Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 106

A Única Explicação para uma Viagem

No dia seguinte, Luke foi numa oficina que fez um compromisso mais cedo e comprou um Ford Focus de segunda mão.

O veículo só foi usado por um ano e estava em boa forma. Luke pagou dez mil dólares por ele.

Então dirigiu o Ford de segunda mão até ao departamento.

Elsa estava na sua mesa e parecia exausta. Cumprimentou Luke quando o viu: — Vamos lá. Dustin está chamando você.

Seguindo Elsa, Luke perguntou: — Você não dormiu noite passada?

Elsa bocejou e respondeu: — Não, estava ocupada analisando os arquivos do Sergei.

O interesse de Luke foi atiçado. Por que estava ocupada investigando Sergei?

O comandante da Divisão de Crimes Graves parecia igualmente exausto em seu escritório.

Dustin assentiu para ambos e indicou que Luke deveria fechar a porta.

Após a porta ser fechada, ele disse: — O caso da Katie está basicamente resolvido, mas ainda há o problema do Sergei. Luke, Elsa acredita que você pode tentar pegá-lo em Nova York. Está disposto a ir?

Após um breve atordoo, Luke perguntou confuso: — O departamento de polícia em Nova York está bem com isso?

Dustin suspirou e respondeu: — Você terá que negociar com eles e chegar numa solução.

Luke ficou sem palavras.

Ele era apenas um detetive novato. Como poderia negociar com a NYPD, o maior departamento de polícia nos Estados Unidos, e qual era duas vezes maior que a LAPD?

Olhando para o rosto dele, Dustin explicou: — Cheque a situação em Nova York e veja se pode apreender o Sergei num lugar remoto. A NYPD deve ficar bem com isso. O diretor conversou com o resto do departamento; contanto que não o prenda em público, permitirão que os apoie com este caso.

Luke sentiu a cabeça latejar com força.

Parecia com um gesto simpático da parte da NYPD, mas eles tinham controle total sobre o caso.

Luke e Elsa só agiriam como apoio quando estivessem em Nova York.

Ele olhou para Elsa, que assentiu levemente.

Luke sabia que isto significava que ela queria ir.

Qual escolha ele tinha? Poderia recusar uma viagem de trabalho quando acabou de começar no trabalho?

Só podia dizer: — Estou ao seu comando, chefe.

Aliviado, Dustin disse: — Isso é ótimo. Se prepare enquanto finalizamos as negociações com a NYPD nos próximos dois dias. Será complicado. Bom trabalho!

Elsa e Luke assentiram e saíram.

Após retornarem as suas mesas, Elsa perguntou: — Você está bem?

Elsa sabia que deveria ter falado com Luke com antecedência, porém, por algum motivo, não o fez.

Luke balançou a cabeça: — Estou bem. No entanto, devemos investigar o filho afogado do Sergei, enquanto ainda temos tempo?

Elsa ficou atordoada por um momento, pois não esperava que Luke levantasse este assunto.

Porém, o desempenho dele ontem impossibilitou negligenciar a opinião dele, então perguntou: — Você tem alguma pista?

— Sergei é russo. Selev, o guarda de segurança da Katie, também é russo, não é? — disse Luke.

Elsa ficou atordoada. Não focou demais no caso de Katie ontem para pensar nisso.

Com o lembrete de Luke, imediatamente pensou nisso: — Você acha que o Selev deixou o filho gordo do Sergei entrar na mansão? Espera, não, se o Selev matou o filho do Sergei, ele estaria morto.

Luke falou: — Perguntei a Sally ontem. Ela disse que o Selev tem um controle remoto que pode abrir os portões da frente e dos fundos; deixar convidados entrarem seria muito fácil para ele.

Elsa bateu na testa e disse: — Isso mesmo! Vamos investigar o Selev.

Luke naturalmente não pegou seu carro. Era horário de trabalho, então entrou no carro de Elsa e partiram.

No carro, Elsa perguntou: — Tem certeza de que há algo suspeito sobre o Selev? Você tem alguma prova?

Luke deu de ombros: — Sergei pode ter saltado pela parede para entrar na mansão, porém, o filho gordo de 90 quilos é improvável. Não acho que haja outra maneira dele ter entrado na mansão além das entradas da frente e dos fundos.

Ele não estava dizendo a verdade.

Ontem, seu Olfato Aguçado desempenhou um papel importante.

Ele sentiu o cheiro de Selev no quarto de Katie; a mistura de óleo de arma, pólvora e odor corporal era óbvio demais.

Ele aprendeu isso enquanto Selev era o guarda de segurança, não podia entrar no quarto de Katie sem permissão.

Considerando quão forte era o cheiro, deve ter entrado no quarto antes do alvorecer.

Um guarda de segurança entrando no quarto de sua empregadora no meio da noite, e sua empregadora foi afogada na piscina depois disso.

Não havia nada certo sobre isso.

Segundamente, o cheiro de Selev também apareceu na trilha para o portão dos fundos. Obviamente caminhou por aquela trilha muitas vezes.

O mesmo cheiro também estava pela piscina.

Além disso, havia outro cheiro que era similar ao de Selev, exceto que também carregava o cheiro de clorofórmio.

O relatório da autopsia mostrou traços de clorofórmio no corpo de Katie.

Um homem com o cheiro de clorofórmio entrou no quarto de Katie, enquanto Selev também carregava o leve cheiro de clorofórmio.

Luke fechou os olhos no quarto de Katie antes porque estava tentando discernir os cheiros com Olfato Aguçado.

Então, a única explicação era que Selev estava envolvido nisso.

Deixara Sergei entrar na mansão secretamente. Pode ter até trabalhado com Sergei para drogar Katie e jogá-la na piscina.

No final, viu Sergei sair pela entrada dos fundos.

Essa era a única explicação para os pontos suspeitos no caso, bem como para os cheiros que Luke sentiu.

Luke saiu pela entrada dos fundos porque estava rastreando o cheiro, qual persistia até a estrada principal.

Foi por isso que tinha certeza de que a câmera de segurança de Jenny havia gravado Sergei.

Luke encontrou os criminosos neste caso supostamente complicado graças a sua habilidade recém-adquirida.

Quando entraram, Elsa perguntou: — Onde está o Selev? Há algo que precisamos perguntar a ele.

Sally respondeu: — Oh, eu o vi no jardim dos fundos agora há pouco. Quer que eu o chame?

Elsa e Luke se entreolharam e ela disse pouco depois: — Vamos juntos. Não temos muitas perguntas.

Eles não queriam alarmá-lo e dar a chance de fugir.

No entanto, não havia sinal de Selev no jardim dos fundos; apenas o pequeno portão aberto.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar