Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 11

A Larga Preferência dos Estudantes do Ensino Médio e uma Guloseima Doce para a Chefe

Sem palavras, Luke olhou para uma placa na estrada distante.

A placa dizia que eles estavam a 48 quilômetros de Shackelford, sua cidade natal.

Isso também significava que eles tinham realmente cruzado a fronteira de Shackelford.

E dentro da jurisdição da cidade, apenas os policiais da cidade podiam emitir uma multa.

E apenas um idiota emitiria uma multa no carro de seu superior.

E assim, mesmo sem uma carteira de motorista, Luke trocou de marcha e dirigiu com firmeza. Quando o carro entrou na estrada sem nenhuns problemas, ele parou de se preocupar e disse: — Olha só como você é bom em dirigir. Você deve ter dirigido muito no rancho, hein? Por que você não tira uma licença então?

Luke respondeu: — Hm, farei isso depois do caso.

Robert disse: — Você pode dirigir mais rápido, sabe.

Luke respondeu: Cento e vinte oito quilômetros por hora já é rápido o bastante. Caso contrário, não serei capaz de garantir nossa segurança. Não é como se eu fosse um motorista experiente.

Robert disse: — Tudo bem, me acorde quando chegarmos.

Então, ele fechou os olhos e reclinou quando começou a pensar no caso.

Dentro do carro, apenas o som da música country no rádio podia ser ouvida.

Vinte minutos ou mais depois, Luke parou: — Chegamos, Robert.

Robert grunhiu em consentimento e saiu do carro. Ainda em pensamentos profundos, ele entrou na delegacia.

Luke balançou a cabeça impotente ao desligar e trancar o carro antes de também entrar no prédio.

Logo depois de entrar, ele viu Selina conversando com Robert.

Quando ele os cumprimentou, Selina lhe deu um sorriso brilhante e um abraço antes de dizer: — Luke, você finalmente está aqui. O chefe disse para esperar por você antes de começarmos.

Luke assentiu com um sorriso no rosto.

As pessoas aqui normalmente não agiriam de forma tão íntima com seus colegas, mas como ele tinha ajudado de uma hora para outra noite passada e aliviou seu fardo consideravelmente, junto com sua idade, Selina era muito amigável para com ele.

Robert ainda estava em silêncio, com uma expressão pensativa em seu rosto ao entrar no escritório.

Nesta pequena delegacia com cerca de uma dezena de membros, Robert era o único com seu próprio escritório. Até mesmo o vice-chefe só tinha uma mesa grande no canto da sala.

Não era que o vice não queria uma sala, mas a aplicação de investimento para sua própria sala foi rejeitada. Assim, ele não ganhou seu próprio escritório.

Os três entraram no escritório, com Luke sendo o último. Ele fechou a porta atrás dele quando entrou e até a trancou.

Selina, que estava o observando o tempo todo, murmurou baixinho: — Que garoto cauteloso. Ele é completamente diferente do chefe.

Quanto a Robert, desde que fez Luke dirigir, se comportou como se estivesse sonhando. Após sentar, ele finalmente disse: — Luke, repasse o que você me disse e também os resultados da autópsia.

O que Luke poderia fazer? Ele estava no trabalho e Robert era seu superior. Assim, ele obedeceu.

Luke falou o mais sucinto possível, mas sem negligenciar nada e explicou tudo sobre a autópsia antes de falar sobre os relacionamentos complicados de Michelle antes da morte.

Selina assobiou quando ouviu isso: — Uau, as crianças de hoje em dia sabem como se divertir!

Luke balançou a cabeça solenemente e disse: — Não, aquele é um privilégio reservado apenas aos populares. Se fosse um cara gordo, por exemplo, ele não faria parte, independente do gênero.

Selina apagou levemente antes de dizer: — Verdade, isso mesmo. Mas como isso está relacionado ao caso?

Luke respondeu: — Talvez não haja uma conexão, mas só estou dizendo isso para não assumir que essa é a vida de todos os colegiais hoje em dia.

Selina falou duvidosamente: — Sério?

Luke: — … Meu ponto é, a aparência da pessoa determinará sua popularidade na escola.

Selina: — …

Robert: — …

Depois de algum papo furado, Luke finalmente voltou ao assunto principal. Ele olhou para Robert e disse: — Você precisa que eu dê uma explicação detalhada sobre os outros dois estudantes?

Robert assentiu: — Não se preocupe. A Selina é uma policial experiente. Ela sabe o que dizer e o que não dizer.

Luke assentiu: — Além do George Joshua, seu namorado oficial, a Michelle também era próxima do Boris Pepe e do Lorde Terry, os dois são membros do clube de futebol americano. Oh, o Boris é um osffensive guard enquanto o Lorde é um quarterback.”

Selina estalou a língua e disse: — Essa Michelle… tem grandes preferências.

Luke ficou sem palavras.

O que ele poderia dizer?

Aqueles dois, junto com o capitão, George, quem jogava na posição tight end, lembrava uma reunião das posições principais do clube na placa da mão da Michelle.

Boris, o offensive guard, era um latino e era tão resistente quanto uma parede. Quanto a sua aparência, parecia bem grosseiro.

Quanto ao Lorde, ele era um lindo cara branco e como um quarterback, era magro e atlético. Ele também tinha boas notas.

Quanto ao George, ele era o meio dos dois: forte, mas não tão forte quanto o offensive guard, e lindo, mas não lindo demais.

Pode-se dizer que os três tinham estilos completamente diferentes e os três eram íntimos com a Michelle.

Robert ponderou um pouco antes de se levantar: — Vamos lá. Vamos fazer uma visita ao George.

Os três saíram, e como Luke estava mais perto da porta, ele a abriu para os dois. Que fez Selina olhar para ele atordoada.

Luke sorriu: — Damas primeiro.

Robert caminhou na frente sem expressão, mas por dentro, ele murmurou para si mesmo: — Esse pirralho fedorento. Ele não terá a policial mais bonita só com isso, certo? Ele tem uma namorada… Bem, ele mencionou que a Jimena está indo embora para estudar. Esqueça, esqueça. Não me importo mais.

Quanto a Selina, ela riu antes de sair da sala.

Quando chegaram no estacionamento, Luke estava prestes a entrar no carro antes de Robert gritar para ele: — O que você está fazendo?

Luke respondeu: — O quê?

Robert apontou para o lado e disse: — Selina é sua parceira. Vá com ela.

Luke então percebeu e rapidamente foi atrás da Selina.

Selina já estava sentada no banco do motorista e riu com vontade: — Jovem Luke, você agora é um policial e meu parceiro ainda por cima. Você não pode permanecer como a cauda do Robert para sempre.

Luke sorriu enquanto colocava o cinto de segurança: — Então você quer dizer que tenho que ser a sua cauda agora? — quando falou, olhou para uma certa parte do corpo de sua parceira.

Selina: — … Robert estava certo. Você parece honesto, mas é muito ardiloso por dentro.

Luke disse: — Você tem certeza que essas foram as palavras do Robert?

Diante desta linha de questionamento completamente sem emoção, Selina mais uma vez ficou sem palavras. Ela bateu o pé no pedal de raiva e acelerou atrás do carro de Robert: — Tudo bem, o que o Robert disse foi que você parece idiota, mas é muito esperto.

Luke disse: — … Esqueça. Preferiria que ele tivesse me chamado de ardiloso.

Selina apagou de novo antes de reagir: — Hahaha, então você não gosta de ser chamado de idiota.

Luke revirou os olhos: — Você gostaria de ser chamada disso?

Selina ficou sem palavras de novo.

Luke pegou algo do bolso e disse: — Tudo bem, chefe, venha, coma um doce. — Antes de entregar um pedaço de goma de mascar.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar