Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  133

Adeus

Traduzido usando o ChatGPT



Nephis segurava os cristais cintilantes, olhando-os com uma expressão pesada. Sunny também encarava os fragmentos, sua cabeça cheia de pensamentos sombrios.

Os remanescentes das almas despedaçadas brilhavam suavemente no crepúsculo do anoitecer.

Ao redor deles, os habitantes do assentamento externo apressavam-se para entrar em suas cabanas miseráveis antes da chegada da noite. O sol já estava escondido atrás da silhueta ciclópica do Pináculo Carmesim, afogando o mundo em sua sombra sinistra. O ar estava cheio de medo e preocupação.

Ele fez uma careta.

“Em que você está pensando?”

Estrela da Mudança suspirou e olhou para cima. Seu rosto de marfim estava severo e pensativo. Ela permaneceu em silêncio por um tempo e depois disse em seu tom calmo de sempre:

“Precisamos nos dividir.”

Sunny não pôde evitar rir.

“Você sabe o que geralmente acontece quando as pessoas se separam nesses tipos de situações, certo?”

Ela o encarou sem humor em seus frios olhos cinzentos.

“Isso não é um drama, Sunny. Temos meios para fornecer comida e abrigo para dois de nós por uma semana. Não há motivo para deixar passar essa oportunidade.”

Cassie se virou para ela com uma expressão confusa no rosto.

“Mas… e o terceiro?”

Um silêncio desconfortável pairou entre eles, quebrado apenas pelo vento que sussurrava. Sunny olhou para a menina cega, depois para Nephis e, finalmente, olhou para si mesmo. Qual deles iria permanecer com fome no frio amargo enquanto os outros dois estariam saciados no conforto e segurança do castelo?

Ele pensou que tinha uma ideia.

‘O que mais eu esperava?’

Fazia menos de dez minutos desde que eles chegaram à civilização humana – bem, qualquer coisa que passasse por uma neste purgatório repugnante – e a conexão tênue que havia sido estabelecida entre eles no crisol do Labirinto já estava se desfazendo.

Assim como ele esperava, a natureza do relacionamento deles mudaria agora que não eram essencialmente as últimas três pessoas no mundo inteiro, sem mais ninguém para depender além deles mesmos. Seria forte o suficiente para suportar sem essa necessidade desesperada? Ele não tinha certeza.

Durante toda a sua vida, Sunny nunca conseguiu durar muito tempo em nenhum grupo. Ele não sabia se desta vez seria diferente.

Assim que sua insegurança ameaçou sair do controle, Nephis suspirou e entregou-lhe os fragmentos de alma.

“Aqui. Leve a Cassie para dentro.”

Ele olhou para a mão dela e depois olhou para cima, surpreso.

Uma estranha tempestade de emoções irrompeu em seu coração. Havia surpresa, alegria, preocupação… mas, ao mesmo tempo, irracionalmente, um sombrio sentimento de vergonha e ressentimento. Sem saber como lidar com todos esses sentimentos, ele franziu a testa e perguntou:

“Por que eu?”

Estrela da Mudança simplesmente levantou uma sobrancelha. Balançando a cabeça, Sunny ofereceu-lhe um sorriso torto e acrescentou:

“Não me entenda mal, não estou recusando. Estou apenas curioso por que você está sendo tão gentil de repente. É por algum equivocado senso de nobreza?”

Nephis olhou para ele por um tempo e depois disse com indiferença:

“Eu nunca fui nobre. Eu nunca fui gentil.”

Ele piscou, lutando com o desejo de beliscar Nephis e ter certeza de que ela estava acordada. Ela tinha se encontrado? Se ela não era nobre, então quem era?

Enquanto isso, Estrela da Mudança deu de ombros e desviou o olhar.

“É simplesmente a melhor escolha. Agora, precisamos mais de informações. Com a ajuda da sombra, você conseguirá aprender muito mais sobre o que está acontecendo no castelo do que eu jamais conseguiria. Enquanto você coleta informações lá dentro, eu farei o mesmo aqui. Nos encontraremos em uma semana, compartilharemos nossas descobertas e decidiremos o que fazer em seguida.”

Sunny apenas encarou-a. Nephis acabou de… se revelar tão cinicamente pragmática quanto ele? Mais uma vez, ele sentiu uma mistura estranha de emoções. Ele estava simultaneamente exultante e magoado por sua falta de sentimentalismo.

No entanto, o fato de que ela simplesmente assumiu que eles continuariam trabalhando juntos, como se fosse óbvio, não escapou à sua atenção. Por algum motivo, esse pequeno detalhe deu a Sunny uma sensação calorosa.

Nephis olhou para ele e acrescentou:

“Além disso, os termos do nosso acordo chegaram ao fim. Sua promessa era desistir da sua parte dos espólios no caminho para o castelo. Bem, aqui estamos. Aquela criatura de pedra foi sua caça, então esses fragmentos são seus por direito.”

‘Acordo? Que acordo?’

Ah, sim… o acordo que ele havia feito com Estrela da Mudança para que ela lhe ensinasse esgrima e escondesse o fato de que ele não tinha como absorver fragmentos de alma. Ele quase se esqueceu disso.

Mas ela não se esqueceu.

Agora que Sunny fora lembrado de sua existência e percebera que tinha acabado, sentiu uma súbita pontada de arrependimento. Era como se uma das poucas cordas que os conectava tivesse sido repentinamente cortada.

Com um suspiro, ele pegou os fragmentos de alma da mão dela e os apertou com firmeza.

“Tudo bem. Então… nos encontraremos em uma semana, eu acho.”

Sunny abriu a boca, querendo dizer algo mais, mas então apenas se virou. Afastando-se um pouco, ele deu às garotas privacidade para se despedirem. Logo, a delicada mão de Cassie encontrou seu ombro.

Sunny olhou para a garota cega, ficou em silêncio por um instante e então perguntou:

“Você está pronta?”

Ela hesitou antes de responder. Quando o fez, havia um toque de tristeza em sua voz:

“Sim.”

Com isso, eles se afastaram e deixaram Nephis para trás, sozinha na crescente escuridão da noite que caía.


Guiando a garota cega, Sunny se aproximou da grande escadaria que levava aos portões ornamentados do magnífico castelo de mármore. Lá fora, não havia nada além do uivo do vento e do véu crescente de escuridão. Parecia que os habitantes da favela não tinham permissão para construir suas choupanas na extensa área de pedra que separava os degraus de mármore do assentamento externo.

“Cuidado, tem degraus à frente.”

Após alertar Cassie, ele sentiu um frio tomar seu coração. Por algum motivo, parecia que, uma vez que subisse aquelas escadas, não haveria mais volta.

Com os dentes cerrados, Sunny deu um passo à frente e começou a subir em direção ao castelo.

Logo, eles se aproximaram do ápice e pararam diante de um casal de guardas pouco amigáveis.

Ambos os jovens que bloqueavam seu caminho usavam armaduras do tipo Memórias e empunhavam suas armas abertamente, como se quisessem avisar qualquer um que se aproximasse para não testar a paciência deles. Eles olhavam para Sunny sem sequer tentar esconder seu desprezo.

“O que você quer, rato?”

Sunny hesitou e, em seguida, estendeu os fragmentos de alma.

Um dos guardas olhou para eles e sorriu.

“Bem, olha só isso. O rato nos trouxe um presente.”

Rindo, ele pegou os cristais cintilantes e fez um gesto com a mão.

“Entrem. Alguém vai encontrar vocês lá dentro.”

Lutando para não encarar os Adormecidos armados com ódio nos olhos, Sunny forçou um sorriso pálido e cautelosamente passou por eles.

Então, olhando para as dezenas de crânios humanos balançando acima deles em correntes enferrujadas, ele suspirou sombriamente e conduziu Cassie pelos portões do castelo.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.9 13 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Thiago
Visitante
Thiago
2 meses atrás

Nossa esse capitulos estão no mesmo nível de chatice da ilha da arvore, quando que termina?

RotoghtD
Membro
Rotoght
5 meses atrás

Da pra ignorar esses últimos capítulos, acrescentam nada e só enrola.

Nonno
Membro
Nonno
8 meses atrás

e a vontade de assassinar esses ai?? grrr

obg pelo cap

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar