Shadow Slave – Capítulo  440

Estrelas Impiedosas

Atenção: Este conteúdo foi traduzido automaticamente por meio de Inteligência Artificial (I.A.). Embora a qualidade da tradução possa ser superior às traduções automáticas padrões, ainda é possível que haja falhas ou imprecisões na tradução. Por favor, tenha isso em mente ao ler este conteúdo.



Depois de mais de três semanas caindo no Céu Abaixo – pelo menos Sunny achava que tinha sido tanto tempo -, ele suspirou e levantou-se, equilibrando-se no baú do tesouro perigosamente oscilante.

Seu cabelo estava molhado de suor, e sua pele brilhava na luz branca penetrante das estrelas se aproximando. Nesse ponto, elas já não se pareciam com pontos brancos na escuridão infinita do abismo. Em vez disso, cada uma tinha o tamanho de um punho, cercada por um halo furioso e cegante.

O calor que permeava o vazio era sufocante.

Sunny olhou para baixo, para o oceano de chamas brancas abaixo dele. Se isso era o que restava do inferno do fogo celestial após milhares de anos queimando no vazio vazio… ele estremeceu ao imaginar como deveria ter sido logo depois que o martelo do castigo divino tinha caído sobre a antiga terra.

Seu olhar estava fixo em um pequeno espaço vazio entre várias estrelas radiantes.

A fenda.

Este era seu objetivo.

Enquanto Sunny encarava sombriamente o pequeno pedaço de vazio em meio ao vasto campo de chamas, o vazio de repente falou:

“Você… hein? Isso é… uh… que tatuagem grande você tem.”

Sunny olhou para a escuridão e deu de ombros.

“E daí?”

Mordret hesitou por alguns momentos, como se não soubesse o que dizer, e então perguntou com diversão:

“Sunless… você tem certeza de que é um assistente de pesquisa?”

Sunny sorriu.

“Claro que sou! Você sabe quantos pontos de contribuição eles me dão todo mês? Eu rabiscava algumas palavras sobre isso e aquilo, e isso me comprou uma casa. Uma casa inteira! Talvez ser pesquisador não seja tão incrível quanto ser príncipe, mas ainda é um bom trabalho… com todo o respeito, é claro. Sua Alteza.”

O vazio riu.

“Você é uma pessoa interessante.”

Sunny encarou o vazio com expressão incrédula.

“Você também é um enigma, não é?”

Mordret ficou em silêncio por um tempo e depois perguntou:

“Você está pronto para o que está prestes a acontecer?”

Em vez de responder, Sunny apontou para o oceano de estrelas impiedosas.

“Olhe para lá.”

Quando o príncipe perdido falou, sua voz estava estranhamente arrependida:

“Eu não consigo ver muito bem. O que é aquilo?”

‘Ah… é verdade.’

Sunny hesitou por alguns segundos e depois disse:

“Acho que encontrei a fenda da qual você me falou.”

Mordret perguntou, surpreso:

“…Mesmo? Você encontrou?”

Sunny deu de ombros.

“Vamos ver. Você disse que deveria estar em algum lugar abaixo do Rompimento, certo? Como caí diretamente no Rompimento, há uma chance de eu estar certo.”

O vazio permaneceu por um instante e então disse com tom sombrio:

“E se você estiver errado?”

Sunny sorriu.

“Então foi um prazer conhecê-lo. De qualquer forma… mais alguma coisa que você queira me dizer antes de ir embora? Duvido que teremos oportunidade de falar novamente antes de eu alcançar as estrelas.”

Mordret pensou por alguns segundos e então disse:

“Pode ser que eu não consiga alcançá-lo de jeito nenhum depois disso. Então… boa sorte?”

Sunny levantou uma sobrancelha.

“Sério?”

A voz do vazio respondeu após uma longa pausa:

“Sim. Por quê?”

Ele balançou a cabeça.

“Nada, na verdade. Só achei que você está preso em algum lugar lá fora, além das estrelas.”

Mordret riu.

“…Não. Eu estou preso em outro lugar.”

Sua voz ficou estranhamente distante. Então, um sussurro quase inaudível alcançou os ouvidos de Sunny:

“Espero… sobreviva… Sunless…”

Em seguida, o príncipe perdido se foi, deixando Sunny sozinho na escuridão mais uma vez.

Ele suspirou.

“Eu também. Espero sobreviver também.”


Após o desaparecimento de Mordret, Sunny esperou por um tempo e quebrou a regra que tinha estabelecido para si mesmo pela segunda vez desde o início dessa expedição. Ele convocou outra Lembrança que deveria estar ligada apenas a Mongrel.

O Manto do Submundo.

A intricada armadura de ônix se tecia a partir de centelhas de escuridão e o cobria da cabeça aos pés. Sunny não estava acostumado a usar o elmo fechado, pois geralmente usava a Máscara do Tecelão, mas não era desconfortável. No entanto, seu campo de visão ficou um pouco limitado.

“Espero que ninguém consiga me ver tão longe no abismo.”

Aqui no Céu Abaixo, ele sentia como se ninguém, nem mesmo aqueles que estavam sintonizados com as revelações, pudesse espiar seus segredos e descobrir algo sobre eles.

…A única exceção à regra era o Príncipe do Nada. Mas ele se foi agora.

O Manto possuía duas encantamentos que muito provavelmente seriam extremamente úteis em breve. O [Inabalável] atributo da armadura conferia alta resistência contra vários tipos de dano elemental, incluindo fogo. Apenas segundos após vesti-lo, Sunny sentiu o calor sufocante recuar, substituído por uma agradável sensação de frescor.

Quanto tempo esse frescor duraria, ele não sabia.

Por outro lado, o encantamento [Pedra Viva] permitia que o Manto do Submundo se reparasse enquanto era usado. Essa característica entraria em jogo mais tarde, ajudando Sunny a se proteger mesmo depois que a chama divina se tornasse intensa o suficiente para danificar a armadura de ônix.

Após isso, Sunny convocou o arco longo sombrio e o aljava de flechas negras. Agora, sua mão havia se recuperado o suficiente para que ele pudesse puxar o poderoso arco… ele apenas esperava não precisar disso.

Por fim, ele convocou a Visão Cruel e a prendeu em seu cinto.

…Todas as preparações estavam prontas agora.

Olhando para baixo através da fenda estreita da viseira, Sunny suspirou…

Agora, tudo dependia de sua resistência, sorte… e quão profundas eram suas reservas de essência das sombras.


Na escuridão severa do vazio vazio, mais profundo do que até mesmo as memórias de um céu azul poderiam alcançar, um baú do tesouro rachado estava caindo em direção a um oceano de chamas brancas e abrasadoras.

A parte inferior do baú era banhada pela luz furiosa, enquanto sua tampa afundava na escuridão mais profunda. Fios de fumaça se elevavam lentamente de sua madeira em brasas, e as tiras de ferro que o reforçavam começavam a brilhar lentamente à medida que ficavam alaranjadas.

Sunny, que se tornara uma sombra e estava novamente escondido na tampa do demônio morto, sentia-se bem… por enquanto. Até que o baú do tesouro fosse destruído, ele estaria protegido de tocar diretamente a luz da chama divina.

Mas por quanto tempo o corpo do mímico duraria?

No entanto, ele estava pensando em algo ainda mais terrível…

“A fenda… maldita fenda! Vou perdê-la!”

Comentários

4 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar