Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  401

Sem Noção

Atenção: Este conteúdo foi traduzido automaticamente por meio de Inteligência Artificial (I.A.). Embora a qualidade da tradução possa ser superior às traduções automáticas padrões, ainda é possível que haja falhas ou imprecisões na tradução. Por favor, tenha isso em mente ao ler este conteúdo.



O ácido armazenado no estômago do demônio havia derretido a grama, mas agora, novas lâminas já estavam surgindo do chão, mais altas do que antes. Levou um tempo para Sunny encontrar as moedas entre elas… a chuva também não ajudou. Mas no final, ele descobriu as três.

As moedas eram idênticas à primeira: eram de ouro e pesadas, com um belo navio de madeira com uma árvore crescendo em torno de seu mastro retratado de um lado e o rosto do estranho misterioso no outro.

Escondendo as moedas em sua mochila, Sunny limpou a água da chuva de seu rosto e olhou para os restos do demônio alado. Num clarão de relâmpago, ele viu toda a criatura, grama vermelha crescendo através de seus ossos brancos, a escuridão se aninhando nas órbitas vazias dos olhos, presas aterrorizantes se aglomerando nas mandíbulas massivas e poderosas.

Mesmo na morte, a criatura parecia assustadora.

“De onde você veio, feio?”

Com um suspiro, Sunny olhou para o céu, permitindo que a chuva batesse em seu rosto por um tempo. Qualquer pequena chance que ele tivesse de rastrear a abominação voadora seguindo o rastro de seu sangue agora havia desaparecido. O que mais ele poderia fazer?

Fechando os olhos por um momento, Sunny caminhou alguns passos e pegou um pedaço de madeira roída na lama. Assim como ele se lembrava, parecia um canto quebrado de um baú, com uma tira de metal reforçando a costura. Tanto a tira de metal quanto a madeira em si haviam sido arrancadas violentamente do restante do baú, parecia, pela mordida do demônio morto.

O que significava uma coisa… tinha que haver pelo menos um baú cheio de moedas misteriosas em algum lugar por lá, provavelmente.

Mas como Sunny deveria encontrá-lo? As Ilhas Acorrentadas eram uma vasta terra, cheia de numerosos perigos e lugares escondidos. Tudo o que ele sabia sobre a criatura era que ela havia sido mortalmente ferida pelos habitantes do Lado Sombrio e depois sucumbiu ao Esmagamento.

Falando em Esmagamento… o ranger de correntes trovejou ao longe, anunciando que a Ilha da Mão de Ferro estava entrando na fase de subida. Sunny teve que deixar este lugar rapidamente. Da próxima vez que ele voltasse, os ossos do demônio provavelmente já teriam se transformado em poeira.

Rangeu os dentes, Sunny caminhou até o crânio da abominação e deslocou uma de suas presas com um chute poderoso. Pegando o punhal de osso irregular, ele o estudou por alguns momentos e depois o colocou em sua mochila.

Se tudo mais falhasse, ele tentaria encontrar um Desperto com afinidade para revelações e convencê-los a realizar uma adivinhação na presa.

Havia uma pessoa capaz de algo assim nas Ilhas Acorrentadas, pelo menos. Mas… Sunny não estava realmente disposto a pedir ajuda daquela vidente em particular. Não a menos que não houvesse outra escolha.

“Ainda não estamos lá.”

Expulsando os pensamentos sombrios de sua mente, Sunny lançou um último olhar para o demônio morto e para a área circundante, tentando ver se tinha perdido alguma pista. No entanto, não havia nada.

Com uma expressão preocupada em seu rosto, ele se dissipou nas sombras e apressou-se de volta para o Santuário.


Quando ele retornou ao Santuário, o amanhecer não estava tão longe. Sunny se esgueirou na Ilha do Altar e colocou duas das três moedas na superfície fria do monólito de pedra, e então esperou um pouco.

Nada aconteceu.

“Hmm.”

Desapontado, ele esperou pacientemente pela lua aparecer de debaixo do véu escuro das nuvens. Depois de algum tempo, o Santuário finalmente foi iluminado pela luz pálida da lua, e duas moedas no altar brilharam imediatamente, refletindo-a. Então, elas brilharam com uma luz suave própria.

A moeda que ele segurava em sua mão, no entanto, não brilhava.

Um momento depois, o Feitiço sussurrou, sua voz entrelaçada com o sussurro das folhas e o murmúrio da água corrente:

[Sua sombra fica mais forte.]

[Sua sombra fica mais forte.]

Sunny sorriu.

“Então, tanto o altar quanto a lua são necessários.”

Apressadamente, ele colocou a terceira moeda no altar e logo ouviu o Feitiço se repetir pela terceira vez:

[Sua sombra fica mais forte.]

“Aquilo… deveria me levar a duzentos e um.”

E também… ele estava vendo coisas, ou a adaga de obsidiana havia se movido um pouco?

Com uma expressão cética, Sunny tentou levantar a maldita faca, mas assim como antes, nada que ele fez teve algum efeito nela.

“Ah, tanto faz!”

Sua descoberta recente já era uma recompensa em si. Ele tinha recebido quatro fragmentos de sombra – o equivalente a matar um Monstro Caído – sem ter que arriscar sua vida nem um pouco. Por si só, essa quantidade não era tão considerável… mas e se ele encontrasse mil, ou mesmo algumas centenas dessas moedas milagrosas?

E se ele alcançasse o tesouro onde o baú mordido pelo demônio alado estava escondido?

Isso… mudaria muita coisa.

O problema era que Sunny não tinha ideia de onde procurar.

Andando de um lado para o outro, ele pensou por um tempo e então disse para si mesmo:

“Provavelmente devo encontrar um especialista em tudo o que se refere às Ilhas Acorrentadas.”

Alguém que pudesse saber sobre esse tipo de Criatura do Pesadelo, seus comportamentos e esconderijos habituais… alguém que tivesse passado muitos anos nessa região do Reino dos Sonhos e fosse amigável o suficiente para conversar com Sunny.

“Agora, quem eu conheço que se encaixa em todos esses critérios?”

Sunny parou de andar, ficou por alguns momentos, e depois virou a cabeça para o anel de menires maciços.

Uma expressão estranha apareceu em seu rosto.


Na madrugada, uma figura solitária se aproximou do corredor que levava à residência do clã Pena Branca.

Santa Tyris e seu povo ocupavam a parte norte do interior do Santuário. Sunny não tinha ideia do que acontecia lá, já que nunca tinha sido convidado, mas sabia que ambas as entradas para o seu complexo eram geralmente guardadas.

Hoje não foi uma exceção.

Antes que Sunny pudesse pisar no corredor, um jovem guerreiro com uma couraça decorada com gravuras de penas de falcão apareceu de um nicho e o olhou com expressão vigilante.

“Diga seu negócio, Desperto.”

Sunny olhou para o jovem com uma expressão sincera, então sorriu.

“Oh! Eu estou aqui para ver o Mestre Roan. Ele uma vez me disse para encontrá-lo se eu precisasse de algo. Então… aqui estou eu. Precisando de algo. Você pode buscá-lo rapidamente?”

O guarda piscou algumas vezes, então franzindo a testa:

“O que é isso, exatamente?”

Sunny sorriu, ficou por alguns momentos e depois disse honestamente:

“…Caça aos demônios.”


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.9 10 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
2 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
GodSpeed_zD
Membro
GodSpeed_z
22 dias atrás

Isso tá me lembrando uma vibe meio pirata cara, tipo… Ilhas, baú e um barco na moeda

Nonno
Membro
Nonno
8 meses atrás

obg pelo cap

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar