Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  1292

História do Tempo

Traduzido usando o ChatGPT



Nephis assentiu, indicando que ela havia lido a descrição da Coroa do Crepúsculo. Os dois poderiam ter se comunicado através da [Bênção do Crepúsculo] para discutir como abordariam a conversa com Ananke… mas na verdade, não havia necessidade.

A velha não mostrava nenhum sinal de que eles precisavam ter cautela. Então, eles poderiam simplesmente perguntar.

Havia uma pergunta que precisava ser respondida acima de tudo, porém.

Sunny se mexeu ligeiramente, e então chamou:

“Avó…”

Ananke se mexeu, como se estivesse acordando de um sonho, e olhou para eles com seu olho nublado.

“Sim, meu Senhor?”

Ainda desconfortável com essa forma de tratamento, Sunny pensou por um momento e perguntou:

“Você já ouviu falar sobre… aquilo que foi profanado?”

A velha mulher congelou subitamente. Sua mão, que repousava no leme, tremia. Por um tempo, nada além do som da água batendo no casco do ketch podia ser ouvido.

Parecia que ela não estava feliz em ouvir aquela pergunta. No entanto, Sunny e Nephis não tinham escolha a não ser perguntar – eles precisavam aprender tudo o que pudessem sobre o objetivo presumido deste Pesadelo.

Eventualmente, Ananke suspirou.

“Aquilo que foi profanado… suponho que você esteja falando da Profanação, meu Senhor.”

Os olhos de Sunny brilharam.

“A… Profanação?”

Relembrando os horrores da Campanha do Sul, ele fez uma conexão repentina. Havia três Criaturas dos Pesadelos que ele havia matado que tinham um nome semelhante – a Testemunha Profanada, o Arauto Profanado e o Buscador Profanado da Verdade.

O primeiro era o Demônio Caído que liderava o bando de bestas sem olhos. O segundo era o Diabo Corrompido que liderava o grupo de cadáveres ressequidos, com as bocas costuradas – Sunny havia recebido o Grito Abafado depois daquela batalha.

O terceiro era o Titã Caído que ele havia matado por acaso durante a batalha conjunta contra a enorme horda de abominações na Antártica Oriental, recebendo o Espelho da Verdade.

Será que todos eles vieram da Tumba de Ariel?

A velha mulher assentiu.

“Sim… a Profanação. Sinto muito, meu Senhor e Senhora. Eu deveria saber que vocês não estariam cientes dessas questões. Vocês são Forasteiros (Outsiders), afinal.”

Sunny e Nephis trocaram olhares, perguntando-se o que ela queria dizer.

Ananke permaneceu em silêncio por alguns momentos, então falou solenemente:

“…Para entender o que é a Profanação, vocês primeiro precisarão aprender um pouco sobre a história do Grande Rio. Vou tentar explicar da melhor maneira possível.”

Nephis franziu levemente a testa.

“A história? Não tenho certeza se entendo que tipo de história um rio que flui através do tempo pode possuir.”

A velha mulher sorriu levemente.

“O tempo dentro da Tumba de Ariel é imprevisível e complicado. Às vezes, flui lentamente, às vezes flui rapidamente. Às vezes, o tempo sobe em grandes tempestades, ou fica estagnado, ou circula para sempre como um redemoinho. Correntes se juntam e se separam, ou desaparecem sem deixar rastros. Mas, mesmo assim… para a maioria de nós, a menos que entremos em águas turbulentas, o tempo sempre se move. Assim como no mundo exterior. É apenas que o nosso próprio tempo é diferente do tempo lá fora.”

Notando um leve sinal de confusão em seus rostos, Ananke parecia pensativa por um tempo. Então, suspirou:

“A melhor maneira que posso explicar é assim – o Grande Rio flui realmente do futuro para o passado, mas isso é apenas em relação ao mundo exterior. Aqui, esse tipo de tempo não é diferente do espaço. No entanto, o Rio ainda tem um passado, um presente e um futuro em relação a si mesmo. Aqui, esse tipo de tempo é apenas como o tempo do Exterior.”

Nephis inclinou um pouco a cabeça.

“Então, pode-se dizer que Sunny e eu entramos na Tumba de Ariel em um futuro distante – significando muito mais rio acima. Mas também pode-se dizer que entramos há um mês atrás? Distância e dias são uma medida de tempo?”

A velha mulher assentiu.

“De fato. Você é sábia, minha senhora.”

O canto da boca de Sunny se contraiu.

‘Essa é a segunda vez que ela chama Nephis de sábia… zero vezes para mim, no entanto!’

Ainda assim, ele entendeu a ideia. Havia na verdade dois conceitos chamados “tempo” dentro da Tumba de Ariel – um era o fluxo do Grande Rio em si, que estava sujeito a todo tipo de trapaças, enquanto o segundo não diferia do conceito de tempo com o qual eles estavam familiarizados.

A velha mulher continuou:

“Então, o Grande Rio também tem uma história. Ou melhor, somos nós, o Povo do Rio, que a temos. Essa história… começou há muito tempo, quando as sibilas entraram pela primeira vez na Tumba de Ariel com seu povo. Havia outros também – todo tipo de humanos e criaturas que vieram em busca da verdade, que dizem estar escondida no Estuário.”

Sua voz rangente ficou melancólica:

“Foi quando nós, arautos do Feitiço do Pesadelo, também chegamos ao Grande Rio. Me disseram que foi uma era de ouro. As sibilas estabeleceram suas cidades, e Poderosos Buscadores construíram mansões solitárias entre as ondas. Eles haviam escapado do fim e viviam em paz e prosperidade dentro da Tumba de Ariel.”

Sunny achou algo curioso e perguntou:

“Você foi informada? Você mesma não estava lá?”

A propósito, quando Ananke havia falado sobre a perseguição aos seguidores de Tecelão, ela havia mencionado que não havia experimentado isso pessoalmente. Aquela declaração havia soado estranha na época, mas havia muitas outras perguntas que precisavam ser feitas primeiro.

A velha mulher riu.

“Meu Deus… claro que não. Eu posso parecer velha, mas não sou tão antiga assim. Não… eu nasci muito depois, quando a Weave já estava estabelecida. Ao contrário daqueles que vieram de fora, como vocês, eu sou Nascida do Rio (Riverborn).”

Sunny fez uma anotação mental de que havia uma distinção entre os Forasteiros e os Nascidos do Rio, e continuou a ouvir.

Ananke deu uma respiração rouca e disse sombriamente:

“Mas aquela era de ouro… eventualmente, chegou ao fim. Primeiro, as vozes dos deuses se calaram, fazendo com que as sibilas voltassem seus olhares para o Estuário. E então… então, a Profanação nasceu.”


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 3 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
LokinD
Membro
Lokin
19 dias atrás

vc não e sabido sunny, lhe falta sabidez

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar