Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  1305

Casa da Partida

Traduzido usando o ChatGPT



“Esta… é a Casa da Partida. É o ponto mais distante de Weave quando se viaja rio acima.”

A voz de Ananke soava desanimada de forma incomum.

‘Casa da Partida…’

Sunny estudou a ilha artificial e a estrutura solene construída sobre ela, então virou-se para a velha mulher e perguntou:

“É… um moinho de vento?”

Ela assentiu.

“Sim, meu Senhor. A torre colhe o vento para manter a ilha.”

Ananke hesitou por um segundo, e então acrescentou:

“As cidades do Grande Rio são na verdade mais parecidas com frotas, cada uma consistindo de muitas flotilhas – algumas pequenas como esta, outras se estendendo por dezenas de quilômetros. Elas migram às vezes, mas na maioria das vezes precisam ficar paradas. Não há nada para ancorar um navio no Grande Rio, no entanto.”

Nephis ergueu uma sobrancelha.

“O Grande Rio é tão profundo que não dá para ancorar no fundo?”

Ananke balançou a cabeça.

“Não é que o chão do Grande Rio seja muito profundo, é que ele não existe. Ninguém jamais conseguiu alcançá-lo, pelo menos… então, tivemos que encontrar outras maneiras.”

Ela apontou para as lâminas rotativas do imponente moinho de vento.

“Há várias maneiras de fazer uma cidade-navio resistir à correnteza, desde as mundanas até as mágicas. A Casa da Partida… você não pode vê-la daqui, mas há uma grande roda d’água na parte de trás da ilha, impulsionando-a constantemente para frente na mesma velocidade que o Rio a empurra para trás. Seu mecanismo é alimentado principalmente pela correnteza, mas o moinho de vento alivia significativamente o fardo.”

Ela suspirou.

“O mecanismo da ilha está à beira do colapso agora… Tentei repará-lo da melhor maneira que pude, mas meu conhecimento é insuficiente para manter uma cidade inteira de se despedaçar. Há pouca utilidade, de qualquer forma.”

Sunny e Nephis olharam para o sombrio moinho de vento, sentindo um senso de admiração. A ilha diante deles era na verdade a criação de uma incrível engenhosidade humana – um distrito de cidade flutuante que usava o vento e o poder do Grande Rio para lutar contra as correntes do tempo.

Mesmo agora que o povo de Weave havia desaparecido, ela ainda seguia em frente, recusando-se a se tornar algo do passado.

O ketch se aproximou da ilha em silêncio solene. Ao se aproximar, Ananke soltou o vento que enchia as velas, guiou habilmente o barco até o cais e o amarrou com uma corda.

Os três deixaram o pequeno ketch pela primeira vez em muito, muito tempo.

Sentindo as tábuas de madeira sólida do cais sob seus pés, Sunny aproveitou o fato de que o chão não estava balançando e deu alguns passos. Ele balançava como um bêbado nos primeiros instantes, mas logo recuperou o equilíbrio.

Enquanto esticava os membros, Nephis olhou ao redor e perguntou:

“A Casa da Partida… por que deram esse nome a este lugar?”

Ananke sorriu levemente enquanto se dirigia para o salão de pedra e fez um gesto para que os dois a seguissem.

“É o ponto de Weave que fica mais rio acima. Você sabe que os corpos dos Nascidos do Rio como eu não envelhecem… no entanto, os humanos não foram criados para serem imortais. Se alguém vive por muito tempo e sua alma fica cansada, ela pode querer descansar no abraço da Sombra.”

A velha mulher se virou e olhou para o ketch, amarrado ao cais da Casa da Partida.

“Quando isso acontece, aquele que está partindo vem para a Casa da Partida. Aqueles que os amam também vêm, para se despedir. Preparam um banquete e celebram. Quando tudo está dito e feito, o cansado Nascido do Rio zarpa para sua última jornada. Eles navegam longe, muito rio acima… até chegarem ao fim de sua vida e falecerem. De uma forma ou de outra.”

Ananke hesitou por um tempo e então acrescentou saudosamente:

“Na verdade, eu considerei fazer essa jornada também, antes de receber um sonho sobre a chegada de vocês. Ah… ironicamente, acabei repetindo todos os mesmos passos, parando um pouco antes do último. É estranho retornar à Casa da Partida vindo de rio acima e ainda estar viva.”

Ela riu e balançou a cabeça:

“Na verdade, existem duas dessas Casas. A outra está situada no ponto mais distante de Weave rio abaixo… todas as outras cidades humanas no Grande Rio devem ser iguais, eu imagino. A Casa Inferior é destinada àqueles que não tiveram escolha e morreram de forma prematura. Seus corpos, se recuperados, são enviados rio abaixo, para retornar ao Estuário – a origem de tudo. Claro, todo Forasteiro parte em sua última jornada da Casa Inferior também.”

Sunny inclinou a cabeça, pensativo. Se os corpos de todos os Forasteiros falecidos eram enviados rio abaixo, e o Estuário era a fonte da Profanação… será que foi assim que Crepúsculo de Graça Caída acabou se tornando uma Criatura do Pesadelo? Ou ela sucumbiu à Corrupção primeiro e recebeu o enterro no rio como resultado? Afinal, ela estava usando um sudário de enterro quando se encontraram pela primeira vez.

‘Ela é uma amiga ou uma inimiga?’

Ananke suspirou.

“Meu Senhor e Minha Senhora… passaremos a noite aqui. Vou recuperar alguns dos suprimentos que guardei nesta ilha, e de manhã, continuaremos o caminho para Weave propriamente dita. Haverá mais suprimentos para vocês levarem rio abaixo lá, então espero que não se importem.”

Sunny sentiu que passar a noite em um lugar chamado Casa da Partida era um pouco sinistro, mas não ia recusar uma noite dormindo em solo firme, com um teto sobre a cabeça, por superstição.

Mais do que isso, enquanto ele e Nephis haviam desfrutado de muito descanso no caminho, Ananke havia permanecido acordada na maior parte do tempo, controlando o ketch e impedindo que algo perigoso acontecesse com eles. Ela também precisava de uma pausa.

Ele assentiu.

“Claro. Mostre o caminho.”

A velha mulher assentiu e continuou caminhando em direção ao grande salão.

Seus passos eram leves e enérgicos.

Quando os sete sóis se puseram no rio, os três estavam dentro da Casa da Partida. O interior do grande salão era belo e solene, mas ao mesmo tempo estranhamente modesto – os seguidores de Tecelão não eram uma nação próspera, afinal.

Olhando para a decoração do salão de pedra, Sunny podia ver claramente quais ornamentos e decorações haviam sido herdados dos Forasteiros originais, que vinham do Reino dos Sonhos, e quais haviam sido feitos por seus descendentes Nascidos do Rio.

Apesar de serem artesãos atentos e sinceros, os Nascidos do Rio eram claramente muito menos sofisticados do que seus antepassados, para não mencionar extremamente limitados em termos de recursos.

Na verdade, ele ficou surpreso com algumas das coisas que já havia visto… a madeira com a qual o ketch de Ananke e o cais da Casa da Partida foram construídos, por exemplo. De onde ela veio? As frutas com as quais ela os havia presenteado também. Não havia solo em lugar algum no Grande Rio, então como poderia haver árvores? Como poderia haver farinha para assar tortas e folhas de chá para fazer chá?

Curioso, ele perguntou à velha mulher sobre isso. Ela sorriu:

“As árvores? Existem algumas. Há jardins e campos flutuantes em Weave. Eles não são muito grandes, é claro, porque a superfície da cidade é limitada. Então… só podemos nos dar ao luxo de comer frutas, pão e arroz em ocasiões especiais. Na maior parte do ano, as Pessoas do Rio comem o que o Rio dá.”

Sunny baixou o olhar, sentindo-se de repente culpado. Então a comida deliciosa que ele e Nephis estavam desfrutando era algo que Ananke mesma não saboreava com frequência.

Eles estavam atualmente em uma das câmaras menores da Casa da Partida, a velha mulher se preparando para cozinhar um jantar tardio para eles. Ele havia sido bastante complacente em permitir que ela cuidasse deles… principalmente porque era ótimo ser mimado por alguém carinhoso e gentil, mas também porque Ananke estava estranhamente determinada a tratar Sunny e Nephis com a máxima dedicação.

No entanto, de repente ele queria que algo diferente acontecesse hoje.

Caminhando até a velha mulher, ele gentilmente a afastou da mesa onde todos os ingredientes aguardavam para serem preparados e cozidos.

“Vá descansar, Ananke. Eu cuidarei de tudo.”

Ela o olhou com olhos arregalados.

“Mas, meu Senhor…”

Sunny balançou resolutamente a cabeça.

“Sem ‘mas’! Você não precisa cozinhar. Hoje, este senhor vai cozinhar para você.”

Olhando para os ingredientes, ele sorriu e acrescentou:

“Sabe? Estou planejando ficar rico abrindo um restaurante no futuro.”

Então, ele fez uma pausa por um momento, coçou a cabeça e apontou para Nephis… que o encarou com uma expressão confusa em resposta.

Sunny sorriu brilhantemente.

“E esse… é o meu chef estrela. Venha ajudar seu chefe, chef! Você não quer ser demitido antes mesmo do restaurante abrir, quer?”


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.5 2 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Newton borges do carmo
Membro
Newton borges do carmo
12 dias atrás

Kkkkkkkkk estrela chef kkkkkkkkkk

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar