parou de brilhar…

Ele estava completamente exaurido.

A concha das sombras foi a primeira a desmoronar. A poderosa serpente de ônix estremeceu e então se dissolveu em sombras, que foram instantaneamente afugentadas pela luz pálida da aurora.

Sua encarnação desapareceu em seguida. Sunny se tornou intangível e foi então jogado para fora do abraço das sombras, finalmente recuperando sua forma humana.

Ele sentia dor. Cada músculo de seu corpo parecia que estava prestes a explodir. Seus pulmões pareciam consumidos pelo fogo. Sua cabeça estava pesada, e seus membros estavam fracos.

Ele até falhou em se adaptar à mudança de tempo, engolindo um bocado de água.

…O que estava bem. Ele estava morrendo de sede, afinal.

Sunny sentiu-se afundando e lutou fracamente para se manter à tona. Mas até isso era demais para ele.

‘Vou… me afogar?’

Um momento depois, um braço forte o envolveu, e ele sentiu Nephis pressionando seu corpo contra o dela. Nadando com a ajuda de sua mão livre, ela os puxou ambos para cima.

Logo, suas cabeças emergiram da água.

Sunny foi momentaneamente ofuscado pela luz do sol e tossiu, tentando empurrar ar para seus pulmões.

‘Acabou… acabou… não vamos sobreviver aos poucos dias necessários para nossa essência se recuperar…’

Enquanto ele tentava pensar em algo – qualquer coisa – que pudesse mantê-los vivos, um arrepio estranho percorreu de repente o corpo de Nephis. Como ela ainda o abraçava por trás, ele pôde sentir isso claramente.

“Sunny… Sunny…”

Ele tentou responder e foi de repente atingido pela estranheza de seu corpo humano. Parecia estranho e pequeno, não condizendo de forma alguma com uma serpente feroz como ele.

Ele havia esquecido como falar.

‘Reaja, droga.’

Sunny lentamente reuniu seus sentidos, lembrando o que significava ser humano. Em seguida, moveu sua língua desconhecida e disse roucamente:

“O que?”

Nephis se moveu, virando-os ambos para enfrentar o rio abaixo. Sua voz estava tão rouca quanto a dele:

“Ali!”

Ele franziu a testa, seguindo com o olhar a direção para onde o dedo dela estava apontando, e então congelou.

Ali, na água, a não mais do que cem metros de distância…

Um pequeno barco balançava nas ondas, com suas duas velas abaixadas.

Era feito de uma bela madeira escura, com padrões intricados esculpidos ao longo de seus lados. Não havia movimento dentro, mas o barco parecia estar parado, estranhamente não afetado pela forte corrente do Grande Rio.

E assim, eles estavam sendo lentamente puxados em sua direção.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 5 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Newton borges do carmo
Membro
Newton borges do carmo
13 dias atrás

Porra de pesadelo fdp

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar