SSS-Class Suicide Hunter – Capítulo 203

Dragão Negro (2)

— O quê?

A Mestre Dragão Negro piscou.

A líder da guilda nº 1 da Torre lentamente fechou os olhos e os abriu da mesma forma. Lentamente. A ação levou literalmente um segundo completo.

Então, franziu as sobrancelhas.

— Regressor? Do que está falando?

— Fiquei pensando sobre isso por um bom tempo. A sênior cruzou o Império Aegim comigo. Teria sido mais fácil se eu tivesse revelado minha identidade antes, mas naquela época, ainda não confiava completamente em você, então escondi até agora.

— …

Quanto mais eu falava, mais pesada ficava a expressão da Mestre Dragão Negro.

Estava claro agora que eu não estava brincando.

— A Sênior sempre disse que não sabia de onde esse novato que não parece um novato surgiu. Que é como se eu fosse velho apesar da minha idade. Você tinha razão, não sou um novato.

Convoquei uma carta de habilidade.

— Abrir carta de habilidade.

Uma luz dourada brilhou.

Virei a carta dourada em minha mão e mostrei para a Mestre Dragão Negro.


[Relógio Mecânico do Retornador]

Rank: EX

Efeito: Ativa automaticamente após a morte. Retorna para 24 horas antes da morte. Mesmo depois de retornar, todas as memórias e habilidades são mantidas.

※ A penalidade aumentará com a classe do caçador.

※ Esta Habilidade foi copiada do Caçador Yoo Soo-ha.


— Espera um minuto.

A Mestre Dragão Negro esticou a mão esquerda e agarrou a minha que segurava a carta, cobrindo-a, impedindo que visse as descrição.

A Mestre Dragão Negro estava bloqueando a habilidade que eu queria mostrar a ela.

— Não.

Seus olhos negros, que pareciam infinitos, de alguma forma pareciam desesperados. Ela estava me olhando com uma expressão urgente. Além daqueles olhos, bem no fundo do poço, uma ondulação apareceu na água.

— Não faça isso, por favor.

Havia um leve tremor na voz.

— Não sei do que está falando. Entretanto, sei o que poderia acontecer se eu escutar. Há uma linha que nunca deve ser cruzada. Não importa o quão familiar ou quão próximos sejamos, esta é uma linha que não devemos cruzar.

A Mestre Dragão Negro falou naturalmente como se tivesse previsto que isso aconteceria.

A naturalidade deve vir das suas experiências passadas.

— Não me conte seu segredo. Não divida. Se for revelar um segredo agora, cruzaremos o ponto sem retorno. Quando começamos a confiar demais um no outro, não é mais confiança, e sim dependência.

— Eu sei, sei disso.

— Somos bons amigos. Companheiros confiáveis. Você não deve esperar mais que isso de relacionamentos com as pessoas. Eu cuido do meu trabalho, e você cuida da sua vida. Não seria melhor?

A Mestre Dragão Negro estava basicamente me pedindo consentimento.

As palavras sérias dela me fizeram pensar. Era sempre difícil decidir que tipo de relacionamento queria ter com alguém.

Logo, cheguei à conclusão.

— Então, me escute primeiro e depois decida.

— Será muito tarde.

— Não será. Posso voltar. Mesmo se conversarmos agora, posso fazer com que isso nunca tenha acontecido. Eu tenho a habilidade.

— …

A Mestre Dragão Negro ficou em silêncio.

Na Praça da Cidade do Porto, as pessoas gradualmente foram acordando e olhando em volta. Os residentes grunhiam e se espreguiçavam, expelindo o qi venenoso acumulados em seus corpos. Uaah. Uhh. Os sons de bocejos podiam ser escutados por todo o lado.

— Não vamos falar disso aqui.

A Mestre Dragão Negro, que ainda segurava minha mão, murmurou.

— Transferência.

No momento seguinte, estávamos longe da praça.

No píer da cidade.

Os barcos atracados na doca estalavam com o balançar das ondas. Quase como se respondesse a cacofonia. Por um momento, tudo que podíamos escutar era o barulho das ondas.

—  Certo.

Como se tivesse finalmente se decidido, a Mestre Dragão Negro concordou.

—  Escutarei o que tem a dizer primeiro, mas não podemos falar disso sóbrios.

A Mestre Dragão Negro balançou a mão e um vórtex apareceu no ar. Era como se tivesse aberto um portal para um abismo negro. A mulher enfiou a mão sem hesitar.

E depois de um tempo, tirou de lá uma garrafa de vinho.

Eu estava meio surpreso.

— Isso é uma habilidade?

— Uhum. [Armazenamento de Itens]. Apesar do espaço ser limitado, não há habilidade melhor que essa quando falamos de matar pessoas e esconder evidências.

A Mestre Dragão Negro disse aquelas palavras casualmente antes de tirar dois copos do vórtex.

— Você deveria se sentir honrado. Não foram muitas pessoas que viram essa habilidade. Você é o primeiro Caçador vivo que a viu, Rei da Morte.

Peguei o copo da Mestre Dragão Negro. Por um tempo, apenas esvaziamos a garrafa devagar.

Antes de começar a ficar sóbrio, comecei a falar.

— Sou um regressor.

Continuei falando.

— Não sei por onde começar… Tenho uma habilidade que me permite voltar no tempo. Para ser preciso, permite que eu volte 24h quando morro. Graças a isso, pude superar muitas dificuldades. O 10º andar. 20º andar. Usei minha habilidade de regressão para sobreviver a todos eles.

Mostrei a carta, dessa vez ela não desviou o olhar.

— Entendo.

Entretanto, ela soltou um leve suspiro.

Como se tivesse encontrado a última peça do quebra-cabeça que estava procurando há muito tempo.

— Você suspeitava de algo?

— Tipo isso. Ao menos, eu sabia que [Profeta] era uma mentira.

A Mestre Dragão Negro levantou o copo.

— Não importa como olhe, parecia uma desculpa conveniente. Estive te observando por um bom tempo. Você nunca fez [o que já sabia]. Sempre lutou todas as batalhas como se fosse a última. Certo, você não sabia o futuro, você estava indo para o passado.

Ela voltou a me olhar.

— Gostaria de te perguntar algo.

— Pergunte.

— A batalha no 11º andar.

Parecia que ela ia dizer algo que duvidava a muito tempo.

—  No 11º andar, nossa Torre passou por nossa primeira batalha em grupo. Todos estavam excitados sobre finalizar o 10º andar que havíamos ficado travados por anos. Lá lutamos contra o exército do Rei Demônio. Lembra?

— Sim.

— Naquela época, miraculosamente, nenhum Caçador perdeu a vida. Alguns se machucaram, mas ninguém morreu. Então…

A Mestre Dragão Negro hesitou por um longo tempo.

— Tem alguma chance…

— Sim.

— de você ter retornado naquela vez?

— Sim.

— Até que não houvesse casualidades?

— Sim.

A Mestre Dragão Negro fechou a boca.

O poço em seus olhos pareceu se tornar mais claro.

— Quantas vezes…?

— Muitas.

— 10 vezes? 20?

— Provavelmente mais que isso.

— No 12º também?

— Continuou depois disso. Foi assim até que conheci Raviel.

— …

A respiração da Mestre Dragão Negro acelerou.

— Por quê? Ir tão longe… Não tinha motivos para fazer isso.

— Não fiz porque sou uma boa pessoa. Se eu tivesse ido para o 11º andar sozinho, teria que refazê-lo dezenas ou centenas de vezes. Você também é um dos motivos por que retornei.

Olhei no fundo dos olhos da Mestre Dragão Negro.

— Cada vez que o número de pessoas que haviam morrido no cenário diminuía, você sorria mais.

Era algo que ela não lembrava.

— Antes disso, nunca havia te visto sorrir ao menos um pouco. Apesar de não serem sorrisos brilhantes, ainda eram sorrisos cheios de felicidade. Durante a incursão, quando centenas de Caçadores morreram, você completou suas obrigações com uma atitude rígida e sem emoção… A Mestre Dragão Negro mudou muito quando as casualidades caíram para dois dígitos.

Eu era o único que lembrava de sua transformação.

「Ai meu deus! Provavelmente menos de 40 Caçadores morreram!」

「Isso não faz sentido… Parece que menos de 10 pessoas morreram!」

「Isso é inacreditável. Não deveria ser possível em um campo de batalha assim.」

Um sorriso desabrochou como um botão de flor bem fechado abrindo suas pétalas.

Ainda lembrava vividamente daquele momento.

— Quando vi, pensei que era realmente bonito.

— …

— Me fez feliz, pois pela primeira vez notei que podia fazer alguém sorrir.

— Obrigado, Mestre Dragão Negro. Sênior.

— Por quê…?

— Graças a você, consegui seguir um caminho que nunca poderia ter feito sozinho. Agora sei o que é amar a vida. Estou com alguém que amo. Mesmo que não fosse sua intenção, pude seguir cada passo por causa do sorriso que me mostrou aquele dia.

Eu queria dizer isso.

Eu queria dizer a ela.

— Sênior, você é alguém que me ajudou a conseguir essa força. Você não está sozinha. Mesmo que se preocupe em dizer adeus para todas as pessoas que conhece, não precisa se preocupar comigo.

Já que tenho a habilidade de voltar os dias.

— Ficarei bem.

Não morrerei.

— Não precisa parar as tentativas de assassinato contra mim. Não precisa se preocupar se não os parar. Estou aqui, e ficarei aqui o quanto você quiser que eu fique.

— …

— Ficará tudo bem mesmo se falharmos.

— Dizer algo assim…

— Não precisa se preocupar em falhar novamente. Você pode fazer o que quiser. Mesmo que algo dê errado, posso te dar outra chance.

— Não diga isso.

A Mestre Dragão Negro estava com medo.

Eu sabia o que ela mais temia.

Mesmo quando havíamos ficado bêbados com a Paladina, a Mestre Dragão Negro murmurava.

「Não se atrase, Rei da Morte.」

「Você nunca pode se atrasar.」

Uma situação irreversível, era o que ela mais temia. Então, decidi dar o mais sincero presente que eu podia.

Disse algo que apenas eu poderia dizer.

— Você pode se atrasar algumas vezes.

— …

A Mestre Dragão Negro parou como se tivesse levado uma facada.

— Enquanto eu estiver ao seu lado, nada é irreversível. Tudo pode ser refeito. Então, pode se arriscar mais e apostar, Sênior. Você merece isso.

O vento vindo do oceano balançou o cabelo da Mestre Dragão Negro.

— Você é muito mais habilidosa que eu. Começou sua própria empresa e coordena uma organização inteira…  Comanda toda a Torre. Isso é um talento que não tenho. Da mesma maneira, por sorte, o talento de começar de novo foi dado para mim, não para você, Sênior.

Minha querida melhor amiga.

— Podemos fazer muito mais se estivermos juntos.

Eu não queria vê-la chorando, então baixei minha cabeça e segurei a mão dela.

— Já dependo de você, então, por favor, dependa de mim também.

— Você… Realmente.

A Mestre Dragão Negro engoliu as palavras.

— Você é uma pessoa má. Por que está falando isso depois de dizer que pode fazer com que essa conversa nunca aconteça? Está dizendo que tudo bem você morrer já que irá voltar um dia e nossa conversa desaparecerá. Você se mataria para que essa conversa nunca tenha acontecido?

— Sim.

— Doido.

A Mestre Dragão Negro segurou minha mão.

—  Doido…

Ela murmurou novamente.

— Você verá. O usarei até que fique cansado. O que isso? Regressor? Como ousa compartilhar tal habilidade comigo sem ficar assustado? Você não sabe o quão louca a líder da Guilda Dragão Negro é. Você verá. Louco desgraçado.

Esperei que a tremedeira da Mestre Dragão Negro diminuísse. Depois de um tempo, ela falou com uma voz muito mais calma.

— Anastasia.

— …

— Este é meu verdadeiro nome, Kim Gong-ja.

Levantei lentamente minha cabeça. A Mestre Dragão Negro tinha um sorriso fino em seu rosto.

— Vou me certificar de usá-lo corretamente, então se prepare para o futuro.

— Sim.

Também ri genuinamente.

— Sênior Anastasia.

Dentre as pessoas escalando a Torre, eu havia encontrado uma companheira com quem pude compartilhar um segredo pela primeira vez.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar